Pular para conteúdo

Pular para sumário

“O som deles saiu por toda a terra”

“O som deles saiu por toda a terra”

 “O som deles saiu por toda a terra”

“Fazei discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-as em o nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo.” — MATEUS 28:19.

1, 2. (a) Que comissão Jesus deu aos seus discípulos? (b) Por que os cristãos do primeiro século puderam realizar tanto?

POUCO antes de subir ao céu, Jesus deu aos seus discípulos uma comissão. Disse-lhes: “Fazei discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-as em o nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo.” (Mateus 28:19) Que tarefa enorme!

2 Imagine! No Pentecostes de 33 EC, o espírito santo foi derramado sobre cerca de 120 discípulos e eles começaram a cumprir essa comissão por dizer a outros que Jesus era o havia muito aguardado Messias, por meio de quem se podia obter salvação. (Atos 2:1-36) Como esse pequeno grupo podia contatar “pessoas de todas as nações”? Em termos humanos, isso era impossível, mas para “Deus todas as coisas são possíveis”. (Mateus 19:26) Os primeiros cristãos tinham o apoio do espírito santo de Jeová, e eles tinham um senso de urgência. (Zacarias 4:6; 2 Timóteo 4:2) Por isso, dentro de poucas décadas, o apóstolo Paulo podia dizer que as boas novas estavam sendo declaradas “em toda a criação debaixo do céu”. — Colossenses 1:23.

3. O que ocultou o verdadeiro “trigo” cristão?

3 Durante grande parte do primeiro século, a adoração verdadeira continuou a se espalhar. No entanto, Jesus tinha profetizado que viria o tempo em que Satanás lançaria “sementes” e que o verdadeiro “trigo” cristão ficaria oculto por muitos séculos, até a época da colheita. Isso aconteceu após a morte dos apóstolos. — Mateus 13:24-39.

O rápido aumento atual

4, 5. A partir de 1919, que obra os cristãos ungidos passaram a empreender, e por que isso era um enorme desafio?

4 Em 1919 chegou a época para o verdadeiro trigo cristão ser separado do joio. Os cristãos ungidos sabiam que a grande comissão dada por Jesus ainda não estava totalmente cumprida. Acreditavam firmemente que estavam vivendo “nos últimos dias” e sabiam da profecia de Jesus: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (2 Timóteo 3:1; Mateus 24:14) De fato, sabiam que havia muito trabalho a fazer.

5 No entanto, assim como os discípulos em 33 EC, esses cristãos ungidos se confrontaram com um enorme desafio. Havia apenas alguns milhares deles localizados em uns poucos países. Como podiam pregar as boas novas “em toda a terra habitada”? Lembre-se de que a população da Terra havia aumentado de uns 300 milhões na era dos césares para quase 2 bilhões após a Primeira Guerra Mundial. E no  decorrer do século 20, continuou a aumentar rapidamente.

6. Em meados da década de 30, que progresso havia sido feito na divulgação das boas novas?

6 No entanto, os servos ungidos de Jeová, assim como seus irmãos no primeiro século, deram início à tarefa que lhes foi designada com plena fé em Jeová, e tinham o espírito dele. Em meados da década de 30, uns 56.000 evangelizadores proclamavam a verdade bíblica em 115 países. Muito trabalho já havia sido feito, mas ainda restava muito para fazer.

7. (a) Com que novo desafio se confrontaram os cristãos ungidos? (b) Com o apoio das “outras ovelhas”, como a obra de ajuntamento progrediu até hoje?

7 Daí, um entendimento mais profundo da identidade da “grande multidão”, mencionada em Revelação (Apocalipse) 7:9, apresentou um novo desafio e também uma garantia de que os cristãos diligentes teriam ajuda. Uma incontável multidão de “outras ovelhas”, crentes com uma esperança terrestre, tinha de ser ajuntada “de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas”. (João 10:16) Elas ‘prestariam a Jeová serviço sagrado, dia e noite’. (Revelação 7:15) Isso significava que ajudariam na obra de pregação e ensino. (Isaías 61:5) Por isso, os cristãos ungidos ficaram emocionados de ver o aumento dos evangelizadores para dezenas de milhares e depois para milhões. No ano de 2003, um novo auge de 6.429.351 participaram na pregação — a vasta maioria deles sendo da grande multidão. * Os cristãos ungidos são gratos por essa ajuda, e as outras ovelhas são gratas pelo privilégio de apoiarem seus irmãos ungidos. — Mateus 25:34-40.

