Pular para conteúdo

Pular para sumário

Tenha fé como Abraão!

Tenha fé como Abraão!

 Tenha fé como Abraão!

“Os que aderem à fé é que são filhos de Abraão.” — GÁLATAS 3:7.

1. Como lidou Abrão com uma nova provação em Canaã?

ABRÃO havia deixado uma vida confortável em Ur, em obediência à ordem de Jeová. As inconveniências que sofreu nos anos seguintes foram apenas o prelúdio da prova de fé com que se confrontou no Egito. O relato bíblico diz: “Houve então uma fome no país.” Como teria sido fácil para Abrão sentir-se amargurado por causa desta situação! Em vez disso, tomou medidas práticas para sustentar a família. “Abrão se encaminhou para baixo ao Egito, a fim de residir ali como forasteiro, porque a fome era severa no país.” A grande família de Abrão dificilmente passaria despercebida no Egito. Seria Jeová fiel às suas promessas e protegeria Abrão contra dano? — Gênesis 12:10; Êxodo 16:2, 3.

2, 3. (a) Por que ocultou Abrão a verdadeira identidade da sua esposa? (b) Tratando da situação, como lidou Abrão com sua esposa?

2 Lemos em Gênesis 12:11-13: “Sucedeu que, assim que chegou perto para entrar no Egito, ele disse então a Sarai, sua esposa: ‘Agora, por favor, bem sei que és mulher de bela aparência. Assim, forçosamente há de acontecer que os egípcios te verão e dirão: “Esta é a esposa dele.” E eles certamente me matarão, mas a ti te preservarão viva. Dize, por favor, que és minha irmã, a fim de que me vá bem por tua causa, e minha alma por certo viverá devido a ti.’” Embora Sarai já tivesse mais de 65 anos de idade, ela ainda era notavelmente bela. Isto punha a vida de Abrão em perigo. * (Gênesis 12:4, 5; 17:17) Mais importante ainda era que os interesses de Jeová estavam em jogo, pois ele havia dito que por meio da descendência de Abrão todas as nações da Terra abençoariam a si mesmas. (Gênesis 12:2, 3, 7) Visto que Abrão ainda não tinha filhos, era de suma importância que continuasse vivo.

3 Abrão falou à esposa sobre usarem uma tática que já haviam combinado, a saber, dizer que ela era sua irmã. Note que, embora tivesse autoridade patriarcal, ele não abusou da sua posição, mas pediu a cooperação e o apoio dela. (Gênesis 12:11-13; 20:13) Neste respeito, Abrão deu um excelente exemplo aos maridos para exercerem uma chefia amorosa, e Sarai, ao demonstrar sua sujeição, é um exemplo para as esposas atuais. — Efésios 5:23-28; Colossenses 4:6.

4. Como devem os fiéis servos de Deus comportar-se hoje quando a vida dos seus irmãos está em jogo?

4 Sarai podia dizer que era irmã de Abrão porque na realidade ela era sua meia-irmã. (Gênesis 20:12) Além disso, ele não tinha a obrigação de dar informações a pessoas que não tinham o direito de recebê-las. (Mateus 7:6) Nos tempos modernos, os servos fiéis de Deus acatam a ordem da Bíblia, de serem honestos. (Hebreus 13:18) Por exemplo, nunca mentiriam sob juramento num tribunal. Porém, quando a vida física ou espiritual de seus irmãos está em jogo, como em épocas de perseguição ou de distúrbios civis, acatam o conselho de Jesus, de ser “cautelosos como as serpentes, contudo, inocentes como as pombas”. — Mateus 10:16; veja A Sentinela de 1.° de novembro de 1996, página 18, parágrafo 19.

5. Por que estava Sarai disposta a acatar o pedido de Abrão?

5 Como reagiu Sarai ao pedido de Abrão? O  apóstolo Pedro descreve mulheres tais como ela como ‘esperando em Deus’. Por isso, Sarai podia compreender as questões espirituais envolvidas. Além disso, ela amava e respeitava seu marido. Sarai escolheu assim ‘sujeitar-se ao seu marido’ e ocultar que era casada. (1 Pedro 3:5) Naturalmente, isso a expunha a riscos. “Assim que Abrão entrou no Egito, os egípcios chegaram a ver a mulher, que ela era muito bela. E os príncipes de Faraó também chegaram a vê-la e começaram a louvá-la diante de Faraó, de modo que a mulher foi levada para a casa de Faraó.” — Gênesis 12:14, 15.

Livrados por Jeová

6, 7. Em que situação aflitiva se encontravam Abrão e Sarai, e como Jeová livrou Sarai?

