Pular para conteúdo

Pular para sumário

Desenvolva seu coração para temer a Jeová

Desenvolva seu coração para temer a Jeová

 Desenvolva seu coração para temer a Jeová

“Se somente desenvolvessem este coração seu para me temerem e para guardarem sempre todos os meus mandamentos.” — DEUTERONÔMIO 5:29.

1. Como podemos ter certeza de que, no futuro, as pessoas ficarão livres do temor?

O TEMOR tem afligido a humanidade durante séculos. Por temerem a fome, a doença, o crime ou a guerra, milhões de pessoas têm constante ansiedade. Por este motivo, o preâmbulo da Declaração Universal dos Direitos Humanos expressa o desejo de criar um mundo em que todos os humanos possam viver livres do temor. * Felizmente, o próprio Deus assegura-nos que haverá tal mundo — embora não por esforços humanos. Jeová, por meio do seu profeta Miquéias, promete-nos que, no Seu novo mundo de justiça, ‘não haverá quem faça Seu povo tremer’. — Miquéias 4:4.

2. (a) Como as Escrituras nos exortam a temer a Deus? (b) Que perguntas podem surgir ao considerarmos nossa obrigação de temer a Deus?

2 Por outro lado, o temor pode ser também uma força positiva. Nas Escrituras, os servos de Deus são repetidamente exortados a temer a Jeová. Moisés disse aos israelitas: “É a Jeová, teu Deus, que deves temer e a ele deves servir.” (Deuteronômio 6:13) Séculos mais tarde, Salomão escreveu: “Teme o verdadeiro Deus e guarda os seus mandamentos. Pois esta é toda a obrigação do homem.” (Eclesiastes 12:13) Por meio de nosso trabalho de pregação, realizado sob supervisão angélica, nós também exortamos todas as pessoas a ‘temerem a Deus e lhe darem glória’. (Revelação [Apocalipse] 14:6, 7) Os cristãos, além de temerem a Jeová, têm de amá-lo de todo o coração. (Mateus 22:37, 38) Como podemos amar a Jeová e ao mesmo tempo temê-lo? Por que se precisa temer a um Deus amoroso? Como nos beneficia cultivarmos temor de Deus? Para responder a estas perguntas, temos de entender primeiro o que significa temer a Deus e como este tipo de temor é uma parte fundamental de nosso relacionamento com Jeová.

Admiração, reverência e temor

3. O que significa temer a Deus?

3 O temor de Deus é um sentimento que os cristãos devem ter para com o seu Criador. Uma definição deste temor é “admiração reverente, uma profunda reverência pelo Criador, e um pavor salutar de desagradá-lo”. De modo que temermos a Deus influencia dois aspectos importantes da nossa vida: nossa atitude para com Deus e nossa atitude para com a conduta que ele odeia. É óbvio que ambos esses aspectos são vitais e merecem cuidadosa consideração. Conforme salienta o Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento), de Vine, terem os cristãos um temor reverente é ‘um motivo que controla a vida, em assuntos tanto espirituais como morais’.

4. Como podemos desenvolver sentimentos de admiração e reverência para com o nosso Criador?

4 Como podemos desenvolver sentimentos de admiração e de reverência para com o nosso Criador? Ficamos admirados quando vemos uma linda paisagem, uma impressionante cachoeira  ou um espetacular pôr-do-sol. Este sentimento aumenta quando discernimos, com olhos de fé, a mão de Deus por trás dessas criações. Além disso, assim como o Rei Davi, percebemos quão insignificantes somos em comparação com a espantosa criação de Jeová. “Quando vejo os teus céus, trabalhos dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste, que é o homem mortal para que te lembres dele?” (Salmo 8:3, 4) Esta profunda admiração causa reverência, que nos induz a agradecer e a louvar a Jeová por tudo o que ele faz para nós. Davi também escreveu: “Elogiar-te-ei porque fui feito maravilhosamente, dum modo atemorizante. Teus trabalhos são maravilhosos, de que minha alma está bem apercebida.” — Salmo 139:14.

