Pular para conteúdo

Bíblias produzidas no Japão

Para atender à demanda por Bíblias de luxo e de capa dura, as Testemunhas de Jeová instalaram um novo equipamento de encadernação em sua gráfica em Ebina, no Japão.

Inicialmente, havia algumas preocupações por causa das interrupções obrigatórias no fornecimento de energia em decorrência do terremoto e do tsunami que assolaram o Japão em março de 2011.

Apesar disso, o projeto teve início em setembro de 2011. Em menos de três meses, os primeiros exemplares da Tradução do Novo Mundo, em chinês, foram produzidos pela nova linha de encadernação.

A linha de encadernação, totalmente automatizada, tem cerca de 400 metros de comprimento. À medida que o material impresso passa, ele é encadernado, encapado, prensado, empilhado e, então, acomodado em caixas, que são lacradas e colocadas em estrados.

A cooperação fez toda a diferença

Para o projeto dar certo, foi preciso muito planejamento e coordenação. Por exemplo, o equipamento de encadernação teve de ser lacrado, colocado em 34 contêineres e transportado de navio da Europa para o Japão.

Dez membros da sede das Testemunhas de Jeová nos Estados Unidos foram ao Japão para ajudar no projeto. Alguns permaneceram lá por seis meses, ensinando os voluntários japoneses a operar o equipamento e a fazer sua manutenção.

A nova linha de encadernação atraiu a atenção das indústrias editoras, gráficas e de encadernação japonesas. Em 19 de março de 2012, mais de cem pessoas dessas indústrias foram conhecer as instalações. Elas ficaram impressionadas.

Antes de ir embora, cada uma recebeu um exemplar da Tradução do Novo Mundo produzido na nova linha.

Além da sede do Japão, as sedes dos Estados Unidos e do Brasil participam na produção mundial de Bíblias de capa dura para as Testemunhas de Jeová.

“Meu próximo trabalho será o mais difícil”

As Testemunhas de Jeová e os funcionários das empresas que participaram no projeto apreciaram o trabalho em conjunto. Um trabalhador, que não é Testemunha de Jeová, disse: “Vocês são como uma família para mim.”

No último dia do projeto, outro trabalhador, que também não é Testemunha de Jeová, disse: “Meu próximo trabalho será o mais difícil, pois não será tão bom como este aqui na Torre de Vigia!”