Pular para conteúdo

Pular para sumário

Você deve mudar de ideia?

Você deve mudar de ideia?

UM GRUPO de jovens cristãos combina ir ao cinema juntos. Na escola, estão falando muito sobre um dos filmes em cartaz. Quando chegam, eles veem que o pôster desse filme exibe imagens de armas e de mulheres com roupas reveladoras. O que eles vão fazer? Será que vão ver o filme mesmo assim?

Essa situação ilustra que temos de tomar várias decisões no dia a dia que podem afetar — para o bem ou para o mal — nossa espiritualidade e nossa relação com Jeová. Às vezes, você talvez pretenda fazer algo, mas então reconsidera o assunto e muda de ideia. Será que isso significa que você é indeciso? Ou existem situações que justificam mudar de ideia?

Quando mudar de ideia está fora de questão

Nosso amor a Jeová nos motivou a dedicar a vida a ele e ser batizados. Queremos muito nos manter fiéis a Deus. Mas nosso inimigo, Satanás, o Diabo, faz de tudo para não conseguirmos isso. (Rev. 12:17) Visto que decidimos servir a Jeová e obedecer aos seus mandamentos, como seria triste se mudássemos de ideia! Isso poderia custar nossa vida.

Mais de 2.600 anos atrás, o Rei Nabucodonosor, de Babilônia, fez uma enorme imagem de ouro e ordenou que todos os seus súditos se curvassem diante dela e a adorassem. Quem desobedecesse seria jogado numa fornalha. Foi isso que aconteceu com três adoradores fiéis de Jeová — Sadraque, Mesaque e Abednego. Mas eles foram milagrosamente salvos por Jeová. No entanto, mesmo que isso não acontecesse, eles estavam dispostos a perder a vida em vez de desobedecer ao Deus que serviam. — Dan. 3:1-27.

Outro exemplo é o profeta Daniel, que não deixou de orar mesmo correndo o risco  de ser jogado na cova dos leões. Ele manteve seu hábito de orar a Jeová três vezes por dia. Daniel continuou decidido a adorar o Deus verdadeiro. Por isso, esse profeta foi salvo “da pata dos leões”. — Dan. 6:1-27.

Hoje, os servos de Deus também vivem à altura de sua dedicação a ele. Em certo país africano, um grupo de alunos Testemunhas de Jeová se recusou a participar numa cerimônia para adorar um símbolo nacional. Eles foram avisados de que seriam expulsos da escola se não participassem junto com os outros alunos. Pouco depois, o ministro da educação visitou a cidade e conversou com alguns desses jovens irmãos. Sem se intimidar, eles explicaram sua posição de modo respeitoso. Desde então, nossos jovens irmãos e irmãs naquele país nunca mais passaram por esse problema. Eles agora podem ir à escola sem sofrer pressão para comprometer sua relação com Jeová.

Veja também o caso de Joseph. Sua esposa estava com câncer e de repente faleceu. Joseph não queria que fossem realizados rituais fúnebres. Sua família entendeu e respeitou sua vontade. Mas a família de sua esposa não está na verdade e queria seguir certos costumes tradicionais, incluindo rituais que desagradam a Deus. Joseph conta: “Como não conseguiram me fazer mudar de ideia, eles tentaram influenciar meus filhos, mas nenhum deles cedeu. Esses parentes também tentaram organizar uma cerimônia religiosa em minha casa, como é o costume local, mas eu lhes disse que, se realmente quisessem fazer isso, teria de ser em outro lugar. Eles sabiam que esses rituais entravam em conflito com as minhas crenças e as de minha esposa. Então, depois de muita conversa, eles realizaram seus rituais em outro lugar.

“Durante essa época difícil de luto, supliquei a ajuda de Jeová para que minha família não violasse Suas leis. Ele ouviu minhas orações e nos ajudou a permanecer firmes, apesar da pressão.” Para Joseph e seus filhos, mudar de ideia quanto a agradar a Jeová estava fora de questão.

Quando mudar de ideia é opcional

Pouco depois da Páscoa de 32 EC, uma mulher siro-fenícia foi falar com Jesus Cristo na região de Sídon. Ela pediu várias vezes que ele expulsasse um demônio de sua filha. A princípio, Jesus não disse nada em resposta. Ele explicou a seus discípulos: “Não fui enviado a ninguém senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.” Quando ela insistiu, Jesus disse: “Não é direito tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.” Mostrando sua grande fé, ela respondeu: “Sim, Senhor; mas, realmente, os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa dos seus amos.” Jesus atendeu ao pedido e curou a filha dela. — Mat. 15:21-28.

