Pular para conteúdo

Pular para sumário

‘Mantenha inteiramente seus sentidos’

‘Mantenha inteiramente seus sentidos’

 ‘Mantenha inteiramente seus sentidos’

“Qualquer inexperiente põe fé em cada palavra, mas o argucioso considera os seus passos.” — PROVÉRBIOS 14:15.

1, 2. (a) Que lição tiramos do que aconteceu com Ló em Sodoma? (b) O que significa o termo ‘manter os sentidos’?

QUANDO Ló recebeu de Abraão a opção de ser o primeiro a escolher a parte da terra onde ia morar, ele se sentiu atraído a uma região bem regada, “semelhante ao jardim de Jeová”. Pelo visto, parecia ser o lugar ideal para estabelecer sua família, visto que Ló escolheu “para si todo o Distrito do Jordão” e montou acampamento perto de Sodoma. No entanto, as aparências enganaram, pois nos arredores moravam “os homens de Sodoma [que] eram maus e eram grandes pecadores contra Jeová”. (Gênesis 13:7-13) À medida que o tempo foi passando, Ló e sua família enfrentaram grandes dificuldades. Por fim, ele e suas filhas tiveram de se sujeitar a morar numa caverna. (Gênesis 19:17, 23-26, 30) Aquilo que aparentemente era tão bom no começo, mostrou-se ruim mais tarde.

2 O que aconteceu a Ló serve de lição para os servos de Deus da atualidade. Quando temos de tomar decisões, é preciso ficar atentos aos possíveis perigos e cuidar para não sermos enganados pela primeira impressão. Portanto, é apropriado que a Palavra de Deus nos aconselhe: ‘Mantende inteiramente os vossos sentidos.’ (1 Pedro 1:13) O termo traduzido aqui por ‘manter os sentidos’ significa literalmente “ficar sóbrio”. De acordo com o erudito bíblico R. C. H. Lenski, essa sobriedade é “um estado mental de serenidade, calma e estabilidade, que pesa e avalia as coisas de maneira correta, habilitando-nos a tomar decisões certas”. Vamos analisar algumas situações em que é necessário sobriedade.

Avaliar uma proposta de negócios

3. Por que é necessário ter cautela caso alguém nos ofereça uma oportunidade de negócios?

3 Suponhamos que alguém respeitado, talvez um companheiro cristão, lhe ofereça uma oportunidade de negócio. Ele está entusiasmado com essa perspectiva e o incentiva a agir rápido para não perder a oportunidade. Você começa a imaginar uma vida melhor para si e para sua família, até mesmo raciocinando que isso o habilitaria a dedicar mais tempo a atividades espirituais. No entanto, Provérbios 14:15 acautela: “Qualquer inexperiente põe fé em cada palavra, mas o argucioso considera os seus passos.” Com a euforia que quase sempre acompanha o início de novos negócios, os riscos talvez sejam subestimados, os perigos, ignorados, e as incertezas relacionadas ao negócio talvez não sejam analisadas plenamente. (Tiago 4:13, 14) Nessas circunstâncias, é necessário manter inteiramente os sentidos.

4. De que forma ‘consideramos os nossos passos’ ao analisar uma proposta de negócios?

4 A pessoa cautelosa examina cuidadosamente uma proposta de negócios antes de tomar uma decisão. (Provérbios 21:5) Tal exame quase sempre revela perigos ocultos. Analise a seguinte situação: alguém está precisando tomar dinheiro emprestado para o seu negócio e oferece a você uma grande margem de lucro se lhe emprestar o dinheiro. A oferta pode ser muito tentadora, mas quais são os riscos? Essa pessoa garante devolver-lhe o dinheiro, independentemente do sucesso ou do fracasso do negócio? Em outras palavras: você corre o risco de perder  o dinheiro se o negócio fracassar? É bom também perguntar-se: “Por que um empréstimo particular e não bancário? Será que os bancos consideram o negócio arriscado demais?” Tomar tempo para avaliar os riscos o ajudará a analisar a proposta de maneira realística. — Provérbios 13:16; 22:3.

5. (a) De que maneira Jeremias agiu com sensatez quando comprou um campo? (b) Por que é benéfico documentar todas as negociações num acordo formal por escrito?

