Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como encontrar a religião verdadeira

Como encontrar a religião verdadeira

 Como encontrar a religião verdadeira

‘Se a verdade da parte de Deus existe, por que é necessário procurar por ela?’, alguns perguntam. ‘Se Deus tem uma mensagem importante para toda a humanidade, será que ele não a transmitiria de modo bem claro para que todos logo a identificassem, sem ter de fazer uma busca?’

COM certeza, Deus tem a capacidade de fazer isso. Mas será que esse é o meio que ele escolheu para transmitir a verdade?

Como Deus transmite a verdade

Na realidade, a maneira de Deus transmitir suas mensagens permite que os que buscam a verdade de modo sincero a encontrem. (Salmo 14:2) Considere a mensagem que Deus transmitiu séculos atrás por meio de seu profeta Jeremias. Ela foi dada ao povo rebelde de Deus e dizia que Jerusalém logo seria destruída pelos babilônios. — Jeremias 25:8-11; 52:12-14.

Mas, ao mesmo tempo, outros profetas afirmavam falar em nome de Deus. Hananias predisse paz para Jerusalém. Essa mensagem era bem diferente daquela anunciada por Jeremias. Então, em quem as pessoas da época deviam acreditar: em Jeremias ou naqueles que o contradiziam? — Jeremias 23:16, 17; 28:1, 2, 10-17.

Para saber quem dizia a verdade, os judeus sinceros precisavam conhecer a Jeová como pessoa. Precisavam entender as leis e os princípios de Deus, e qual era Seu conceito em relação ao que é errado. Ao fazer isso, teriam concordado com as palavras de Deus proferidas por meio de Jeremias de que “não havia homem que se arrependesse de sua maldade”. (Jeremias 8:5-7) Além disso, teriam percebido que aquela triste situação não era um bom sinal para Jerusalém e seus habitantes. — Deuteronômio 28:15-68; Jeremias 52:4-14.

As profecias de Jeremias a respeito de Jerusalém se cumpriram. A cidade foi arrasada pelos babilônios em 607 AEC.

Embora os maus resultados da desobediência tivessem sido preditos muito tempo antes, era necessário esforço para reconhecer que havia chegado o tempo de Deus agir.

O que dizer da verdade cristã?

O que dizer da verdade que Jesus pregou? Será que todos a reconheceram como uma mensagem de Deus? Não. Apesar de Jesus ter ensinado e feito milagres bem no meio do povo de Israel, a maioria de seus ouvintes não discerniu que ele era o prometido Messias — o Cristo, ou o Ungido.

O próprio Jesus disse aos fariseus que perguntaram quando o Reino de Deus viria: “O reino de Deus não vem de modo impressionantemente observável.” E acrescentou: “O reino de Deus está no vosso meio.” (Lucas 17:20, 21) Jesus,  o governante designado por Deus, estava entre eles. Mas aqueles fariseus se recusavam a reconhecer a evidência de que ele estava cumprindo as profecias messiânicas e a aceitá-lo como “o Cristo, o Filho do Deus vivente”. — Mateus 16:16.

A verdade pregada pelos discípulos de Cristo no primeiro século provocou uma reação parecida. Embora milagres ajudassem a provar que Deus apoiava os discípulos, a verdade ainda não estava clara para a maioria das pessoas. (Atos 8:1-8; 9:32-41) Jesus deu a seus seguidores a comissão de ‘fazer discípulos de pessoas’, ensinando-as. Ao ouvir e aprender as verdades bíblicas, pessoas sinceras que buscavam a verdade se tornaram cristãs. — Mateus 28:19; Atos 5:42; 17:2-4, 32-34.

Hoje em dia também é assim. As “boas novas do reino” estão sendo “pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações”. (Mateus 24:14) Isso muitas vezes não é feito “de modo impressionantemente observável” — de maneira tão óbvia que todas as pessoas na Terra a reconheçam como mensagem de Deus. Mas é possível reconhecer a verdade de Deus, e ela provoca uma reação favorável em pessoas sinceras que desejam adorá-lo do modo que Ele aprova. — João 10:4, 27.

O fato de você estar lendo uma revista sobre assuntos bíblicos mostra que você provavelmente é um desses sinceros que buscam a verdade. Como você pode identificar a religião que ensina a verdade?

Um método que funciona

No primeiro século, o apóstolo Paulo elogiou a reação que algumas pessoas da cidade de Beréia tiveram ao que ele ensinava. Elas não aceitaram logo como verdade o que Paulo dizia, mas ouviram de modo respeitoso. Podemos aprender algo do que os bereanos fizeram após terem ouvido a mensagem.

