Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como lidar com “um espinho na carne”

Como lidar com “um espinho na carne”

 Como lidar com “um espinho na carne”

“Basta-te a minha benignidade imerecida.” — 2 CORÍNTIOS 12:9.

1, 2. (a) Por que não devemos ficar intrigados por nos confrontarmos com provas e problemas? (b) Por que podemos ter confiança ao enfrentarmos provações?

“TODOS os que desejarem viver com devoção piedosa em associação com Cristo Jesus também serão perseguidos.” (2 Timóteo 3:12) Por que se dá isso? Porque Satanás afirma que o homem só serve a Deus por motivos egoístas, e ele está desesperado para provar que tem razão. Jesus certa vez advertiu seus fiéis apóstolos: “Satanás reclamou que fôsseis peneirados como trigo.” (Lucas 22:31) Jesus sabia muito bem que Deus permite que Satanás nos prove por meio de problemas dolorosos. Naturalmente, isto não significa que todas as dificuldades com que nos confrontamos na vida se originam diretamente de Satanás ou dos seus demônios. (Eclesiastes 9:11) Mas, Satanás está ansioso de usar quaisquer meios à sua disposição para quebrantar nossa integridade.

2 A Bíblia nos diz que não devemos ficar intrigados com nossas provações. Não importa o que nos sobrevenha, não é nada estranho, nem inesperado. (1 Pedro 4:12) Na realidade, “as mesmas coisas, em matéria de sofrimentos, estão sendo efetuadas na associação inteira dos [nossos] irmãos no mundo”. (1 Pedro 5:9) Hoje em dia, Satanás exerce extrema pressão sobre cada servo de Deus. O Diabo se agrada de ver-nos atormentados com o máximo possível de problemas espinhosos. Para isso ele usa seu sistema de coisas de tal modo que provavelmente aumente ou agrave quaisquer ‘espinhos na carne’ que tenhamos. (2 Coríntios 12:7) Não obstante, os ataques de Satanás não necessariamente quebrantam a nossa integridade. Assim como Jeová ‘proverá a saída’ para suportarmos tentações, ele fará o mesmo quando nos confrontarmos com dificuldades que são como espinhos na carne. — 1 Coríntios 10:13.

Como lidar com um espinho

3. Como respondeu Jeová quando Paulo pediu que lhe removesse o espinho na carne?

3 O apóstolo Paulo implorou a Deus que lhe removesse o espinho na carne. “Neste respeito supliquei três vezes ao Senhor para que isso se afastasse de mim.” Qual foi a resposta de Jeová  ao pedido fervoroso de Paulo? “Basta-te a minha benignidade imerecida; pois o meu poder está sendo aperfeiçoado na fraqueza.” (2 Coríntios 12:8, 9) Analisemos esta resposta e vejamos como ela pode ajudar-nos a lidar com quaisquer problemas espinhosos que nos afligem.

4. Como foi Paulo beneficiado pela benignidade imerecida de Jeová?

4 Note que Deus incentivou Paulo a ter apreço pela benignidade imerecida que já se tivera com ele por meio de Cristo. Deveras, Paulo tinha sido muito abençoado de diversas maneiras. Jeová concedeu-lhe amorosamente o privilégio do discipulado, embora tivesse sido um opositor fanático dos seguidores de Jesus. (Atos 7:58; 8:3; 9:1-4) Jeová deu depois a Paulo bondosamente muitas designações e privilégios emocionantes. Esta é uma lição clara para nós. Mesmo nas épocas mais difíceis, ainda temos muitas bênçãos pelas quais devemos ser gratos. Nossas provações nunca nos devem fazer esquecer a abundante bondade de Jeová. — Salmo 31:19.

5, 6. (a) Como Jeová ensinou a Paulo que o poder divino é “aperfeiçoado na fraqueza”? (b) Como provou o exemplo de Paulo que Satanás é mentiroso?

5 A benignidade imerecida de Jeová mostrou ser suficiente de outro modo. O poder de Deus mais do que basta para nos ajudar a suportar nossas provações. (Efésios 3:20) Jeová ensinou a Paulo que o poder divino é “aperfeiçoado na fraqueza”. Como? Ele deu amorosamente a Paulo toda a força necessária para lidar com a provação. Por sua vez, a perseverança e a implícita confiança de Paulo em Jeová mostravam a todos que o poder de Deus triunfava no caso deste homem fraco e pecaminoso. Considere agora o efeito que isso teve no Diabo, que afirma que os homens só servem a Deus quando a vida é confortável, sem complicações. A integridade de Paulo foi como uma bofetada neste caluniador!

