Pular para conteúdo

Pular para sumário

“Testemunho a todas as nações”

“Testemunho a todas as nações”

 “Testemunho a todas as nações”

“Sereis testemunhas de mim . . . até à parte mais distante da terra.” — ATOS 1:8.

1. Quando e onde os discípulos escutaram pela primeira vez a profecia registrada em Mateus 24:14?

AS PALAVRAS de Jesus registradas em Mateus 24:14 já são tão familiares que muitos de nós as sabemos de cor. E, de fato, essa é uma profecia notável. Imagine o que os discípulos devem ter pensado quando a ouviram pela primeira vez! Era o ano 33 EC. Os discípulos já acompanhavam Jesus por quase três anos e, naquela ocasião, eles tinham ido a Jerusalém com ele. Tinham visto seus milagres e ouvido seus ensinos. Embora tenham gostado muito das verdades preciosas que Jesus os havia ensinado, seus discípulos estavam cientes de que nem todos sentiam a mesma coisa que eles. Jesus tinha inimigos poderosos e influentes.

2. Que perigos e desafios os discípulos enfrentariam?

2 No monte das Oliveiras, quatro discípulos se sentaram com Jesus e escutaram com muita atenção o que ele lhes falava sobre os perigos e desafios que teriam de enfrentar no futuro. Algum tempo antes, Jesus lhes disse que ele seria morto. (Mateus 16:21) Então, ele lhes deixou bem claro que eles também enfrentariam ferrenha oposição. “Então vos entregarão a tribulação e vos matarão”, disse ele. “E sereis pessoas odiadas por todas as nações, por causa do meu nome.” E isso não era tudo. Falsos profetas desencaminhariam a muitos. Alguns tropeçariam, trairiam e odiariam uns aos outros. Muitos, de fato a “maioria”, permitiriam que seu amor por Deus e por sua Palavra esfriasse. — Mateus 24:9-12.

3. Por que são, de fato, surpreendentes as palavras de Jesus registradas em Mateus 24:14?

3 Foi depois de mencionar essas circunstâncias difíceis que Jesus fez uma declaração que deve ter feito com que os discípulos se maravilhassem. Ele disse: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) De fato, a obra que Jesus começou em Israel — de “dar testemunho da verdade” — continuaria até ter proporções globais. (João 18:37) Que profecia surpreendente! Ampliar essa obra até que atingisse “todas as nações” seria desafiador, e para conseguir isso, tendo de enfrentar o ‘ódio de todas as nações’, seria necessário um milagre. A realização dessa imensa tarefa magnificaria não só a supremacia e o poder de Jeová, mas também seu amor, misericórdia e paciência. Além disso, daria aos seus servos a oportunidade de demonstrar fé e devoção a ele.

4. A quem foi dito que deveriam realizar a obra de testemunho, e que encorajamento Jesus deu?

4 Jesus deixou claro a seus discípulos que tinham uma importantíssima obra a fazer. Antes de subir aos céus, Jesus apareceu a eles e disse: “Ao chegar sobre vós o espírito santo, recebereis poder e sereis testemunhas de mim tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até à parte mais distante da terra.” (Atos 1:8) É claro que outros se juntariam a eles nessa obra. Ainda assim, os discípulos eram poucos. Como deve ter sido encorajador saber que o poderoso espírito santo de Deus os habilitaria a cumprir essa designação divina!

5. O que os discípulos não sabiam sobre a obra de testemunho?

5 Os discípulos sabiam que tinham de pregar as boas novas e fazer “discípulos de pessoas  de todas as nações”. (Mateus 28:19, 20) Mas não sabiam até que ponto o testemunho seria dado, nem quando o fim viria. Nós também não. Essas são questões que cabe apenas a Jeová decidir. (Mateus 24:36) Quando Jeová estiver satisfeito com a abrangência que o testemunho assumir, ele vai acabar com este sistema perverso. Somente então os cristãos perceberão que a pregação atingiu a magnitude que Jeová intencionara. Aqueles primeiros discípulos dificilmente teriam imaginado a grandeza do testemunho que seria dado nesta época do fim.

