Pular para conteúdo

Pular para sumário

Destaques do livro de Isaías — I

Destaques do livro de Isaías — I

 A Palavra de Jeová É Viva

Destaques do livro de Isaías — I

“A QUEM enviarei e quem irá por nós?” Isaías, filho de Amoz, responde a esse convite de Jeová Deus da seguinte maneira: “Eis-me aqui! Envia-me.” (Isaías 1:1; 6:8) Nessa ocasião ele é designado como profeta. As atividades proféticas de Isaías estão registradas no livro bíblico que leva o seu nome.

Escrito pelo próprio profeta, o livro de Isaías abrange um período de 46 anos, de por volta de 778 AEC até algum tempo depois de 732 AEC. Embora contenha declarações contra Judá, Israel e as nações vizinhas, julgamento não é o tema principal desse livro. Pelo contrário, o tema é ‘a salvação por Jeová Deus’. (Isaías 25:9) De fato, o próprio nome Isaías significa “Salvação de Jeová”. Este artigo considerará destaques de Isaías 1:1-35:10.

“UM MERO RESTANTE RETORNARÁ”

(Isaías 1:1-12:6)

A Bíblia não diz se a mensagem profética registrada nos cinco primeiros capítulos do livro de Isaías é proferida antes ou depois de ele ser designado como profeta. (Isaías 6:6-9) O que fica claro, porém, é que Judá e Jerusalém estão espiritualmente doentes “desde a sola do pé até a cabeça”. (Isaías 1:6) Há idolatria por toda a parte. Os líderes são corruptos, as mulheres, arrogantes. As pessoas não servem ao verdadeiro Deus de modo aceitável. Isaías é comissionado a ir falar “vez após vez” aos que não entendem nem querem conhecimento algum.

As forças aliadas de Israel e da Síria ameaçam invadir Judá. Usando Isaías e seus filhos “como sinais e como milagres”, Jeová garante a Judá que a aliança siro-israelita não terá êxito. (Isaías 8:18) A paz permanente só virá por meio do governo do “Príncipe da Paz”. (Isaías 9:6, 7) Jeová também ajustará contas com a Assíria, nação que ele usa como “vara para a [sua] ira”. Judá, por fim, será levada ao cativeiro, mas “um mero restante retornará”. (Isaías 10:5, 21, 22) A verdadeira justiça será realidade sob o domínio de um figurativo ‘renovo do toco de Jessé’. — Isaías 11:1.

Perguntas bíblicas respondidas:

1:8, 9 — Como foi que a filha de Sião “ficou sobrando como uma barraca no vinhedo, como um rancho de vigia no pepinal”? Isso significa que, durante a invasão assíria, Jerusalém parecia extremamente vulnerável, como uma simples barraca num vinhedo ou um mero rancho num pepinal, que pode facilmente vir a baixo. Mas Jeová veio em sua ajuda e assim não permitiu que ela se tornasse como Sodoma e Gomorra.

 1:18 — O que significam as palavras: “Vinde, pois, e resolvamos as questões entre nós”? Não é um convite para discutir um assunto e chegar a um acordo mútuo por meio de uma troca de concessões. O versículo refere-se a estabelecer um fórum no qual o justo Juiz, Jeová, dá a Israel a oportunidade de fazer mudanças e de se purificar.

6:8a — Por que se diz nesse versículo “a quem [eu] enviarei” e depois “quem irá por nós”? O pronome “eu” se refere a Jeová Deus. O pronome “nós”, indica que há outra pessoa com Jeová. Essa pessoa, naturalmente, é seu “Filho unigênito”. — João 1:14; 3:16.

6:11 — O que Isaías queria dizer quando perguntou: “Até quando, ó Jeová?” Ele não estava perguntando por quanto tempo teria de proclamar a mensagem de Jeová a um povo indiferente. Queria saber por quanto tempo a condição espiritual doentia do povo continuaria a desonrar o nome de Deus.

7:3, 4 — Por que Jeová salvou o perverso Rei Acaz? Os reis da Síria e de Israel planejavam destronar o Rei Acaz, de Judá, e colocar no seu lugar um governante fantoche, o filho de Tabeel — um homem que não era descendente de Davi. Essa trama diabólica resultaria na interrupção do cumprimento do pacto do Reino feito com Davi. Jeová salvou Acaz para preservar a linhagem por meio da qual viria o prometido “Príncipe da Paz”. — Isaías 9:6.