5 Quando o profeta Jeremias comprou um campo de seu primo, que também era adorador de Jeová, fez um registro escrito da transação diante de testemunhas. (Jeremias 32:9-12) Hoje também, a pessoa sensata se certificará de que todas as suas negociações, incluindo as feitas com parentes e companheiros cristãos, sejam documentadas num acordo formal claro, bem-preparado e por escrito. * Isso contribuirá para não haver mal-entendidos, e também preservará a união. Por outro lado, quando surgem problemas de negócios entre servos de Jeová, a falta de um acordo escrito é muitas vezes um fator contribuinte. Infelizmente, esses problemas podem causar sofrimento, mágoas e até a perda da espiritualidade.

6. Por que precisamos nos precaver contra a ganância?

6 Precisamos também nos precaver contra a ganância. (Lucas 12:15) A promessa de muito lucro pode esconder os riscos de um empreendimento comercial inseguro. Até alguns que já tiveram grandes privilégios no serviço de Jeová caíram nesse laço. A Palavra de Deus nos acautela: “Vossa maneira de viver esteja livre do amor ao dinheiro, ao passo que estais contentes com as coisas atuais.” (Hebreus 13:5) Ao pensar em entrar num negócio, o cristão deve analisar se realmente é necessário envolver-se nisso. Termos uma vida simples e concentrar-nos na nossa adoração a Jeová vai nos proteger contra “toda sorte de coisas prejudiciais”. — 1 Timóteo 6:6-10.

Desafios que os cristãos solteiros enfrentam

7. (a) Que desafios muitos cristãos solteiros enfrentam? (b) De que forma a escolha de um cônjuge tem a ver com a lealdade a Deus?

7 Muitos servos de Jeová almejam se casar, mas ainda não encontraram um cônjuge adequado. Em alguns países, existe uma tremenda pressão social para as pessoas se casarem. A questão é que podem não haver muitas oportunidades de encontrar um cônjuge em potencial entre os concrentes. (Provérbios 13:12) No entanto, os cristãos reconhecem que obedecer à ordem bíblica de casar-se “somente no Senhor” é uma questão de lealdade a Jeová. (1 Coríntios 7:39) Para continuarem firmes contra as pressões e tentações que enfrentam, os cristãos solteiros precisam manter inteiramente os sentidos.

8. Que pressão a sulamita teve de enfrentar, e como as cristãs hoje talvez passem por situação semelhante?

8 No Cântico de Salomão, uma humilde camponesa conhecida como sulamita chama a atenção do rei. Ele tenta seduzi-la com sua impressionante fortuna, prestígio e charme, embora ela já estivesse apaixonada por um jovem.  (Cântico de Salomão 1:9-11; 3:7-10; 6:8-10, 13) Se você for uma cristã, talvez também se torne alvo das atenções indesejáveis de outra pessoa. Pode ser que um colega de trabalho, talvez alguém que ocupa um cargo de responsabilidade, comece a elogiá-la, a lhe fazer gentilezas e a procurar oportunidades de sempre estar ao seu lado. Seja cautelosa com essa atenção lisonjeira. Embora as intenções dessa pessoa não sejam sempre românticas ou imorais, muitas vezes são. Assim como a sulamita, seja “uma muralha”. (Cântico de Salomão 8:4, 10) Rejeite com firmeza propostas indesejadas. Fale desde o início para os seus colegas de trabalho que você é Testemunha de Jeová e aproveite todas as oportunidades para dar testemunho a eles. Isso lhe servirá de proteção.

9. Quais são alguns dos perigos de ter um relacionamento com um estranho por meio da internet? (Veja também o quadro na página 25.)

9 Estão se tornando comuns as páginas da internet que ajudam os solteiros a encontrar uma pessoa para se casar. Alguns acham que essa é uma maneira de conhecer pessoas que, de outra forma, não conheceriam. No entanto, começar um relacionamento às cegas com alguém estranho é um perigo real. Na internet, a realidade se confunde com a ficção. (Salmo 26:4) Nem todos que alegam ser servos de Jeová, de fato, o são. Além do mais, com o namoro on-line, um forte relacionamento pode surgir de uma forma rápida, o que pode afetar o bom senso da pessoa. (Provérbios 28:26) Sejam quais forem os meios, internet ou qualquer outro, não é sensato ter um relacionamento achegado com uma pessoa sobre quem se sabe muito pouco. — 1 Coríntios 15:33.

