Pular para conteúdo

Pular para sumário

Jeová treina pastores para seu rebanho

Jeová treina pastores para seu rebanho

 Jeová treina pastores para seu rebanho

“O próprio Jeová dá sabedoria; da sua boca procedem conhecimento e discernimento.” — PROVÉRBIOS 2:6.

1, 2. Por que homens batizados procuram assumir mais responsabilidades na congregação?

“FIQUEI muito feliz quando fui designado como ancião”, diz Nick, que serve como superintendente já por sete anos. “Encarei a designação como uma oportunidade para ampliar o meu serviço a Jeová. Sentia que tinha uma dívida de gratidão por tudo o que ele tem feito por mim. Também queria ajudar os membros da congregação o máximo possível, assim como outros anciãos me ajudaram.” No entanto, além da alegria, Nick teve algumas preocupações. Ele continua: “Visto que eu não tinha nem 30 anos quando fui designado, estava apreensivo, achando que talvez não tivesse as habilidades necessárias — discernimento e sabedoria — para pastorear a congregação de modo eficaz.”

2 Aqueles que Jeová designa para cuidar do seu rebanho têm muitas razões para se sentir felizes. Ao citar Jesus, o apóstolo Paulo lembrou aos anciãos de Éfeso uma dessas razões, dizendo: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” (Atos 20:35) Trabalhar como servo ministerial ou ancião permite que homens batizados ampliem o seu serviço a Jeová e à congregação. Os servos ministeriais, por exemplo, cooperam com os anciãos. Eles também cuidam de inúmeras outras designações que exigem muito tempo, mas que são necessárias. Esses irmãos, motivados pelo amor a Deus e ao próximo, prestam um valioso serviço. — Marcos 12:30, 31.

3. Por que alguns talvez hesitem em esforçar-se para alcançar privilégios na congregação?

3 O que dizer de um cristão que, por não se sentir apto, hesita em empenhar-se para se tornar um servo e mais tarde um ancião? Pode ser que, igual a Nick, ele ache que não tem as habilidades necessárias para ser um bom pastor espiritual. Como irmão batizado, será que você também se sente assim? Essa preocupação não é infundada, pois Jeová responsabiliza os pastores designados pela maneira como tratam o rebanho. Jesus disse: “Todo aquele a quem muito foi dado, muito se reclamará dele; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.” — Lucas 12:48.

4. Como Jeová ajuda aqueles que ele designa para cuidar das suas ovelhas?

4 Será que Jeová espera que aqueles que ele designa como servos e anciãos levem sozinhos a carga adicional? Não. Pelo contrário, ele dá ajuda prática para que eles não apenas consigam lidar com a designação, mas também sejam bem-sucedidos. Como foi considerado no artigo anterior, Jeová lhes dá o seu espírito santo, cujos frutos os ajudam a cuidar amorosamente das ovelhas. (Atos 20:28; Gálatas 5:22, 23) Além disso, Jeová lhes dá sabedoria, conhecimento e discernimento. (Provérbios 2:6) Como ele faz isso? Vamos considerar três modos de Jeová treinar cada irmão que Ele designa para cuidar das suas ovelhas.

Treinados por anciãos experientes

5. Por que Pedro e João eram eficientes como pastores espirituais?

5 Quando os apóstolos Pedro e João compareceram perante o Sinédrio, os juízes daquela corte, cheios da sabedoria do mundo, achavam que aqueles homens eram “indoutos e comuns”  — não que não soubessem ler ou escrever, mas não haviam recebido nenhum treinamento rabínico para o estudo das Escrituras. Mesmo assim, Pedro, João e os outros discípulos mostraram ser instrutores eficientes, pois motivavam seus ouvintes a se tornarem seguidores de Jesus. Como foi que esses homens simples se tornaram instrutores tão bons? Depois de escutar Pedro e João, os homens do Sinédrio “começaram a reconhecer a respeito deles que costumavam estar com Jesus”. (Atos 4:1-4, 13) É verdade que eles haviam recebido espírito santo. (Atos 1:8) Mas também era óbvio, mesmo para aqueles juízes espiritualmente cegos, que Jesus havia treinado aqueles homens. Enquanto estava na Terra, ele ensinou os apóstolos não só a ajuntar pessoas semelhantes a ovelhas, mas também a pastoreá-las quando passassem a fazer parte do rebanho. — Mateus 11:29; 20:24-28; 1 Pedro 5:4.

