Pular para conteúdo

Pular para sumário

O que significa para você a esperança da ressurreição?

O que significa para você a esperança da ressurreição?

 O que significa para você a esperança da ressurreição?

“Abres a tua mão e satisfazes o desejo de toda coisa vivente.” — SALMO 145:16.

1-3. Que esperança alguns têm para o futuro? Ilustre isso.

CHRISTOPHER, de nove anos, e seu irmão haviam passado a manhã com os tios e dois primos, fazendo visitas de casa em casa no seu ministério cristão, perto de Manchester, Inglaterra. Despertai!, nossa revista associada, explicou o que aconteceu: “De tarde, partiram numa viagem de recreio a Blackpool, um local próximo de veraneio, à beira-mar. Os seis achavam-se entre as 12 pessoas que tiveram morte instantânea num acidente rodoviário, descrito pela polícia como ‘um holocausto total’.”

2 Na noite anterior à tragédia, a família havia assistido ao Estudo de Livro de Congregação, e o assunto em consideração era morte. “Christopher sempre foi um menino que refletia muito”, contou o pai. “Naquela noite, ele falou claramente sobre um novo mundo e sobre sua esperança para o futuro. Daí, ao prosseguir nossa conversa, Christopher disse subitamente: ‘O bom de se ser Testemunha de Jeová é que, sofremos sim com a morte, mas sabemos que, um dia, nós nos veremos de novo na Terra.’ Nenhum de nós, ali presentes, podia imaginar quão memoráveis iriam tornar-se aquelas palavras.” *

3 Anos antes, em 1940, Franz, Testemunha de Jeová austríaca, enfrentou a morte por guilhotina porque se negou a ser desleal a Jeová. Franz escreveu à sua mãe do centro de detenção em Berlim: “Em vista do que eu sabia, se tivesse prestado o juramento [militar], eu teria cometido um pecado que mereceria a morte. Isso seria mau para mim. Eu não teria ressurreição. . . . E agora querida mãe, e todos meus irmãos e irmãs, hoje me informaram da minha sentença, e não fiquem aterrorizados, é a morte, e eu serei executado amanhã de manhã. Minha força vem de Deus, assim como sempre se deu com todos os cristãos verdadeiros no passado. . . . Se continuarem firmes até a morte, nós nos encontraremos de novo na ressurreição. . . . Até que nos encontremos de novo.” *

4. Como os relatos descritos aqui afetam você, e o que vamos analisar a seguir?

4 A esperança da ressurreição era muito importante para Christopher e para Franz. Era real para eles. Esses relatos certamente nos tocam o coração. Para aprofundarmos nosso apreço por Jeová e fortalecer nossa esperança na ressurreição, vejamos por que haverá a ressurreição e como isso deve afetar-nos pessoalmente.

Visão da ressurreição terrestre

5, 6. O que revela a visão registrada pelo apóstolo João em Revelação 20:12, 13?

5 Numa visão do que aconteceria durante o Reinado Milenar de Cristo Jesus, o apóstolo João viu pessoas sendo ressuscitadas na Terra. “Eu vi os mortos, os grandes e os pequenos”, relatou ele. “E o mar entregou os mortos nele, e a morte e o Hades entregaram os mortos neles.”  (Revelação [Apocalipse] 20:12, 13) Não importa a categoria ou posição — quer “grandes” quer “pequenos” —, todos os cativos no Hades (Seol), a sepultura de todos os homens, serão soltos. Os que perderam a vida no mar também retornarão naquela ocasião. Esse acontecimento maravilhoso faz parte do propósito de Jeová.

6 O reinado de mil anos de Cristo começa com a prisão de Satanás e seu lançamento no abismo. Nenhum dos ressuscitados nem qualquer dos sobreviventes da grande tribulação serão desencaminhados por Satanás durante esse reinado, porque ele estará inativo. (Revelação 20:1-⁠3) Mil anos talvez lhe pareça muito tempo, mas, na realidade, Jeová os considera como “um só dia”. — 2 Pedro 3:8.