6 Ali estava Paulo, anterior aliado de Satanás na sua luta contra Deus, perseguidor insolente dos cristãos, fariseu zeloso que, sem dúvida, antes usufruía muitos confortos na vida por ter nascido numa classe privilegiada. Paulo servia então a Jeová e a Cristo como “o mínimo dos apóstolos”. (1 Coríntios 15:9) Como tal, sujeitava-se humildemente à autoridade do corpo governante cristão do primeiro século. E perseverava fielmente apesar do seu espinho na carne. Para o grande vexame de Satanás, as provações na vida não diminuíram o zelo de Paulo. Ele nunca se esqueceu da esperança de que compartilharia o Reino celestial de Cristo. (2 Timóteo 2:12; 4:18) Nenhum espinho, não importa quão doloroso, diminuiria o seu zelo. Que o nosso zelo, do mesmo modo, continue forte! Por nos sustentar nas nossas provações, Jeová nos dignifica com o privilégio de ajudar a provar que Satanás é mentiroso. — Provérbios 27:11.

As provisões de Jeová são vitais

7, 8. (a) Por que meios Jeová fortalece hoje os seus servos? (b) Por que são tão vitais a leitura e o estudo diário da Bíblia, para podermos lidar com um espinho na carne?

7 Hoje em dia, Jeová capacita os cristãos fiéis por meio do seu espírito santo, sua Palavra e nossa fraternidade cristã. Assim como o apóstolo Paulo, podemos lançar nossos fardos sobre Jeová em oração. (Salmo 55:22) Embora Deus talvez não remova nossas provações, pode conceder-nos a sabedoria de saber como lidar com elas, mesmo com as especialmente difíceis de suportar. Jeová também pode dar-nos coragem — dando-nos “poder além do normal” — a fim de nos ajudar a perseverar. — 2 Coríntios 4:7.

8 Como recebemos esta ajuda? Temos de estudar diligentemente a Palavra de Deus, porque encontramos consolo confiável nela. (Salmo 94:19) Lemos na Bíblia as palavras tocantes de servos de Deus, quando imploravam a ajuda divina. As respostas de Jeová, que muitas vezes incluem o uso de palavras consoladoras, são motivo para meditação. O estudo nos fortalecerá para que “o poder além do normal seja o de Deus e não o de nós mesmos”. Assim como precisamos cada dia ingerir alimento físico  para nos nutrir e ter força, precisamos alimentar-nos regularmente das palavras de Deus. Fazemos isso? Em caso afirmativo, veremos que recebermos “poder além do normal” ajuda-nos a suportar quaisquer espinhos figurativos que nos aflijam agora.

9. Como podem os anciãos amparar os que lidam com problemas?

9 Os anciãos cristãos que temem a Deus podem “mostrar ser como abrigo contra o vento” de aflição, “como esconderijo contra o temporal” de problemas. Os anciãos, que querem enquadrar-se nesta descrição, pedem humilde e sinceramente a Jeová que lhes dê “a língua dos instruídos”, para poderem saber como responder aos sofredores com as palavras certas. As palavras dos anciãos podem ser como uma chuva suave que refrigera e consola nosso espírito em ocasiões difíceis na vida. Por falarem “consoladoramente às almas deprimidas”, os anciãos deveras amparam seus irmãos e suas irmãs espirituais, que talvez fiquem esgotados ou desanimados por causa de algum espinho na carne. — Isaías 32:2; 50:4; 1 Tessalonicenses 5:14.

10, 11. Como podem os servos de Deus animar outros que passam por severas provas?

10 Todos os servos de Jeová fazem parte da sua unida família cristã. Na verdade, somos “membros que individualmente se pertencem uns aos outros”, e temos “a obrigação de nos amarmos uns aos outros”. (Romanos 12:5; 1 João 4:11) Como cumprimos esta obrigação? De acordo com 1 Pedro 3:8, fazemos isso por “[compartilhar] os sentimentos, exercendo afeição fraternal, [e por sermos] ternamente compassivos, humildes na mente” para com todos os aparentados conosco na fé. Quanto aos que lidam com um espinho na carne especialmente doloroso, sejam jovens ou idosos, todos nós podemos ter consideração especial para com eles. De que modo?

