Pular para conteúdo

Pular para sumário

Que esperança há para nossos antepassados?

Que esperança há para nossos antepassados?

HÁ ALGUM tempo, um jornal coreano, The Chosun Ilbo, trouxe uma manchete intrigante. Ela dizia: “A ‘maravilhosa Shim Cheong’, que não sabia nada sobre Jesus, foi para o inferno?”

Essa foi uma manchete provocativa porque, de acordo com uma lenda, Shim Cheong era uma jovem muito querida que sacrificou a vida a favor de seu pai cego. Ao longo dos anos, ela passou a ser muito admirada. De fato, na Coreia, “Shim Cheon” é sinônimo de boa filha.

Para muitos, a ideia de uma pessoa boa como ela ser punida no inferno de fogo só por não ter sido batizada como cristã parece injusta e até mesmo ofensiva. Afinal, essa história supostamente teria acontecido bem antes de a mensagem de Cristo chegar a seu povoado.

O artigo incluía uma entrevista com um ministro religioso. Quando lhe perguntaram se os que morrem sem aprender sobre Jesus vão para o inferno de fogo, ele respondeu: “Não sabemos. Apenas presumimos que a Divina Providência de alguma maneira vai cuidar [dessas pessoas].”

NECESSÁRIO PARA A SALVAÇÃO

O Catecismo da Igreja Católica diz: “O batismo é necessário, para a salvação. . . . A Igreja não conhece outro meio senão o batismo para garantir a entrada na bem-aventurança eternal.” Por causa disso, alguns acreditam que os que morrem sem ser batizados são lançados no inferno de fogo ou sofrem de alguma outra forma.

No entanto, muitos outros consideram essa crença absurda. Milhões de pessoas morreram sem conhecer a Bíblia. Essas pessoas merecem o tormento eterno? O que a Bíblia diz sobre isso?

A ESPERANÇA PROMETIDA PELA BÍBLIA

A Bíblia mostra claramente o que Deus pensa sobre as pessoas que viveram sem conhecer seus requisitos. Atos 17:30 nos garante: “Deus não tem tomado em conta os tempos de tal ignorância.” Então, que esperança a Bíblia dá para os que morreram sem ter oportunidade de aprender sobre Deus?

“Estarás comigo no Paraíso.” O que significa essa promessa de Jesus?

Podemos encontrar a resposta no que Jesus disse a um dos criminosos que morriam a seu lado. O homem disse a Jesus: “Lembra-te de mim quando entrares no teu reino.” O que Jesus respondeu? “Deveras, eu te digo hoje: Estarás comigo no Paraíso.” — Lucas 23:39-43.

Será que Jesus prometeu que aquele homem iria para o céu? Não. O homem não tinha ‘nascido de novo’ de água e espírito, o que era um pré-requisito para entrar no Reino dos céus. (João 3:3-6) Em vez disso, Jesus estava dizendo que aquele criminoso viveria novamente, no Paraíso. Por ser judeu, o homem provavelmente estava familiarizado com a ideia do Paraíso terrestre — o jardim do Éden — descrito no primeiro livro da Bíblia. (Gênesis 2:8) A promessa de Jesus deu a ele a certeza de uma ressurreição quando a Terra voltar a ser um Paraíso.

De fato, a Bíblia promete “uma ressurreição tanto de justos como de injustos”. (Atos 24:15) “Os injustos” são os que não obedeceram as normas de Deus porque não conheciam a vontade dele. Jesus ressuscitará aquele criminoso, bem como milhões, talvez bilhões, de outros injustos que morreram em ignorância. Daí, no Paraíso terrestre, eles aprenderão os requisitos de Deus e terão a oportunidade de provar que o amam por obedecer seus mandamentos.

QUANDO OS INJUSTOS FOREM RESSUSCITADOS

Os injustos serão julgados com base no que fizeram no passado? Não. Romanos 6:7 diz:  “Aquele que morreu foi absolvido do seu pecado.” Os injustos pagaram por seus pecados ao morrer. Assim, eles serão julgados com base em suas ações depois da ressurreição, não no que fizeram em ignorância antes de morrer. Como isso os beneficiará?

Depois de sua ressurreição, os injustos terão a oportunidade de aprender as leis de Deus, que serão reveladas quando rolos simbólicos forem abertos. Daí, serão julgados “segundo as suas ações”, ou seja, se obedecerem às leis de Deus ou não. (Revelação [Apocalipse] 20:12, 13) Essa não será uma segunda oportunidade para muitos dos injustos ressuscitados. Na realidade, será sua primeira oportunidade de obter a vida eterna na Terra por aprender e fazer a vontade de Deus.

Esse ensino da Bíblia ajudou muitas pessoas a recuperar sua fé em Deus. Yeong Sug foi uma delas. Ela foi criada como católica, e em sua família havia alguns padres. Como queria ser freira, ela entrou para um convento. Mais tarde, ela deixou o convento porque ficou desapontada com o que via acontecer ali. Além disso, ela não aceitava o ensino do inferno porque achava que torturar pessoas num inferno de fogo não seria justo nem amoroso.

Então, uma Testemunha de Jeová mostrou a Yeong Sug as seguintes palavras da Bíblia: “Os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada, nem têm mais salário.” (Eclesiastes 9:5) A Testemunha de Jeová ajudou Yeong Sug a entender que seus antepassados não estão sendo atormentados num inferno de fogo. Em vez disso, eles estão dormindo na morte, aguardando uma ressurreição.

Ao saber que muitas pessoas nunca ouviram a verdade da Bíblia, Yeong Sug levou a sério as palavras de Jesus em Mateus 24:14: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” Agora ela prega as boas novas e fala a outros sobre a maravilhosa esperança que a Bíblia dá.

“DEUS NÃO É PARCIAL”

A Bíblia nos diz que “Deus não é parcial, mas, em cada nação, o homem que o teme e que faz a justiça lhe é aceitável”. (Atos 10:34, 35) É essa justiça perfeita que podemos esperar do Deus que “ama a justiça e o juízo”. — Salmo 33:5.