Pular para conteúdo

Pular para sumário

Deixe a Palavra de Deus iluminar a sua senda

Deixe a Palavra de Deus iluminar a sua senda

 Deixe a Palavra de Deus iluminar a sua senda

‘A sua palavra é luz para a minha senda.’ — SALMO 119:105.

1, 2. A palavra de Jeová vai iluminar nossa senda apenas sob que condições?

A PALAVRA de Jeová só vai iluminar nossa senda, ou caminho, se permitirmos que isso aconteça. Se quisermos receber essa luz espiritual, teremos de ser estudantes diligentes da Palavra escrita de Deus e aplicar seu conselho. Só assim poderemos ter os mesmos sentimentos do salmista: “Lâmpada para o meu pé é a tua palavra e luz para a minha senda.” — Salmo 119:105.

2 Analisaremos agora o Salmo 119:89-176. Que riqueza de informações há nesses versículos, distribuídos em 11 estrofes! Eles podem ajudar-nos a continuar na estrada da vida eterna. — Mateus 7:13, 14.

Por que é preciso gostar da palavra de Deus?

3. Como o Salmo 119:89, 90 mostra que podemos confiar na palavra de Deus?

3 Gostar da palavra de Jeová dá estabilidade espiritual. (Salmo 119:89-96) Em canto, o salmista expressou: “Por tempo indefinido, ó Jeová, tua palavra está posta nos céus. . . . Estabeleceste solidamente a terra para  que continuasse firme.” (Salmo 119:89, 90) Pela palavra de Deus — seus “estatutos dos céus” — os corpos celestes se locomovem com perfeição nas suas órbitas, e a Terra está estabelecida solidamente para todo o sempre. (Jó 38:31-33; Salmo 104:5) Podemos confiar em cada palavra que Jeová fala; o que Deus diz terá “êxito certo” no cumprimento do seu propósito. — Isaías 55:8-11.

4. Gostar da palavra de Deus traz que benefícios para seus servos que passam por tribulações?

4 O salmista teria ‘perecido na sua tribulação se não tivesse gostado da lei de Deus’. (Salmo 119:92) Não eram estrangeiros que o perseguiam; eram israelitas infratores da lei que o odiavam. (Levítico 19:17) Mas não era isso que o oprimia, porque ele amava a lei de Deus que o amparava. Em Corinto, o apóstolo Paulo esteve “em perigos entre falsos irmãos”, entre eles talvez os “superfinos apóstolos”, que procuravam acusá-lo. (2 Coríntios 11:5, 12-14, 26) No entanto, Paulo sobreviveu espiritualmente porque gostava da palavra de Deus. Visto que gostamos da Palavra escrita de Jeová e aplicamos o que ela diz, nós amamos nossos irmãos. (1 João 3:15) Nem mesmo o ódio do mundo nos faz esquecer as instruções de Deus. Continuamos a fazer sua vontade em amorosa união com nossos irmãos, aguardando prestar serviço alegre a Jeová por toda a eternidade. — Salmo 119:93.

5. De que forma o Rei Asa procurou a Jeová?

5 Ao demonstrar nossa devoção a Jeová, podemos orar: “Sou teu. Oh! salva-me, porque tenho buscado as tuas próprias ordens.” (Salmo 119:94) O Rei Asa procurava a Deus e eliminou a apostasia em Judá. Numa grande assembléia no 15.° ano do reinado de Asa (963 AEC), os habitantes de Judá “entraram num pacto para buscar a Jeová”, que “se deixou achar por eles” e “continuou a dar-lhes descanso em todo o redor”. (2 Crônicas 15:10-15) Esse exemplo deve servir de incentivo a todos os que se afastaram da congregação cristã a buscar novamente a Deus. Ele vai abençoar e proteger os que começarem de novo a se associar de maneira ativa com seu povo.

6. Que proceder devemos adotar se quisermos nos proteger da ruína espiritual?

6 A palavra de Jeová nos confere sabedoria que nos pode proteger da ruína espiritual. (Salmo 119:97-104) Os mandamentos de Deus nos tornam mais sábios do que nossos inimigos. Acatarmos suas advertências nos dá perspicácia, e ‘observarmos suas ordens faz com que nos comportemos com mais entendimento do que homens mais idosos’. (Salmo 119:98-100) Se as declarações de Jeová forem mais ‘suaves para o nosso paladar do que o mel para a nossa boca’, odiaremos e evitaremos “toda vereda falsa”. (Salmo 119:103, 104) Isso servirá de proteção contra a ruína espiritual à medida que encontrarmos pessoas orgulhosas, furiosas e ímpias nestes últimos dias. — 2 Timóteo 3:1-5.

Lâmpada para o pé

7, 8. O que temos de fazer para cumprir o Salmo 119:105?

