Pular para conteúdo

Pular para sumário

Continuemos constantes como que vendo Aquele que é invisível!

Continuemos constantes como que vendo Aquele que é invisível!

 Continuemos constantes como que vendo Aquele que é invisível!

“[Moisés] permanecia constante como que vendo Aquele que é invisível.” — HEBREUS 11:27.

1. Que declaração notável a respeito de Deus fez Jesus no seu Sermão do Monte?

JEOVÁ é o Deus invisível. Quando Moisés pediu para ver a Sua glória, Jeová respondeu: “Não podes ver a minha face, porque homem algum pode ver-me e continuar vivo.” (Êxodo 33:20) E o apóstolo João escreveu: “Nenhum homem jamais viu a Deus.” (João 1:18) Quando Jesus Cristo era homem na Terra, nem mesmo ele podia ver a Deus. No entanto, Jesus disse no seu Sermão do Monte: “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.” (Mateus 5:8) O que Jesus queria dizer com isso?

2. Por que somos incapazes de ver a Deus com os olhos físicos?

2 As Escrituras identificam Jeová como Espírito invisível. (João 4:24; Colossenses 1:15; 1 Timóteo 1:17) Assim, Jesus não estava dizendo  que nós, humanos, podíamos realmente ver a Jeová com os olhos físicos. É verdade que os cristãos ungidos verão a Jeová Deus no céu depois de serem ressuscitados como criaturas espirituais. Mas os humanos que são “puros de coração” e que têm a esperança de viver para sempre na Terra também podem ‘ver’ a Deus. Como isso é possível?

3. Como podem os humanos perceber algumas das qualidades de Deus?

3 Aprendemos algo sobre Jeová por observar bem as coisas que ele criou. Podemos assim ficar impressionados com seu poder e ser induzidos a reconhecê-lo como o Deus Criador. (Hebreus 11:3; Revelação [Apocalipse] 4:11) Sobre isso, o apóstolo Paulo escreveu: “As . . . qualidades invisíveis [de Deus] são claramente vistas desde a criação do mundo em diante, porque são percebidas por meio das coisas feitas, mesmo seu sempiterno poder e Divindade.” (Romanos 1:20) De modo que as palavras de Jesus sobre ver a Jeová Deus incluem a capacidade de se perceber algumas das qualidades Dele. Esta percepção se baseia no conhecimento exato e é conseguida espiritualmente com ‘os olhos do coração’. (Efésios 1:18) As palavras e os atos de Jesus também revelam muito sobre Deus. Por isso, Jesus disse: “Quem me tem visto, tem visto também o Pai.” (João 14:9) Jesus refletia perfeitamente a personalidade de Jeová. De modo que conhecer a vida e os ensinos de Jesus pode ajudar-nos a ver, ou a perceber, algumas das qualidades de Deus.

A espiritualidade é vital

4. Como muitos manifestam hoje falta de espiritualidade?

4 Atualmente, a fé e a verdadeira espiritualidade são deveras raras. “A fé não é propriedade de todos”, disse Paulo. (2 Tessalonicenses 3:2) Muitos estão completamente envolvidos nos seus próprios assuntos e não têm fé em Deus. Sua conduta pecaminosa e sua falta de espiritualidade impedem que O vejam com olhos de entendimento, pois o apóstolo João escreveu: “Quem faz o mal não tem visto a Deus.” (3 João 11) Visto que tais pessoas não vêem a Deus com os olhos físicos, elas agem como se ele não visse o que estão fazendo. (Ezequiel 9:9) Desprezam as coisas espirituais, de modo que não podem obter “o próprio conhecimento de Deus”. (Provérbios 2:5) Portanto, Paulo escreveu apropriadamente: “O homem físico não aceita as coisas do espírito de Deus, porque para ele são tolice; e ele não pode chegar a conhecê-las, porque são examinadas espiritualmente.” — 1 Coríntios 2:14.

5. Os que têm mentalidade espiritual se apercebem de que fato?

5 No entanto, se tivermos mentalidade espiritual, nos aperceberemos constantemente de que Jeová, embora não sendo um Deus que procura defeitos nos outros, sabe quando agimos segundo pensamentos e desejos maus. Deveras, “os caminhos do homem estão diante dos olhos de Jeová e ele contempla todos os seus trilhos”. (Provérbios 5:21) Caso sejamos vencidos por um pecado, sentimo-nos induzidos a nos arrepender e procuramos obter o perdão de Jeová, porque o amamos e não queremos causar-lhe nenhuma dor. — Salmo 78:41; 130:3.

