Pular para conteúdo

Pular para sumário

 MATÉRIA DE CAPA

Como Deus encara a guerra?

Como Deus encara a guerra?

Qual seria a sua resposta? Muitos acham que Deus aprova a guerra. Argumentam que no passado ele mandou alguns de seus adoradores travarem guerras, algo que a Bíblia registra. Mas outros dizem que Jesus, o Filho de Deus, ensinou seus seguidores a amar os inimigos. (Mateus 5:43, 44) Por isso, concluem que em algum momento Deus mudou seu conceito e que hoje ele não aprova a guerra.

O que você acha? Será que Deus aprova a guerra? Em caso afirmativo, que lado ele toma nos conflitos em nossos dias? Encontrar as respostas a essas perguntas pode influenciar seu conceito sobre a guerra. Por exemplo, se você soubesse que Deus aprova a guerra e ainda apoia o mesmo lado que você, provavelmente você ficaria feliz com sua escolha, confiante de que seu lado venceria. Mas como se sentiria se soubesse que Deus apoia o outro lado do conflito? Possivelmente, você pensaria em mudar de lado.

Além disso, algo mais importante está em jogo. Saber qual é o conceito de Deus sobre a guerra pode influenciar o seu conceito sobre Deus. Se você está entre os milhões que foram profundamente afetados pela guerra, sem dúvida precisa saber a resposta às perguntas: Será que Deus, como alguns acreditam, é um sanguinário que aprova ou até mesmo incentiva guerras, que causam tanto sofrimento? Ou será que ele é indiferente em relação aos oprimidos?

Talvez você se surpreenda ao descobrir que a resposta da Bíblia é totalmente diferente dessas opiniões. Além disso, no decorrer da história até nossos dias, o conceito de Deus sobre a guerra tem sido o mesmo. Vamos ver o que a Bíblia diz sobre como Deus encarava as guerras nos tempos antigos, e também no primeiro século, quando Jesus esteve na Terra. Isso nos ajudará a ver como Deus encara a guerra hoje e a saber se a guerra fará parte do futuro da humanidade.