5. Por que devemos temer a Jeová, e que exemplo excelente temos neste respeito?

5 Os sentimentos de admiração e de reverência criam um saudável e respeitoso temor do poder de Deus como Criador e da sua autoridade como Governante legítimo do Universo. Numa visão observada pelo apóstolo João, “os que se saem vitoriosos em face da fera, e da sua imagem” — os seguidores ungidos de Cristo na sua posição celestial — proclamam: “Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Jeová Deus, o Todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, Rei da eternidade. Quem realmente não te temerá, Jeová, e glorificará o teu nome?” (Revelação 15:2-4) O temor de Deus, motivado por uma profunda reverência pela majestade dele, induz os que governam com Cristo no Reino celestial a honrar a Deus como derradeira autoridade. Quando consideramos tudo o que Jeová tem realizado, e a maneira justa como governa o Universo, não temos muitos motivos para temê-lo? — Salmo 2:11; Jeremias 10:7.

6. Por que devemos ter um pavor salutar de desagradar a Jeová?

6 Além da admiração e reverência, porém, o temor de Deus deve incluir um pavor salutar de desagradá-lo ou de desobedecê-lo. Por quê? Porque, embora Jeová seja “vagaroso em irar-se e abundante em benevolência”, temos de  nos lembrar de que ele “de modo algum isentará da punição”. (Êxodo 34:6, 7) Embora Jeová seja amoroso e misericordioso, ele não tolera a injustiça e a transgressão proposital. (Salmo 5:4, 5; Habacuque 1:13) Aqueles que deliberada e impenitentemente praticam o que é iníquo aos olhos de Jeová, e que se opõem a ele, não podem fazer isso e ficar impunes. Conforme disse o apóstolo Paulo, “coisa terrível é cair nas mãos do Deus vivente”. Termos um pavor salutar de cair em tal situação acaba servindo de proteção para nós. — Hebreus 10:31.

“A ele vos deveis apegar”

7. Que motivos temos para confiar no poder salvador de Jeová?

7 O temor reverente de Deus e a viva percepção do seu espantoso poder vêm antes de se desenvolver confiança em Jeová. Assim como uma criancinha se sente protegida quando o pai está perto, assim nós nos sentimos seguros e confiantes sob a mão orientadora de Jeová. Note como os israelitas reagiram depois de Jeová os ter levado para fora do Egito: “Israel chegou também a ver a grande mão que Jeová pôs em ação contra os egípcios; e o povo começou a temer a Jeová e a ter fé em Jeová.” (Êxodo 14:31) O que se deu com Eliseu também confirma que “o anjo de Jeová acampa-se ao redor dos que o temem, e ele os socorre”. (Salmo 34:7; 2 Reis 6:15-17) A história moderna do povo de Jeová, e provavelmente a nossa própria experiência, confirma que Deus exerce seu poder a favor dos que o servem. (2 Crônicas 16:9) Chegamos assim a perceber que “no temor de Jeová há forte confiança”. — Provérbios 14:26.

8. (a) Por que o temor de Deus nos induz a andar nos caminhos dele? (b) Explique como devemos ‘apegar-nos’ a Jeová.

8 Termos temor sadio de Deus não só promove confiança nele, mas também nos motiva a andar nos seus caminhos. Quando Salomão inaugurou o templo, ele orou a Jeová: “Que [os israelitas] te temam, andando nos teus caminhos todos os dias em que estiverem vivos na superfície do solo que deste aos nossos antepassados.” (2 Crônicas 6:31) Antes disso, Moisés exortou os israelitas: “Deveis andar seguindo a Jeová, vosso Deus, e a ele deveis temer, e seus mandamentos deveis guardar, a sua voz deveis escutar, e a ele deveis servir, e a ele vos deveis apegar.” (Deuteronômio 13:4) Conforme estes versículos mostram claramente, o desejo de andar nos caminhos de Jeová e de se “apegar” a ele resulta da confiança que temos em Deus. Deveras, temermos a Jeová Deus nos induz a obedecer-lhe, a servi-lo e a nos apegar a ele, assim como uma criancinha se apega literalmente ao pai em que confia implicitamente. — Salmo 63:8; Isaías 41:13.

