Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Testemunhas de Jeová

Português

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Novembro de 2006

Nunca rejeite a disciplina de Jeová

Nunca rejeite a disciplina de Jeová

“Não rejeites a disciplina de Jeová.” — PROVÉRBIOS 3:11.

1. Por que devemos aceitar a disciplina divina?

O REI SALOMÃO, do Israel antigo, apresenta a cada um de nós um bom motivo para aceitarmos a disciplina de Deus. Ele diz: “Filho meu, não rejeites a disciplina de Jeová, e não abomines a sua repreensão, porque Jeová repreende aquele a quem ama, assim como o pai faz com o filho em quem tem prazer.” (Provérbios 3:11, 12) Sim, seu Pai celestial disciplina você porque ele o ama.

2. O que envolve “disciplina”, e como a pessoa pode ser disciplinada?

2 “Disciplina” pode envolver punição, correção, instrução e educação. “Nenhuma disciplina parece no momento ser motivo de alegria, mas sim de pesar”, escreveu o apóstolo Paulo, acrescentando: “No entanto, depois dá fruto pacífico, a saber, a justiça, aos que têm sido treinados por ela.” (Hebreus 12:11) Aceitar e aplicar a disciplina divina pode ajudá-lo a seguir um proceder de justiça e assim aproximá-lo mais do Deus santo, Jeová. (Salmo 99:5) A correção pode vir por meio de irmãos na fé, de coisas aprendidas nas reuniões cristãs e de seu estudo da Palavra de Deus e das publicações do “mordomo fiel”. (Lucas 12:42-44) Quanta gratidão você pode sentir quando algo que precisa de ajuste lhe é trazido à atenção! Mas que tipo de disciplina pode ser necessária em caso de pecado grave?

Por que alguns são desassociados

3. Em que caso acontece a desassociação?

3 Os servos de Deus estudam a Bíblia e as publicações cristãs. As normas de Jeová são consideradas nas suas reuniões, assembléias e congressos. Desse modo, os cristãos são informados sobre o que Jeová requer deles. A desassociação  só acontece quando um membro da congregação comete um pecado grave sem se arrepender.

4, 5. Que exemplo bíblico de desassociação temos aqui, e por que a congregação foi exortada a readmitir a pessoa?

4 Veja um exemplo bíblico de desassociação. A congregação em Corinto tolerava um caso de “fornicação tal como nem [acontecia] entre as nações”, isto é, “que certo homem [tivesse] por esposa a de seu pai”. Paulo exortou os coríntios a “[entregar] tal homem a Satanás, para a destruição da carne, a fim de que o espírito [fosse] salvo”. (1 Coríntios 5:1-5) Ao ser desassociado e, assim, ‘entregue a Satanás’, o pecador voltou a fazer parte do mundo do Diabo. (1 João 5:19) A sua expulsão removeu da congregação uma influência carnal maligna e preservou nela o “espírito”, ou atitude dominante, de temor a Deus. — 2 Timóteo 4:22; 1 Coríntios 5:11-13.

5 Não muito tempo depois, Paulo exortou os cristãos em Corinto a readmitir o transgressor. Por quê? Para que eles não fossem “sobrepujados por Satanás”, disse o apóstolo. O pecador evidentemente se havia arrependido e limpado a sua vida. (2 Coríntios 2:8-11) Se os coríntios se recusassem a readmitir o homem arrependido, Satanás os sobrepujaria no sentido de que eles seriam tão duros e cruéis quanto Satanás gostaria que fossem. É bem provável que logo ‘tenham perdoado e consolado’ aquele homem arrependido. — 2 Coríntios 2:5-7.

6. O que de bom a desassociação pode produzir?

6 O que de bom a desassociação pode produzir? Ela mantém o nome santo de Jeová livre de vitupério e protege a boa reputação de seu povo. (1 Pedro 1:14-16) Remover um transgressor não-arrependido da congregação é prova de apoio às normas de Deus e mantém a pureza espiritual da congregação. Além disso, pode fazer a pessoa arrependida cair em si.

Por que o apóstolo Paulo instruiu os coríntios a respeito da desassociação?