Por fazer isso, Jesus imitou a Jeová em estar disposto a mudar de ideia quando a situação permite. Por exemplo, quando os israelitas fizeram um bezerro de ouro, Deus disse que os exterminaria. Mas, quando Moisés implorou a favor deles, Jeová se dispôs a mudar de ideia. — Êxo. 32:7-14.

O apóstolo Paulo seguiu o exemplo de Jeová e Jesus. Por um tempo, Paulo achou melhor não levar João Marcos em suas viagens missionárias porque Marcos tinha abandonado a ele e Barnabé em sua primeira viagem missionária. Mas, pelo visto, Paulo percebeu mais tarde que Marcos tinha amadurecido e poderia ser de muita ajuda para ele. Então Paulo disse a Timóteo: “Toma a Marcos e traze-o contigo, porque ele me é útil para ministrar.” — 2 Tim. 4:11.

Que dizer de nós? Seguindo o exemplo de nosso misericordioso, paciente e amoroso Pai celestial, vez por outra talvez achemos apropriado mudar de ideia. Por exemplo, pode ser que mudemos de opinião  sobre outra pessoa. Pense nisto: Jeová e Jesus, que são perfeitos, se dispuseram a mudar de ideia em algumas ocasiões. Então, será que não poderíamos tentar entender a situação da pessoa e estar dispostos a mudar de ideia sobre ela?

Podemos também mudar de ideia no que diz respeito a alvos teocráticos. Alguns estudantes da Bíblia que assistem às reuniões já por um tempo talvez estejam adiando a decisão de se batizar. Ou alguns irmãos talvez hesitem em entrar no serviço de pioneiro, mesmo quando suas circunstâncias lhes permitem expandir seu ministério dessa forma. Há também irmãos que não têm vontade de buscar responsabilidades na congregação. (1 Tim. 3:1) E você? Por acaso se identifica com alguma dessas situações? Jeová amorosamente o convida a experimentar esses privilégios. Então, o que acha de mudar seu modo de pensar e sentir a alegria de dar de si para servir a Deus e ajudar outras pessoas?

Mudar de ideia pode resultar em bênçãos

Uma irmã chamada Ella diz o seguinte sobre seu trabalho numa filial das Testemunhas de Jeová na África: “Quando cheguei a Betel, eu não sabia se ficaria muito tempo. Eu tinha o desejo de servir a Jeová de toda a alma, mas também era muito apegada à minha família. No início, morria de saudade deles! Mas minha colega de apartamento me incentivou a não desistir, e então decidi continuar. Já faz dez anos que estou em Betel e quero ficar o máximo possível em minha designação para continuar servindo aos irmãos.”

Quando mudar de ideia é necessário

Você se lembra do que aconteceu com Caim quando ele ficou com ciúme e raiva de seu irmão? Deus disse a esse homem  amargurado que ele voltaria a ter o Seu favor se passasse a fazer o bem. Deus aconselhou Caim a dominar o pecado que estava “agachado à entrada”, ou à espreita dele. Caim poderia ter mudado de atitude e de ideia, mas preferiu ignorar o conselho de Deus. Infelizmente, ele matou seu irmão e se tornou o primeiro assassino humano. — Gên. 4:2-8.

E se Caim tivesse mudado de ideia?

Veja também o caso do Rei Uzias. A princípio, ele fazia o que era certo aos olhos de Jeová e buscava a Deus. Mas ele lamentavelmente manchou seu bom histórico quando se tornou arrogante. Ele entrou no templo para oferecer incenso, embora não fosse sacerdote. Quando os sacerdotes o alertaram contra esse ato presunçoso, será que ele mudou de ideia? Não. Uzias “foi tomado de fúria” e ignorou esse alerta. Em resultado disso, Jeová o golpeou com lepra. — 2 Crô. 26:3-5, 16-20.

Isso mostra que há ocasiões em que realmente devemos mudar de ideia. Veja este exemplo. Joachim se batizou em 1955, mas foi desassociado em 1978. Mais de 20 anos depois, ele mostrou que estava arrependido e foi readmitido como Testemunha de Jeová. Recentemente, um ancião lhe perguntou por que ele demorou tanto para pedir readmissão. Joachim respondeu: “Por causa da raiva que eu sentia e do meu orgulho. Hoje eu me arrependo de ter esperado tanto. Mesmo desassociado, eu não duvidava que as Testemunhas de Jeová ensinavam a verdade.” Ele precisou mudar de atitude e se arrepender.

Vez por outra, pode ser que nós também nos encontremos numa situação em que seja necessário mudar de ideia e de atitude. Que estejamos dispostos a fazer isso a fim de agradar a Jeová. — Sal. 34:8.