Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Fevereiro de 2014

Jeová — nosso Provisor e Protetor

Jeová — nosso Provisor e Protetor

“Visto que ele se afeiçoou de mim, eu também o porei a salvo. Protegê-lo-ei por ele ter chegado a conhecer meu nome.” — SAL. 91:14.

1, 2. Que diferenças existem nas características e na formação de cada pessoa?

JEOVÁ é o originador da família humana. (Efé. 3:14, 15) Mas, ainda que todos sejamos dessa família, temos características e formações diferentes. Alguns moraram com os pais até se tornarem adultos. Outros perderam seus pais na morte, talvez por causa de uma doença, acidente ou outra tragédia. Ainda outros nem sabem quem são seus pais.

2 Entre os membros da família de adoradores de Jeová, a formação espiritual também pode variar. Você pode ter ‘nascido na verdade’, como dizem alguns, e seus pais inculcaram bons princípios em você. (Deut. 6:6, 7) Ou talvez você esteja entre os milhares de Testemunhas de Jeová que aprenderam a verdade por meio da obra de pregação. — Rom. 10:13-15; 1 Tim. 2:3, 4.

3. O que todos nós temos em comum?

3 Apesar dessas diferenças, todos nós temos algumas coisas em comum. Sofremos as consequências da desobediência de Adão e herdamos a imperfeição, o pecado e a morte. (Rom. 5:12) Mesmo assim, como adoradores de Jeová, podemos nos dirigir a ele como “nosso Pai”. Referindo-se ao povo escolhido  de Deus nos tempos antigos, Isaías 64:8 diz: “Ó Jeová, tu és nosso Pai.” Além disso, Jesus iniciou sua oração-modelo com as seguintes palavras: “Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome.” — Mat. 6:9.

4, 5. Ao examinar a profundidade do apreço que temos por nosso Pai Jeová, o que será bom fazer?

4 Nosso Pai celestial provê o cuidado e a proteção que precisamos como povo que invoca seu nome com fé. O salmista registrou as palavras de Jeová: “Visto que ele se afeiçoou de mim, eu também o porei a salvo. Protegê-lo-ei por ele ter chegado a conhecer meu nome.” (Sal. 91:14) Realmente, Jeová Deus de modo amoroso nos livra de inimigos e nos protege como povo para que não sejamos destruídos.

5 Para aumentar o apreço por nosso Pai celestial, vamos considerar três aspectos importantes referentes a Jeová: (1) Ele é nosso Provisor, (2) nosso Protetor e (3) nosso melhor Amigo. Ao considerar esses aspectos, será bom meditar em nossa relação com Jeová e discernir como podemos honrá-lo como nosso Pai. Também, será útil refletir nas bênçãos de Jeová para os que se achegam a ele. — Tia. 4:8.

JEOVÁ, O GRANDE PROVISOR

6. Qual é uma maneira em que Jeová mostra ser o Dador de “toda boa dádiva”?

6 “Toda boa dádiva e todo presente perfeito vem de cima, pois desce do Pai das luzes celestiais”, escreveu o discípulo Tiago. (Tia. 1:17) A vida em si já é uma grande dádiva de Jeová. (Sal. 36:9) Ao usá-la para fazer sua vontade, recebemos muitas bênçãos agora e temos a perspectiva de vida eterna no novo mundo. (Pro. 10:22; 2 Ped. 3:13) Mas como isso é possível em vista das trágicas consequências da desobediência de Adão?

7. Como Jeová abriu caminho para que tivéssemos uma relação achegada com ele?

7 Jeová é de fato o Grande Provisor de incontáveis maneiras. Por exemplo, sua benignidade imerecida o motivou a nos salvar. Todos nós somos pecadores e herdamos a imperfeição de nosso primeiro pai terrestre. (Rom. 3:23) Apesar disso, Jeová, por amor, abriu caminho para que tivéssemos uma relação achegada com ele. O apóstolo João escreveu: “Por meio disso é que se manifestou o amor de Deus em nosso caso, porque Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo, para que ganhássemos a vida por intermédio dele. O amor é neste sentido, não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício propiciatório pelos nossos pecados.” — 1 João 4:9, 10.

8, 9. Como Jeová provou ser o Grande Provisor na época de Abraão e Isaque? (Veja a gravura no início do artigo.)

8 Um evento profético que ocorreu no século 19 AEC mostra o alcance da amorosa provisão de Jeová para dar vida eterna aos humanos obedientes. Hebreus 11:17-19 explica: “Pela fé Abraão, quando provado, a bem dizer ofereceu Isaque, e o homem que recebera de bom grado as promessas, tentou oferecer [seu] unigênito, embora se lhe tivesse dito: ‘Aquilo que se chamar “teu descendente” será por intermédio de Isaque.’ Mas ele achava que Deus era capaz de levantá-lo até mesmo dentre os mortos; e dali o recebeu também em sentido ilustrativo.” É fácil perceber o paralelo. Jeová ofereceu seu Filho, Jesus Cristo, em favor de toda a humanidade. — Leia João 3:16, 36.