10. De que maneira os cristãos solteiros podem receber encorajamento de seus companheiros cristãos?

10 Jeová tem ‘mui terna afeição’ pelos seus servos. (Tiago 5:11) Ele se dá conta de que alguns cristãos permanecem solteiros não por escolha própria, e que isso traz desafios que às vezes podem ser desanimadores. Por isso, ele preza muito a lealdade desses servos. Como eles podem ser encorajados? Devemos sempre elogiá-los pela obediência e espírito abnegados que demonstram. (Juízes 11:39, 40) Podemos também incluí-los em nossos programas de associação edificante. Você fez isso recentemente? Outra coisa que podemos fazer é orar por eles, pedindo a Jeová que os ajude a manter o equilíbrio espiritual e que encontrem alegria em servi-lo. Por nos preocuparmos sinceramente com eles, vamos demonstrar que prezamos esses irmãos e irmãs leais, assim como Jeová os preza. — Salmo 37:28.

 Lidar com problemas de saúde

11. Que desafios enfrentam os que têm graves problemas de saúde?

11 É realmente muito estressante quando nós ou alguém que amamos tem um grave problema de saúde. (Isaías 38:1-3) Embora procuremos encontrar um tratamento eficaz, é fundamental seguir os princípios bíblicos. Por exemplo, os cristãos tomam cuidado para obedecer à ordem bíblica de abster-se de sangue, e evitam qualquer diagnóstico ou procedimento terapêutico que esteja relacionado com o espiritismo. (Atos 15:28, 29; Gálatas 5:19-21) Mas pode ser confuso e assustador para alguém, com pouco conhecimento médico, ter de avaliar as opções de tratamento. O que pode nos ajudar a manter inteiramente os nossos sentidos?

12. Como o cristão pode manter o equilíbrio ao considerar opções de tratamento médico?

12 “O argucioso considera os seus passos” por pesquisar a Bíblia e publicações bíblicas. (Provérbios 14:15) Em regiões onde há poucos médicos e poucos hospitais, a medicina popular, que usa medicamentos à base de ervas, pode ser a única opção de tratamento. Se estivermos pensando em optar por esse tipo de tratamento, podemos analisar informações úteis em A Sentinela de 15 de abril de 1987, páginas 26-9, onde encontraremos alertas para perigos em potencial. Por exemplo, talvez tenhamos de descobrir informações sobre os seguintes aspectos: A pessoa que administra o tratamento é conhecida por ter envolvimento com o espiritismo? O tratamento baseia-se na crença de que a doença e a morte são causadas por deuses (ou espíritos dos ancestrais) ofendidos ou por inimigos que usam a feitiçaria? A preparação ou o uso de medicamentos envolvem sacrifícios, encantamentos ou outros rituais espíritas? (Deuteronômio 18:10-12) Essa pesquisa vai nos ajudar a acatar o conselho inspirado: “Certificai-vos de todas as coisas; apegai-vos ao que é excelente.” * (1 Tessalonicenses 5:21) Isso vai nos ajudar a manter o equilíbrio.

13, 14. (a) Como podemos demonstrar razoabilidade ao cuidar da saúde física? (b) Por que é preciso ter razoabilidade ao conversar com outros sobre saúde e tratamentos médicos?

13 É necessário ter razoabilidade em todos os campos da vida, incluindo o cuidado com a saúde física. (Filipenses 4:5) Dar atenção equilibrada à saúde mostra que temos apreço pelo precioso dom da vida. Quando surgem problemas de saúde, precisamos dar-lhes atenção. No entanto, a saúde perfeita só será possível quando chegar o tempo de Deus “para a cura das nações”. (Revelação [Apocalipse] 22:1, 2) Precisamos nos precaver contra a preocupação excessiva com a saúde física, pois isso pode nos levar a deixar de lado as nossas necessidades espirituais. — Mateus 5:3; Filipenses 1:10.

14 Precisamos também mostrar equilíbrio e razoabilidade ao conversar com outros sobre saúde e tratamentos médicos. Esses assuntos não devem dominar nossas conversas quando estamos reunidos com objetivos espirituais em reuniões e em assembléias cristãs. Além disso, as decisões sobre tratamentos médicos geralmente envolvem princípios bíblicos, a consciência da pessoa e seu relacionamento com Jeová. Portanto, seria desamoroso tentar impor nossos conceitos a outro cristão ou pressioná-lo a ignorar os ditames da sua consciência. Embora se possa  pedir ajuda de cristãos maduros na congregação, cada um precisa ‘levar a sua própria carga’ de responsabilidade ao tomar decisões, e “cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus”. — Gálatas 6:5; Romanos 14:12, 22, 23.