8. Como reagiram as Testemunhas de Jeová às pressões extremas sofridas durante a Segunda Guerra Mundial?

8 Quando os da classe do trigo se tornaram novamente evidentes, Satanás travou uma guerra ferrenha contra eles. (Revelação 12:17) Como ele reagiu quando a grande multidão começou a aparecer? Com extrema violência! Será que podemos duvidar que ele estava por trás do ataque mundial contra a adoração verdadeira que houve durante a Segunda Guerra Mundial? Os cristãos sofreram grande pressão em ambos os lados do conflito. Muitos irmãos e irmãs queridos sofreram terríveis provações, alguns morreram por causa da sua fé. Ainda assim, fizeram soar as palavras do salmista: “Em união com Deus louvarei a sua palavra. Tenho posto a minha confiança em Deus; não terei medo. Que me pode fazer a carne?” (Salmo 56:4; Mateus 10:28) Os cristãos ungidos e as outras ovelhas, fortalecidos pelo espírito de Jeová, mantiveram-se firmes. (2 Coríntios 4:7) Em resultado disso, “a palavra de Deus crescia”. (Atos 6:7) Em 1939, quando irrompeu a guerra, 72.475 cristãos fiéis relataram ter participado na pregação. No entanto, o relatório incompleto de 1945, ano em que terminou a guerra, revelou que 156.299 Testemunhas divulgavam as boas novas. Que derrota para Satanás!

9. Que escolas novas foram anunciadas durante a Segunda Guerra Mundial?

9 É evidente que o caos da Segunda Guerra Mundial não fez os servos de Jeová duvidar de que se realizaria a pregação. Pelo contrário, em 1943, no auge da guerra, anunciaram-se duas novas escolas. Uma delas, agora chamada de Escola do Ministério Teocrático, seria realizada em todas as congregações, com o objetivo de treinar as Testemunhas de Jeová para pregar e  fazer discípulos. A outra, Escola Bíblica de Gileade da Torre de Vigia, tinha por objetivo treinar missionários, que desenvolveriam a pregação em países estrangeiros. Sim, quando a chama da guerra finalmente se apagou, os cristãos fiéis estavam prontos para maior atividade.

10. Como se manifestou o zelo do povo de Jeová durante 2003?

10 E que trabalho maravilhoso eles têm feito! Todos os treinados na Escola do Ministério Teocrático — jovens e idosos, pais e filhos, até mesmos os doentes — têm participado e continuam a participar no cumprimento da grande comissão dada por Jesus. (Salmo 148:12, 13; Joel 2:28, 29) Em 2003, numa média mensal, 825.185 demonstraram seu senso de urgência por participarem, temporária ou permanentemente, no serviço de pioneiro. Naquele mesmo ano, as Testemunhas de Jeová gastaram 1.234.796.477 horas falando a outros sobre as boas novas do Reino. Jeová certamente se agrada do zelo do seu povo!

Em campos estrangeiros

11, 12. Que exemplos demonstram o excelente registro de serviço dos missionários?

11 No decorrer dos anos, os formados em Gileade e, mais recentemente, os formados na Escola de Treinamento Ministerial, estabeleceram um registro magnífico. Por exemplo, no Brasil, havia menos de 400 publicadores quando os primeiros missionários chegaram em 1945. Estes, bem como os missionários que chegaram depois, trabalharam arduamente ao lado dos seus zelosos irmãos brasileiros, e Jeová abençoou muito os seus esforços. Como é emocionante para os que se lembram daqueles primeiros anos ver que o Brasil relatou em 2003 um novo auge de 607.362 publicadores!