6 Quão aflitivo isso deve ter sido para Abrão e Sarai! Parecia que Sarai estava para ser violentada. Além disso, Faraó, não sabendo que Sarai era casada, deu muitos presentes a Abrão, de modo que “ele veio a ter ovelhas, e gado vacum, e jumentos, e servos, e servas, e jumentas, e camelos”. * (Gênesis 12:16) Como Abrão deve ter desprezado esses presentes! Embora a situação parecesse bem ruim, Jeová não havia abandonado Abrão.

7 “Jeová tocou então Faraó e os da sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, esposa de Abrão.” (Gênesis 12:17) De forma não revelada, a verdadeira causa destas “pragas” veio ao conhecimento de Faraó. Ele reagiu imediatamente: “Em vista disso, Faraó chamou Abrão e disse: ‘Que é isto que me fizeste? Por que não me informaste de que ela era a tua esposa? Por que disseste: “Ela é minha irmã”, de modo que eu estava para tomá-la por minha esposa? E agora, eis a tua esposa. Toma-a e vai-te!’ E Faraó deu ordens aos homens concernente a ele, e foram escoltar a ele e a sua esposa, e a tudo o que tinha.” — Gênesis 12:18-20; Salmo 105:14, 15.

8. Que tipo de proteção promete Jeová aos cristãos hoje em dia?

8 Hoje em dia, Jeová não nos garante proteção contra os danos causados por morte, crimes, fome ou calamidades naturais. Temos a promessa de que Jeová sempre nos protegerá contra o que pode pôr em perigo a nossa espiritualidade. (Salmo 91:1-4) Faz isso primariamente por nos dar avisos oportunos por meio da sua Palavra e do “escravo fiel e discreto”. (Mateus 24:45) Que dizer da ameaça de morte devido à perseguição? Embora se possa permitir que alguns sejam mortos, Deus nunca permitirá o extermínio do seu povo como um todo. (Salmo 116:15) E se a morte levar alguns fiéis, podemos ter a certeza da ressurreição deles. — João 5:28, 29.

Sacrifícios para manter a paz

9. O que indica que Abrão continuou a mudar-se enquanto em Canaã?

9 Evidentemente, tendo findado a fome em Canaã, “Abrão subiu do Egito ao Negebe, [a região semi-árida ao sul dos montes de Judá,] ele e sua esposa, e tudo o que tinha, e Ló com ele. E Abrão era bem abastado de manadas, e de prata, e de ouro”. (Gênesis 13:1, 2) Os moradores locais o encarariam assim como homem de poder e de influência, um poderoso maioral. (Gênesis 23:6) Abrão não tinha nenhum desejo de se estabelecer ali e de se envolver na política cananéia. Em vez disso, “ele ia de acampamento em acampamento, saindo do Negebe e indo para Betel, para o lugar onde a sua tenda estivera no início, entre Betel e Ai”. Como sempre, aonde quer que fosse, Abrão dava prioridade à adoração de Jeová. — Gênesis 13:3, 4.

10. Que problema surgiu entre os pastores de Abrão e de Ló, e por que era importante que fosse resolvido prontamente?

10 “Ora, Ló, que acompanhava Abrão, também possuía ovelhas, e gado vacum, e tendas. De modo que o país não permitia que morassem todos juntos, porque os seus bens  tinham ficado numerosos e não podiam morar todos juntos. E surgiu uma altercação entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e naquele tempo moravam no país o cananeu e o perizeu.” (Gênesis 13:5-7) A terra não provia suficiente água e pasto para sustentar os rebanhos tanto de Abrão como de Ló. Assim surgiram tensão e ressentimentos entre os pastores. Tais altercações não eram apropriadas para adoradores do verdadeiro Deus. Se a disputa continuasse, poderia haver um rompimento permanente. Então, como resolveria Abrão esta situação? Ele havia adotado Ló após o falecimento do pai deste, talvez criando-o como seu próprio filho. Sendo o mais velho dos dois, não tinha Abrão o direito de escolher o melhor para si mesmo?

11, 12. Que oferta generosa fez Abrão a Ló, e por que não foi sábia a escolha de Ló?

11 Mas, “Abrão disse a Ló: ‘Por favor, não continue qualquer altercação entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, pois nós homens somos irmãos. Não te está disponível todo o país? Por favor, separa-te de mim. Se fores para a esquerda, então hei de ir para a direita; mas se fores para a direita, então hei de ir para a esquerda.’” Perto de Betel há o que já foi chamado de “um dos grandes mirantes da Palestina”. Talvez fosse dali que “Ló levantou assim os seus olhos e viu todo o Distrito do Jordão, que todo ele era uma região bem regada, antes de Jeová arruinar Sodoma e Gomorra, semelhante ao jardim de Jeová, semelhante à terra do Egito, até Zoar”. — Gênesis 13:8-10.