O testemunho no primeiro século

6. O que aconteceu no Pentecostes de 33 EC, e pouco depois?

6 No primeiro século, a obra de pregar o Reino e fazer discípulos teve um enorme resultado. No dia de Pentecostes, em 33 EC, cerca de 120 discípulos estavam reunidos numa sala de sobrado, em Jerusalém. O espírito santo de Deus foi derramado sobre eles e o apóstolo Pedro fez um discurso motivador, explicando o significado daquele milagre. Cerca de 3 mil pessoas tornaram-se crentes e foram batizadas. Isso era apenas o começo. Embora os líderes religiosos tivessem tentado parar a pregação das boas novas, “Jeová continuava a ajuntar-lhes [aos discípulos] diariamente os que estavam sendo salvos”. Em pouco tempo, “o número dos homens chegou a cerca de cinco mil”. Depois disso, “os crentes no Senhor continuavam a ser acrescidos, multidões deles, tanto de homens como de mulheres”. — Atos 2:1-4, 8, 14, 41, 47; 4:4; 5:14.

7. Por que a conversão de Cornélio foi um marco?

7 Houve outro marco no ano 36 EC: a conversão e o batismo de Cornélio, um gentio. Ao direcionar o apóstolo Pedro a esse homem piedoso, Jeová indicou que a ordem de Jesus de ‘fazer discípulos de pessoas de todas as nações’ não se limitava aos judeus que moravam em outras terras. (Atos 10:44, 45) Qual foi a reação dos que estavam na liderança? Quando discerniram que as boas novas deveriam ser levadas às pessoas de outras nações — não-judeus —, os apóstolos e os homens mais idosos glorificaram a Deus. (Atos 11:1, 18) Enquanto isso, a obra de pregação continuava dando frutos entre os judeus. Alguns anos depois, por volta de 58 EC, além dos crentes gentios, havia “milhares de crentes [judeus]”. — Atos 21:20.

8. De que forma as boas novas afetam as pessoas?

8 Embora seja impressionante o crescimento numérico entre os cristãos do primeiro século, nunca devemos nos esquecer de que por trás desses números estavam vidas de pessoas reais. A mensagem bíblica que ouviram era poderosa. (Hebreus 4:12) Transformou drasticamente o modo de viver dos que a aceitaram. As pessoas limparam a vida, revestiram-se da nova personalidade e reconciliaram-se com Deus. (Efésios 4:22, 23) Acontece o mesmo hoje em dia. Os que aceitam as boas novas  têm a perspectiva maravilhosa de viver para sempre. — João 3:16.

Colaboradores de Deus

9. Que privilégio e responsabilidade os primeiros cristãos reconheciam que tinham?

9 Os primeiros cristãos não atribuíram a si mesmos o mérito pela realização da obra. Reconheciam que seu trabalho como ministros tinha o apoio do ‘poder do espírito santo’. (Romanos 15:13, 19) Jeová era o responsável pelo crescimento espiritual. Ao mesmo tempo, aqueles cristãos sabiam que tinham o privilégio e a responsabilidade de serem “colaboradores de Deus”. (1 Coríntios 3:6-9) Conseqüentemente, em harmonia com o conselho de Jesus, eles se esforçavam vigorosamente na obra que lhes havia sido designada. — Lucas 13:24.

10. Que empenho fizeram alguns dos primeiros cristãos para dar testemunho a todas as nações?

10 Na qualidade de “apóstolo para as nações”, Paulo viajou milhares de quilômetros, por terra e por mar, estabelecendo diversas congregações na província romana da Ásia e na Grécia. (Romanos 11:13) Ele também viajou para Roma e provavelmente até para a Espanha. Enquanto isso, o apóstolo Pedro, que tinha a responsabilidade de pregar ‘as boas novas para os circuncisos’, viajou em outra direção: Babilônia, um importante centro do judaísmo naquela época. (Gálatas 2:7-9; 1 Pedro 5:13) Entre os muitos que colaboraram na obra do Senhor estavam mulheres como Trifena e Trifosa. Tem-se o relato de ainda outra mulher, Pérside, que “realizou muitos labores no Senhor”. — Romanos 16:12.

