Pular para conteúdo

Pular para sumário

Perguntas dos Leitores

Perguntas dos Leitores

 Perguntas dos Leitores

O que o apóstolo Paulo quis dizer quando declarou que a mulher deveria ‘ficar calada na congregação’?

Paulo escreveu à congregação cristã em Corinto: “Como em todas as congregações dos santos, fiquem caladas as mulheres nas congregações, pois não se lhes permite falar.” (1 Coríntios 14:33, 34) Para o entendimento correto dessas palavras, é bom levar em conta o contexto do conselho de Paulo.

Em 1 Coríntios capítulo 14, Paulo abordou assuntos relacionados às reuniões na congregação cristã, descrevendo o que deveria ser considerado nessas reuniões e como elas deveriam ser dirigidas. (1 Coríntios 14:1-6, 26-34) Além disso, ele enfatizou o propósito das reuniões cristãs — “para que a congregação receba edificação”. — 1 Coríntios 14:4, 5, 12, 26.

A instrução de Paulo para ‘ficar calado’ aparece três vezes no capítulo 14 da primeira carta aos coríntios. Em cada uma dessas ocorrências, a instrução é dirigida para um grupo diferente na congregação, mas em todos os casos, o objetivo é um só: que “todas as coisas ocorram decentemente e por arranjo”. — 1 Coríntios 14:40.

Primeiro, Paulo disse: “Se alguém falar numa língua, seja isso limitado a dois ou no máximo três, e por turnos; e traduza alguém. Mas, se não houver tradutor, então fique calado na congregação e fale consigo mesmo e com Deus.” (1 Coríntios 14:27, 28) Isso não significava que essa pessoa nunca deveria falar nas reuniões, mas haveria ocasiões que ela deveria ficar calada. Afinal, o propósito das reuniões — edificar uns aos outros — não ia ser atingido se ela falasse num idioma que ninguém entendesse.

Segundo, Paulo declarou: “Falem dois ou três profetas, e que os outros discirnam o significado. Mas, se outro tiver revelação enquanto está sentado ali, fique calado o primeiro.” Isso não significava que o primeiro profeta deveria se refrear de falar nas reuniões,  mas que às vezes deveria ficar calado. Então, aquele que recebeu uma revelação milagrosa poderia se dirigir à congregação, e o propósito da reunião seria atingido, ou seja, que ‘todos fossem encorajados’. — 1 Coríntios 14:26, 29-31.

Terceiro, Paulo dirigiu-se apenas às mulheres cristãs, dizendo: “Fiquem caladas as mulheres nas congregações, pois não se lhes permite falar, mas estejam em sujeição.” (1 Coríntios 14:34) Por que Paulo deu essa instrução às irmãs? Para preservar a ordem da congregação. Ele disse: “Se, então, quiserem aprender algo, interroguem a seus próprios maridos em casa, pois é ignominioso para uma mulher falar na congregação.” — 1 Coríntios 14:35.

Talvez algumas irmãs estivessem desafiando o que estava sendo dito na congregação. O conselho de Paulo ajudou as irmãs a evitar esse espírito desordeiro e a aceitar humildemente sua posição em relação ao princípio da chefia de Jeová, em especial com referência ao seu marido. (1 Coríntios 11:3) Além disso, o fato de as irmãs ficarem caladas demonstraria que elas não desejavam ser instrutoras na congregação. Quando escreveu a Timóteo, Paulo mostrou que seria impróprio a mulher assumir o papel de instrutora: “Não permito que a mulher ensine ou exerça autoridade sobre o homem, mas que esteja em silêncio.” — 1 Timóteo 2:12.

Significa então que a mulher nunca pode falar numa reunião cristã? Não. Houve ocasiões nos dias de Paulo em que mulheres cristãs oraram ou profetizaram na congregação, talvez inspiradas pelo espírito santo. Nessas ocasiões, elas reconheciam sua posição ao usar uma cobertura para a cabeça. * (1 Coríntios 11:5) Além disso, nos dias de Paulo e também hoje, tanto irmãs como irmãos são incentivados a fazer declaração pública de sua esperança. (Hebreus 10:23-25) Além de fazerem isso no ministério de campo, as irmãs declaram sua esperança e encorajam outros nas reuniões cristãs por meio de seus comentários bem preparados e quando aceitam fazer demonstrações ou discursos de estudante.

Portanto, quando a mulher cristã ‘fica calada’ indica que não tem a intenção de assumir o papel de um homem e instruir a congregação. Também, não levanta questões controversiais que poderiam desafiar a autoridade daqueles que ensinam. Cumprindo adequadamente seu papel na congregação, as irmãs cristãs contribuem muito para um ambiente de paz, a fim de “que todas as coisas [nas reuniões congregacionais] ocorram para edificação”. — 1 Coríntios 14:26, 33.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 10 Hoje em dia, as irmãs maduras seguem esse exemplo quando, devido às circunstâncias, têm de substituir um homem. — Veja A Sentinela de 15 de julho de 2002, página 26.