12 Embora a Bíblia descreva Ló como “justo”, por algum motivo ele não deixou que Abrão tivesse a preferência no assunto, e, pelo visto, não procurou obter o conselho de Abrão, que era mais velho. (2 Pedro 2:7) “Ló escolheu então para si todo o Distrito do Jordão, e Ló mudou seu acampamento para o leste. Separaram-se assim um do outro. Abrão morava na terra de Canaã, mas Ló morava entre as cidades do Distrito. Por fim armou a sua tenda perto de Sodoma.” (Gênesis 13:11, 12) Sodoma era próspera e oferecia muitos benefícios materiais. (Ezequiel 16:49, 50) Embora a escolha de Ló possa ter parecido sábia dum ponto de vista material, foi uma escolha imprudente em sentido espiritual. Por quê? Porque “os homens de Sodoma eram maus e eram grandes pecadores contra Jeová”, diz Gênesis 13:13. A decisão de Ló, de se mudar para lá, por fim acabou causando muito pesar à sua família.

13. Como o exemplo de Abrão ajuda os cristãos que talvez tenham ficado envolvidos numa disputa financeira?

13 Abrão, no entanto, demonstrou ter fé na promessa de Jeová, de que a sua descendência por fim possuiria o país inteiro; ele não altercou por causa duma pequena parte dele. Agiu generosamente em harmonia com o princípio declarado mais tarde em 1 Coríntios 10:24: “Que cada um persista em buscar, não a sua própria vantagem, mas a da outra pessoa.” Este é um bom lembrete para os que talvez fiquem envolvidos numa disputa financeira com concrentes. Em vez de seguirem o conselho de Mateus 18:15-17, alguns têm processado seus irmãos. (1 Coríntios 6:1, 7) O exemplo de Abrão mostra que é melhor sofrer uma perda financeira do que lançar vitupério  sobre o nome de Jeová ou prejudicar a paz na congregação cristã. — Tiago 3:18.

14. Como seria Abrão abençoado pela sua generosidade?

14 Abrão ia ser recompensado pela sua generosidade. Deus declarou: “Vou fazer o teu descendente semelhante às partículas de pó da terra, de modo que, se um homem pudesse contar as partículas de pó da terra, então a tua descendência poderia ser computada.” Como esta revelação deve ter animado a Abrão que não tinha filho! A seguir, Deus ordenou: “Levanta-te, percorre o país no seu comprimento e na sua largura, porque vou dá-lo a ti.” (Gênesis 13:16, 17) Não, não se permitiria que Abrão se estabelecesse no conforto duma cidade. Ele devia continuar separado dos cananeus. Hoje em dia, os cristãos também precisam manter-se separados do mundo. Eles não se consideram superiores a outros, mas não se associam intimamente com os que poderiam induzi-los a se empenhar em conduta antibíblica. — 1 Pedro 4:3, 4.

15. (a) Que significância podem ter tido as viagens de Abrão? (b) Que exemplo deu Abrão às atuais famílias cristãs?

15 Nos tempos bíblicos, antes de alguém obter a posse dum terreno, ele tinha o direito de inspecioná-lo. Percorrer ele assim esta terra pode ter servido de lembrete contínuo de que, certo dia, ela pertenceria à descendência de Abrão. Obedientemente, “Abrão continuou . . . vivendo em tendas. Mais tarde veio e morou entre as árvores grandes de Manre, que estão em Hébron; e ali passou a construir um altar a Jeová”. (Gênesis 13:18) Novamente, Abrão demonstrou dar prioridade total à adoração. Têm o estudo familiar, a oração em família e a assistência às reuniões prioridade na sua família?

Ataques do inimigo

16. (a) Por que é funesto o tom das primeiras palavras de Gênesis 14:1? (b) Qual foi o motivo da invasão dos quatro reis orientais?

16 “Sucedeu então, nos dias de Anrafel, rei de Sinear, Arioque, rei de Elasar, Quedorlaomer, rei de Elão, * e Tidal, rei de Goim, que estes fizeram guerra.” No hebraico original, as palavras iniciais (“Sucedeu então, nos dias de . . . ”) têm um tom funesto, apontando para “um período de provações que terminou numa bênção”. (Gênesis 14:1, 2, nota, NM com Referências) A provação começou quando estes quatro reis orientais e seus exércitos fizeram a sua devastadora invasão de Canaã. Qual era o objetivo deles? Acabar com a rebelião das cinco cidades de Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Bela. Eliminando toda a resistência, “marcharam como aliados para a Baixada de Sidim, isto é, o Mar Salgado”. Ló e sua família moravam perto dali. — Gênesis 14:3-7.