7:8 — Como Efraim foi “desbaratado” em 65 anos? A deportação das pessoas que pertenciam ao reino de dez tribos e o repovoamento do país com estrangeiros começaram “nos dias de Peca, rei de Israel”, pouco depois de Isaías ter proferido essa profecia. (2 Reis 15:29) Esse processo continuou por muito tempo, até os dias do rei assírio Esar-Hadom, filho e sucessor de Senaqueribe. (2 Reis 17:6; Esdras 4:1, 2; Isaías 37:37, 38) Essa transferência contínua — os assírios levando e trazendo pessoas de Samaria — coincide com o período de 65 anos mencionado em Isaías 7:8.

11:1, 10 — Como Jesus Cristo pode ser ‘um renovo do toco de Jessé’ e ao mesmo tempo “a raiz de Jessé”? (Romanos 15:12) Jesus veio “do toco de Jessé” em sentido carnal. Ele era descendente de Jessé por meio de Davi, filho de Jessé. (Mateus 1:1-6; Lucas 3:23-32) No entanto, receber Jesus poder régio modificou a relação dele com seus antepassados. Por ter recebido poder e autoridade para conceder vida eterna aos humanos obedientes na Terra, Jesus se torna o “Pai Eterno” deles. (Isaías 9:6) Dessa forma, ele é também “a raiz” de seus antepassados, incluindo Jessé.

Lições para nós:

1:3. Quem se recusa a viver à altura do que o Criador exige de nós sabe menos do que um touro ou um jumento. Por outro lado, cultivar gratidão por tudo o que Jeová faz por nós impedirá que nos comportemos sem entendimento e que o abandonemos.

 1:11-13. Cerimônias religiosas hipócritas e orações formais são cansativas para Jeová. Nossas ações e orações devem vir de uma motivação pura de coração.

1:25-27; 2:2; 4:2, 3. A escravidão e a desolação de Judá terminariam com a volta do restante arrependido para Jerusalém e com a restauração da adoração verdadeira. Jeová é misericordioso com transgressores arrependidos.

2:2-4. Nossa participação zelosa na obra de pregar o Reino e de fazer discípulos ajuda pessoas de muitas nações a aprender os caminhos da paz e a se empenhar por ela.

4:4. Jeová lavará, ou eliminará, a impureza moral e a culpa de sangue.

5:11-13. Desconsiderar os limites e a moderação na escolha de diversão é o mesmo que se recusar a agir de acordo com o conhecimento. — Romanos 13:13.

5:21-23. Anciãos cristãos, ou superintendentes, devem evitar ser “sábios aos seus próprios olhos”. Eles também precisam ser moderados em “beber vinho” e não mostrar favoritismo.

11:3a. O exemplo e os ensinamentos de Jesus mostram que temer a Jeová traz alegria.

“JEOVÁ TERÁ MISERICÓRDIA COM JACÓ”

(Isaías 13:1-35:10)

Os capítulos 13 a 23 são declarações contra as nações. No entanto, “Jeová terá misericórdia com Jacó” por permitir que todas as tribos de Israel voltem para casa. (Isaías 14:1) A mensagem de desolação para Judá nos capítulos 24 a 27 é acompanhada da promessa de restauração. Jeová expressa sua ira contra os “ébrios de Efraim [Israel]” por formarem aliança com a Síria e contra o “sacerdote e profeta” de Judá por procurarem se aliar à Assíria. (Isaías 28:1, 7) Pronuncia-se ai, ou sofrimento, sobre “Ariel [Jerusalém]” por ela se ‘pôr a caminho para descer ao Egito’ em busca de proteção. (Isaías 29:1, nota; 30:1, 2) Ainda assim, prediz-se a salvação para pessoas que têm fé em Jeová.

Como ‘o leão novo jubado que ruge sobre a sua presa’ Jeová protegerá o “monte Sião”. (Isaías 31:4) Há também a seguinte promessa: “Eis que um rei reinará para a própria justiça.” (Isaías 32:1) Enquanto a ameaça da Assíria contra Judá faz “os próprios mensageiros de paz” chorar muito, Jeová promete que seu povo será curado, ou seja, ‘seus erros serão perdoados’. (Isaías 33:7, 22-24) “Jeová tem indignação contra todas as nações e furor contra todo o seu exército.” (Isaías 34:2) Judá não continuará desolada. “O ermo e a região árida exultarão, e a planície desértica jubilará e florescerá como o açafrão.” — Isaías 35:1.

