Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

A SENTINELA OUTUBRO DE 2015

Você Sabia?

Você Sabia?

Que desafios Herodes enfrentou ao reconstruir o templo de Jerusalém?

Salomão construiu o templo de Jerusalém num monte e fez muros de contenção nos lados leste e oeste do monte para criar terraços planos em volta do prédio sagrado. Herodes queria um templo mais magnífico do que o de Salomão. Por isso, começou a modificar e a aumentar o templo já existente.

Os engenheiros de Herodes alargaram a área plana ao norte do templo para expandir os terraços. Ao sul, a plataforma foi estendida 32 metros. Para isso, foram construídas várias câmaras subterrâneas de pedra e um largo muro de contenção. Em alguns pontos, esse muro chegava a 50 metros de altura.

Herodes procurou não ofender os judeus nem interromper os serviços e os sacrifícios no templo. O historiador judeu Josefo disse que Herodes até mesmo treinou sacerdotes judeus como pedreiros e carpinteiros para que nenhum trabalhador não autorizado entrasse nas áreas sagradas.

Herodes morreu antes de a obra ser concluída. Em 30 EC, fazia 46 anos que o templo estava sendo reconstruído. (João 2:20) A obra só foi concluída pelo bisneto de Herodes, Agripa II, na metade do primeiro século EC.

Por que as pessoas de Malta acharam que o apóstolo Paulo era um assassino?

A deusa da justiça (à esquerda) golpeando a deusa da injustiça

Algumas pessoas da ilha de Malta podem ter sido influenciadas por conceitos da religião grega. Considere o que aconteceu depois do naufrágio de Paulo em Malta, conforme relatado no livro de Atos. Quando ele pôs um feixe de gravetos no fogo onde os que tinham naufragado se aqueciam, uma víbora se prendeu à mão dele. Daí, as pessoas da ilha disseram: “Certamente este homem é um assassino; embora tenha conseguido se salvar do mar, a Justiça não permitiu que ele continuasse vivo.” — Atos 28:4.

O termo grego para “Justiça” aqui é díke. A palavra pode significar justiça em sentido abstrato. Mas, na mitologia grega, Díke (Dice, em português) era o nome da deusa da justiça. Acreditava-se que ela vigiava as atividades dos humanos e relatava a Zeus as injustiças que tinham sido ocultadas, para que os culpados fossem punidos. Assim, segundo uma fonte, os moradores de Malta talvez tivessem pensado: “Embora Paulo tenha escapado do mar, ele é um homem marcado e agora foi alcançado pela deusa Díke . . . por meio da víbora.” Mas mudaram de opinião quando ficou claro que Paulo não tinha se ferido.