7 A palavra de Deus é uma fonte constante  de luz espiritual. (Salmo 119:105-112) Quer sejamos cristãos ungidos, quer seus companheiros, os das “outras ovelhas”, declaramos: “Lâmpada para o meu pé é a tua palavra e luz para a minha senda.” (João 10:16; Salmo 119:105) A palavra de Deus é como uma lâmpada que ilumina nosso caminho, para não tropeçarmos e cairmos espiritualmente. (Provérbios 6:23) No entanto, precisamos, em base individual, deixar que a palavra de Jeová seja uma lâmpada para nosso pé.

8 Precisamos ser determinados, assim como o compositor do Salmo 119. Ele estava decidido a não se desviar das ordens de Deus. Ele disse: “Fiz uma declaração juramentada e vou cumpri-la: guardar as tuas decisões judiciais justas.” (Salmo 119:106) Nunca subestimemos o valor do estudo bíblico regular e da participação nas reuniões cristãs.

9, 10. Como sabemos que pessoas dedicadas a Jeová podem ‘afastar-se vagueando das suas ordens’, e como isso pode ser evitado?

9 O salmista não ‘se afastou vagueando das ordens de Deus’, mas isso pode acontecer com alguém dedicado a Jeová. (Salmo 119:110) O Rei Salomão se afastou, embora fosse membro duma nação dedicada a Jeová e tivesse, a princípio, agido em harmonia com a sabedoria dada por Deus. Induzindo-o a adorar deuses falsos, ‘as esposas estrangeiras o fizeram pecar’. — Neemias 13:26; 1 Reis 11:1-6.

10 Satanás, o “passarinheiro”, coloca muitas armadilhas diante de nós. (Salmo 91:3) Por exemplo, um ex-adorador talvez nos induza a nos desviar do caminho da luz espiritual para a escuridão da apostasia. Havia entre os cristãos em Tiatira “aquela mulher Jezabel”, possivelmente um grupo de mulheres que ensinava outros a praticar idolatria e a cometer fornicação. Jesus não tolerou tal maldade. Nós também não devemos. (Revelação [Apocalipse] 2:18-22; Judas 3, 4) Portanto, oremos para que Jeová nos ajude a não nos desviar das suas ordens, mas permanecer na luz divina. — Salmo 119:111, 112.

Amparados pela palavra de Deus

11. Segundo o Salmo 119:119, como Deus considera os iníquos?

11 Se nunca nos afastarmos de seus regulamentos, Deus vai nos amparar. (Salmo 119:113-120) Não aprovamos os “dúbios”, da mesma forma que Jesus não aprova os mornos que hoje professam ser cristãos. (Salmo 119:113; Revelação 3:16) Quando servimos a Jeová de todo o coração ele se torna ‘nosso esconderijo’ e nos ampara. ‘Lançará fora todos os que se transviaram dos seus regulamentos’, porque recorreram à ardileza e à falsidade. (Salmo 119:114, 117, 118; Provérbios 3:32) Ele considera esses iníquos como “escória” — impurezas removidas de metais muito valiosos como prata e ouro. (Salmo 119:119; Provérbios 17:3) Procuremos sempre demonstrar amor pelas advertências de Deus, pois certamente não queremos juntar-nos aos iníquos na escória para a destruição!

12. Por que é importante temermos a Jeová?

12 “De pavor de ti [Jeová] arrepiou-se a minha carne”, disse o salmista. (Salmo 119:120) Se quisermos que ele nos ampare como seus servos, é preciso ter temor salutar de Deus, que se manifesta por evitarmos tudo o que ele desaprova. O temor reverente a Jeová fez com  que Jó levasse uma vida justa. (Jó 1:1; 23:15) O temor piedoso nos habilita a perseverar num proceder aprovado por Deus, independentemente do que tenhamos de suportar. No entanto, a perseverança requer que se façam orações sinceras com fé. — Tiago 5:15.

Orar com fé

13-15. (a) Por que podemos ter fé de que nossas orações serão atendidas? (b) O que pode acontecer quando não sabemos o que dizer na oração? (c) Ilustre como o Salmo 119:121-128 pode se harmonizar com nossos “gemidos não pronunciados” em oração.

13 Podemos orar com fé para que Deus aja em nosso favor. (Salmo 119:121-128) Assim como o salmista, temos certeza de que nossas orações serão atendidas. Por quê? Porque amamos os mandamentos divinos “mais do que o ouro, sim, o ouro refinado”. Além disso, ‘consideramos direitas todas as ordens referentes a todas as coisas’. — Salmo 119:127, 128.