Sob circunstâncias estressantes

15. De que forma podem as circunstâncias estressantes ser um desafio?

15 Circunstâncias estressantes podem fazer com que os servos leais de Jeová falem ou ajam de maneira insensata. (Eclesiastes 7:7) Quando estava sob dura provação, Jó ficou um pouco desequilibrado e foi preciso que Jeová corrigisse seu modo de pensar. (Jó 35:2, 3; 40:6-8) Embora ‘Moisés fosse em muito o mais manso de todos os homens na superfície do solo’, certa vez ele ficou irritado e falou irrefletidamente. (Números 12:3; 20:7-12; Salmo 106:32, 33) Davi havia demonstrado um notável autodomínio por não golpear o Rei Saul, mas quando Nabal o insultou e ofendeu seus homens, Davi ficou furioso e perdeu o discernimento. Ele só recobrou o bom senso quando Abigail interveio e impediu, por pouco, que ele cometesse um erro calamitoso. — 1 Samuel 24:2-7; 25:9-13, 32, 33.

16. O que nos ajudará a não agir de modo impetuoso?

16 Nós também poderemos enfrentar situações estressantes que talvez nos façam agir com falta de bom senso. Avaliar opiniões diferentes, assim como fez Davi, nos ajuda a evitar agir de modo impetuoso e apressar-nos para o pecado. (Provérbios 19:2) Além disso, a Palavra de Deus nos adverte: “Ficai agitados, mas não pequeis. Falai no vosso coração, na vossa cama, e ficai quietos.” (Salmo 4:4) Sempre que possível, é sensato esperar até ficarmos calmos antes de agir ou tomar decisões. (Provérbios 14:17, 29) Podemos orar fervorosamente, “e a paz de Deus, que excede todo pensamento, guardará os vossos corações e as vossas faculdades mentais por meio de Cristo Jesus”. (Filipenses 4:6, 7) Essa paz divina vai nos acalmar e nos ajudar a manter inteiramente os nossos sentidos.

17. Por que precisamos confiar em Jeová para manter inteiramente os nossos sentidos?

17 Apesar de nossos melhores esforços para evitar os perigos e para agir de maneira sensata, todos nós cometemos erros. (Tiago 3:2) Talvez estejamos prestes a dar um passo que poderia nos trazer a ruína, e ainda assim não nos damos conta disso. (Salmo 19:12, 13) Mais do que isso, visto sermos criaturas humanas, não temos nem habilidade nem o direito de dirigir nosso próprio passo sem levar Jeová em conta. (Jeremias 10:23) Somos gratos de que ele nos garante: “Eu te farei ter perspicácia e te instruirei no caminho em que deves andar. Vou dar conselho com o meu olho fixo em ti.” (Salmo 32:8) De fato, com a ajuda de Jeová, conseguiremos manter inteiramente os nossos sentidos.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 5 Para mais informações sobre acordos comerciais por escrito, veja A Sentinela de 1.° de agosto de 1997, páginas 30-1; 15 de novembro de 1986, páginas 16-17 e a Despertai! de 8 de agosto de 1983, páginas 13-15, publicadas pelas Testemunhas de Jeová.

^ parágrafo 12 Essa análise também beneficiará os que estão avaliando métodos de tratamento alternativos controversiais para alguma doença.

Qual é sua resposta?

Como podemos manter os nossos sentidos . . .

• quando alguém nos faz uma proposta de negócios?

• quando procuramos um cônjuge?

• quando enfrentamos problemas de saúde?

• quando estivermos sob circunstâncias estressantes?

[Perguntas de Estudo]

[Quadro na página 25]

É confiável?

Algumas páginas da internet destinadas a pessoas solteiras usam as seguintes frases para se isentar de qualquer responsabilidade:

“Apesar de nossos melhores esforços, não há garantias de que as pessoas revelem sua verdadeira identidade.”

“Não garantimos a exatidão, a integridade nem a utilidade de qualquer informação destes serviços.”

“Opiniões, conselhos, declarações, ofertas ou qualquer outra informação ou conteúdo tornados disponíveis aqui são de autoria de seus idealizadores . . . e não são necessariamente confiáveis.”

[Foto na página 23]

“O argucioso considera os seus passos”

[Fotos nas páginas 24, 25]

De que forma as mulheres cristãs podem imitar a sulamita?

[Foto na página 26]

“Certificai-vos de todas as coisas; apegai-vos ao que é excelente”