7. Qual será a base para o julgamento durante o Reinado Milenar de Cristo?

7 Segundo a visão, o Reinado Milenar de Cristo será um tempo de julgamento. O apóstolo João escreveu: “Eu vi os mortos, os grandes e os pequenos, em pé diante do trono, e abriram-se rolos. Mas outro rolo foi aberto; é o rolo da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas escritas nos rolos, segundo as suas ações. . . . E foram julgados individualmente segundo as suas ações.” (Revelação 20:12, 13) Note que a base para o julgamento não é o que a pessoa fez ou deixou de fazer antes de morrer. (Romanos 6:7) Em vez disso, tem a ver com os “rolos” que serão abertos. Os atos da pessoa depois de ficar sabendo do conteúdo dos rolos serão a base para determinar se o nome dela estará escrito no “rolo da vida”.

“Ressurreição de vida” ou “ressurreição de julgamento”

8. Que dois possíveis resultados haverá para os ressuscitados?

8 Um pouco antes na visão de João, Jesus é descrito como tendo “as chaves da morte e do Hades”. (Revelação 1:18) Ele serve como “o Agente Principal da vida” da parte de Jeová, com o poder de julgar “os vivos e os mortos”. (Atos 3:15; 2 Timóteo 4:1) Como ele fará isso? Trazendo de volta à vida os adormecidos na morte. “Não vos maravilheis disso”, falou Jesus à multidão à qual pregava, “porque vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz e sairão”. Depois acrescentou: “Os que fizeram boas coisas, para uma ressurreição de vida, os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento.” (João 5:28-30) Portanto, que futuro aguarda os homens e mulheres fiéis da antiguidade?

9. (a) Ao ressuscitarem, o que muitos aprenderão? (b) Que enorme obra educativa haverá?

9 Quando ressuscitarem, esses antigos fiéis logo descobrirão que as promessas em que confiavam se tornaram realidade. Com certeza vão querer saber mais sobre a identidade do Descendente da mulher de Deus, mencionado na primeira profecia da Bíblia, em Gênesis 3:15. Como vão ficar felizes ao ouvir que Jesus, o prometido Messias, mostrou-se fiel até a morte, dando assim a sua vida como sacrifício de resgate! (Mateus 20:28) Os que os acolherão de volta à vida terão muita alegria em ajudá-los a entender que essa provisão de resgate é uma expressão da benignidade imerecida e da misericórdia de Jeová. Quando os ressuscitados descobrirem o que o Reino de Deus está fazendo para cumprir o propósito de Jeová para com a Terra, o coração deles, sem dúvida, transbordará com expressões de louvor a Jeová. Terão plena oportunidade de demonstrar seu apego ao amoroso Pai celestial e a seu Filho. Todos os vivos terão prazer em participar na ampla obra educativa de ensinar os bilhões de pessoas que voltarão da sepultura, os quais também terão de aceitar a provisão de resgate de Deus.

10, 11. (a) O Milênio oferecerá que oportunidade a todos os que estiverem na Terra? (b) De que maneira isso nos deve influenciar?

10 O ressuscitado Abraão ficará muito feliz  ao ver a realidade da vida sob o governo daquela “cidade” que ele tanto aguardava. (Hebreus 11:10) Quanta emoção o fiel Jó terá ao ficar sabendo que seu proceder na vida fortaleceu outros servos de Jeová que se confrontaram com provas de integridade! E Daniel desejará saber a respeito do cumprimento das profecias que foi inspirado a escrever.

11 De fato, os que obtiverem a vida no novo mundo justo, quer pela ressurreição quer pela sobrevivência à grande tribulação, terão de aprender muito sobre o propósito de Jeová para com a Terra e seus habitantes. A perspectiva de viver para sempre e de louvar a Jeová por toda a eternidade certamente fará com que o programa milenar de educação seja uma verdadeira satisfação. No entanto, o mais importante será aquilo que cada um fizer depois de ficar sabendo do conteúdo dos rolos. Será que vamos aplicar o que aprendermos? Vamos meditar e tomar a peito a informação vital que nos fortalecerá para resistir ao ataque final de Satanás de desviar-nos da verdade?

