Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

A Sentinela  |  Fevereiro de 2013

 COMO TER UMA FAMÍLIA FELIZ

Quando seu filho tem uma deficiência

Quando seu filho tem uma deficiência

CARLOS: * “Nosso filho, Ângelo, tem síndrome de Down. Sua doença nos esgota em sentido físico, mental e emocional. Imagine a energia necessária para cuidar de uma criança saudável e multiplique isso por cem. Às vezes, nosso casamento sofre.”

MARIA: “É preciso persistência e muita paciência para ensinar as coisas mais simples ao Ângelo. Quando estou muito cansada, eu me irrito facilmente e perco a paciência com meu marido, Carlos. Às vezes, nós discordamos em alguns assuntos e acabamos discutindo.”

Lembra-se do dia em que seu filho nasceu? Você com certeza não via a hora de segurar seu bebê. Para pais como Carlos e Maria, porém, a alegria vem acompanhada de ansiedade quando recebem a notícia de que seu filho tem uma doença crônica ou uma deficiência.

Você tem um filho deficiente? Pode ser que se pergunte como lidar com essa situação. Mas não se desespere. Muitos pais têm conseguido se sair bem. Veja três desafios que você talvez enfrente e como os sábios conselhos da Bíblia podem ajudá-lo.

DESAFIO 1: VOCÊ ACHA DIFÍCIL ACEITAR A SITUAÇÃO.

Muitos pais ficam arrasados ao descobrir que seu filho tem uma doença incurável. “Não pude acreditar quando os médicos me disseram que nosso filho, Santiago, tinha paralisia cerebral”, disse Juliana, do México. “Parecia que o mundo havia desabado sobre mim.” Outros talvez se sintam como  Villana, da Itália, que disse: “Decidi ter um filho mesmo sabendo que isso era arriscado na minha idade. Agora me sinto culpada ao ver meu filho sofrer por causa da síndrome de Down.”

Se você se sente culpado ou desanimado, reconheça que essa reação é normal. As doenças não faziam parte do propósito original de Deus. (Gênesis 1:27, 28) Ele não criou os pais com a capacidade de aceitar como natural que seu filho esteja doente. Em certo sentido, é como se você ficasse “de luto” pelo que foi perdido — a saúde de seu filho. Leva tempo para aprender a lidar com essas emoções e se adaptar à nova situação.

E se você se sente responsável pela deficiência de seu filho? Lembre-se de que ninguém entende plenamente como fatores genéticos, ambientais e outros afetam a saúde de uma criança. Por outro lado, você talvez se sinta inclinado a culpar seu cônjuge. Resista a essa tendência. Seria melhor cooperar com ele e se concentrar em cuidar de seu filho. — Eclesiastes 4:9, 10.

SUGESTÃO: Aprenda sobre a doença de seu filho. A Bíblia diz: “É preciso sabedoria para ter uma boa família e entendimento para torná-la forte.” — Provérbios 24:3, New Century Version.

Você pode aprender muito por consultar profissionais da área de saúde e publicações confiáveis. Pode-se comparar esse processo a aprender um novo idioma. No início é difícil, mas você consegue.

Carlos e Maria, já citados, consultaram seu médico e uma organização especializada na doença de seu filho. Eles disseram: “Isso nos ajudou a entender não só os problemas que podíamos esperar, mas também os aspectos ‘positivos’ da síndrome de Down. Vimos que nosso filho poderia levar uma vida normal em muitos sentidos. Isso nos consolou muito.”

TENTE O SEGUINTE: Concentre-se no que seu filho pode fazer. Planeje atividades em família. Quando ele conseguir nem que seja uma pequena “vitória”, não hesite em elogiá-lo e alegrar-se com ele.

DESAFIO 2: VOCÊ SE SENTE EXAUSTO E SOLITÁRIO.

Você talvez tenha a impressão de que cuidar de seu filho doente consome toda a sua energia. Jenney, da Nova Zelândia, disse: “Por alguns anos, depois que meu filho foi diagnosticado com espinha bífida, eu ficava exausta e propensa a chorar quando tentava fazer qualquer outra tarefa além de cuidar dele.”

Também pode ser que você se sinta solitário. Ben tem um filho que sofre de distrofia muscular e síndrome de Asperger. Ele disse: “A maioria das pessoas nunca entenderá realmente o que você passa.” É provável que você sinta necessidade de conversar com alguém. Mas, como a maioria de seus amigos tem filhos saudáveis, você talvez relute em se abrir com eles.