6. Que exemplo em treinar outros deram Jesus e Paulo?

6 Depois de ser ressuscitado, Jesus continuou a treinar os homens designados para pastorear o rebanho. (Revelação [Apocalipse] 1:1; 2:1-3:22) Por exemplo, ele escolheu Paulo pessoalmente e supervisionou o seu treinamento. (Atos 22:6-10) Paulo apreciou o treinamento que recebeu e compartilhou com outros anciãos aquilo que havia aprendido. (Atos 20:17-35) Por exemplo, ele investiu muito tempo e energia em treinar Timóteo como “obreiro” no serviço de Deus, ‘que não tinha nada de que se envergonhar’. (2 Timóteo 2:15) Esses dois homens criaram uma forte amizade. Falando de Timóteo, Paulo escreveu: “Ele trabalhou como escravo comigo na promoção das boas novas, como um filho junto ao pai.” (Filipenses 2:22) O objetivo de Paulo não era fazer de Timóteo, ou de qualquer outra pessoa, um discípulo seu. Pelo contrário, ele incentivava seus companheiros cristãos a se tornarem ‘imitadores dele, assim como ele era de Cristo’. — 1 Coríntios 11:1.

7, 8. (a) Que exemplo mostra os bons resultados de os anciãos imitarem a Jesus e a Paulo? (b) Quando os anciãos devem começar a treinar prospectivos servos ministeriais e anciãos?

7 Imitando a Jesus e a Paulo, anciãos experientes tomam a iniciativa de treinar irmãos batizados e também conseguem bons resultados. Considere o que aconteceu com Chad. Ele cresceu num lar dividido em sentido religioso, mas há pouco tempo foi designado ancião. Ele diz: “Ao longo dos anos, muitos anciãos experientes me ajudaram a progredir espiritualmente. Visto que meu pai era descrente, esses anciãos foram como pais espirituais e demonstraram um interesse especial em mim. Eles tomavam tempo para me treinar no ministério e mais tarde um deles, em especial, me ensinou a cuidar das designações congregacionais que recebi.”

8 O que aconteceu com Chad mostra que anciãos com discernimento começam a treinar prospectivos servos ministeriais e anciãos muito antes de esses progredirem a ponto de estar qualificados para tais privilégios. Por quê? Porque a Bíblia deixa claro que irmãos batizados precisam atingir elevados padrões morais e espirituais antes de serem designados como servos ministeriais ou anciãos. Eles devem ser “primeiro examinados quanto à aptidão”. — 1 Timóteo 3:1-10.

9. Que responsabilidade têm os anciãos maduros e por quê?

9 Se irmãos batizados devem ser examinados quanto à aptidão, é mais do que justo que sejam treinados antes. Para ilustrar: se um aluno tivesse de fazer uma prova difícil sem que os professores lhe tivessem dado um treinamento específico, será que ele passaria na prova? É bem provável que não. É por isso que o treinamento é essencial. No entanto, professores conscienciosos treinam os alunos não só para passar na prova, mas também para usar o conhecimento adquirido. Da mesma forma, por meio de treinamento específico, anciãos diligentes ajudam irmãos batizados a cultivar as  qualidades necessárias para serem designados. E não só para isso, mas também para que sejam capazes de cuidar bem do rebanho. (2 Timóteo 2:2) É claro que os irmãos batizados têm de fazer sua parte por se empenhar em ter as qualificações que se exigem de um servo ministerial ou de um ancião. (Tito 1:5-9) Ainda assim, por treiná-los de boa vontade, anciãos experientes podem ajudar a acelerar o progresso desses irmãos que estão se esforçando nesse sentido.