12 Considere o Japão. Antes da Segunda Guerra Mundial, havia naquele país uns cem pregadores do Reino. Durante a guerra, a perseguição brutal dizimou suas fileiras, e no fim da guerra, havia apenas poucas Testemunhas de Jeová que estavam ainda espiritual e fisicamente vivas. (Provérbios 14:32) Os poucos irmãos que mantiveram de modo notável a integridade certamente ficaram muito contentes de receber em 1949 os primeiros 13 missionários treinados em Gileade, e esses missionários logo se apegaram a seus entusiásticos e hospitaleiros irmãos japoneses. Mais de 50 anos depois, em 2003, o Japão relatou um auge de 217.508 publicadores! Jeová realmente abençoou ricamente seu povo naquele país. Há relatórios similares de muitos outros países. Os que puderam pregar em territórios estrangeiros fizeram uma verdadeira contribuição para a divulgação das boas novas, de modo que em 2003 elas foram ouvidas em 235 países, ilhas e territórios em todo o mundo. Sim, uma grande multidão está saindo de “todas as nações”.

“De todas as  . . . tribos, e povos, e línguas”

13, 14. Como Jeová mostrou o valor da pregação das boas novas em “todas as . . . línguas”?

13 O primeiro milagre relatado depois da unção dos discípulos com espírito santo, no Pentecostes de 33 EC, foi o de falar em línguas para as multidões reunidas. Todos os que ouviram os apóstolos talvez falassem uma língua internacional, talvez o grego. Sendo “homens reverentes”, é provável que também entendessem os ofícios hebraicos no templo. Mas eles realmente deram atenção às boas novas quando as ouviram no seu idioma materno. — Atos 2:5, 7-12.

 14 Hoje em dia, também, a pregação é feita em muitas línguas. Profetizou-se que a grande multidão procederia não só de nações, mas também de “tribos, e povos, e línguas”. De acordo com isso, Jeová profetizou por meio de Zacarias: “Dez homens dentre todas as línguas das nações agarrarão, sim, agarrarão realmente a aba da veste dum homem judeu, dizendo: ‘Iremos convosco, pois ouvimos que Deus está convosco.’” (Zacarias 8:23) Embora as Testemunhas de Jeová não tenham mais o dom de línguas, elas reconhecem o valor de ensinar as pessoas na sua própria língua.

15, 16. Como os missionários e outros aceitaram o desafio de pregar em línguas locais?

15 É verdade que existem hoje algumas línguas que são amplamente usadas, tais como o inglês, o francês e o espanhol. No entanto, os que saem da sua pátria para servir em outros países procuram aprender as línguas locais, para tornar as boas novas mais acessíveis aos “corretamente dispostos para com a vida eterna”. (Atos 13:48) Isso pode ser difícil. Quando os irmãos em Tuvalu, no Pacífico Sul, precisavam de publicações na sua própria língua, um dos missionários aceitou o desafio. Visto que não havia dicionários disponíveis, começou a elaborar um vocabulário de palavras tuvaluanas. Com o tempo, foi publicado o livro Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra * na língua tuvaluana. Quando missionários chegaram a Curaçau, não existiam publicações bíblicas, nem dicionário na língua local, o papiamento. Havia também muito desacordo sobre como escrever a língua local. Mesmo assim, dois anos depois da chegada dos primeiros missionários, o primeiro tratado bíblico cristão foi publicado naquela língua. Atualmente, o papiamento é uma das 133 línguas em que A Sentinela é publicada simultaneamente com a edição em inglês.

16 Na Namíbia, os primeiros missionários não encontraram nenhuma Testemunha local para ajudá-los a traduzir. Além disso, numa língua local, Nama, faltavam palavras para conceitos comuns, tais como “perfeito”. Um missionário relatou: “Para fazer a tradução, eu usava principalmente professores que estudavam a Bíblia. Visto que tinham pouco conhecimento da Bíblia, tive de ficar sentado com eles para certificar-me de que cada sentença era exata.” No entanto, o tratado Vida num Novo Mundo foi finalmente traduzido em quatro línguas da Namíbia. Agora, A Sentinela é publicada regularmente em kwanyama e ndonga.