9 Imagine o alívio que Isaque sentiu ao ser livrado de uma morte sacrificial. Com certeza, ele ficou muito grato quando  Jeová providenciou um animal para ser sacrificado em seu lugar — um carneiro preso em um arbusto ali perto. (Gên. 22:10-13) Podemos entender por que aquele lugar passou a ser chamado de “Jeová-Jiré”, que significa “Jeová providenciará”. — Gên. 22:14; nota.

A PROVISÃO PARA A RECONCILIAÇÃO

10, 11. Quem tem tomado a liderança no “ministério da reconciliação”, e por meio de que obra eles têm feito isso?

10 Ao meditarmos em como Jeová mostra ser o Grande Provisor, reconhecemos com gratidão o papel vital de Jesus Cristo. Paulo fez isso ao escrever: “Foi isso o que julgamos, que um só homem morreu por todos; de modo que, então, todos tinham morrido; e ele morreu por todos, para que os que vivem não vivessem mais para si mesmos, mas para aquele que morreu por eles e foi levantado.” — 2 Cor. 5:14, 15.

11 Por causa de seu amor a Jeová e gratidão pelo valioso privilégio de servi-lo, os primeiros cristãos aceitaram de bom grado “o ministério da reconciliação”. A obra de pregar e fazer discípulos tornou possível que pessoas de coração sincero ficassem em paz com Deus, tivessem Sua amizade e então se tornassem Seus filhos espirituais. Hoje, os cristãos ungidos realizam o mesmo ministério. O que fazem como embaixadores de Deus e Cristo torna possível que pessoas de disposição correta se acheguem a Jeová e se tornem cristãos. — Leia 2 Coríntios 5:18-20; João 6:44; Atos 13:48.

12, 13. Como mostramos que temos apreço pelas muitas provisões de Jeová?

12 Todos os cristãos com esperança terrestre participam com os ungidos na obra de pregação do Reino porque têm apreço por Jeová como Grande Provisor. Nessa obra usamos a Bíblia, outra excelente provisão da parte de Jeová. (2 Tim. 3:16, 17) Por fazer bom uso da Palavra inspirada de Deus em nosso ministério, damos a outros a oportunidade de ganhar a vida eterna. Para nos ajudar nessa obra, cada um de nós confia em ainda outra provisão de Jeová: seu espírito santo. (Zac. 4:6; Luc. 11:13) Como vemos em cada edição do Anuário das Testemunhas de Jeová, os resultados são impressionantes. Que privilégio é participar nessa obra para a honra de nosso Pai e Provisor!

13 Em vista de todas as provisões que Deus tem feito, seria bom nos perguntar: ‘Estou fazendo todo o possível para mostrar meu profundo apreço por essas dádivas? Como posso me tornar um publicador das boas novas mais eficiente?’ Demonstramos nossa gratidão pelas maravilhosas provisões de Deus por manter os interesses do Reino em primeiro lugar em nossa vida. Se fizermos isso, Jeová cuidará de nossas necessidades. (Mat. 6:25-33) Por causa do amor de Deus, certamente queremos fazer o nosso máximo para agradá-lo e alegrar seu coração. — Pro. 27:11.

14. Como Jeová tem sido o Libertador de seu povo?

14 O salmista Davi disse: “Estou atribulado e sou pobre. O próprio Jeová me considera. Tu és meu auxílio e meu Provedor de escape.” (Sal. 40:17) Jeová tem repetidas vezes sido o “Provedor de escape”, ou Libertador, para seu povo, em especial quando esse povo é severamente perseguido por seus inimigos. Somos muito gratos a Deus por sua ajuda em tempos assim e pelas muitas provisões espirituais que ele sempre nos faz!

 JEOVÁ, NOSSO PROTETOR

15. Ilustre como um pai amoroso procura proteger seu filho.

15 Um pai amoroso não apenas faz provisões para seus filhos, mas também procura protegê-los. Ele naturalmente tenta livrá-los, caso estejam em perigo. Um irmão relembra um incidente de quando ainda era criança. Ele e seu pai estavam voltando para casa depois do serviço de campo quando se depararam com um riacho. Uma forte chuva naquela manhã fez o riacho transbordar. O único jeito de atravessar seria pulando de uma pedra para a outra. O menino, que ia à frente de seu pai, escorregou numa pedra e caiu na correnteza, afundando várias vezes. Seu pai rapidamente o agarrou pelos braços e o resgatou. Imagine como ele se sentiu grato! As “correntezas violentas” desse mundo perverso e seu governante, Satanás, também podem nos colocar em perigo, mas contamos com nosso Pai celestial para nos livrar. Certamente ele é o melhor Protetor que podemos ter. — Mat. 6:13; 1 João 5:19.

