Pular para conteúdo

Pular para sumário

Dignidade humana — um direito muitas vezes violado

Dignidade humana — um direito muitas vezes violado

 Dignidade humana — um direito muitas vezes violado

“Cada aspecto da vida no campo de concentração era como descer mais um degrau da escada que leva à humilhação e à falta de dignidade.” — MAGDALENA KUSSEROW REUTER, SOBREVIVENTE DE CAMPO DE CONCENTRAÇÃO NAZISTA.

APESAR de terem sido horríveis, as atrocidades nos campos de concentração nazistas não foram o começo nem o fim dos ataques à dignidade humana. Ao olharmos para o passado ou para o presente, a conclusão é clara: a “escada que leva à humilhação e à falta de dignidade” é longa e muito usada.

As violações à dignidade humana, no entanto, não se limitam às barbáries que mancharam a história da humanidade. Em geral, essas violações ocorrem de maneiras mais sutis. Pense, por exemplo, na criança que é alvo de zombaria por causa de alguma característica física. Ou no imigrante que é ridicularizado por causa de certos costumes “estrangeiros”. Ou na pessoa que é discriminada por causa da nacionalidade ou da cor da pele. Os que tratam outros dessa forma talvez achem isso engraçado, mas a dor e a humilhação que as pessoas envolvidas sentem não é motivo de piada. — Provérbios 26:18, 19.

O que é dignidade humana?

Certo dicionário define dignidade como ‘qualidade moral que infunde respeito; consciência do próprio valor; honra, autoridade, nobreza’. Portanto, a dignidade humana envolve o modo como encaramos a  nós mesmos e como outros nos tratam. Embora haja muitos fatores que podem influenciar o modo como encaramos a nós mesmos, a maneira como outros nos encaram ou tratam tem um papel muito importante em nosso senso de valor próprio no dia-a-dia.

Toda sociedade tem segmentos que incluem os pobres, os indefesos e os vulneráveis. Mas estar nessas circunstâncias não diminui necessariamente o senso de dignidade da pessoa. A atitude e a reação dos outros é o que pode constituir uma ofensa à dignidade de alguém. A triste realidade é que as pessoas em situações mais difíceis geralmente são as que mais sofrem ataques ao seu direito à dignidade humana. Quando se abusa de idosos, pobres e deficientes mentais ou físicos, é comum ouvirmos palavras como “inútil”, “imprestável” e “desprezível”.

Por que as pessoas humilham umas às outras? O direito básico à dignidade humana será algum um dia alcançado? O próximo artigo mostrará a resposta satisfatória que encontramos na Palavra de Deus, a Bíblia.