O que nos faz permanecer constantes?

6. O que significa permanecer constante?

6 Embora Jeová seja invisível aos nossos olhos, devemos sempre lembrar-nos de que somos visíveis a ele. Reconhecermos a sua existência e termos a convicção de que ele está perto de todos os que o invocam nos ajudará a permanecer constantes — firmes e imutáveis na nossa fidelidade a ele. (Salmo 145:18) Podemos ser como Moisés, sobre quem Paulo escreveu: “Pela fé abandonou o Egito, mas sem temer a ira do rei, porque permanecia constante como que vendo Aquele que é invisível.” — Hebreus 11:27.

7, 8. Como se explica a coragem de Moisés perante Faraó?

7 No cumprimento da sua comissão dada por Deus, de guiar os israelitas para fora da servidão egípcia, Moisés compareceu muitas vezes  perante o tirânico Faraó numa corte real cheia de magnatas religiosos e militares. É provável que as paredes do palácio estivessem ladeadas de ídolos. Mas Jeová, embora invisível, era real para Moisés, diferente de todos os ídolos que representavam os deuses sem vida do Egito. Não é de admirar que Moisés não se tenha sentido intimidado por Faraó!

8 O que deu a Moisés coragem de comparecer repetidas vezes perante Faraó? As Escrituras nos dizem que “o homem Moisés era em muito o mais manso de todos os homens na superfície do solo”. (Números 12:3) É evidente que a sua forte espiritualidade e a convicção de que Deus estava com ele deram a Moisés a força necessária para representar ‘o Invisível’ perante o impiedoso rei do Egito. Quais são algumas das maneiras de aqueles que ‘vêem’ o Deus invisível mostrarem ter fé nele hoje em dia?

9. Qual é um modo de podermos permanecer constantes?

9 Um modo de mostrarmos fé e de permanecermos constantes como que vendo Aquele que é invisível é pregar corajosamente apesar de perseguição. Jesus advertiu seus discípulos: “Vós sereis pessoas odiadas por todos, por causa do meu nome.” (Lucas 21:17) Disse-lhes também: “O escravo não é maior do que o seu amo. Se me perseguiram a mim, perseguirão também a vós.” (João 15:20) Fiel às palavras de Jesus, pouco depois da morte dele, seus seguidores sofreram perseguição na forma de ameaças, prisões e espancamentos. (Atos 4:1-3, 18-21; 5:17, 18, 40) Embora houvesse uma onda de perseguição, os apóstolos e outros discípulos de Jesus continuaram a pregar com denodo as boas novas. — Atos 4:29-31.

10. Como a nossa confiança no cuidado protetor de Jeová nos ajuda no ministério?

10 Os primeiros discípulos de Jesus, assim como Moisés, não se deixaram intimidar pelos seus muitos inimigos visíveis. Os discípulos de Jesus tinham fé em Deus, e em resultado disso, conseguiram suportar a severa perseguição que sofreram. Deveras, permaneceram constantes como que vendo Aquele que é invisível. Hoje em dia, a constante percepção do cuidado protetor de Jeová nos fortalece, dando-nos coragem e destemor na nossa pregação do Reino. A Palavra de Deus diz que “tremer diante de homens é o que arma um laço, mas quem confia em Jeová será protegido”. (Provérbios 29:25) Por conseguinte, não recuamos em temor da perseguição, nem nos envergonhamos de nosso ministério. Nossa fé nos motiva a dar corajosamente testemunho a vizinhos, a colegas de trabalho, a companheiros de escola e a outros. — Romanos 1:14-16.

O Invisível dirige seu povo

11. Segundo Pedro e Judas, como mostraram alguns dos associados com a congregação cristã que eles tinham falta de espiritualidade?

11 A fé nos ajuda a encarar a Jeová como aquele que dirige a sua organização terrestre. Evitamos assim ter uma atitude crítica para com os que têm responsabilidades na congregação. Tanto o apóstolo Pedro como o meio-irmão de Jesus, Judas, advertiram a respeito de alguns que tinham tanta falta de espiritualidade, que falavam de modo ultrajante dos que tomavam a dianteira entre os cristãos. (2 Pedro 2:9-12; Judas 8) Teriam esses críticos falado assim na presença de Jeová se ele fosse visível para eles? Dificilmente! Mas, visto que Deus é invisível, esses homens carnais deixaram de se considerar responsáveis perante ele.