11. Como Jeová abençoou os esforços dos discípulos?

11 Jeová abençoou ricamente os esforços daqueles e de outros trabalhadores zelosos. Menos de 30 anos depois de Jesus ter predito que haveria um testemunho para todas as nações, Paulo escreveu que as “boas novas” haviam sido “pregadas em toda a criação debaixo do céu”. (Colossenses 1:23) Será que depois veio o fim? Em certo sentido, sim. O fim veio para o sistema judaico no ano 70 EC, quando o exército romano destruiu Jerusalém e o templo. No entanto, Jeová havia determinado que um testemunho bem maior seria dado antes que ele destruísse o sistema mundial de Satanás.

O testemunho dado hoje

12. De que forma os Estudantes da Bíblia entenderam a ordem de pregar?

12 Durante a segunda metade do século 19, a adoração pura foi restabelecida depois de um longo período de apostasia. Os Estudantes da Bíblia, como eram então conhecidas as Testemunhas de Jeová, compreenderam muito bem a ordem de fazer discípulos em toda a Terra. (Mateus 28:19, 20) Por volta de 1914, havia cerca de 5.100 pessoas participando na pregação, e as boas novas estavam sendo pregadas em 68 países. No entanto, aqueles Estudantes da Bíblia não compreenderam o pleno significado de Mateus 24:14. No final do século 19, sociedades bíblicas haviam traduzido a Bíblia, que contém as boas novas  — ou evangelho —, em diversos idiomas e a distribuíram no mundo todo. Portanto, durante algumas décadas, os Estudantes da Bíblia concluíram que um testemunho a todas as nações já tinha sido dado.

13, 14. Que entendimento mais claro da vontade e do propósito de Deus foi apresentado em um número de A Torre de Vigia, em 1928?

13 Jeová deu gradualmente a seu povo um entendimento mais claro da sua vontade e de seu propósito. (Provérbios 4:18) A Torre de Vigia (agora A Sentinela), de 1.° de dezembro de 1928, disse: “Podemos dizer que [a] tiragem da Bíblia realizou a predita pregação do evangelho do reino? É claro que não! Apesar da distribuição da Bíblia, ainda faz-se necessário que o pequeno destacamento de testemunhas de Deus na Terra imprima publicações explicando o [propósito] de Deus e que visitem os lares onde essas Bíblias foram parar. Se isso não for feito, o povo ficará na ignorância sobre o estabelecimento do governo messiânico para os nossos dias.”

14 Aquele número de A Torre de Vigia declarou ainda: “Em 1920, . . . os Estudantes da Bíblia passaram a entender corretamente a profecia do nosso Senhor, registrada em Mateus 24:14. Eles perceberam que ‘esse evangelho’, que devia ser pregado em todo o mundo para os gentios ou todas as nações, não era um evangelho de um reino que ainda viria, mas um evangelho que anuncia basicamente que o Rei messiânico começou o seu reinado em toda a Terra.”

15. Como a obra vem se expandindo desde 1920?

15 Aquele “pequeno destacamento de testemunhas” em 1920 cresceu. Nas décadas seguintes, identificou-se “uma grande multidão” de “outras ovelhas” que começaram a ser ajuntadas. (Revelação [Apocalipse] 7:9; João 10:16) Há hoje 6.613.829 proclamadores das boas novas em 235 países. Que cumprimento maravilhoso de profecias! “Estas boas novas do reino” nunca tinham sido pregadas tão difusamente. Nunca houve tantos servos fiéis de Jeová na Terra.

16. O que se realizou no último ano de serviço? (Veja a tabela nas páginas 27-30.)

16 Essa vasta multidão de Testemunhas juntas esteve ocupada no ano de serviço de 2005. Gastaram-se mais de 1 bilhão de horas proclamando as boas novas em 235 países. Milhões de revisitas foram feitas e milhões de estudos bíblicos foram dirigidos. Toda essa obra vem sendo realizada pelas Testemunhas de Jeová, que dispuseram de seu tempo e recursos para partilhar a Palavra de Deus com outras pessoas. (Mateus 10:8) Por meio de seu poderoso espírito santo, Jeová continua habilitando seus servos para fazer a sua vontade. — Zacarias 4:6.

