Ir para conteúdo

O que é o pecado?

O que é o pecado?

A resposta da Bíblia

O pecado é qualquer ato, sentimento ou pensamento que vai contra os padrões de Deus. Quem peca desrespeita as leis divinas, fazendo o que é errado ou injusto do ponto de vista de Deus. (1 João 3:4; 5:17) A Bíblia também fala sobre o pecado de omissão, ou seja, deixar de fazer o que é certo. — Tiago 4:17.

Nas línguas originais da Bíblia, as palavras traduzidas como “pecado” significam “falhar um alvo”. Por exemplo, no Israel antigo, um grupo de soldados era tão experiente em arremessar pedras que eles atiravam “sem falhar”, ou, numa tradução literal, “sem pecar”. (Juízes 20:16) Assim, pecar é falhar o alvo dos padrões perfeitos de Deus.

Como Criador, Deus tem o direito de determinar padrões para os humanos. (Apocalipse 4:11) Temos de lhe prestar contas pelas nossas ações. — Romanos 14:12.

É possível evitar totalmente o pecado?

Não. A Bíblia diz que “todos pecaram e não atingem a glória de Deus”. (Romanos 3:23; 1 Reis 8:46; Eclesiastes 7:20; 1 João 1:8) Porque é que isso acontece?

Os primeiros humanos, Adão e Eva, não eram pecadores. Eles foram criados perfeitos, à imagem de Deus. (Génesis 1:27) No entanto, quando desobedeceram a Deus, perderam a perfeição. (Génesis 3:5, 6, 17-19) Quando tiveram filhos, transmitiram o pecado e a imperfeição como se fosse uma deficiência hereditária. (Romanos 5:12) O rei David, de Israel, confirmou isso quando disse: “Já nasci culpado de erro.” — Salmo 51:5.

Será que alguns pecados são mais graves do que outros?

Sim. Por exemplo, a Bíblia diz que os homens da antiga cidade de Sodoma eram “maus, grandes pecadores”, e que o pecado deles era “muito grave”. (Génesis 13:13; 18:20) Veja três fatores que indicam a gravidade de um pecado.

  1. Tipo de pecado. A Bíblia diz que devemos evitar pecados graves, como imoralidade sexual, idolatria, roubo, bebedeira, extorsão, assassinato e ocultismo. (1 Coríntios 6:9-11; Apocalipse 21:8) A Bíblia mostra que estes erros graves são diferentes de pecados não intencionais, como, por exemplo, ações ou palavras impensadas que magoam outros. (Provérbios 12:18; Efésios 4:31, 32) Contudo, a Bíblia também mostra que não devemos minimizar a seriedade de nenhum pecado. Fazer isso pode levar-nos a cometer pecados mais graves. — Mateus 5:27, 28.

  2. Motivação. Algumas pessoas cometem pecados porque não conhecem as leis de Deus. (Atos 17:30; 1 Timóteo 1:13) A Bíblia não desconsidera estes pecados, mas mostra que isso é diferente de desobedecer de propósito às leis de Deus. (Números 15:30, 31) Pecados deliberados vêm de um “mau coração”. — Jeremias 16:12.

  3. Frequência. A Bíblia também mostra que existe uma diferença entre pecar uma única vez e praticar um pecado por um longo período. (1 João 3:4-8) Deus condena quem aprende o que é certo e, mesmo assim, ‘pratica o pecado deliberadamente’. — Hebreus 10:26, 27.

Quem cometeu um pecado grave talvez sinta o peso de uma consciência culpada. Por exemplo, o rei David escreveu: “Pois os meus erros pairam por cima da minha cabeça; como um fardo pesado, são demasiados para eu carregar.” (Salmo 38:4) Mas a Bíblia dá a seguinte esperança: “Deixem os maus o seu caminho, e os malfeitores os seus pensamentos; que voltem para Jeová, que terá misericórdia deles, para o nosso Deus, porque perdoará amplamente.” — Isaías 55:7.