12. O que ajudará a todos terem plena participação tanto na obra educativa como na transformação da Terra num paraíso?

12 As maravilhosas bênçãos resultantes da aplicação dos benefícios do sacrifício resgatador de Cristo não devem ser esquecidas. Os então ressuscitados não terão as doenças ou incapacidades que existem atualmente. (Isaías 33:24) O corpo sadio e a perspectiva de saúde perfeita permitirão que todos os habitantes do novo mundo participem plenamente na obra educativa de orientar os bilhões de ressuscitados para o caminho da vida. Esses habitantes participarão também no maior empreendimento jamais conseguido — o de transformar toda a Terra num paraíso para o louvor de Jeová.

13, 14. Qual é o objetivo de Satanás ser solto na prova final, e qual será o possível resultado para cada um de nós?

13 Quando Satanás for solto do abismo para a prova final, ele procurará desencaminhar os humanos outra vez. De acordo com Revelação 20:7-⁠9, todas as ‘nações desencaminhadas’, ou grupos de pessoas que aceitarem a influência perversa de Satanás, serão julgados e destruídos: ‘Descerá fogo do céu e os devorará.’ Para os que ressuscitaram durante o Milênio, essa destruição significará que sua ressurreição foi de julgamento condenatório. Em contraste, os ressuscitados que mantiverem a integridade receberão a dádiva da vida eterna. Com certeza, a deles será “uma ressurreição de vida”. — João 5:29.

14 Como a esperança da ressurreição pode nos consolar agora? Ainda mais importante, o que temos de fazer para ter a garantia de que receberemos seus benefícios no futuro?

Lições que podemos aprender agora

15. Como a crença na ressurreição pode ser de ajuda agora?

15 Talvez tenha perdido há pouco tempo alguém querido na morte e pode ser que esteja tentando se adaptar a essa grande perda. A esperança da ressurreição lhe ajuda a obter tranqüilidade e força interior, desconhecidas daqueles que não têm a verdade. “Não queremos que sejais ignorantes no que se refere aos que estão dormindo na morte”, consolou Paulo aos tessalonicenses, “para que não estejais pesarosos como os demais que não têm esperança”. (1 Tessalonicenses 4:13) Consegue imaginar-se no novo mundo vendo a ressurreição? Console-se agora meditando na perspectiva de se reencontrar com as pessoas a quem você ama.

16. O que você talvez sinta quando acontecer a ressurreição?

16 Pode ser que você esteja sentindo na pele as conseqüências da rebelião de Adão, talvez na forma duma doença. Não permita que a aflição por causa da doença o faça esquecer a perspectiva alegre de ser ressuscitado  com saúde e vigor no novo mundo. Quando seus olhos se abrirem, você será bem recebido por pessoas que querem compartilhar com você a alegria da sua ressurreição. Então, certamente não deixará de agradecer a Deus pela sua benignidade.

17, 18. Que duas lições importantes devemos tomar a peito?

17 No ínterim, considere duas lições que devemos tomar a peito. Uma é a importância de servir de toda a alma a Jeová desde já. Imitando nosso Amo, Cristo Jesus, nossa vida abnegada demonstra que amamos a Jeová e ao próximo. Se alguma oposição ou perseguição nos priva do sustento ou da liberdade, decidimos continuar firmes na fé independentemente das provas com as quais nos confrontemos. Se opositores nos ameaçarem de morte, então a esperança da ressurreição nos consola e fortalece para continuarmos sendo leais a Jeová e ao seu Reino. De fato, nosso zelo na pregação do Reino e na obra de fazer discípulos nos dá a perspectiva de ter as bênçãos eternas que Jeová reserva para os justos.

18 Uma segunda lição tem a ver com a maneira de lidarmos com tentações da carne decaída. Conhecermos a esperança da ressurreição e nosso apreço pela benignidade imerecida de Jeová fortalecem a determinação de continuarmos firmes na fé. “Não estejais amando nem o mundo, nem as coisas no mundo”, advertiu o apóstolo João. “Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo o que há no mundo — o desejo da carne, e o desejo dos olhos, e a ostentação dos meios de vida da pessoa — não se origina do Pai, mas origina-se do mundo. Outrossim, o mundo está passando, e assim também o seu desejo, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1 João 2:15-17) O atrativo do mundo em forma de materialismo terá pouco efeito sobre nós se o compararmos com a “verdadeira vida”. (1 Timóteo 6:17-19) Quando tentados a cometer imoralidade, resistiremos com firmeza. Temos consciência de que, se tivermos adotado a longo prazo um estilo de vida que desagrada a Jeová e morrermos antes do Armagedom, esse proceder pode  nos colocar na mesma situação daqueles que não têm nenhuma perspectiva de ressurreição.

