Pular para conteúdo

Pular para sumário

O dia da formatura — um lindo dia

O dia da formatura — um lindo dia

 O dia da formatura — um lindo dia

“FOMOS abençoados com um lindo dia. Sol brilhante, céu azul, grama verde, pássaros cantando. Está montado o cenário para um lindo dia. Não vamos nos desapontar. Jeová não é um Deus de desapontamentos, ele é um Deus de bênçãos.”

Com essas palavras, o irmão Samuel Herd, membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, abriu o programa de formatura da 117.turma da Escola Bíblica de Gileade da Torre de Vigia, que ocorreu em 11 de setembro de 2004. O excelente programa incluiu conselhos bíblicos e relatos de episódios ocorridos no ministério no território local durante o curso, e no campo missionário. Aquele foi realmente um lindo dia para todas as 6.974 pessoas que assistiram ao programa no Centro Educacional da Torre de Vigia, em Patterson, Nova York, EUA, e nos complexos em Brooklyn e em Wallkill, ligados por áudio e vídeo.

Palavras de incentivo para os estudantes

John Kikot, membro da Comissão de Filial dos Estados Unidos, proferiu palavras de incentivo sob o tema “Mantenha a alegria como missionário”. Destacou que os alunos de Gileade são conhecidos por sua alegria, bem evidente nessa formatura. A instrução bíblica recebida durante o curso alegrou os estudantes, e agora eles estavam preparados para ajudar outros a sentir a mesma alegria. Como? Dando de si mesmos no ministério como missionários. Jesus disse: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” (Atos 20:35) À medida que os novos missionários imitarem a Jeová Deus, o generoso “Deus feliz” que revela a verdade a outros, eles mesmos conseguirão continuar alegres. — 1 Timóteo 1:11.

O orador seguinte era outro membro do Corpo Governante, David Splane, e seu tema foi “Você vai se dar bem com os outros?” Não há dúvida de que é bom e agradável morar em união, embora isso talvez exija tornar-se “todas as coisas para pessoas de toda sorte”. (1 Coríntios 9:22; Salmo 133:1) O irmão Splane mencionou que os formandos se relacionariam com muitos outros no serviço missionário — pessoas no território, outros missionários, membros de sua nova congregação e os irmãos do escritório administrativo responsável pela obra de pregação e ensino no país para onde iriam. Ele deu sugestões práticas sobre como tornar agradável, dentro do possível, o relacionamento com outros: aprenda o idioma local, adapte-se aos costumes locais, respeite a privacidade dos companheiros no serviço missionário e seja obediente aos que tomam a dianteira. — Hebreus 13:17.

 A seguir, o instrutor de Gileade Lawrence Bowen perguntou: “Quais são seus pensamentos?” Ele lembrou aos estudantes que os que ‘julgavam pela aparência externa’ não aceitaram Jesus como o Messias. (João 7:24) Como humanos imperfeitos, todos precisam estar alertas para não ‘ter os pensamentos de homens’ mas, em vez disso, “os pensamentos de Deus”. (Mateus 16:22, 23) Até mesmo pessoas de mentalidade espiritual devem continuar ajustando seu modo de pensar. Como no caso de um navio no mar, fazer ajustes agora pode determinar se a pessoa alcançará o objetivo ou sofrerá naufrágio em sentido espiritual. O contínuo estudo da Bíblia inteira nos ajuda a ter “os pensamentos de Deus”.

Wallace Liverance, outro instrutor da Escola de Gileade, concluiu essa parte do programa. Com base em Isaías 55:1, seu tema foi “O que você vai comprar?” Ele incentivou os estudantes a “comprar” o revigoramento, a alegria e o sustento procedentes da mensagem profética de Deus para os nossos dias. A profecia de Isaías assemelhou essa mensagem de Deus a água, vinho e leite. Como ela pode ser comprada “sem dinheiro e sem preço”? O irmão Liverance explicou que é por prestar atenção às profecias bíblicas e por trocar os caminhos e os pensamentos  antibíblicos pelos caminhos e pensamentos de Deus. (Isaías 55: 2, 3, 6, 7) Assim os novos missionários conseguirão perseverar em sua designação no estrangeiro. Para o ser humano imperfeito, a felicidade geralmente está vinculada à aquisição de confortos materiais. “Não acreditem nisso”, alertou o orador. “Não ‘comprem’ essa idéia. Não deixem de reservar tempo para o estudo significativo da Palavra profética de Deus. Esse estudo pode revigorá-los, fortalecê-los e alegrá-los em seu serviço missionário.”

