Pular para conteúdo

O que é a Páscoa judaica?

A resposta da Bíblia

 A Páscoa judaica celebra o dia que Deus libertou os escravos israelitas do Egito em 1513 antes de Cristo. Deus mandou os israelitas se lembrarem dessa data importante todo ano, no dia 14 do mês judaico de abibe, que mais tarde foi chamado nisã. — Êxodo 12:42; Levítico 23:5.

O que significa Páscoa?

 O nome Páscoa vem de uma palavra hebraica que significa “passar por alto”. Naquela ocasião, Deus poupou os israelitas de uma calamidade que matou todo primogênito no Egito. (Êxodo 12:27; 13:15) Antes de trazer essa praga devastadora, Deus orientou os israelitas a passar um pouco do sangue de um cordeiro ou cabrito na entrada da casa. (Êxodo 12:21, 22, nota) Deus veria esse sinal e ‘passaria por alto’, ou não mataria o primogênito daquela casa. — Êxodo 12:7, 13.

Como era a Páscoa nos tempos bíblicos?

 Deus deu instruções de como os israelitas deveriam celebrar a primeira Páscoa. * A Bíblia dá alguns detalhes de como era celebrada a Páscoa ao longo dos anos.

  •   Sacrifício: No dia 10 de abibe (nisã), as famílias escolhiam um cordeiro (ou cabrito) de 1 ano de idade, que seria abatido no dia 14. Na primeira Páscoa, os judeus passaram um pouco do sangue do animal nas laterais e na viga superior da entrada das casas, assaram o animal inteiro e o comeram. — Êxodo 12:3-9.

  •   Refeição: Além do cordeiro (ou cabrito), os israelitas comiam pão sem fermento e ervas amargas. — Êxodo 12:8.

  •   Festividade: Logo depois da Páscoa, os israelitas celebravam a Festividade dos Pães sem Fermento por sete dias. Durante esse tempo, eles não podiam comer pão com fermento. — Êxodo 12:17-20; 2 Crônicas 30:21.

  •   Educação: Os pais aproveitavam a Páscoa para ensinar seus filhos sobre Jeová Deus. — Êxodo 12:25-27.

  •   Viagem: Tempos depois, os israelitas viajavam até Jerusalém para celebrar a Páscoa. — Deuteronômio 16:5-7; Lucas 2:41.

  •   Outros costumes: Nos dias de Jesus, as pessoas também tomavam vinho e cantavam na celebração da Páscoa. — Mateus 26:19, 30; Lucas 22:15-18.

Mitos sobre a Páscoa judaica

 Mito: Os israelitas comiam a refeição da Páscoa no dia 15 de nisã.

 Fato: Para os israelitas, o dia começava num pôr do sol e ia até o outro pôr do sol. (Levítico 23:32) Deus mandou que os israelitas abatessem o cordeiro logo depois do pôr do sol que marcava o começo do dia 14 de nisã. Eles deviam comer o cordeiro na mesma noite. (Êxodo 12:6, 8) Sendo assim, os israelitas abatiam o cordeiro e comiam a refeição no começo do dia 14 de nisã.

 Mito: Os cristãos devem celebrar a Páscoa judaica.

 Fato: Depois de ter celebrado a Páscoa em 14 de nisã do ano 33, Jesus deu início a uma nova celebração: a Ceia do Senhor. (Lucas 22:19, 20; 1 Coríntios 11:20) Essa ceia ficou no lugar da Páscoa judaica, pois celebra o sacrifício do ‘Cristo, o cordeiro pascoal’. (1 Coríntios 5:7) O sacrifício de resgate é superior ao sacrifício da Páscoa porque liberta as pessoas da escravidão ao pecado e à morte. — Mateus 20:28; Hebreus 9:15.

^ parágrafo 3 Com o tempo, foram feitas algumas mudanças. Por exemplo, os israelitas celebraram a primeira Páscoa “às pressas” porque eles tinham que estar prontos para deixar o Egito. (Êxodo 12:11) Mas, depois que chegaram na Terra Prometida, não precisavam mais celebrar a Páscoa com pressa.