Pular para conteúdo

Pular para sumário

A perna da gaivota

A perna da gaivota

 Teve um Projeto?

A perna da gaivota

▪ Uma gaivota não morre de frio mesmo quando seus pés ficam diretamente em contato com o gelo. Como essa ave consegue manter o calor do corpo? Parte do segredo está no que é chamado de trocador de calor em contracorrente.

Analise o seguinte: A troca de calor num sistema de contracorrente ocorre quando um canal transporta líquido frio bem próximo a outro canal que transporta líquido quente. Se os líquidos fluírem na mesma direção, na melhor das hipóteses apenas metade do calor será transmitida. Mas se os líquidos fluírem em direções opostas, quase 100% do calor será transmitido.

Os trocadores de calor nas pernas da gaivota resfriam o sangue que flui em direção aos pés, quase o congelando, e daí aquecem o sangue novamente conforme ele retorna. A respeito de pássaros que vivem em ambientes frios, o ornitologista Gary Ritchison escreveu: “O princípio da troca de calor contracorrente é tão eficiente e engenhoso que também foi adaptado a projetos de engenharia para evitar desperdício de energia.”

O que você acha? Será que a troca de calor contracorrente existe nas pernas da gaivota por acaso? Ou teve um projeto? *

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 6 O princípio da troca de calor contracorrente também está presente nos humanos, em várias espécies de peixes e em muitos outros animais.

[Diagrama/Fotos na página 25]

(Para o texto formatado, veja a publicação)

Os trocadores de calor nas pernas da gaivota aquecem o sangue quando ele retorna

[Diagrama]

32°C

0-5°C

[Crédito da foto na página 25]

Gaivota: © Michael S. Nolan/age fotostock