SUGESTÃO: Peça ajuda. E, quando outros a oferecerem, aceite. Juliana, já citada, admite: “Às vezes, eu e meu marido ficávamos sem graça de pedir ajuda.” Mas ela continua: “Aprendemos que ninguém é autossuficiente. Quando outros nos ajudam, não nos sentimos tão sozinhos.” Se um amigo achegado ou parente se oferecer para se sentar com seu filho num evento social ou numa reunião cristã, aceite de bom grado. Um provérbio bíblico diz: “O verdadeiro companheiro está amando todo o tempo e é um irmão nascido para quando há aflição.” — Provérbios 17:17.

Cuide de sua própria saúde. Do mesmo modo que uma ambulância precisa ser abastecida regularmente para continuar levando pacientes ao hospital, você precisa recarregar suas energias para continuar dando a seu filho os cuidados que ele merece. Assim, alimente-se bem, faça exercícios e descanse o suficiente. Javier, que tem um filho paraplégico, disse: “Meu filho não pode andar, então preciso me alimentar bem. Afinal, sou eu que o levo para todo lugar. Os meus pés são os pés dele!”

Como encontrar tempo para cuidar de sua saúde? Alguns pais se revezam em cuidar do filho, permitindo assim que um deles descanse ou cuide de outras necessidades pessoais. É preciso tirar tempo de atividades não essenciais, e pode ser um desafio equilibrar as coisas. Mas, como disse Mayuri, uma mãe na Índia, “com o tempo você consegue estabelecer uma rotina”.

Converse com um amigo de confiança. Mesmo aqueles que não têm filhos doentes podem escutá-lo com empatia. Você também pode orar a Jeová  Deus. Mas orar realmente ajuda? Yazmin, que tem dois filhos com fibrose cística, admite: “Já passei por momentos tão difíceis que achei que não aguentaria mais.” Mas ela continua: “Depois de orar a Jeová pedindo alívio e forças, me sinto mais preparada para prosseguir.” — Salmo 145:18.

TENTE O SEGUINTE: Reavalie seus hábitos de alimentação, exercícios e descanso. Identifique atividades menos importantes que poderia deixar de lado para cuidar de sua saúde. Periodicamente, ajuste sua programação conforme necessário.

DESAFIO 3: VOCÊ DÁ MAIS ATENÇÃO A SEU FILHO DOENTE DO QUE AOS OUTROS MEMBROS DA FAMÍLIA.

A doença de um filho pode afetar o que a família come, aonde ela vai e quanto tempo os pais dedicam a cada um dos filhos. Em resultado, os outros filhos podem se sentir negligenciados. Além disso, os pais podem ficar tão ocupados cuidando do filho doente que o casamento sofre. Lionel, da Libéria, disse: “Às vezes, minha esposa diz que eu não faço quase nada para ajudar e não dou a mínima para nosso filho. Eu me sinto menosprezado, e já aconteceu de eu responder de modo rude.”

SUGESTÃO: Para garantir a seus filhos que você se interessa por todos eles, planeje atividades que eles gostem. “De vez em quando, nós fazemos algo especial para nosso filho mais velho”, diz Jenney, já citada, “mesmo que seja apenas almoçar em seu restaurante preferido”.

Mostre interesse em todos os seus filhos

A fim de preservar seu casamento, converse e ore com seu cônjuge. Aseem, que mora na Índia e tem um filho que sofre de convulsões, disse: “Eu e minha esposa às vezes nos sentimos exaustos e frustrados, mas sempre tiramos tempo para conversar e orar juntos. Toda manhã, antes de nossos filhos acordarem, passamos um tempo juntos considerando um versículo da Bíblia.” Outros casais conversam a sós antes de dormir. Suas conversas em particular e orações sinceras fortalecerão seu casamento nos períodos de maior estresse. (Provérbios 15:22) Certo casal disse: “Alguns dos melhores momentos de nossa vida aconteceram nos dias mais difíceis.”

TENTE O SEGUINTE: Elogie seus outros filhos por qualquer apoio que deem a seu filho doente. Sempre expresse seu amor e apreço por eles e por seu cônjuge.

NÃO PERCA O OTIMISMO

A Bíblia promete que Deus em breve acabará com todas as doenças e deficiências que afligem pessoas de todas as idades. (Revelação [Apocalipse] 21:3, 4) Nesse tempo, “nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” * — Isaías 33:24.

Enquanto isso, você pode ser bem-sucedido em cuidar de seu filho deficiente. “Não fique desanimado quando parecer que está dando tudo errado”, dizem Carlos e Maria, já citados. “Concentre-se nas qualidades maravilhosas de seu filho, porque elas são muitas.”

^ parágrafo 3 Os nomes neste artigo foram mudados.

^ parágrafo 29 Você pode ler mais sobre a promessa bíblica de saúde perfeita no capítulo 3 do livro O Que a Bíblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemunhas de Jeová.

PERGUNTE-SE . . .

  • O que eu faço para cuidar bem de minha saúde física, emocional e espiritual?
  • Quando foi a última vez que elogiei meus outros filhos pela ajuda que eles dão?