Amar a Deus significa temê-lo

9. Que relação há entre amar a Deus e temê-lo?

9 Dum ponto de vista bíblico, temer a Deus de modo algum exclui que o amemos. Ao contrário, mandou-se que os israelitas ‘temessem a Jeová para andarem em todos os seus caminhos e o amarem’. (Deuteronômio 10:12) De modo que temer a Deus e amá-lo estão intrinsecamente ligados. Temermos a Deus nos induz a andar nos seus caminhos, e isto, por sua vez, prova que o amamos. (1 João 5:3) Isto é lógico, porque, quando amamos alguém, é de esperar que tenhamos receio de magoá-lo. Os israelitas magoaram a Jeová pelo seu proceder rebelde no ermo. Certamente, não queremos fazer nada que cause tal tristeza ao nosso Pai celestial. (Salmo 78:40, 41) Por outro lado, visto que “Jeová tem prazer nos que o temem”, nossa obediência e fidelidade alegram seu coração. (Salmo 147:11; Provérbios 27:11) O amor a Deus nos induz a agradá-lo, e o temor de Deus nos refreia de magoá-lo. Estas são qualidades complementares, não contraditórias.

10. Como Jesus mostrou que se deleitava em temer a Jeová?

10 O modo de vida de Jesus Cristo ilustra claramente como podemos ao mesmo tempo amar e temer a Deus. O profeta Isaías escreveu a respeito de Jesus: “Sobre ele terá de pousar o espírito de Jeová, o espírito de sabedoria  e de compreensão, o espírito de conselho e de potência, o espírito de conhecimento e do temor de Jeová; e deleitar-se-á no temor de Jeová.” (Isaías 11:2, 3) De acordo com esta profecia, o espírito de Deus induziu Jesus a temer seu Pai celestial. Além disso, notamos que este temor, longe de ser restritivo, era uma fonte de satisfação. Jesus se deleitava em fazer a vontade de Deus e em agradá-lo, mesmo nas situações mais difíceis. Quando se confrontou com sua iminente execução na estaca de tortura, ele disse a Jeová: “Não como eu quero, mas como tu queres.” (Mateus 26:39) Por causa deste temor piedoso, Jeová atendeu as súplicas de seu Filho, fortalecendo-o e salvando-o da morte. — Hebreus 5:7.

Aprenda a temer a Jeová

11, 12. (a) Por que temos de aprender a temer a Deus? (b) Como Jesus nos ensina a temer a Jeová?

11 Dessemelhante da admiração espontânea que sentimos quando nos defrontamos com o poder e a majestade da natureza, temer a Deus não é algo automático. É por isso que o Davi Maior, Jesus Cristo, faz-nos o convite profético: “Vinde, ó filhos, escutai-me; o temor de Jeová é o que vos ensinarei.” (Salmo 34:11) Como Jesus nos ensina a temer a Jeová?

12 Jesus nos ensina a temer a Jeová por nos ajudar a compreender a personalidade maravilhosa de nosso Pai celestial. (João 1:18) O próprio exemplo de Jesus revela como Deus pensa e como ele trata os outros, pois Jesus reflete perfeitamente a personalidade de seu Pai. (João 14:9, 10) Além disso, por meio do sacrifício de Jesus, temos acesso a Jeová quando oramos pedindo o perdão de nossos pecados. Esta notável expressão da misericórdia de Deus por si só já é um forte motivo para temê-lo. O salmista escreveu: “Contigo há o verdadeiro perdão, a fim de que sejas temido.” — Salmo 130:4.