Veja o que a Bíblia diz a respeito deles: “Ora, [os bereanos] eram de mentalidade mais nobre do que os de Tessalônica, pois recebiam a palavra com o maior anelo mental, examinando cuidadosamente as Escrituras, cada dia, quanto a se estas coisas eram assim. Portanto, muitos deles tornaram-se crentes.” (Atos 17:10-12) Assim, a busca deles não era superficial. Não esperavam chegar a uma conclusão definitiva depois de apenas uma ou duas breves conversas com Paulo.

Além disso, observe que os bereanos “recebiam a palavra com o maior anelo mental”. Isso nos diz algo sobre seu modo de encarar o estudo das Escrituras. Não eram crédulos, aceitando tudo que era dito, mas também não eram céticos, rejeitando logo a mensagem. Não mostraram uma atitude crítica com relação às explicações de Paulo, um representante humano de Deus.

 Outro ponto a considerar é que os bereanos estavam ouvindo sobre o cristianismo pela primeira vez. Parecia algo bom, talvez até bom demais para ser verdade. Mas em vez de descartar aquela mensagem, eles examinaram cuidadosamente as Escrituras para verificar ‘se as coisas que Paulo dizia eram assim’. Note também que, depois de ter feito essa busca cuidadosa, tanto bereanos como tessalonicenses se tornaram cristãos. (Atos 17:4, 12) Não desistiram de procurar a verdade, achando que era impossível encontrá-la. De fato, eles reconheceram a religião verdadeira.

Como a verdade afeta as pessoas

Quando alguém encontra a verdade, como aconteceu com os bereanos, ele se sente motivado a falar dela a outros com entusiasmo. Alguns talvez não gostem disso, achando que seria uma atitude mais humilde pensar que outras religiões também podem estar certas. Mas, ao reconhecer a verdade bíblica, a pessoa passa a ter convicção. Ela não tem dúvida sobre se é possível encontrar a verdade nem fica pensando se todas as religiões poderiam levar à salvação. No entanto, a pessoa mostra que realmente é humilde quando se dispõe a fazer uma busca sincera para encontrar a verdade.

As Testemunhas de Jeová fizeram isso. É por esse motivo que acreditam ter encontrado a religião verdadeira. E elas convidam você a pesquisar as Escrituras a fim de identificar quem pratica a religião verdadeira hoje em dia. Embora haja muito mais envolvido do que uma simples lista de requisitos, as informações sobre os cristãos do primeiro século, no quadro nesta página, podem ajudá-lo a iniciar essa busca.

Por meio de um curso bíblico gratuito com as Testemunhas de Jeová, você poderá fazer uma pesquisa profunda do que a Bíblia realmente ensina. Esse conhecimento lhe dará condições de identificar a religião verdadeira.

[Quadro na página 9]

Características da religião verdadeira

Considere as práticas e os ensinamentos dos cristãos do primeiro século:

▪ Confiavam na Palavra de Deus como seu guia. — 2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 1:21.

▪ Ensinavam que Jesus era o Filho de Deus, uma pessoa diferente do próprio Deus e subordinada a Ele. — 1 Coríntios 11:3; 1 Pedro 1:3.

▪ Ensinavam que os mortos voltarão a viver no futuro por meio de uma ressurreição. — Atos 24:15.

▪ Eram conhecidos pelo amor que prevalecia entre eles. — João 13:34, 35.

▪ Não se limitavam a adorar de modo individual, mas estavam organizados em congregações e unidos sob a orientação de superintendentes e de um corpo central de anciãos que reconheciam Jesus como Cabeça. — Atos 14:21-23; 15:1-31; Efésios 1:22; 1 Timóteo 3:1-13.

▪ Pregavam com zelo que o Reino de Deus é a única esperança para a humanidade. — Mateus 24:14; 28:19, 20; Atos 1:8.

[Foto na página 7]

Como as pessoas saberiam se Jeremias era um profeta verdadeiro, visto que outros o contradiziam?

[Fotos nas páginas 8, 9]

No primeiro século, os bereanos prestavam atenção às coisas faladas por Paulo, mas depois examinavam as Escrituras para verificar se o que ele dizia era verdade

[Foto nas páginas 8, 9]

Um estudo cuidadoso da Bíblia vai ajudar você a identificar a verdade em sentido religioso