17, 18. Que desafio há no México e em outros países?

17 No México, a língua principal é o espanhol. No entanto, antes da chegada dos espanhóis, muitas línguas eram faladas naquele  país, e algumas delas ainda são usadas. Por isso, hoje as publicações das Testemunhas de Jeová são produzidas em sete línguas mexicanas e também na língua de sinais mexicana. O Ministério do Reino em maia foi o primeiro periódico numa das línguas indígenas do continente americano. Realmente, vários milhares de maias, astecas e outros povos indígenas podem ser encontrados entre os 572.530 publicadores do Reino no México.

18 Nos últimos anos, milhões de pessoas fugiram para países estrangeiros como refugiados, ou emigraram por motivos econômicos. Em resultado disso, muitos países têm agora pela primeira vez grandes populações de língua estrangeira. As Testemunhas de Jeová têm enfrentado o desafio. Na Itália, por exemplo, há congregações e grupos em 22 línguas além da italiana. A fim de ajudar os irmãos a pregar a pessoas que falam outras línguas, recentemente foram organizados cursos para ensinar 16 línguas, inclusive a língua de sinais italiana. Em muitos outros países, as Testemunhas de Jeová fazem esforços similares para contatar grandes populações de imigrantes. Sim, com a ajuda de Jeová, a grande multidão está realmente saindo de muitos grupos lingüísticos.

“Por toda a terra”

19, 20. Que palavras de Paulo se cumprem hoje de modo notável? Queira explicar isso.

19 No primeiro século, o apóstolo Paulo escreveu: “Será que ficaram sem ouvir? Ora, de fato, ‘o som deles saiu por toda a terra, e as suas pronunciações, até às extremidades da terra habitada’.” (Romanos 10:18) Se foi assim no primeiro século, quanto mais agora! Milhões — talvez mais do que em qualquer outro período na História — estão dizendo: “Vou bendizer a Jeová todo o tempo; seu louvor estará constantemente na minha boca.” — Salmo 34:1.

20 Além disso, a obra não está diminuindo. O número dos publicadores continua a aumentar. Gasta-se cada vez mais tempo na pregação. Milhões de revisitas são feitas e dirigem-se centenas de milhares de estudos bíblicos. E continuam a surgir mais pessoas interessadas. No ano passado, um novo auge de 16.097.622 pessoas assistiram à Comemoração da morte de Jesus. É evidente que ainda há muito para se fazer. Portanto, que continuemos a imitar a firme integridade de nossos irmãos que suportaram intensa perseguição. E que possamos mostrar o mesmo zelo manifestado por todos os nossos irmãos que se têm empenhado no serviço de Jeová desde 1919. Que todos nós continuemos a repetir as palavras do coro do salmista: “Toda coisa que respira — louve ela a Jah. Louvai a Jah!” — Salmo 150:6.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 7 Veja o relatório anual nas páginas 18 a 21 desta revista.

^ parágrafo 15 Publicado pelas Testemunhas de Jeová.

Sabe explicar?

• Que tarefa empreenderam os irmãos em 1919, e por que isso era um desafio?

• Quem foi ajuntado em apoio da obra de pregação?

• Que registro de serviço os missionários e outros que servem em países estrangeiros estabeleceram?

• Que evidência você pode mencionar para mostrar que Jeová está hoje abençoando a obra do seu povo?

[Perguntas de Estudo]

 [Tabela nas páginas 18-21]

RELATÓRIO MUNDIAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ DO ANO DE SERVIÇO DE 2003

 (Veja o volume encadernado)

[Fotos nas páginas 14, 15]

O caos da Segunda Guerra Mundial não fez os cristãos duvidar de que se realizaria a pregação das boas novas

[Créditos das fotos nas páginas 14, 15]

Explosão: Foto da marinha dos EUA; outras: Foto da Guarda Costeira dos EUA

[Fotos nas páginas 16, 17]

A grande multidão procederia de todas as tribos e línguas