11 Devemos esforçar-nos a ser sensíveis aos sofrimentos deles. Se formos insensíveis, frios ou indiferentes, poderemos sem querer aumentar o sofrimento deles. Percebermos as provações deles deve levar-nos a ter cuidado com o que dizemos, como o dizemos e como agimos. Sermos positivos e animadores pode ajudar a diminuir parte da dor aguda do espinho que os aflige. Podemos assim ser um auxílio fortalecedor para eles. — Colossenses 4:11.

Como alguns foram bem-sucedidos em lidar com provas

12-14. (a) O que fez certa cristã para lidar com um câncer? (b) Como foi esta mulher apoiada e encorajada por seus irmãos e irmãs espirituais?

12 Ao passo que nos aproximamos do fim destes últimos dias, as “dores de aflição” aumentam diariamente. (Mateus 24:8) De modo  que é provável que todos na Terra sofram provações, especialmente os servos fiéis de Jeová, que procuram fazer a vontade dele. Por exemplo, considere o caso duma cristã que servia no ministério de tempo integral. Diagnosticou-se que ela tinha câncer e que era necessário remover cirurgicamente suas glândulas salivares e linfáticas. Quando ela e seu marido souberam da doença, recorreram imediatamente a Jeová numa prolongada e suplicante oração. Ela disse mais tarde que lhes sobreveio uma incrível paz. Ainda assim, ela sofreu muitos altos e baixos, especialmente ao lidar com os efeitos colaterais dos seus tratamentos.

13 Para lidar com a sua situação, esta irmã procurou saber tudo que podia sobre o câncer. Consultou os seus médicos. Encontrou em A Sentinela, na Despertai!, e em publicações cristãs relacionadas, relatos pessoais que mostravam como outras pessoas haviam lidado emocionalmente com esta doença. Ela leu também relevantes passagens bíblicas mostrando a capacidade de Jeová sustentar seu povo durante dificuldades, bem como outras informações úteis.

14 Um artigo sobre como lidar com o desespero citou as seguintes palavras sábias: “Quem se isola procurará o seu próprio desejo egoísta.” (Provérbios 18:1) Por isso, o artigo deu o seguinte conselho: “Devemos resistir à vontade de nos isolarmos.” * A irmã conta: “Muitos me disseram que oravam por mim; outros me telefonaram. Dois anciãos me telefonavam regularmente para ver como eu estava. Recebi flores e uma porção de cartões. Alguns até mesmo preparavam refeições. Também, muitos se ofereceram para me levar aos meus tratamentos.”

15-17. (a) Como lidou uma cristã com as dificuldades resultantes de acidentes? (b) Que apoio deram os da congregação?

15 Uma irmã do Estado de Novo México, EUA, que servia a Jeová por muito tempo sofreu dois acidentes de automóvel. Machucou o pescoço e os ombros, agravando seu problema de artrite que já tinha por mais de 25 anos. Ela conta: “Eu tinha muita dificuldade de manter a cabeça erguida e de carregar algo que pesasse mais de dois quilos. Mas orar fervorosamente a Jeová me tem sustentado muito. O mesmo fazem os artigos em A Sentinela que já estudamos. Um deles comentou Miquéias 6:8, observando que ser modesto em andar com Deus significa reconhecer que se tem limitações. Isto me ajudou a perceber que, apesar da minha condição, eu não devia ficar desanimada, embora gastasse menos tempo no ministério do que gostaria. O que conta primariamente é servi-lo com motivação pura.”

16 Ela também conta: “Os anciãos sempre me elogiavam pelos meus esforços de assistir às reuniões e de sair no ministério de campo. As crianças me cumprimentavam com um abraço. As pioneiras foram muito pacientes comigo e muitas vezes ajustavam seus planos pessoais quando eu não estava bem. Quando o tempo estava ruim, levavam-me bondosamente a revisitas ou me convidavam para acompanhá-las nos seus estudos bíblicos. E visto que eu não podia carregar uma bolsa com livros, outros publicadores colocavam minhas publicações na pasta ou na bolsa deles quando eu saía na pregação.”

17 Note como anciãos de congregação e outros publicadores ajudavam estas duas irmãs a lidar com suas enfermidades espinhosas. Ofereciam ajuda prática e bondosa, para enfrentar necessidades espirituais, físicas e emocionais específicas. Isso não incentiva você a dar ajuda a outros irmãos e irmãs com problemas? Vocês, jovens, também podem ser de ajuda para aqueles na sua congregação que lidam com espinhos na carne. — Provérbios 20:29.