10, 11. Como os anciãos podem treinar outros para privilégios adicionais?

10 De que formas específicas podem os anciãos experientes treinar outros para cuidar de privilégios congregacionais? Primeiro, por mostrar interesse nos homens batizados da congregação — trabalhando com eles de forma regular no ministério de campo e ajudando-os a melhorar a habilidade de ‘manejar corretamente a palavra da verdade’. (2 Timóteo 2:15) Anciãos experientes conversam com esses irmãos sobre as alegrias que resultam de servir outros e sobre a satisfação que eles mesmos obtêm de estabelecer e atingir alvos espirituais. Eles também bondosamente dão sugestões específicas sobre como um irmão pode melhorar para ser um ‘exemplo para o rebanho’. — 1 Pedro 5:3, 5.

11 Mesmo depois de um irmão ser designado servo ministerial, superintendentes perspicazes continuam a dar treinamento. Bruce, que serve como ancião já por décadas, diz: “Quando um irmão é designado como servo, eu gosto de sentar e rever com ele as instruções publicadas pelo escravo fiel e discreto. Também lemos as orientações para a designação específica desse irmão e depois gosto de trabalhar com ele até que entenda bem os seus deveres.” À medida que um servo ganha experiência, também pode ser treinado no trabalho de pastoreio. Bruce continua: “Quando convido um servo ministerial a ir comigo numa visita de pastoreio, eu o ajudo a escolher textos bíblicos específicos que vão encorajar e motivar o irmão ou a família que vamos visitar. Para que um servo se torne um pastor espiritual eficiente, é essencial que ele aprenda a usar as Escrituras de um modo que toque o coração.” — Hebreus 4:12; 5:14.

12. Como anciãos experientes podem treinar anciãos recém-designados?

12 Anciãos recém-designados também colhem muitos benefícios quando recebem treinamento adicional. Nick, já mencionado, diz: “O treinamento que recebi, em especial de dois anciãos experientes, foi de grande ajuda. Esses irmãos normalmente sabiam como certos assuntos deviam ser tratados. Eles sempre me escutavam com paciência e levavam a sério o meu ponto de vista, mesmo quando não concordavam. Aprendi muito por observar o modo humilde e respeitoso como eles lidavam com os irmãos da congregação. Esses anciãos fizeram-me ver a necessidade de ser hábil em usar a Bíblia ao lidar com problemas ou ao dar encorajamento.”

Treinados pela Palavra de Deus

13. (a) O que é necessário para um irmão ser um bom pastor espiritual? (b) Por que Jesus disse: “O que eu ensino não é meu”?

13 Não há dúvida de que a Palavra de Deus, a Bíblia, contém as leis, os princípios e os exemplos que um ancião precisa para se tornar “plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra”. (2 Timóteo 3:16, 17) Um irmão pode ter boa educação escolar, mas é o conhecimento das Escrituras e o modo de aplicá-lo que o ajuda a ser um bom pastor espiritual.  Considere o exemplo de Jesus. Nunca houve na Terra um pastor espiritual com mais conhecimento, discernimento e sabedoria do que ele. No entanto, até mesmo ele não confiava na sua própria sabedoria ao ensinar as ovelhas de Jeová. Ele disse: “O que eu ensino não é meu, mas pertence àquele que me enviou.” Por que Jesus deu crédito ao seu Pai celestial? Ele explicou: “Quem fala de sua própria iniciativa está buscando a sua própria glória.” — João 7:16, 18.