17. Por que foi para Abrão uma prova de fé o fato de Ló ser levado cativo?

17 Os reis cananeus resistiram ferozmente aos invasores, mas sofreram uma humilhante derrota. “Os vencedores tomaram então todos os bens de Sodoma e Gomorra, e todos os seus víveres, e seguiram seu caminho. Tomaram também Ló, filho do irmão de Abrão, e os seus bens, e prosseguiram no seu caminho. Ele morava então em Sodoma.” As notícias  sobre esses acontecimentos devastadores logo chegaram a Abrão: “Depois veio um homem que escapara e o contou a Abrão, o hebreu. Ele residia então entre as árvores grandes de Manre, o amorreu, irmão de Escol e irmão de Aner; e eles eram confederados de Abrão. Abrão ouviu, pois, que seu irmão tinha sido levado cativo.” (Gênesis 14:8-14) Que prova de fé! Estaria Abrão ressentido com seu sobrinho por este ter ficado com a melhor parte do país? Lembre-se também de que esses invasores vinham da terra dele, Sinear. Subir contra eles significaria destruir toda a possibilidade de alguma vez retornar à sua cidade natal. Além disso, o que podia Abrão fazer contra um exército que as forças combinadas de Canaã não conseguiram derrotar?

18, 19. (a) Como conseguiu Abrão resgatar Ló? (b) A quem cabia o crédito por esta vitória?

18 Abrão de novo depositou sua incondicional confiança em Jeová. “Em vista disso convocou seus homens treinados, trezentos e dezoito escravos nascidos na sua casa, e foi no encalço deles até Dã. E de noite ele recorreu à divisão das suas forças contra eles, ele e seus escravos, e assim os derrotou e foi persegui-los até Hobá, que fica ao norte de Damasco. E passou a recuperar todos os bens e recuperou também a Ló, seu irmão, e os bens dele, e também as mulheres e o povo.” (Gênesis 14:14-16) Numa demonstração de forte fé em Jeová, Abrão liderou suas tropas à vitória, apesar de estarem em grande desvantagem numérica, resgatando Ló e sua família. Abrão encontrou-se então com Melquisedeque, rei-sacerdote de Salém. “Melquisedeque, rei de Salém, trouxe para fora pão e vinho; e ele era sacerdote do Deus Altíssimo. Abençoou-o então e disse: ‘Bendito seja Abrão do Deus Altíssimo, Produtor do céu e da terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus opressores na tua mão!’ Então, Abrão deu-lhe um décimo de tudo.” — Gênesis 14:18-20.

19 Deveras, a vitória era de Jeová. Por causa da fé que Abrão tinha, ele novamente foi livrado por Jeová. O povo de Deus não se empenha hoje numa guerra carnal, mas se confronta com muitas provas e desafios. Nosso próximo artigo mostrará como o exemplo de Abrão pode ajudar-nos a enfrentá-los com bom êxito.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 2 Segundo o Estudo Perspicaz das Escrituras (publicado pelas Testemunhas de Jeová), “um antigo papiro fala de um Faraó que comissionou homens armados a se apoderarem duma mulher atraente e a matarem o marido dela”. De modo que os temores de Abrão não eram exagerados.

^ parágrafo 6 Agar, que mais tarde se tornou concubina de Abrão, talvez fosse uma das servas dadas nesta ocasião a Abrão. — Gênesis 16:1.

^ parágrafo 16 No passado, os críticos afirmavam que Elão nunca teve tal influência em Sinear e que o relato do ataque de Quedorlaomer era ficção. Para considerar a evidência arqueológica que apóia o relato bíblico, veja A Sentinela de 1.° de julho de 1989, páginas 4-7.

Notou?

• Como a fome na terra de Canaã mostrou ser uma prova de fé para Abrão?

• Como foi que tanto Abrão como Sarai deram um bom exemplo para os maridos e as esposas de hoje em dia?

• Que lições podemos aprender da maneira de Abrão lidar com a disputa entre os servos dele e os de Ló?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 22]

Abrão não insistiu nos seus direitos, mas deu primazia aos interesses de Ló

[Foto na página 24]

Abrão mostrou confiança em Jeová ao resgatar seu sobrinho Ló