Trabalho árduo na obra de testemunho

17. De que forma o povo de Jeová está reagindo às palavras de Jesus quanto a pregar as boas novas?

17 Embora se tenham passado quase 2 mil anos desde que Jesus disse que as boas novas seriam pregadas, o zelo que o povo de  Deus tem pelo trabalho não diminuiu. Sabemos que pela perseverança em fazer o que é excelente, refletimos as qualidades de Jeová como amor, misericórdia e paciência. Assim como ele, não queremos que ninguém seja destruído, mas que as pessoas se arrependam e sejam reconciliadas com Jeová. (2 Coríntios 5:18-20; 2 Pedro 3:9) Fervorosas por causa do espírito de Deus, as Testemunhas de Jeová continuam proclamando zelosamente as boas novas até a parte mais distante da Terra. (Romanos 12:11) Em resultado, as pessoas em todos os lugares estão aceitando a verdade e se amoldando à amorosa orientação de Jeová. Veja alguns exemplos.

18, 19. Quais alguns casos de pessoas que reagiram favoravelmente às boas novas?

18 Charles era um agricultor no oeste do Quênia. Ele vendeu em 1998 mais de 8 toneladas de tabaco e recebeu o certificado de Melhor Produtor de Tabaco. Ele começou a estudar a Bíblia naquela ocasião. Logo percebeu que quem se envolvia na produção de tabaco violava a ordem de Jesus de amar o próximo. (Mateus 22:39) Depois de chegar à conclusão de que ‘o melhor produtor de tabaco’ na verdade era ‘o melhor assassino’, Charles jogou veneno na plantação. Ele progrediu a ponto de se dedicar e se batizar, e agora é um pioneiro regular e servo ministerial.

19 Não há dúvida de que Jeová está fazendo as nações tremerem por meio do testemunho global, fazendo as coisas desejáveis — as pessoas — se achegarem. (Ageu 2:7) Pedro, que mora em Portugal, entrou para um seminário quando tinha 13 anos. Seu alvo era se tornar missionário e ensinar a Bíblia. Mas, pouco tempo depois, ele abandonou o seminário porque achava que a Bíblia quase não era estudada nas aulas. Seis anos depois, ele estava estudando psicologia numa universidade em Lisboa. Ele morava com sua tia, uma Testemunha de Jeová, que o incentivou a estudar a Bíblia. A essa altura, Pedro já não estava tão certo da existência de Deus, nem se aceitaria estudar a Bíblia. Ele conversou com o professor de psicologia sobre o assunto da indecisão. O professor lhe disse que a psicologia ensina que quem não consegue tomar decisões tem a tendência de ser autodestrutivo. Com isso, Pedro resolveu estudar a Bíblia. Ele foi batizado há pouco tempo e agora está dando estudos bíblicos.

20. Por que podemos nos alegrar de que está sendo dado às nações um testemunho em larga escala?

20 Ainda não sabemos até que ponto o testemunho será dado às nações, nem o dia e a hora em que o fim virá. Sabemos apenas que será em breve. Alegramo-nos de que a pregação das boas novas em larga escala é apenas um dos vários indícios de que está próximo o tempo para o Reino de Deus substituir os governos humanos. (Daniel 2:44) Todos os anos, dá-se a milhões de pessoas a oportunidade de reagir favoravelmente às boas novas, e isso glorifica nosso Deus, Jeová. Seja a nossa determinação continuar fiel e, junto com nossos irmãos no mundo todo, manter-nos ocupados na obra de dar testemunho a todas as nações. Se fizermos isso, salvaremos tanto a nós como aqueles que nos escutam. — 1 Timóteo 4:16.

Lembra-se?

• Por que Mateus 24:14 é uma profecia notável?

• Que empenho fizeram os primeiros cristãos na pregação, e com que resultado?

• De que forma os Estudantes da Bíblia passaram a compreender a necessidade de dar testemunho a todas as nações?

• Ao analisar as atividades do povo de Jeová no último ano de serviço, o que mais lhe chama a atenção?

[Perguntas de Estudo]

 [Tabela nas páginas 27-30]

RELATÓRIO MUNDIAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ DO ANO DE SERVIÇO DE 2005

 (Veja o volume encadernado)

[Mapa/Fotos na página 25]

Paulo viajou milhares de quilômetros, por terra e por mar, para pregar as boas novas

[Foto na página 24]

Jeová orientou Pedro a dar testemunho a Cornélio e a seus familiares