O arrependimento faz diferença

7. Que efeito teve sobre Davi o fato de não ter confessado logo as suas transgressões?

7 A maioria dos que cometem pecados graves se arrepende com sinceridade. Por isso, tais pessoas não são desassociadas da congregação. Mas é óbvio que o arrependimento genuíno nem sempre vem com facilidade. Veja o caso do Rei Davi, de Israel, compositor do Salmo 32. Esse cântico revela que Davi não confessou logo seus graves pecados, talvez com relação a Bate-Seba. De modo que a angústia causada por esses pecados exauriu seu vigor, assim como o calor seco do verão suga a seiva de uma árvore. Davi sofreu física e mentalmente, mas, quando ‘confessou suas transgressões, Jeová o perdoou’. (Salmo 32:3-5) Daí, Davi cantou: “Como é feliz aquele a quem [Jeová] não atribui culpa.” (Salmo 32:1, 2, Nova Versão Internacional) Como foi bom receber a misericórdia de Deus!

8, 9. Como se manifesta o arrependimento, e de que importância ele é na readmissão de um desassociado?

8 É óbvio, portanto, que para receber misericórdia o pecador precisa se arrepender. Mas arrependimento não é apenas sentir vergonha ou ter medo de ser descoberto. “Arrepender-se” significa “mudar de atitude” com relação à má conduta porque o transgressor lamenta o erro. A pessoa arrependida tem “um coração quebrantado e esmagado” e deseja ‘endireitar o erro’ se possível. — Salmo 51:17; 2 Coríntios 7:11.

9 O arrependimento é um fator importantíssimo na readmissão de um desassociado à congregação cristã. Ele não é automaticamente aceito de volta depois de certo período. Antes de ser readmitido, ele precisa mudar muito a condição de seu coração. Tem de reconhecer a gravidade de seu pecado e o vitupério que trouxe sobre Jeová e a congregação. Precisa arrepender-se, orar com fervor pedindo perdão e ajustar-se aos justos requisitos de Deus. Ao pedir a readmissão, deve poder provar que se  arrependeu e que está produzindo “obras próprias de arrependimento”. — Atos 26:20.

Por que confessar a transgressão?

10, 11. Por que não devemos tentar esconder um pecado?

10 Alguns que pecaram talvez raciocinem: ‘Se eu contar meu pecado a alguém, pode ser que eu tenha de responder a perguntas embaraçosas e talvez seja desassociado. Mas se eu ficar quieto, isso não vai acontecer, e na congregação ninguém ficará sabendo de nada.’ Tal raciocínio desconsidera alguns fatores importantes. Quais são eles?

11 Jeová é um “Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado”. Mas ele não deixa de corrigir seu povo, fazendo isso “no grau correto”. (Êxodo 34:6, 7; Jeremias 30:11) Se você cometesse um pecado grave, como poderia receber a misericórdia de Deus se tentasse esconder o erro? Deus sabe tudo o que acontece, e ele não simplesmente deixa passar a transgressão. — Provérbios 15:3; Habacuque 1:13.

12, 13. O que pode acontecer quando alguém tenta ocultar uma transgressão?

12 Se você cometeu um pecado grave, confessá-lo pode ser de ajuda para recuperar a boa consciência. (1 Timóteo 1:18-20) Deixar de confessar talvez resulte numa consciência corrompida que poderia levá-lo a pecar ainda mais. Lembre-se de que seu pecado não é apenas contra outro humano ou contra a congregação. É contra Deus. O salmista cantou: “Jeová — nos céus está o seu trono. Seus próprios olhos observam, seus próprios olhos radiantes examinam os filhos dos homens. O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo.” — Salmo 11:4, 5.

13 Jeová não abençoa quem oculta um pecado grave e tenta permanecer na limpa congregação cristã. (Tiago 4:6) Portanto, se você pecou e deseja fazer o que é certo, não hesite em fazer uma confissão sincera. Caso contrário, sua consciência o acusará, em especial ao ler ou ouvir conselhos relacionados com alguma coisa séria em que você falhou. E que dizer se Jeová retirasse Seu espírito de você, como no caso do Rei Saul? (1 Samuel 16:14) Sem o espírito de Deus, a pessoa pode cometer pecados ainda mais graves.

