Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

A Sentinela  |  Agosto de 2011

 Como Ter uma Família Feliz

Tratar o cônjuge com respeito

Tratar o cônjuge com respeito

Wilson * diz: “Quando a Raquel está chateada, ela chora por muito tempo. Se sentamos para conversar, ela fica irritada ou então se fecha. Parece que nada funciona. Minha vontade é desistir.”

Raquel diz: “Quando o Wilson chegou em casa, eu estava chorando. Tentei explicar por que estava chateada, mas ele me interrompeu, dizendo que o assunto não era tão sério e que eu devia deixar para lá. Fiquei ainda mais chateada.”

JÁ SE sentiu como Wilson ou Raquel? Os dois querem se comunicar, mas muitas vezes ficam frustrados. Por quê?

Os homens e as mulheres se comunicam de formas diferentes e têm suas próprias necessidades. Em geral, a mulher deseja falar sobre seus sentimentos abertamente e várias vezes. Por outro lado, muitos homens tentam manter a paz, resolvendo logo os problemas e evitando assuntos espinhosos. Então, como você pode superar essas diferenças e se comunicar com seu cônjuge? Por tratá-lo com respeito.

Uma pessoa respeitosa dá valor aos outros e tenta entender seus sentimentos. Desde criança, você aprendeu a respeitar quem tem mais autoridade ou experiência do que você. Mas no casamento o desafio é mostrar respeito por alguém que você considera igual a você — seu cônjuge. “Eu sabia que Felipe ouvia com paciência e compreensão qualquer pessoa que falasse com ele”, diz Ana, casada há oito anos. “Eu queria que ele usasse essa mesma empatia comigo.” É provável que você ouça pacientemente e fale de modo respeitoso com seus amigos e até com estranhos. Mas será que tem essa consideração com seu cônjuge?

O desrespeito cria tensão na família e leva a grandes discussões. Um governante sábio disse: “Melhor é um pedaço de pão seco com paz e tranquilidade do que uma casa onde há banquetes, e muitas brigas.” (Provérbios 17:1, Nova Versão Internacional) A Bíblia diz que o marido deve tratar sua esposa com honra, ou respeito. (1 Pedro 3:7) “A esposa” também  “deve ter profundo respeito pelo seu marido”. — Efésios 5:33.

Mas como você pode se comunicar de maneira respeitosa? Veja alguns conselhos práticos que a Bíblia dá.

Quando seu cônjuge tem algo a dizer

O desafio:

Muitas pessoas gostam mais de falar do que de ouvir. Você é uma dessas pessoas? A Bíblia diz que quem “replica a um assunto antes de ouvi-lo” é tolo. (Provérbios 18:13) Portanto, antes de falar, escute. Por quê? “Eu acho melhor quando meu marido não tenta resolver os problemas na hora”, diz Carla, casada há 26 anos. “Ele nem mesmo precisa concordar ou entender por que o problema surgiu. Só quero que me escute e reconheça que meus sentimentos são válidos.”

Por outro lado, alguns homens e mulheres não gostam muito de conversar e não ficam à vontade quando seu cônjuge os pressiona a falar sobre seus sentimentos. Laura, recém-casada, descobriu que seu marido não fala logo sobre seus sentimentos. “Preciso ter paciência”, diz ela, “e esperar que ele se abra comigo”.

Uma solução:

Se você e seu cônjuge precisarem conversar sobre algo que pode causar divisão, puxe o assunto quando os dois estiverem calmos e tranquilos. E o que fazer se seu cônjuge não estiver muito disposto a conversar? Reconheça que “os pensamentos de uma pessoa são como água em poço fundo, mas quem é inteligente sabe como tirá-los para fora”. (Provérbios 20:5, Bíblia na Linguagem de Hoje) Se puxar muito rápido um balde de um poço, você vai perder muita água. De maneira similar, se forçar seu cônjuge a falar, ele poderá ficar na defensiva e você perderá a oportunidade de ajudá-lo a se abrir. O melhor é fazer perguntas de forma gentil e respeitosa, e ser paciente se seu cônjuge não falar de seus sentimentos tão rápido quanto você gostaria.

Quando ele resolver falar, seja “rápido no ouvir, vagaroso no falar, vagaroso no furor”. (Tiago 1:19) Um bom ouvinte escuta não só com os ouvidos, mas também com o coração. Quando seu cônjuge falar, tente entender seus sentimentos. Pela forma como você o escuta, ele perceberá até que ponto você o respeita — ou desrespeita.

Jesus nos ensinou como escutar. Por exemplo, quando um homem doente se aproximou dele pedindo ajuda, Jesus não resolveu o problema imediatamente. Primeiro, ele ouviu o pedido do homem. Depois, deixou que aquilo que ouviu tocasse seu coração e então o curou. (Marcos 1:40-42) Quando seu cônjuge falar, siga esse exemplo. Lembre-se: provavelmente ele ou ela está precisando de empatia, não de uma solução rápida. Por isso, ouça com atenção. Permita que as palavras de seu cônjuge toquem seu coração. Depois, e só depois, tente ajudá-lo no que ele precisa. Agindo assim, você mostrará que o respeita.