14 Jeová ouve as nossas orações, porque as fazemos com fé e também porque acatamos cuidadosamente as suas ordens. (Salmo 65:2) E quando às vezes ficamos tão desnorteados com nossos problemas que nem sabemos o que dizer na oração? Então “o próprio espírito implora por nós com gemidos não pronunciados”. (Romanos 8:26, 27) Nessas ocasiões, Deus aceita expressões encontradas na sua Palavra como orações que incluem nossas necessidades.

15 As Escrituras estão cheias de orações e de pensamentos que se harmonizariam com nossos “gemidos não pronunciados”. Por exemplo, considere o Salmo 119:121-128. A maneira como o salmista se expressa ali pode ajustar-se à situação em que nos encontramos. Por exemplo, se estamos com medo de ser defraudados, podemos pedir a ajuda de Deus do modo como fez o salmista. (Sal 119 Versículos 121-123) Suponhamos que precisamos fazer uma decisão muito difícil. Então poderíamos orar pedindo que o espírito de Jeová nos ajude a recordar e aplicar suas advertências. (Sal 119 Versículos 124, 125) Embora ‘odiemos toda vereda falsa’, talvez peçamos  que Deus aja em nosso favor para que não sucumbamos a uma tentação de violar sua lei. (Sal 119 Versículos 126-128) Se lermos a Bíblia diariamente, textos como esses poderão vir à mente quando fizermos súplicas a Jeová pedindo orientação.

Ajudados pelas advertências de Jeová

16, 17. (a) Por que precisamos das advertências de Deus, e como devemos encará-las? (b) Como talvez sejamos encarados, mas o que realmente conta?

16 Para que nossa oração seja ouvida e usufruamos o favor divino temos de acatar as advertências de Deus. (Salmo 119:129-136) Visto que somos esquecidiços, precisamos das maravilhosas advertências de Jeová que nos fazem lembrar de suas instruções e dos seus mandamentos. É claro que gostamos da luz espiritual que cada novo entendimento das palavras de Deus nos fornece. (Salmo 119:129, 130) Também somos gratos de que Jeová ‘fez sua própria face luzir sobre nós’ com aprovação, embora ‘correntes de água desçam dos nossos olhos’ porque outros violam a sua lei. — Salmo 119:135, 136; Números 6:25.

17 Temos certeza de ter o favor de Deus se acatamos suas advertências justas. (Salmo 119:137-144) Visto que somos servos de Jeová, reconhecemos que ele tem o direito de trazer à atenção suas advertências justas e de impô-las a nós como mandamentos aos quais devemos obedecer. (Salmo 119:138) Uma vez que o salmista obedecia aos mandamentos de Deus, por que será que ele disse: “Sou insignificante e desprezível”? (Salmo 119:141) Aparentemente, ele estava se referindo ao modo como seus inimigos o encaravam. Se mantivermos uma atitude intransigente a favor da justiça, talvez sejamos desprezados por isso. No entanto, o que realmente importa é que Jeová nos aprecia com favor porque vivemos segundo suas advertências justas.

Seguros e em paz

18, 19. Qual é o resultado de acatarmos as advertências de Deus?

18 Acatar as advertências de Deus nos mantém achegados a ele. (Salmo 119:145-152) Por prestarmos atenção às advertências de Jeová, sabemos que podemos nos dirigir a ele de todo o coração e esperar que nos ouça. Às vezes nos levantamos “cedo no crepúsculo matutino” e oramos pedindo ajuda. Que excelente ocasião para orar! (Salmo 119:145-147) Deus também está próximo de nós porque evitamos a conduta desenfreada e encaramos sua palavra como a verdade, assim como Jesus fez. (Salmo 119:150, 151; João 17:17) Nossa relação com Jeová nos ampara neste mundo atribulado e nos ajudará a sobreviver à sua grande guerra do Armagedom. — Revelação 7:9, 14; 16:13-16.

19 Devido ao nosso profundo respeito pela palavra de Deus, temos verdadeira segurança. (Salmo 119:153-160) Diferentes dos iníquos, ‘não nos apartamos das advertências de Jeová’. Amamos as ordens de Deus e por isso estamos seguros na sua benevolência. (Salmo 119:157-159) As advertências de Jeová estimulam nossa memória a ponto de nos lembrar do comportamento requerido por Jeová em determinadas situações. As ordens de Deus, por outro lado, são diretrizes, e nós reconhecemos prontamente o direito do Criador de nos orientar. Cientes de que ‘a substância da palavra de Deus é a verdade’ e de que não podemos nos orientar independentemente, nós aceitamos de bom grado a orientação divina. — Salmo 119:160; Jeremias 10:23.