19. De que inestimável privilégio não devemos nos esquecer?

19 Acima de tudo, nunca devemos nos esquecer do privilégio inestimável de alegrar o coração de Jeová agora e para sempre. (Provérbios 27:11) Quer sejamos fiéis até a morte ou íntegros até o fim deste mundo perverso, vamos mostrar a Jeová do lado de quem estamos na questão da soberania universal. Então, seremos muito felizes vivendo no Paraíso terrestre, quer como sobreviventes à grande tribulação quer como ressuscitados, milagrosamente!

Desejos satisfeitos

20, 21. O que nos ajudará a continuar fiéis, mesmo que ainda haja perguntas sem respostas a respeito da ressurreição? Explique isso.

20 A análise que fizemos da ressurreição deixou algumas perguntas sem resposta. Como Jeová resolverá os assuntos dos que estavam casados quando morreram? (Lucas 20:34, 35) As pessoas serão ressuscitadas no lugar onde morreram? Ao ressuscitarem, elas estarão perto dos familiares? Ainda restam outras perguntas sem respostas a respeito da ressurreição. No entanto, temos de nos lembrar das palavras de Jeremias: “Jeová é bom para com o que espera nele, para com a alma que continua a buscá-lo. É bom que se espere, mesmo silencioso, a salvação da parte de Jeová.” (Lamentações 3:25, 26) No tempo certo de Jeová, tudo nos será revelado para a nossa plena satisfação. Por que podemos ter certeza disso?

21 Pense nas palavras inspiradas do salmista quando, cantando, falou sobre Jeová: “Abres a tua mão e satisfazes o desejo de toda coisa vivente.” (Salmo 145:16) Ao passo que ficamos mais velhos, nossos desejos vão mudando. O que esperávamos quando éramos crianças não é nosso desejo atual. A maneira como encaramos a vida é afetada não só pelo que vivenciamos, mas também pelas nossas esperanças. Ainda assim, todos os desejos corretos que tivermos no novo mundo certamente serão satisfeitos por Jeová.

22. Por que temos bons motivos para louvar a Jeová?

22 O que temos de fazer agora é ser fiéis. “O que se procura nos mordomos é que o homem seja achado fiel.” (1 Coríntios 4:2) Somos mordomos das gloriosas boas novas do Reino de Deus. Nossa diligência na proclamação dessas boas novas a todos com quem entramos em contato nos ajuda a continuar na vereda da vida. Nunca se esqueça de que “o tempo e o imprevisto sobrevêm a todos”. (Eclesiastes 9:11) Para diminuir qualquer ansiedade desnecessária devido às incertezas da vida, apegue-se à gloriosa esperança da ressurreição. Lembre-se de que, se existe a probabilidade de que você morra antes do começo do Reinado Milenar de Cristo, pode consolar-se na certeza de que virá o alívio. No tempo de Jeová, poderá repetir as palavras de Jó, dirigidas ao Criador: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei.” Louvado seja Jeová, que deseja muito trazer de volta à vida todos os que estão na sua memória! — Jó 14:15.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 2 Veja a Despertai! de 8 de julho de 1988, página 10, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

^ parágrafo 3 Testemunhas de Jeová — Proclamadores do Reino de Deus, página 662, publicado pelas Testemunhas de Jeová.

Lembra-se?

• Durante o Milênio, as pessoas serão julgadas à base de quê?

• Por que alguns terão “uma ressurreição de vida” e outros “uma ressurreição de julgamento”?

• Como a esperança da ressurreição pode nos consolar agora?

• Como as palavras do Salmo 145:16 nos ajudam a lidar com perguntas não-respondidas sobre a ressurreição?

[Perguntas de Estudo]

[Fotos na página 21]

Como crer na ressurreição pode ajudar-nos agora?