Encorajadoras encenações e entrevistas de estudantes

Os estudantes participaram regularmente na atividade de pregação. Na parte apresentada por Mark Noumair, outro instrutor de Gileade, vários alunos da turma encenaram episódios ocorridos na pregação, destacando o tema “Não me envergonho das boas novas”. (Romanos 1:16) A assistência gostou de escutar como esses ministros experientes deram testemunho de casa em casa, nas ruas e em shopping centers. Estudantes que sabiam outros idiomas tomaram a iniciativa de contatar as pessoas que falavam esses idiomas no território de sua congregação. Outros aproveitaram bem as nossas publicações bíblicas, usando-as para fazer revisitas e iniciar estudos bíblicos. Eles não ‘se envergonharam’ de pregar as boas novas.

O irmão William Nonkes, do Departamento de Serviço, entrevistou missionários experientes de Burkina Fasso, da Letônia e da Rússia. Eles deram conselhos práticos relacionados com o tema “Jeová recompensa amorosamente os fiéis”. Um dos irmãos entrevistados incentivou os estudantes a se lembrar do exército de Gideão, composto de 300 soldados. Cada soldado tinha uma designação que contribuiu para o êxito da estratégia militar de Gideão. (Juízes 7:19-21) De modo similar, os missionários que permanecem na designação recebem sua recompensa.

“Torne-se todas as coisas para pessoas de toda sorte” foi o tema destacado nas entrevistas realizadas a seguir por Samuel Roberson, instrutor de alguns programas educacionais em Patterson. Ele entrevistou quatro membros de Comissões de Filial: do Senegal, de Guam, da Libéria e de Madagascar. Um total de 170 missionários servem nesses países. Com essas entrevistas, os formandos ficaram sabendo como as Comissões de Filial ajudam os missionários a se adaptar à sua designação. Muitas vezes isso envolve aprender costumes que talvez pareçam estranhos para os padrões ocidentais. Por exemplo, em alguns países é muito comum, até mesmo na congregação cristã, ver homens caminhando juntos de mãos dadas como sinal de amizade. Em algumas regiões sob a supervisão do escritório administrativo de Guam, servem-se pratos inusitados. Mas se outros conseguiram se adaptar, os novos missionários também conseguirão.

Guy Pierce, membro do Corpo Governante, falou sobre o tema “Permaneça leal ao ‘Reino de nosso Senhor’”. Ele lembrou à assistência: “Jeová criou tudo com um propósito. Ele tinha algo em mente para sua criação. Seu propósito para este planeta não mudou. Nada pode impedir que esse propósito avance rumo ao pleno cumprimento.” (Gênesis 1:28) O irmão Pierce incentivou todos a se sujeitar lealmente à soberania de Deus apesar das dificuldades que surgiram devido ao pecado do primeiro homem, Adão. “Nós vivemos na hora do julgamento. Resta pouco tempo para contatarmos os sinceros e ajudá-los a conhecer a verdade. Usem bem o tempo para levar as boas novas do Reino a outros”, recomendou com tom de urgência o irmão Pierce. Os que apóiam lealmente o Reino de Deus podem contar com a Sua ajuda. — Salmo 18:25.

No encerramento, o presidente do programa leu os cumprimentos e as felicitações das filiais e congêneres em todo o mundo. A seguir, entregou os diplomas aos formandos, e um deles leu uma carta da turma, expressando apreço de coração pela instrução recebida. Foi a conclusão perfeita para aquele lindo dia, que por muito tempo será lembrado por todos os presentes.

[Quadro na página 23]

DADOS DA TURMA

Número de países representados: 11

Número de países a que foram designados: 22

Número de estudantes: 48

Média de idade: 34,8

Média de anos na verdade: 18,3

Média de anos no ministério de tempo integral: 13,4

[Foto na página 24]

A 117.turma de formandos da Escola Bíblica de Gileade da Torre de Vigia

Na lista abaixo, as fileiras estão enumeradas da frente para trás, e os nomes, alistados da esquerda para a direita, em cada fileira.

(1) Thompson, E.; Norvell, G.; Powell, T.; Kozza, M.; McIntyre, T. (2) Reilly, A.; Clayton, C.; Allan, J.; Blanco, A.; Muñoz, L.; Rustad, N. (3) Guerrero, Z.; Garcia, K.; McKerlie, D.; Ishikawa, T.; Blanco, G. (4) McIntyre, S.; Cruz, E.; Guerrero, J.; Ritchie, O.; Avellaneda, L.; Garcia, R. (5) Powell, G.; Fiskå, H.; Muñoz, V.; Baumann, D.; Shaw, S.; Brown, K.; Brown, L. (6) Shaw, C.; Reilly, A.; Peloquin, C.; Münch, N.; McKerlie, D.; Ishikawa, K. (7) Münch, M.; Peloquin, J.; Kozza, T.; Avellaneda, M.; Allan, K.; Ritchie, E.; Norvell, T. (8) Cruz, J.; Baumann, H.; Clayton, Z.; Fiskå, E.; Thompson, M.; Rustad, J.