20. Por que temos “paz abundante”?

20 O amor à lei de Jeová nos dá paz em abundância. (Salmo 119:161-168) A perseguição não nos priva da incomparável “paz de Deus”. (Filipenses 4:6, 7) Apreciamos tanto as decisões judiciais de Jeová que o louvamos muitas vezes por causa delas — “sete vezes por dia”. (Salmo 119:161-164) “Paz abundante pertence aos que amam a tua lei”, expressou o salmista em canto, “e para eles não há pedra de tropeço”. (Salmo 119:165) Se pessoalmente amarmos e cumprirmos a lei de Jeová, não importa o que aconteça ou o que os outros façam — nada nos fará tropeçar espiritualmente.

21. Que exemplos bíblicos mostram que não precisamos tropeçar caso surjam dificuldades na congregação?

 21 Muitos personagens bíblicos não permitiram que nada os fizesse tropeçar em caráter permanente. Por exemplo, o homem cristão Gaio não tropeçou, mas continuou “andando na verdade”, apesar da conduta ímpia de Diótrefes. (3 João 1-⁠3, 9, 10) Paulo aconselhou as cristãs Evódia e Síntique a “serem da mesma mentalidade no Senhor”, provavelmente porque haviam surgido dificuldades entre elas. Pelo visto, elas foram ajudadas a resolver seus problemas e a continuar servindo fielmente a Jeová. (Filipenses 4:2, 3) De modo que não precisamos tropeçar quando surge algum tipo de dificuldade na congregação. Vamos nos concentrar em cumprir as ordens de Jeová, lembrando-nos de que ‘todos os nossos caminhos estão diante dele’. (Salmo 119:168; Provérbios 15:3) Assim nada nos privará permanentemente da “paz abundante”.

22. (a) Se obedecermos a Deus, que privilégio poderemos ter? (b) Como devemos considerar os que se afastaram da congregação cristã?

22 Se sempre obedecermos a Jeová, teremos o privilégio de continuar louvando-o. (Salmo 119:169-176) Se vivermos em harmonia com os regulamentos de Deus, não só teremos segurança espiritual, mas ‘nossos lábios continuarão borbulhando louvor a Jeová’. (Salmo 119:169-171, 174) Esse é o maior privilégio que podemos ter nestes últimos dias. O salmista queria continuar vivendo e louvando a Jeová, mas, de alguma forma não revelada, ele havia “vagueado como um ovídeo perdido”. (Salmo 119:175, 176) Alguns dos que se afastaram da congregação cristã talvez ainda amem a Deus e queiram louvá-lo. Portanto, façamos tudo o que pudermos para ajudá-los, para que eles tenham outra vez segurança espiritual e sintam a alegria de louvar a Jeová junto com seu povo. — Hebreus 13:15; 1 Pedro 5:6, 7.

Luz permanente para nosso caminho

23, 24. Que benefício tirou da análise do Salmo 119?

23 O Salmo 119 pode nos beneficiar de diversas maneiras. Por exemplo, pode nos tornar mais confiantes em Deus, porque mostra que a verdadeira felicidade vem de se ‘andar na lei de Jeová’. (Salmo 119:1) O salmista nos lembra que ‘a substância da palavra de Deus é a verdade’. (Salmo 119:160) Isso certamente deve aumentar nosso apreço por toda a Palavra escrita de Deus. Meditarmos no Salmo 119 nos induzirá a estudar diligentemente as Escrituras. O salmista rogou várias vezes a Deus: “Ensina-me os teus regulamentos.” (Salmo 119:12, 68, 135) E também suplicou: “Ensina-me a própria bondade, a sensatez e o conhecimento, pois tive fé nos teus mandamentos.” (Salmo 119:66) Faremos bem em orar do mesmo modo.

24 O ensino divino possibilita ter uma relação achegada com Jeová. O salmista diversas vezes chamou a si mesmo de servo de Deus. De fato, dirigia-se a Jeová com as palavras comoventes: “Sou teu.” (Salmo 119:17, 65, 94, 122, 125; Romanos 14:8) Que privilégio é servir e louvar a Jeová como suas Testemunhas! (Salmo 119:7) Está servindo a Deus de modo alegre como proclamador do Reino? Nesse caso, tenha certeza de que Jeová o continuará amparando e o abençoando nessa atividade privilegiada, sempre que confiar em sua palavra e deixar que ela ilumine o seu caminho.

Como responderia?

• Por que devemos gostar da palavra de Deus?

• Como somos amparados pela palavra de Deus?

• De que modos as advertências de Jeová nos ajudam?

• Por que o povo de Jeová está seguro e em paz?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 16]

A palavra de Deus é fonte de luz espiritual

[Foto na página 17]

Se amarmos suas advertências, Jeová nunca vai nos encarar como “escória”

[Fotos na página 18]

Se lermos a Bíblia em base diária, trechos úteis poderão ser lembrados prontamente quando orarmos a Deus pedindo sua orientação