16, 17. Como Jeová ajudou e protegeu os israelitas quando lutaram contra os amalequitas?

16 A proteção amorosa de Jeová pode ser facilmente ilustrada pelo que aconteceu depois que ele livrou os israelitas da escravidão no Egito e os protegeu de modo milagroso ao atravessarem o mar Vermelho em 1513 AEC. Após cruzar o deserto em direção ao monte Sinai, a nação chegou a Refidim.

17 Em vista da profecia de Gênesis 3:15, Satanás talvez estivesse desesperado por uma oportunidade de atacar os vulneráveis israelitas. Ele fez isso por meio dos amalequitas, que eram inimigos do povo de Deus. (Núm. 24:20) Veja como Jeová agiu por meio de quatro homens fiéis:  Josué, Moisés, Arão e Hur. Enquanto Josué lutava contra os amalequitas, Moisés, Arão e Hur estavam posicionados numa montanha próxima. Quando Moisés levantava as mãos, os israelitas prevaleciam na batalha. Quando as mãos de Moisés ficavam pesadas, Arão e Hur as seguravam. Foi dessa maneira, e com a ajuda e proteção de Jeová, que ‘Josué desbaratou Amaleque e seu povo’. (Êxo. 17:8-13) Moisés construiu ali um altar, e o chamou de “Jeová-Nissi”, que significa “Jeová é meu refúgio”. — Leia Êxodo 17:14, 15; nota.

LIVRES DAS GARRAS DE SATANÁS

18, 19. Que proteção Deus dá a seus servos em nossos tempos?

18 Jeová protege aqueles que o amam e o obedecem. Como os israelitas em Refidim, recorremos a Deus por ajuda quando confrontados com inimigos. Jeová sempre tem nos protegido como grupo e nos mantém longe das garras de Satanás. Pense nas inúmeras vezes que Deus livrou nossos irmãos que mantiveram sua neutralidade. Foi assim, por exemplo, durante a era do nazismo na Alemanha e em outros países, nos anos 30 e começo dos anos 40. Ler e meditar nos relatos do Anuário e nas biografias que destacam a proteção de Deus em tempos de perseguição com certeza fortalecerá nossa confiança em Jeová como nosso Refúgio. — Sal. 91:2.

Jeová pode usar nossos companheiros cristãos para nos ajudar a permanecer fiéis em tempos difíceis (Veja os parágrafos 18-20.)

19 Por meio da organização de Jeová e de suas publicações, recebemos amorosos lembretes para nossa proteção. Veja como isso tem sido benéfico em tempos atuais. Ao passo que o mundo afunda cada vez mais num lamaçal de devassidão e pornografia, Jeová nos dá lembretes oportunos e ajuda prática para nos alertar contra os perigos morais de hábitos assim. Por exemplo, como um pai, Jeová nos aconselha a evitar más associações provenientes do mau uso de redes sociais. * — 1 Cor. 15:33.

20. Que proteção e liderança estão disponíveis por meio da congregação?

20 Como podemos demonstrar que somos realmente ‘ensinados por Jeová’? Por cuidadosamente seguir seus conselhos. (Isa. 54:13) No refúgio seguro de nossas congregações, encontramos a liderança e proteção que necessitamos. Ali há homens fiéis servindo como anciãos, que dão ajuda e conselho por meio das Escrituras. (Gál. 6:1) Muitas das provisões de Jeová chegam até nós por meio dessas “dádivas em homens”. (Efé. 4:7, 8) Como devemos reagir a elas? Se formos submissos e obedientes, receberemos as bênçãos de Deus. — Heb. 13:17.

21. (a) O que devemos estar determinados a fazer? (b) O que consideraremos no próximo artigo?

21 Estejamos determinados a nos deixar guiar pelo espírito santo, sendo assim submissos à liderança de nosso Pai celestial. Também precisamos meditar sobre a vida de seu Filho, Jesus Cristo. Além disso, nos esforçamos em seguir seu incomparável exemplo. Por ser obediente até a morte, ele recebeu uma grande recompensa. (Fil. 2:5-11) Como Jesus, seremos abençoados por confiar em Jeová de todo nosso coração. (Pro. 3:5, 6) Então, tenhamos sempre a Jeová como nosso Provisor e Protetor sem igual. É uma grande alegria e privilégio poder servi-lo. Nosso amor por ele aumentará ao meditarmos num terceiro aspecto do cuidado de nosso Pai por nós: sua amizade. O próximo artigo explicará como Jeová demonstra que é nosso melhor Amigo.

^ parágrafo 19 Exemplos desses lembretes podem ser encontrados nos artigos “Internet — como usar bem esse instrumento global” em A Sentinela de 15 de agosto de 2011, páginas 3-5, e “Cuidado com os laços do Diabo!” e “Mantenha-se firme e evite as armadilhas de Satanás!” em A Sentinela de 15 de agosto de 2012, páginas 20-29.