Pular para conteúdo

Pular para sumário

Perguntas dos Leitores

Perguntas dos Leitores

 Perguntas dos Leitores

Indica a exclamação de Estêvão, em Atos 7:59, que as orações devam ser dirigidas a Jesus?

Atos 7:59 diz: “Atiravam pedras em Estêvão, enquanto ele fazia um apelo e dizia: ‘Senhor Jesus, recebe meu espírito.’” Essas palavras têm suscitado perguntas, visto que a Bíblia diz que Jeová é o “Ouvinte de oração”. (Salmo 65:2) Será que Estêvão orou mesmo a Jesus? Será que isso indica que Jesus e Jeová são a mesma pessoa?

O Novo Testamento traduzido por Antônio de Brito Cardoso diz que Estêvão “invocava Deus”. Por isso é compreensível que muitos tenham chegado à conclusão do comentarista bíblico Matthew Henry, que disse: “Aqui, Estêvão ora a Cristo, e nós devemos fazer o mesmo.” No entanto, esse conceito está errado. Por quê?

A publicação Barnes’ Notes on the New Testament (Notas sobre o Novo Testamento, de Barnes) faz esta honesta admissão: “A palavra Deus não existe no original e não devia estar na tradução. Não se encontra em nenhum dos antigos [manuscritos] ou versões.” Como é que a palavra “Deus” veio a ser inserida nesse versículo? O erudito Abiel Abbot Livermore chamou isso de “um caso de tendência sectária dos tradutores”. Por isso, a maioria das traduções modernas elimina essa referência espúria a Deus.

No entanto, muitas versões dizem que Estêvão “orou” a Jesus. E a nota de rodapé da Tradução do Novo Mundo mostra que a expressão “fazia apelo” pode também significar “invocação; oração”. Indicaria isso que Jesus é o Deus todo-poderoso? Não. O Dicionário Vine explica que, nesse caso, a palavra grega original epikaléo significa: “chamar sobre, invocar; . . . apelar a uma autoridade”. Paulo usou essa mesma palavra ao declarar: “Apelo para César!” (Atos 25:11) Apropriadamente, então, a Versão Almeida, Revista e Atualizada diz que Estêvão “invocava” a Jesus.

O que induziu Estêvão a fazer tal apelo? Segundo Atos 7:55, 56, Estêvão, “cheio de espírito santo, fitou os olhos no céu e avistou a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus”. Normalmente, Estêvão teria dirigido seus pedidos a Jeová em nome de Jesus. Mas, tendo uma visão do ressuscitado Jesus, pelo visto Estêvão se sentiu à vontade para apelar diretamente a ele, dizendo: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.” Estêvão sabia que Jesus recebera autoridade para ressuscitar os mortos. (João 5:27-29) Por isso, ele pediu a Jesus que protegesse seu espírito, ou a força de vida, até o dia em que Jesus o ressuscitaria para a vida imortal nos céus.

Será que a breve expressão de Estêvão estabelece um precedente para se orar a Jesus? De forma alguma. Em primeiro lugar, Estêvão diferenciou claramente Jesus de Jeová, porque o relato diz que ele viu Jesus “em pé à direita de Deus”. As circunstâncias também eram excepcionais. O único outro caso de uma expressão assim, dirigida a Jesus, é o do apóstolo João, que de modo similar se dirigiu a Jesus diretamente quando o viu numa visão. — Revelação (Apocalipse) 22:16, 20.

Embora os cristãos hoje dirijam corretamente todas as suas orações a Jeová Deus, eles também têm fé inabalável em que Jesus é “a ressurreição e a vida”. (João 11:25) Assim como se deu com Estêvão, a fé na capacidade de Jesus de ressuscitar seus seguidores pode nos ajudar e sustentar em épocas de provação.