Pular para conteúdo

Pular para sumário

Observando o Mundo

Observando o Mundo

 Observando o Mundo

Nos últimos 20 anos, o número de desastres naturais no mundo inteiro quadruplicou. Mais de 250 milhões de pessoas são afetadas anualmente. — EL UNIVERSAL, MÉXICO.

“Ventos alísios, que predominam no Pacífico, têm acumulado, ao longo dos anos, uma enorme quantidade de lixo flutuante.” A área coberta por esse lixo chega agora a ter o tamanho da Austrália. — LA DÉPÊCHE DE TAHITI, TAITI.

São necessários 200 quilos de milho para produzir 50 litros de biocombustível para um carro de passeio. Essa quantidade de milho é “suficiente para alimentar uma pessoa por um ano inteiro”. — GAZETA WYBORCZA, POLÔNIA.

China chega ao marco de 50 milhões de Bíblias

“A China se tornou um dos países que mais produzem Bíblias no mundo”, disse Ye Xiaowen, diretor da Administração Estatal de Assuntos Religiosos. Uma gráfica chinesa em Nanquim, capital da Província de Jiangsu, alcançou o seguinte marco: imprimiu a qüinquagésima milionésima Bíblia completa do país. De acordo com o site People’s Daily Online, “em anos recentes, uns 3 milhões de exemplares da Bíblia têm sido impressos anualmente”. Dados indicam que, na China, o número de pessoas que dizem ser cristãs está aumentando.

Ícones religiosos são alvo de ladrões

“Nos últimos cinco anos, mais de mil igrejas foram roubadas na Rússia”, relatou a revista Russky Newsweek. Segundo registros no Ministério de Assuntos Internos da Rússia, aproximadamente 40 mil ícones religiosos foram roubados. Agora, por meio de um acordo entre o ministério e a Igreja Ortodoxa Russa, todos os ícones das igrejas receberão uma forma de identificação especial, visível apenas quando exposta à luz ultravioleta. Isso ajudará investigadores a identificar os verdadeiros donos dos ícones recuperados. Segundo a revista Russky Newsweek, o Patriarcado de Moscou aprovou essa medida “visto que essa marca de identificação ‘terrena’ não afetará as propriedades milagrosas do ícone”.

Guerras consomem recursos da África

“Entre 1990 e 2005, 23 nações africanas estiveram envolvidas em conflitos, e o custo total foi de aproximadamente 300 bilhões de dólares”, disse o jornal International Herald Tribune. “O dinheiro que a África está gastando poderia ser usado para resolver a crise do HIV e da aids no continente, ou para fornecer educação e água, e para prevenir e tratar a tuberculose e a malária”, disse a presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf. “Literalmente, milhares de hospitais, escolas e estradas poderiam ter sido construídos.” O jornal concluiu dizendo que, sem guerras, a África “poderia ser um continente próspero, em vez de o mais pobre do mundo”.

Tirar uma soneca pode fazer bem

Um estudo com mais de 23 mil gregos concluiu que tirar uma soneca durante o dia, no mínimo três vezes por semana, pode reduzir em 37% o risco de morte por ataque cardíaco. “Existem muitas evidências de que o estresse, quer agudo, quer crônico, está relacionado com doenças cardíacas”, explicou Dimitrios Trichopoulos, pesquisador e epidemiologista na Escola de Saúde Pública de Harvard, EUA. “Uma sesta”, disse ele, “pode agir como um processo de liberação de estresse [e] reduzir o número de mortes causadas por doenças cardíacas”.