Pular para conteúdo

Pular para sumário

Um fascinante diário de bordo

Um fascinante diário de bordo

 Um fascinante diário de bordo

O EXPLORADOR Richard E. Byrd fez cinco expedições à Antártida entre 1928 e 1956. Por manterem registros precisos e um diário de bordo, ele e suas equipes puderam calcular a direção do vento, preparar mapas e obter consideráveis informações sobre o continente da Antártida.

As expedições de Byrd ilustram o valor de manter um diário de bordo. Num diário de bordo registra-se os pormenores duma viagem marítima ou aérea. Essa informação pode mais tarde ser usada para averiguar o que ocorreu ou para analisar dados que podem ser úteis em viagens futuras.

As Escrituras fornecem um relato fascinante sobre o Dilúvio nos dias de Noé. Aquele Dilúvio global durou mais de um ano. Preparando-se para o Dilúvio, Noé, sua esposa, seus três filhos e as esposas deles passaram 50 ou 60 anos construindo uma arca — uma embarcação enorme, com o volume de uns 40.000 metros cúbicos. O objetivo dela? Preservar alguns humanos e animais durante o Dilúvio. — Gênesis 7:1-3.

Na realidade, o livro bíblico de Gênesis contém o que se poderia chamar de diário de bordo de Noé, com informações do que aconteceu desde o início do Dilúvio até que ele e sua família saíram da arca. Será que contém algo de significativo para nós hoje?