Confie nos seus irmãos fiéis

14. Por que o transgressor deve seguir o conselho de Tiago 5:14, 15?

14 Portanto, o que deve fazer o transgressor arrependido? “Chame a si os anciãos da congregação, e orem sobre ele, untando-o com óleo em nome de Jeová. E a oração de fé fará que o indisposto fique bom, e Jeová o levantará”, diz a Bíblia. (Tiago 5:14, 15) Falar com os anciãos é uma das maneiras de a pessoa ‘produzir fruto próprio do arrependimento’. (Mateus 3:8) Esses homens fiéis e compreensivos vão ‘orar sobre ela e untá-la com óleo em nome de Jeová’. Como um óleo suave, seus conselhos bíblicos consolarão os sinceramente arrependidos. — Jeremias 8:22.

15, 16. De que modo os anciãos cristãos imitam o exemplo de Deus, conforme registrado em Ezequiel 34:15, 16?

15 Como foi amoroso o exemplo que Jeová, nosso Pastor, nos deu quando resgatou os judeus do cativeiro babilônico em 537 AEC, e ao libertar o Israel espiritual de “Babilônia, a Grande” em 1919 EC! (Revelação [Apocalipse] 17:3-5; Gálatas 6:16) Desse modo, ele cumpriu esta sua promessa: “Eu mesmo serei o pastor do meu rebanho e encontrarei um lugar onde as ovelhas possam descansar . . . Procurarei as ovelhas perdidas, trarei de volta as que se desviaram, farei curativo nas machucadas e tratarei das doentes.” — Ezequiel 34:15, 16, Bíblia na Linguagem de Hoje.

16 Jeová apascentou suas ovelhas simbólicas, recolheu-as em segurança e buscou as que haviam se perdido. De modo similar, os pastores cristãos cuidam de que o rebanho de Deus seja  bem alimentado espiritualmente e mantido em segurança. Os anciãos procuram as ovelhas que se desviam da congregação. Assim como Deus, que ‘fez curativo nas ovelhas machucadas’, os superintendentes tratam das ovelhas que foram feridas pelas palavras de alguém ou por suas próprias ações. E, imitando a Deus, que ‘tratou das ovelhas doentes’, os anciãos ajudam as que adoeceram em sentido espiritual, talvez devido à má conduta pessoal.

Como os pastores ajudam

17. Por que não devemos hesitar em buscar a ajuda espiritual dos anciãos?

17 Os anciãos acatam com prazer este conselho: “Continuai a mostrar misericórdia . . . , fazendo-o com temor.” (Judas 23) Por se envolverem em imoralidade sexual, alguns cristãos pecaram com gravidade. Mas, se estiverem de fato arrependidos, poderão esperar ser tratados com misericórdia e amor por anciãos ansiosos de ajudá-los espiritualmente. Incluindo a si mesmo, Paulo disse a respeito de tais homens: “Não é que sejamos os amos de vossa fé, mas somos colaboradores para a vossa alegria.” (2 Coríntios 1:24) Portanto, nunca hesite em buscar a ajuda espiritual dos anciãos.

18. Como os anciãos lidam com os irmãos na fé que cometem erros?

18 Se você cometeu um pecado grave, por que pode confiar nos anciãos? Porque eles são, acima de tudo, pastores do rebanho de Deus. (1 Pedro 5:1-4) Nenhum pastor amoroso bate num dócil cordeiro que esteja ‘chorando’ porque se machucou. Portanto, quando os anciãos lidam com um irmão na fé que errou, não é uma questão de crime e punição, mas sim de pecado e restauração espiritual quando possível. (Tiago 5:13-20) Os anciãos têm de julgar com justiça e ‘tratar o rebanho com ternura’. (Atos 20:29, 30; Isaías 32:1, 2) Como todo cristão, os anciãos devem ‘exercer a justiça, amar a benignidade e andar modestamente com Deus’. (Miquéias 6:8) Essas qualidades são vitais ao se tomar decisões que envolvem a vida e o serviço sagrado das ‘ovelhas do pasto’ de Jeová. — Salmo 100:3.

