Pular para conteúdo

Pular para sumário

O que as Testemunhas de Jeová acham do ecumenismo?

O que as Testemunhas de Jeová acham do ecumenismo?

 Nossos Leitores Perguntam . . .

O que as Testemunhas de Jeová acham do ecumenismo?

▪ Segundo a World Christian Encyclopedia (Enciclopédia Mundial Cristã), há cerca de “10 mil religiões no mundo inteiro”. Visto que os conflitos entre elas têm provocado muito sofrimento, o conceito de ecumenismo traz esperança a muitas pessoas religiosas. Elas acreditam que o ecumenismo pode trazer paz e união a um mundo dividido.

A Bíblia incentiva a união. O apóstolo Paulo comparou a congregação cristã a um corpo humano, cada membro “harmoniosamente conjuntado e feito cooperar”. (Efésios 4:16) De maneira similar, o apóstolo Pedro exortou seus irmãos na fé: “Sede todos da mesma mentalidade.” — 1 Pedro 3:8.

Os primeiros cristãos viviam numa sociedade multicultural e multirreligiosa. Mas sobre misturar religiões, Paulo perguntou: “Que quinhão tem o fiel com o incrédulo?” Depois avisou os cristãos para ‘sair do meio deles’. (2 Coríntios 6:15, 17) Fica claro que Paulo estava falando contra o ecumenismo. Por que fez isso?

Ele explicou que o companheirismo espiritual entre alguém que é um verdadeiro cristão e uma pessoa que não é seria um jugo desigual; não daria certo. (2 Coríntios 6:14) Isso só prejudicaria a fé do cristão. A preocupação de Paulo era como a de um pai que sabe que algumas crianças do bairro são malcomportadas. Como pai preocupado, ele sabiamente estabelece limites sobre com quem seu filho pode brincar. A decisão dele pode não agradar a outros, mas nessas circunstâncias, essa separação protege o filho contra más influências. Da mesma forma, Paulo sabia que ficar separado de outras religiões protegeria os cristãos contra suas práticas prejudiciais.

Ao tomar essa posição, Paulo estava imitando a Jesus. Ele estabeleceu o maior exemplo em promover paz entre as pessoas, mas não praticava o ecumenismo. Muitos grupos religiosos, como os fariseus e os saduceus, estavam ativos durante o ministério terrestre de Jesus. Na verdade, essas facções religiosas se juntaram para desafiar Jesus, a ponto de tramar a morte dele. Jesus, por sua vez, orientou seus seguidores a ‘se vigiar do ensino dos fariseus e dos saduceus’. — Mateus 16:12.

Que dizer de hoje? Será que o alerta da Bíblia contra o ecumenismo continua válido? Sim. Assim como óleo e água não se misturam, não dá para juntar crenças religiosas diferentes por meio do ecumenismo. Por exemplo, quando pessoas de religiões diferentes se juntam para orar pela paz, a que deus estão orando? Ao Deus trino da cristandade? A Brahma do hinduísmo? A Buda? Ou a outro?

O profeta Miqueias predisse que “na parte final dos dias”, pessoas de todas as nações diriam: “Vinde, e subamos ao monte de Jeová e à casa do Deus de Jacó; e ele nos instruirá sobre os seus caminhos e nós andaremos nas suas veredas.” (Miqueias 4:1-4) O resultado seria paz e união em escala mundial, não por ajuntar de alguma forma todas as fés, mas por todas as pessoas aceitarem a mesma fé verdadeira.

[Foto na página 27]

Membros das principais religiões do mundo numa conferência ecumênica em 2008

[Crédito]

REUTERS/Andreas Manolis