18. Que encorajamento podemos encontrar nas biografias publicadas nas revistas A Sentinela e Despertai!?

18 As revistas A Sentinela e Despertai! têm publicado muitas biografias e experiências de Testemunhas de Jeová que tiveram de lidar e ainda  lidam com problemas na vida. Ao passo que você lê regularmente esses artigos, verá que muitos de nossos irmãos e irmãs espirituais, em todo o mundo, têm suportado dificuldades econômicas, a perda de entes queridos em desastres e perigosas condições de guerra. Outros convivem com doenças que os incapacitam. Muitos não conseguem fazer algumas das coisas simples na vida que os saudáveis consideram normais. Suas enfermidades são para eles uma prova severa, especialmente quando não podem participar em atividades cristãs tanto quanto gostariam. Quanto eles apreciam a ajuda e o apoio que seus irmãos e suas irmãs, jovens e idosos, lhes dão!

A perseverança dá felicidade

19. Por que podia Paulo alegrar-se apesar das suas espinhosas provações e fraquezas?

19 Paulo alegrou-se de ver como Deus o fortalecia. Disse: “De muito bom grado . . . jactar-me-ei antes com respeito às minhas fraquezas, para que o poder do Cristo permaneça sobre mim igual a uma tenda. Portanto, tenho prazer em fraquezas, em insultos, em necessidades, em perseguições e dificuldades, por Cristo. Pois quando estou fraco, então é que sou poderoso.” (2 Coríntios 12:9, 10) Por causa da sua própria experiência, Paulo podia dizer com confiança: “Não é que eu esteja falando com respeito a ter carência, pois aprendi a ser auto-suficiente em qualquer circunstância em que esteja. Eu sei, deveras, estar reduzido em provisões, sei, deveras, ter abundância. Em tudo e em todas as circunstâncias aprendi o segredo tanto de estar suprido como de ter fome, tanto de ter abundância como de sofrer carência. Para todas as coisas tenho força em virtude daquele que me confere poder.” — Filipenses 4:11-13.

20, 21. (a) Por que podemos ter alegria por meditar nas “coisas não vistas”? (b) Quais são algumas das “coisas não vistas” que você espera ver no Paraíso terrestre?

20 Portanto, ao perseverarmos sempre que tivermos um espinho figurativo na carne, poderemos ter muita felicidade em mostrar a todos que o poder de Jeová está sendo aperfeiçoado na nossa fraqueza. Paulo escreveu: “Não desistimos . . . Certamente o homem que somos por dentro está sendo renovado de dia em dia. Pois, embora a tribulação seja momentânea e leve, produz para nós uma glória de peso que ultrapassa mais e mais, e que é eterna, ao passo que fixamos os olhos . . . nas coisas não vistas. Porque as coisas . . . não vistas são eternas.” — 2 Coríntios 4:16-18.

21 A maioria dos do povo de Jeová atualmente espera viver no Paraíso terrestre e usufruir as bênçãos que ele prometeu. Hoje essas bênçãos talvez sejam consideradas “não vistas” por nós. No entanto, aproxima-se rapidamente o tempo em que veremos essas bênçãos com os nossos próprios olhos, sim, e as usufruiremos para sempre. Uma dessas bênçãos será o alívio de nunca mais termos de viver com problemas espinhosos! O Filho de Deus vai “desfazer as obras do Diabo” e ‘reduzir a nada aquele que tem os meios de causar a morte’. — 1 João 3:8; Hebreus 2:14.

22. Que confiança e determinação devemos ter?

22 Portanto, não importa que espinho na carne nos aflija hoje, continuemos a lidar com ele. Assim como Paulo, teremos forças para isso em virtude de Jeová, que nos dá generosamente poder. Quando vivermos no Paraíso terrestre, bendiremos a Jeová, nosso Deus, todos os dias, por todas as suas coisas maravilhosas feitas para nós. — Salmo 103:2.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 14 Veja o artigo “O Conceito da Bíblia: Como lidar com o desespero”, na Despertai! de 8 de maio de 2000.

Como responderia?

• Por que e como procura o Diabo quebrantar a integridade dos verdadeiros cristãos?

• Como é o poder de Jeová “aperfeiçoado na fraqueza”?

• Como podem os anciãos e outros encorajar os que sofrem com problemas?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 18]

Paulo orou três vezes pedindo que Deus lhe removesse o espinho na carne