Assim como os pastores da antiguidade, os anciãos cristãos ‘fazem curativos’ nas ovelhas de Deus que estão machucadas

19. Com que atitude os anciãos cristãos tentam reajustar uma pessoa que errou?

19 Os pastores cristãos são designados por espírito santo e procuram ser guiados por ele. Se ‘uma pessoa der um passo em falso antes de se aperceber disso’ — por estar desatenta — homens espiritualmente habilitados tentarão ‘reajustá-la num espírito de brandura’. (Gálatas 6:1; Atos 20:28) Com brandura,  porém com firmeza em favor das normas divinas, os anciãos procuram reajustar o modo de pensar da pessoa. Fazem isso assim como um médico bondoso que trata com muito cuidado de uma fratura a fim de evitar dor desnecessária, mas sem deixar de cuidar do problema. (Colossenses 3:12) Visto que uma possível concessão de misericórdia seria feita com oração e com base nas Escrituras, a decisão dos anciãos refletiria o conceito de Deus sobre os assuntos. — Mateus 18:18.

20. Quando pode ser preciso anunciar à congregação que determinada pessoa foi repreendida?

20 Se o pecado cometido for de conhecimento geral, ou com certeza virá a ser, provavelmente será necessário dar um anúncio à congregação, a fim de proteger sua reputação. Também será dado um anúncio se for preciso que a congregação seja informada a respeito. O período de cura espiritual que se segue a uma repreensão judicativa é comparável ao de alguém que se recupera de um ferimento que, temporariamente, limita suas atividades. Seria proveitoso se, por um tempo, o arrependido se limitasse a ouvir, em vez de comentar nas reuniões. Os anciãos podem providenciar que alguém estude a Bíblia com ele, a fim de fortalecê-lo numa possível fraqueza, de modo que volte a ser ‘são na fé’. (Tito 2:2) Tudo isso é feito por amor, e não com a intenção de punir o transgressor.

21. Como podem ser tratados certos casos de transgressão?

21 Os anciãos podem dar ajuda espiritual de várias maneiras. Por exemplo: um irmão, que teve problemas com a bebida no passado, voltou a beber demais, uma ou duas vezes, quando estava sozinho em casa. Ou alguém que há muito largou o cigarro voltou a fumar em particular, uma ou duas vezes, num momento de fraqueza. Nesses casos, embora a pessoa tenha orado e acredite que Deus a tenha perdoado, ela deve procurar a ajuda de um ancião para que tais pecados não se tornem habituais. Um ou dois anciãos podem cuidar do assunto. No entanto, o ancião ou os anciãos envolvidos devem informar o superintendente presidente a respeito disso, pois pode haver outros fatores relacionados.

Continue a aceitar a disciplina divina

22, 23. Por que você nunca deve rejeitar a disciplina divina?

22 Para ter a aprovação de Deus, todo cristão precisa dar atenção à disciplina de Jeová. (1 Timóteo 5:20) Portanto, aceite qualquer correção que talvez receba ao estudar as Escrituras e as publicações cristãs, ou ao ouvir conselhos nas reuniões, nas assembléias e nos congressos do povo de Jeová. Continue alerta quanto a fazer a vontade de Jeová. Assim, a disciplina divina o ajudará a manter um “parapeito” espiritual — uma forte muralha de defesa contra o pecado.

23 Aceitar a disciplina divina o ajudará a permanecer no amor de Deus. É verdade que alguns foram expulsos da congregação cristã, mas isso não precisa acontecer se a pessoa ‘resguarda seu coração’ e ‘anda como sábio’. (Provérbios 4:23; Efésios 5:15) Se você está desassociado, porém, não seria bom dar os passos para ser readmitido? Deus deseja que todos os que se dedicaram a ele o adorem fielmente e com “contentamento do coração”. (Deuteronômio 28:47) Você poderá fazer isso por toda a eternidade, se nunca rejeitar a disciplina de Jeová. — Salmo 100:2.