TENTE O SEGUINTE: Na próxima vez que seu cônjuge começar a conversar com você, resista à tentação de dizer algo na hora. Dê tempo para que ele termine de falar e para que você entenda o que ele falou. Mais tarde, fale com seu cônjuge e pergunte: “Você acha que eu fui um bom ouvinte?”

Quando você tem algo a dizer

O desafio:

“Programas humorísticos na TV fazem parecer normal falar mal do cônjuge e ser grosseiro e sarcástico”, observa Ana, já mencionada. Alguns são criados em famílias em que a linguagem desrespeitosa é comum. Mais tarde, quando se casam, acham difícil evitar esse padrão em sua própria família. Ivone, que mora no Canadá, diz: “Cresci num ambiente em que o sarcasmo, gritaria e insultos eram coisas normais.”

Uma solução:

Quando você falar com outros sobre seu cônjuge, transmita o que for bom “para a edificação, conforme a necessidade, para que confira aos ouvintes aquilo que é favorável”. (Efésios 4:29) Passe uma boa  impressão de seu cônjuge pela forma como você fala sobre ele.

Mesmo quando você está sozinho com seu cônjuge, resista à tentação de usar sarcasmo ou insultos. No Israel antigo, Mical ficou furiosa com seu marido, o Rei Davi. Ela foi sarcástica e disse que ele tinha agido “como um homem vulgar”. Suas palavras ofenderam Davi, mas também desagradaram a Deus. (2 Samuel 6:20-23, NVI) Que lição aprendemos? Quando você conversar com seu cônjuge, escolha as palavras com cuidado. (Colossenses 4:6; nota) Felipe, casado há oito anos, admite que ele e sua esposa ainda têm desentendimentos. Ele notou que às vezes o que ele diz piora a situação. “Percebi que ‘ganhar’ uma discussão na verdade não compensa. Acho que é muito mais satisfatório e benéfico fortalecer nosso relacionamento.”

Uma viúva idosa nos tempos antigos incentivou suas noras a achar “um lugar de descanso, cada uma na casa de seu esposo”. (Rute 1:9) Quando o marido e a esposa dignificam um ao outro, eles fazem com que seu lar seja “um lugar de descanso”.

TENTE O SEGUINTE: Reserve tempo para analisar com seu cônjuge sugestões deste subtópico. Pergunte: “Quando eu falo com você em público, você se sente respeitado ou desprezado? O que posso fazer para melhorar?” Ouça com atenção à medida que seu cônjuge expressa seus sentimentos. Tente aplicar as sugestões dele.

Aceite as diferenças de seu cônjuge

O desafio:

Alguns recém-casados entendem erroneamente que a expressão usada na Bíblia “uma só carne” significa que o casal precisa ter a mesma opinião e personalidade. (Mateus 19:5) Mas eles logo descobrem que essa ideia é irrealista. Depois de algum tempo casados, as diferenças muitas vezes levam a discussões. Ana diz: “Uma grande diferença entre mim e Felipe é que ele se preocupa menos que eu. Às vezes, ele consegue ficar tranquilo ao passo que eu fico preocupada, e acabo ficando zangada porque parece que ele não dá tanta importância ao assunto quanto eu.”

Uma solução:

Aceitem um ao outro como vocês são. Respeitem suas diferenças. Para ilustrar: Seus olhos funcionam de forma diferente dos ouvidos; mesmo assim, eles cooperam entre si e, por isso, você consegue atravessar uma rua em segurança. Adriana, que é casada há quase três décadas, diz: “Desde que nossos pontos de vista não violem a Palavra de Deus, eu e meu marido não nos importamos em ter opiniões diferentes. Afinal, somos casados, não clonados.”

Quando seu cônjuge tem uma opinião ou reação diferente da sua, não se concentre apenas em seus próprios interesses. Leve em conta os sentimentos de seu cônjuge. (Filipenses 2:4) Eduardo, marido de Adriana, admite: “Eu nem sempre entendo as opiniões de minha esposa ou concordo com ela. Mas procuro lembrar que a amo muito mais do que amo minha opinião. Quando ela está feliz, eu também estou.”

TENTE O SEGUINTE: Numa lista, escreva exemplos em que o ponto de vista de seu cônjuge ou o modo de ele lidar com situações são superiores aos seus. — Filipenses 2:3.

O respeito é uma das chaves para um casamento feliz e duradouro. “O respeito promove a alegria e a segurança no casamento”, diz Ana. “Realmente, vale a pena cultivar o respeito.”

^ parágrafo 3 Os nomes neste artigo foram mudados.

PERGUNTE-SE . . .

  • Como o fato de meu cônjuge ser diferente de mim enriqueceu nossa família?
  • Por que é bom ceder às preferências de meu cônjuge sempre que não estiver envolvido nenhum princípio bíblico?