Pular para conteúdo

Pular para sumário

“Fiéis sob provas”

“Fiéis sob provas”

 “Fiéis sob provas”

NO INÍCIO de abril de 1951, o poderoso governo soviético fez um ataque surpresa a um grupo de cristãos inocentes no oeste da União Soviética. Eram as Testemunhas de Jeová, que, aos milhares — incluindo crianças, mulheres grávidas e idosos —, foram colocadas em vagões de carga numa exaustiva viagem de trem de 20 dias até a Sibéria. Elas enfrentaram exílio permanente sob condições primitivas e inóspitas.

Em abril de 2001, o 50.° aniversário desse acontecimento histórico foi destacado em Moscou com o lançamento de um vídeo que documenta as décadas de opressão que as Testemunhas de Jeová sofreram na ex-União Soviética. No documentário, historiadores e testemunhas oculares contam como as Testemunhas sobreviveram e até mesmo prosperaram apesar da extrema opressão.

Este documentário, cujo título é As Testemunhas de Jeová na União Soviética — Fiéis sob Provas, já foi visto por milhões de pessoas na Rússia e em outros lugares, e foi aclamado com entusiasmo pelo público em geral e por historiadores. A seguir, apresentamos dois comentários de eruditos russos, que vivem na região para a qual a maioria das Testemunhas foi deportada.

“Gostei muito desse filme. Sempre admirei os membros de sua religião, mas depois de vê-lo, fiquei ainda mais impressionado com vocês. É bem profissional! Apreciei especialmente a maneira como mostraram cada pessoa em base individual. Embora eu seja ortodoxo e não pretenda mudar de religião, fiquei encantado com as Testemunhas de Jeová. Gostaria que nosso corpo docente tivesse uma cópia do filme. Meus colegas e eu decidimos apresentá-lo aos nossos alunos e incluí-lo no currículo.” — Professor Sergei Nikolayevich Rubtsov, reitor do corpo docente da cadeira de História da Universidade Pedagógica Estadual de Irkutsk, Rússia.

“Apreciei muito terem feito esse filme. Quando se faz um filme sobre repressão, sempre é difícil desenvolver a história de maneira lógica. Mas vocês conseguiram fazer isso. Gostaria de receber outros filmes seus.” — Professor Sergei Ilyich Kuznetsov, reitor do corpo docente da cadeira de História da Universidade Estadual de Irkutsk, Rússia.

As Testemunhas de Jeová que vivem na Sibéria também apreciaram muito o documentário. A seguir, alguns exemplos de como reagiram:

“Durante a época em que estavam acontecendo os eventos mostrados nesse filme, não havia muitas informações sobre as atividades das Testemunhas de Jeová. Mas depois de as pessoas verem o filme, elas percebem que a nossa organização não é uma simples seita,  conforme pensavam antes. Outros que se tornaram Testemunhas há pouco tempo dizem: ‘Não tínhamos idéia de que vivíamos e trabalhávamos junto com irmãos cristãos que sofreram tanto!’ Depois de ver o filme, uma Testemunha expressou o desejo de tornar-se pioneiro de tempo integral.” — Anna Vovchuk, que esteve exilada na Sibéria.

“Quando o filme mostrou a polícia secreta batendo na porta de uma família de Testemunhas de Jeová, eu estremeci. Era como se tivessem batido na nossa porta, e lembro-me da minha mãe dizendo: ‘Deve ser um incêndio em algum lugar.’ Mas o filme me fez lembrar também que muitas Testemunhas sofreram mais do que eu. Toda essa informação nos dá mais força e entusiasmo para continuar servindo a Jeová.” — Stepan Vovchuk, que esteve exilado na Sibéria.

“Sou filho de Testemunhas exiladas. Achei que já tinha ouvido tudo sobre aqueles tempos. Mas, depois de ver o filme, percebi que não sabia praticamente nada. Ao ouvir as entrevistas, meus olhos se encheram de lágrimas. Agora, esses eventos não são apenas histórias, mas acontecimentos reais. O filme fortaleceu minha relação com Deus e ajudou a me preparar para quaisquer dificuldades futuras.” — Vladimir Kovash, Irkutsk.

“Para mim, esse filme teve mais impacto do que um relato escrito. Quando assisti a ele e ouvi as entrevistas com os irmãos, me senti como se estivesse passando por todas as provações junto com eles. O exemplo do irmão, que enquanto estava na prisão desenhava cartões-postais para suas filhinhas, motivou-me a tocar o coração dos meus filhos com as verdades bíblicas. Muito obrigada! Esse filme fez as Testemunhas de Jeová na Rússia se sentirem, mais do que nunca, parte da organização mundial de Jeová.” — Tatyana Kalina, Irkutsk.

“O ditado: ‘Uma imagem vale mais do que mil palavras’ com certeza se aplica a esse filme. É tão vívido, real, como se tivéssemos passado por aquilo. Depois de vê-lo, precisei de muito tempo para reflexão. O filme fez com que eu ficasse completamente envolvida na situação daquelas Testemunhas exiladas. Agora, comparar a minha vida com a delas me ajuda a encarar os problemas atuais de modo diferente.” — Lidia Beda, Irkutsk.

Até agora o vídeo Fiéis sob Provas foi lançado em 25 idiomas e é bem recebido em todo o mundo. * O documentário inteiro já foi transmitido por emissoras de televisão em São Petersburgo, Omsk e em outras cidades na Rússia, bem como nas cidades ucranianas de Vynnytsya, Kerch, Melitopol e na região de Lviv. Também ganhou prêmios de conselhos internacionais de críticos cinematográficos.

A força da mensagem desse documentário está nos exemplos de milhares de pessoas comuns que demonstraram extraordinária coragem e força espiritual durante longos anos de perseguição. As Testemunhas de Jeová na União Soviética com certeza mostraram ser pessoas fiéis sob provas. Se quiser assistir a esse documentário, as Testemunhas de Jeová terão prazer em conseguir um para você. Queira contatá-las em sua localidade.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 13 O vídeo está disponível em alemão, búlgaro, cantonês, coreano, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, finlandês, francês, grego, holandês, húngaro, indonésio, inglês, italiano, japonês, lituano, mandarim, norueguês, polonês, romeno, russo, sueco e tcheco.

[Crédito da foto na página 8]

Stalin: foto do Exército dos EUA

[Crédito da foto na página 9]

Stalin: foto do Exército dos EUA