Perguntas bíblicas respondidas:

13:17 — Em que sentido os medos consideravam a prata como nada e não tinham prazer no ouro? Os medos e os persas davam mais valor à glória de uma conquista do que ao despojo de guerra. Foi assim no caso de Ciro, que deu aos exilados que retornaram para Jerusalém os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor tinha saqueado do templo de Jeová.

14:1, 2 — Como o povo de Jeová se tornou “os captores dos que os mantinham cativos”  e ‘teve em sujeição aqueles que os compeliam a trabalhar’? Isso se cumpriu no caso de pessoas como Daniel, que ocupou um alto posto em Babilônia sob o domínio dos medos e dos persas; Ester, que se tornou uma rainha persa; e Mordecai, que foi designado como primeiro-ministro do Império Persa.

20:2-5 — Será que Isaías andou mesmo totalmente nu por três anos? Pode ser que Isaías tenha tirado apenas a roupa de cima e andado “pouco vestido”. — 1 Samuel 19:24, nota.

21:1 — Que região é chamada “o ermo do mar”? É assim que Babilônia é chamada, embora ficasse longe do litoral. Isso se dá porque as águas que transbordavam dos rios Eufrates e Tigre inundavam a região anualmente, formando um “mar” pantanoso.

24:13-16 — Como o povo judeu se tornaria “no meio dos povos, igual à batedura da oliveira, igual à rebusca quando acabou a vindima”? Assim como sobram após a colheita algumas frutas numa árvore ou numa videira, apenas poucos sobreviveriam à destruição de Jerusalém e de Judá. Os sobreviventes glorificariam a Jeová para onde quer que fossem levados, quer para a “região da luz [Babilônia, a leste]”, quer para as “ilhas do mar [Mediterrâneo]”.

24:21 — Quem são “o exército do alto” e “os reis do solo”? É bem possível que “o exército do alto” se refira às forças espirituais iníquas. Assim sendo, “os reis do solo” são os governantes terrestres, sobre os quais os demônios têm poderosa influência. — 1 João 5:19.

25:7 — O que são o “envoltório que envolve todos os povos e o trabalho tecido que está entretecido sobre todas as nações”? Essa comparação faz lembrar dois grandes inimigos da humanidade: o pecado e a morte.

Lições para nós:

13:20-22; 14:22, 23; 21:1-9. A palavra profética de Jeová sempre se cumpre, como aconteceu no caso de Babilônia.

17:7, 8. Embora a maioria em Israel não tenha escutado, algumas pessoas se voltaram para Jeová. De modo similar, alguns na cristandade são receptivos à mensagem do Reino.

28:1-6. Israel cairia diante da Assíria, mas Deus cuidaria de que pessoas fiéis sobrevivessem. Os julgamentos de Jeová não deixam os justos sem esperança.

28:23-29. Jeová corrige pessoas sinceras de acordo com suas necessidades e circunstâncias específicas.

30:15. Sermos salvos por Jeová requer que mostremos fé por ‘descansar’, ou nos refrear, de buscar a salvação por meios humanos. Por ‘ficarmos sossegados’, ou não termos medo, também mostramos confiança na capacidade de Jeová nos proteger.

30:20, 21. Nós ‘vemos’ a Jeová e ‘ouvimos’ a sua voz de salvação por acatarmos o que ele diz por meio de sua Palavra inspirada, a Bíblia, e por meio do “escravo fiel e discreto”. — Mateus 24:45.

A profecia de Isaías fortalece nossa confiança na Palavra de Deus

Podemos ser muito gratos pela mensagem de Deus no livro de Isaías. As profecias que já se cumpriram fortalecem nossa confiança de que a ‘palavra que sai da boca de Jeová não voltará a ele sem resultados’. — Isaías 55:11.

E que dizer das profecias messiânicas, como as mencionadas em Isaías 9:7 e 11:1-5, 10? Não acha que elas fortalecem nossa fé nas provisões de Jeová para a nossa salvação? O livro também contém profecias cujo cumprimento principal está acontecendo em nossos dias ou ainda acontecerá. (Isaías 2:2-4; 11:6-9; 25:6-8; 32:1, 2) De fato, o livro de Isaías contribui para provar que “a palavra de Deus é viva”! — Hebreus 4:12.

[Foto na página 8]

Isaías e seus filhos eram “como sinais e como milagres em Israel”

[Foto nas páginas 8, 9]

Jerusalém se tornaria “como uma barraca no vinhedo”

[Foto na página 10]

Como as pessoas das nações estão sendo ajudadas a “forjar das suas espadas relhas de arado”?