Pular para conteúdo

O que é o espírito santo?

A resposta da Bíblia

O espírito santo é o poder de Deus em ação, é sua força ativa. (Miqueias 3:8; Lucas 1:35) A Bíblia diz que Deus ‘envia seu espírito’. Como ele faz isso? Ele projeta sua energia para onde for necessário a fim de fazer sua vontade. — Salmo 104:30; 139:7.

Na Bíblia, a palavra “espírito” é uma tradução do hebraico rú·ahh e do grego pneú·ma. Na maioria das vezes, esses termos se referem à força ativa de Deus, ou espírito santo. (Gênesis 1:2) Mas na Bíblia essas palavras podem ter outros significados, como:

Todos esses significados possuem a mesma ideia: algo invisível aos olhos humanos que produz um efeito visível. Do mesmo modo, o espírito de Deus, “igual ao vento, é invisível, imaterial e poderoso”. — An Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento), de William Vine.

A Bíblia se refere também ao espírito santo como as “mãos” ou os “dedos” de Deus. (Salmo 8:3; 19:1; Lucas 11:20; veja também Mateus 12:28.) Assim como um artesão usa as mãos e os dedos para fazer seu trabalho, Deus usa seu espírito para produzir resultados como:

O espírito santo não é uma pessoa

Por se referir a esse espírito como “mãos”, “dedos” ou “fôlego” de Deus, a Bíblia mostra que o espírito santo não é uma pessoa. (Êxodo 15:8, 10) As mãos de um artesão não podem funcionar sozinhas, de maneira independente do corpo e da mente dele. Do mesmo modo, o espírito santo não pode atuar sozinho; é Deus quem o direciona. (Lucas 11:13) A Bíblia também compara o espírito de Deus com a água, e ele é às vezes associado com coisas como a fé e o conhecimento. Essas comparações mostram a natureza impessoal do espírito santo. — Isaías 44:3; Atos 6:5; 2 Coríntios 6:6.

A Bíblia fala o nome de Jeová Deus e de seu filho, Jesus Cristo. Mas em nenhum lugar ela diz que o espírito santo tem nome. (Isaías 42:8; Lucas 1:31) Quando o mártir cristão Estêvão teve milagrosamente uma visão do céu, ele viu apenas duas pessoas, não três. A Bíblia diz: “Ele, cheio de espírito santo, fitou os olhos no céu e avistou a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus.” (Atos 7:55) O espírito santo era o poder de Deus em ação, e foi por meio dessa força que Estêvão recebeu a visão.

Conceitos errados sobre o espírito santo

Conceito errado: O espírito santo é uma pessoa e é parte da Trindade, como mostra o texto de 1 João 5:7, 8 na versão Almeida da Bíblia.

Fato: Embora algumas versões da Bíblia, como a Almeida, incluam em 1 João 5:7, 8 as palavras “no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra”, pesquisadores descobriram que esse trecho não foi escrito pelo apóstolo João e, por isso, não faz parte da Bíblia. O professor universitário Bruce Metzger escreveu: “Não há dúvida de que essas palavras são espúrias e não têm o direito de permanecer no Novo Testamento.” — A Textual Commentary on the Greek New Testament (Comentário Textual sobre o Novo Testamento Grego).

Conceito errado: A Bíblia personifica o espírito santo, e isso prova que ele é uma pessoa.

Fato: As Escrituras às vezes personificam o espírito santo. Por exemplo, quando o apóstolo João citou as palavras de Jesus, ele personificou o espírito santo como “ajudador” (paráclito) que ‘daria evidência’, ‘guiaria’, ‘falaria’, ‘ouviria’, ‘declararia’, ‘glorificaria’ e ‘receberia’. (João 16:7-15) Mas isso não prova que ele seja uma pessoa. A Bíblia também personifica a sabedoria, a morte e o pecado. (Provérbios 1:20; Romanos 5:17, 21) Por exemplo, a Bíblia fala que a sabedoria tem “obras” e “filhos”, e o pecado é descrito como ‘seduzindo’, ‘assassinando’ e ‘produzindo cobiça’. — Mateus 11:19; Lucas 7:35; Romanos 7:8, 11.

Conceito errado: O batismo em nome do espírito santo prova que ele é uma pessoa.

Fato: A Bíblia às vezes usa a expressão “em nome de” para representar poder ou autoridade. (Deuteronômio 18:5, 19-22; Ester 8:10) É o mesmo caso da frase “em nome da lei”: ela não quer dizer que a lei é uma pessoa. Quando alguém é batizado ‘no nome do’ espírito santo, ele reconhece o poder e a função do espírito santo em realizar a vontade de Deus. — Mateus 28:19.

Conceito errado: Os apóstolos de Jesus e os primeiros cristãos acreditavam que o espírito santo era uma pessoa.

Fato: A Bíblia não diz isso, nem é o que diz a História. A Encyclopædia Britannica declara: “A definição de que o Espírito Santo era uma Pessoa distinta e divina . . . surgiu no Concílio de Constantinopla em 381 a.D.” Isso aconteceu mais de 250 anos depois da morte do último apóstolo.