13. Que passos delineados no livro de Provérbios ajudam-nos a temer a Jeová?

13 O livro de Provérbios delineia uma série de passos que nos habilitam a cultivar temor de Deus. “Filho meu, se aceitares as minhas declarações e entesourares contigo os meus próprios mandamentos, de modo a prestares atenção à sabedoria, com o teu ouvido, para inclinares teu coração ao discernimento; se, além disso, clamares pela própria compreensão e emitires a tua voz pelo próprio discernimento, . . . neste caso entenderás o temor de Jeová e acharás o próprio conhecimento de Deus.” (Provérbios 2:1-5) Portanto, para temermos a Deus temos de estudar a sua Palavra, esforçar-nos a compreender as instruções dela e então prestar muita atenção aos conselhos que ela dá.

14. Como podemos aplicar o conselho dado aos reis de Israel?

14 Todos os reis do antigo Israel receberam ordens de fazer uma cópia da Lei e de ‘lê-la todos os dias da sua vida, a fim de aprender a temer a Jeová, seu Deus, para guardar todas as palavras desta lei’. (Deuteronômio 17:18, 19) A leitura e o estudo da Bíblia são igualmente vitais para nós, se havemos de aprender a temer a Jeová. Ao passo que aplicamos os princípios bíblicos  na nossa vida, obtemos aos poucos sabedoria e conhecimento divinos. Chegamos a ‘entender o temor de Jeová’, porque notamos os bons resultados que isso produz na nossa vida e prezamos nosso relacionamento com Deus. Além disso, por se congregarem regularmente com concrentes, tanto jovens como idosos podem dar atenção ao ensino divino, aprender a temer a Deus e andar nos seus caminhos. — Deuteronômio 31:12.

Feliz é todo aquele que teme a Jeová

15. Como se relaciona temer a Deus com a nossa adoração dele?

15 À base do que já se mencionou, podemos ver que temer a Deus é uma atitude salutar que todos devem cultivar, por ser uma parte fundamental da nossa adoração de Jeová. Leva-nos a confiar nele implicitamente, a andar nos seus caminhos e a nos apegar a ele. Assim como se deu com Jesus Cristo, temermos a Deus pode também induzir-nos a cumprir nosso voto de dedicação agora e por toda a eternidade.

16. Por que Jeová nos incentiva a temê-lo?

16 O temor de Deus nunca é mórbido ou excessivamente restritivo. “Feliz todo aquele que teme a Jeová, que anda nos seus caminhos”, assegura-nos a Bíblia. (Salmo 128:1) Jeová incentiva-nos a temê-lo, porque sabe que isso nos protegerá. Notamos a preocupação amorosa dele nas suas palavras dirigidas a Moisés: “Se [os israelitas] somente desenvolvessem este coração seu para me temerem e para guardarem sempre todos os meus mandamentos, para que lhes fosse bem a eles e a seus filhos, por tempo indefinido!” — Deuteronômio 5:29.

17. (a) Que benefícios obtemos por temer a Deus? (b) Que aspectos do temor de Deus serão considerados no próximo artigo?

17 De forma similar, se desenvolvermos nosso coração para temer a Deus, seremos bem sucedidos. De que modo? Em primeiro lugar, esta atitude agradará a Deus e nos achegará mais a ele. Davi sabia por experiência própria que Deus “realizará o desejo dos que o temem e ouvirá seu clamor por ajuda, e ele os salvará”. (Salmo 145:19) Em segundo lugar, temer a Deus nos beneficiará porque afetará a nossa atitude para com o mal. (Provérbios 3:7) O próximo artigo examinará como este temor nos salvaguarda do perigo espiritual, e citará alguns exemplos bíblicos de homens que temeram a Deus e se desviaram do mal.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 1 A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou em 10 de dezembro de 1948 a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Sabe responder a estas perguntas?

• O que significa temer a Deus, e como isso nos afeta?

• Que relação há entre temer a Deus e andar com Deus?

• Como mostra o exemplo de Jesus que temer a Deus relaciona-se com amar a Deus?

• De que modo podemos desenvolver nosso coração para temer a Deus?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 17]

Os reis israelitas receberam ordens de fazerem para si uma cópia da Lei e de lê-la diariamente

[Foto na página 18]

Temermos a Jeová nos leva a confiar nele assim como um filho confia no pai

[Crédito da foto na página 15]

Estrelas: Foto de Malin, © IAC/RGO 1991