Pular para conteúdo

Pular para sumário

Lições do registro do nascimento de Jesus

Lições do registro do nascimento de Jesus

 Lições do registro do nascimento de Jesus

MILHÕES de pessoas ficam fascinadas com os acontecimentos relacionados com o nascimento de Jesus. Isso é evidenciado pelos muitos presépios exibidos e pelas peças da Natividade apresentadas em todo o mundo na época do Natal. Embora sejam fascinantes, os acontecimentos relacionados com o nascimento de Jesus não foram registrados na Bíblia para entreter as pessoas. Antes, fazem parte de toda a Escritura inspirada por Deus para ensinar e para endireitar assuntos. — 2 Timóteo 3:16.

Se Deus tivesse desejado que os cristãos celebrassem o nascimento de Jesus, então a Bíblia nos forneceria a data exata. Será que ela fornece a data? Depois de mencionar que Jesus nasceu numa época em que pastores estavam ao relento à noite para vigiar seus rebanhos, Albert Barnes, erudito bíblico do século 19, chegou à seguinte conclusão: “Isso torna evidente que nosso Salvador nasceu antes de 25 de dezembro . . . Essa é uma época fria, especialmente nas regiões altas e montanhosas perto de Belém. Deus ocultou o tempo do nascimento [de Jesus]. . . . Nem era importante saber o tempo; pois, se tivesse sido, Deus teria preservado o registro dele para nós.”

Em contraste, os quatro escritores dos Evangelhos nos informam com clareza quando Jesus morreu. Foi na Páscoa,  realizada no dia 14 do mês judaico de nisã, na primavera. Além disso, Jesus ordenou especificamente aos seus seguidores que comemorassem esse dia em lembrança dele. (Lucas 22:19) A Bíblia não contém nenhuma ordem para comemorar o nascimento de Jesus, nem o de qualquer outra pessoa. Lamentavelmente, as controvérsias sobre a data do nascimento de Jesus podem ofuscar os acontecimentos mais notáveis ocorridos por volta daquele tempo.

Pais escolhidos por Deus

Dentre os milhares de famílias em Israel, que tipo de pais Deus escolheu para criar seu Filho? Deu Ele importância a fatores tais como proeminência e riqueza? Não. Em vez disso, Jeová observou as qualidades espirituais dos pais. Veja, em Lucas 1:46-55, o cântico de louvor cantado por Maria depois de ser informada do privilégio de se tornar a mãe do Messias. Entre outras coisas, ela disse: “Minha alma magnifica a Jeová . . . pois ele tem olhado para a situação humilde de sua escrava.” Ela achava modestamente que era de “situação humilde”, como escrava de Jeová. Mais importante ainda, as belas expressões de louvor no cântico de Maria revelam que ela era uma pessoa espiritual, com bom conhecimento das Escrituras. Embora fosse descendente pecaminosa de Adão, ela foi a escolha ideal para ser a mãe terrestre do Filho de Deus.

Que dizer do marido de Maria, que se tornou o pai adotivo de Jesus? José era homem com conhecimento prático de carpintaria. Visto que ele tinha disposição de trabalhar arduamente no seu ofício, pôde sustentar uma família que por fim incluía cinco filhos e pelo menos duas filhas. (Mateus 13:55, 56) José não era rico. Quando chegou o tempo para Maria apresentar seu filho recém-nascido no templo de Deus, José deve ter-se sentido desapontado por não poder prover o sacrifício duma ovelha. Em vez disso, eles tiveram de aproveitar uma concessão feita aos pobres. Referente à mãe dum filho recém-nascido, a lei de Deus declarava: “Se ela não tiver recursos suficientes para um ovídeo, então terá de tomar duas rolas ou dois pombos novos, um como oferta queimada e outro como oferta pelo pecado, e o sacerdote terá de fazer expiação por ela, e ela terá de ser limpa.” — Levítico 12:8; Lucas 2:22-24.

A Bíblia diz que José “era justo”. (Mateus 1:19) Por exemplo, ele não teve relações sexuais com a sua esposa virgem até depois do nascimento de Jesus. Isso evitou qualquer mal-entendido quanto a quem era realmente o Pai de Jesus. Para recém-casados, abster-se de relações íntimas enquanto viviam sob o mesmo teto não deve ter sido fácil, mas mostrou que ambos prezavam o privilégio de terem sido escolhidos para criar o Filho de Deus. — Mateus 1:24, 25.

José, assim como Maria, era uma pessoa espiritual. Todo ano ele interrompia o trabalho e levava a família numa viagem de três dias de Nazaré a Jerusalém, para assistirem à festividade anual da Páscoa. (Lucas 2:41) José também deve ter treinado o jovem Jesus no costume semanal de participar da adoração na sinagoga local, onde se lia e se explicava a Palavra de Deus. (Lucas 2:51; 4:16) De modo que não pode haver dúvida de que Deus escolhera corretamente a mãe terrestre e o pai adotivo para seu Filho.

Uma grandiosa bênção para pastores humildes

Apesar de ser difícil para a sua esposa, que já estava grávida de nove meses, José viajou à cidade  de seus antepassados para se registrar, de acordo com o decreto de César. Quando o casal chegou a Belém, não encontraram alojamento na cidade apinhada de gente. A situação os obrigou então a usar um estábulo, onde Jesus nasceu e foi posto numa manjedoura. Para fortalecer-lhes a fé, Jeová providenciou aos pais humildes a confirmação de que esse nascimento realmente era da vontade de Deus. Será que ele enviou de Belém uma delegação de destacados homens mais idosos para assegurar isso ao casal? Não. Em vez disso, Jeová Deus revelou o assunto a laboriosos pastores, que passavam as noites ao ar livre para cuidar dos seus rebanhos.

O anjo de Deus apareceu a eles e disse-lhes que fossem a Belém, onde encontrariam o recém-nascido Messias, ‘deitado numa manjedoura’. Será que esses homens humildes ficaram chocados ou embaraçados ao ouvir que o recém-nascido Messias estava num estábulo? De modo algum. Sem demora, eles deixaram seus rebanhos e foram a Belém. Quando encontraram Jesus, contaram a José e Maria o que o anjo lhes dissera. Isso, sem dúvida, reforçou a fé do casal de que tudo estava acontecendo segundo o propósito de Deus. “Os pastores”, da sua parte, “voltaram então, glorificando e louvando a Deus por todas as coisas que ouviram e viram”. (Lucas 2:8-20) Jeová havia feito a escolha certa ao revelar o assunto a pastores tementes a Deus.

Esse relato nos ensina que tipo de pessoas devemos ser para ter o favor de Jeová. Não precisamos buscar destaque ou riquezas. Em vez disso, assim como José, Maria e os pastores, temos de obedecer a Deus e provar-lhe nosso amor por colocar interesses espirituais à frente de coisas materiais. De fato, podemos aprender excelentes lições por meditarmos no registro dos acontecimentos ocorridos na época do nascimento de Jesus.

[Foto na página 7]

O que é indicado pelo fato de Maria oferecer dois pombos?

[Foto na página 7]

Deus escolheu revelar o nascimento de Jesus a alguns pastores humildes