14. Como podem os anciãos evitar buscar glória para si mesmos?

14 Anciãos leais evitam buscar glória para si mesmos. Baseiam seus conselhos e encorajamento não na sua sabedoria, mas na Palavra de Deus. Eles dão-se conta de que a função do pastor espiritual é ajudar as ovelhas a ter “a mente de Cristo”, e não a mente dos anciãos. (1 Coríntios 2:14-16) Por exemplo, o que aconteceria se um ancião, ao ajudar um casal com problemas no casamento, baseasse seus conselhos na sua experiência de vida em vez de nos princípios bíblicos e nas informações publicadas pelo “escravo fiel e discreto”? (Mateus 24:45) Seus conselhos poderiam ser demasiadamente influenciados por costumes locais e limitados por causa de seu conhecimento restrito. É verdade que alguns costumes não são errados em si mesmos e pode ser que o ancião seja alguém bem experiente. Mas as ovelhas beneficiam-se mais quando os pastores as incentivam a escutar a voz de Jesus e as declarações de Jeová em vez de pensamentos de homens ou tradições locais. — Salmo 12:6; Provérbios 3:5, 6.

Treinados pelo “escravo fiel e discreto”

15. Que comissão Jesus deu à classe do “escravo fiel e discreto”, e qual é uma das razões do seu sucesso?

15 Superintendentes tais como os apóstolos Pedro, João e Paulo eram membros de um grupo que Jesus descreveu como “o escravo fiel e discreto”. Essa classe do “escravo” é composta dos irmãos de Jesus, ungidos pelo espírito, que estão na Terra e cuja esperança é reinar com Cristo no céu. (Revelação 5:9, 10) Como era de se esperar, durante estes últimos dias do sistema em que vivemos, o número dos irmãos de Cristo ainda na Terra tem diminuído. No entanto, a obra que Jesus lhes deu para realizar — pregar as boas novas do Reino antes de vir o fim — está maior do que nunca. Ainda assim, a classe do “escravo” está tendo notável êxito! Por quê? Em parte, porque os dessa classe treinaram membros das “outras ovelhas” para ajudá-los na obra de pregação e de ensino. (João 10:16; Mateus 24:14; 25:40) Hoje em dia, a maior parte do trabalho é feita por este grupo leal.

16. De que maneira a classe do “escravo” dá treinamento aos homens designados?

 16 De que forma a classe do “escravo” dá esse treinamento? No primeiro século, representantes do escravo fiel e discreto eram autorizados a treinar e a designar superintendentes nas congregações, e estes, por sua vez, treinavam as ovelhas. (1 Coríntios 4:17) O mesmo acontece nos nossos dias. O Corpo Governante — o pequeno grupo de anciãos ungidos que representam a classe do “escravo” — autoriza os seus representantes a treinar e a designar servos e anciãos nas dezenas de milhares de congregações em todo o mundo. Além disso, o Corpo Governante organiza cursos que treinam membros de Comissões de Filial, superintendentes viajantes, anciãos e servos ministeriais, para que cuidem das ovelhas da melhor forma. Outras orientações são dadas por meio de cartas, de artigos publicados em A Sentinela e de outras publicações, tais como o livro Organizados para Fazer a Vontade de Jeová. *

17. (a) Como Jesus demonstrou sua confiança na classe do “escravo”? (b) Como podem os pastores espirituais mostrar que confiam na classe do “escravo”?

17 Jesus tinha tanta confiança na classe do “escravo” que a encarregou de “todos os seus bens”, ou seja, de todos os interesses espirituais dele na Terra. (Mateus 24:47) Os anciãos designados mostram que também confiam na classe do “escravo” por aplicar as orientações que recebem do Corpo Governante, que representa essa classe. Assim sendo, quando os pastores espirituais treinam outros, aceitam treinamento da Palavra de Deus e põem em prática o treinamento dado pela classe do “escravo”, eles promovem a união do rebanho. Somos muito gratos por Jeová treinar homens que se preocupam genuinamente com cada membro da congregação cristã.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 16 Publicado pelas Testemunhas de Jeová.

Qual é a sua resposta?

• De que maneira os anciãos experientes treinam outros?

• Por que os pastores espirituais não ensinam à base das suas próprias idéias?

• Como e por que os anciãos demonstram confiança na classe do “escravo”?

[Perguntas de Estudo]

[Fotos nas páginas 24, 25]

Anciãos cristãos treinam homens mais jovens na congregação

[Fotos na página 26]

“O escravo fiel e discreto” fornece bastante treinamento aos anciãos