Pular para conteúdo

Pular para sumário

“A melhor maneira de concluir o ensino médio”

“A melhor maneira de concluir o ensino médio”

 “A melhor maneira de concluir o ensino médio”

NA ESPANHA, um professor do ensino médio escreveu: “Por mais de cem anos, as Testemunhas de Jeová têm demonstrado verdadeira solidariedade, impecável honestidade e, acima de tudo, fé indestrutível.” O que motivou esse professor — que afirma ser ateu — a fazer tal declaração?

Tudo começou quando Noemí, aluna do ensino médio e Testemunha de Jeová, teve de fazer um trabalho como parte da avaliação final de seus estudos. Ela decidiu escrever sobre o tema “Os triângulos roxos sob o domínio nazista”.

Por que Noemí escolheu esse tema? Ela explica: “Já que o professor teria de avaliar meu trabalho, achei que podia aproveitar a oportunidade para dar-lhe testemunho. A história de como as Testemunhas de Jeová na Alemanha nazista permaneceram fiéis aos seus princípios havia tocado o meu coração. Achei que isso poderia impressionar outros também.”

O trabalho de Noemí impressionou muito mais pessoas do que ela poderia ter imaginado. Em 5 de outubro de 2002, seu trabalho ganhou um prêmio num concurso nacional de pesquisa em ciências naturais e humanas. Os prêmios desse concurso são concedidos por um júri composto de 20 professores de universidades espanholas de renome.

Quem entregou o prêmio para Noemí foi Pilar del Castillo, Ministra da Educação da Espanha. Noemí aproveitou para dar à ministra a fita de vídeo As Testemunhas de Jeová Resistem ao Ataque Nazista. A ministra aceitou de bom grado o presente.

Em Manresa, cidade de Noemí, o jornal local destacou sua realização acadêmica e publicou um artigo sobre seu trabalho. Nesse meio tempo, o diretor da sua escola pediu uma cópia do trabalho para incluir no programa de comemoração dos 75 anos da escola.

“Essa foi a melhor maneira de concluir o ensino médio que eu poderia imaginar”, diz Noemí. “Fiquei muito feliz quando li as palavras que meu professor, Jorge Tomás Calot, escreveu como parte de sua introdução sobre meu trabalho:

“‘Sou ateu, mas gostaria de ficar plenamente convencido da existência deste Ser Supremo, que inspira em seus adoradores o mais genuíno “amor ao próximo”.’”