12. Que atitude devemos ter para com os que tomam a dianteira na congregação?

12 É verdade que a congregação cristã é composta de homens imperfeitos. Os que servem como anciãos cometem enganos, os quais às vezes nos podem afetar pessoalmente. Não obstante, Jeová usa tais homens como pastores do rebanho. (1 Pedro 5:1, 2) Homens e mulheres com mentalidade espiritual reconhecem que este é um modo de Jeová dirigir o seu povo. Portanto, nós, como cristãos, evitamos ter um espírito crítico e queixoso, e mostramos ter respeito pelos arranjos teocráticos de Deus. Por  sermos obedientes aos que tomam a dianteira entre nós, mostramos que vemos Aquele que é invisível. — Hebreus 13:17.

Encaramos Deus como nosso Grandioso Instrutor

13, 14. O que significa para você encarar a Jeová como Grandioso Instrutor?

13 Há outro campo que exige percepção espiritual. Isaías profetizou: “Teus olhos terão de tornar-se olhos que vêem o teu Grandioso Instrutor.” (Isaías 30:20) Requer fé reconhecer que Jeová é aquele que nos ensina por meio da sua organização terrestre. (Mateus 24:45-47) Encarar a Deus como nosso Grandioso Instrutor significa mais do que apenas manter bons hábitos de estudo da Bíblia e assistir regularmente às reuniões cristãs. Requer aproveitar plenamente as provisões espirituais de Deus. Por exemplo, temos de prestar mais do que a costumeira atenção à orientação que Jeová dá por meio de Jesus, para não nos desviarmos espiritualmente. — Hebreus 2:1.

14 Às vezes, aproveitar plenamente o alimento espiritual exige um esforço especial. Por exemplo, talvez tenhamos a tendência de ler superficialmente certos relatos bíblicos que achamos difíceis de entender. Quando lemos as revistas A Sentinela e Despertai!, talvez até mesmo deixemos de ler certos artigos, porque o assunto não nos interessa de modo especial. Ou pode ser que deixemos a mente vaguear nas reuniões cristãs. Todavia, podemos continuar atentos, se refletirmos cuidadosamente sobre os pontos considerados. Nosso profundo apreço pela instrução espiritual que recebemos mostra que reconhecemos que Jeová é o nosso Grandioso Instrutor.

Temos de prestar contas

15. De que forma agiram alguns como se fossem invisíveis para Jeová?

15 É vital ter fé Naquele que é invisível, especialmente pelo fato de a iniqüidade ser tão  prevalecente neste “tempo do fim”. (Daniel 12:4) A desonestidade e a imoralidade sexual andam soltas. Naturalmente, é sábio que nos lembremos de que Jeová observa nossas ações, mesmo quando não somos vistos por humanos. Alguns deixam de levar isso em conta. Quando outros não os vêem, eles talvez se empenhem em conduta antibíblica. Por exemplo, alguns não resistem à tentação de ver diversões prejudiciais e pornografia na Internet, na televisão e em outras formas de tecnologia moderna. Visto que é possível envolver-se em tais coisas em particular, alguns agem como se a sua conduta fosse invisível para Jeová.

16. O que deve ajudar-nos a acatar as elevadas normas de Jeová?

16 Convém lembrar-se das palavras do apóstolo Paulo: “Cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.” (Romanos 14:12) Temos de aperceber-nos de que, cada vez que pecamos, estamos pecando contra Jeová. Saber isso deveria ajudar-nos a acatar as suas elevadas normas e a evitar a conduta impura. A Bíblia nos lembra: “Não há criação que não esteja manifesta à sua vista, mas todas as coisas estão nuas e abertamente expostas aos olhos daquele com quem temos uma prestação de contas.” (Hebreus 4:13) Deveras, temos de prestar contas a Deus, mas o principal motivo de fazermos a vontade de Jeová e de acatarmos as suas normas justas é nosso profundo amor a ele. Portanto, usemos de bom critério em assuntos tais como nossa escolha de diversões e nossa conduta com o sexo oposto.

17. Com que interesse nos observa Jeová?

17 Jeová está vivamente interessado em nós, mas isto não significa que ele espera que cometamos erros para que nos possa punir. Antes, ele nos observa com amorosa preocupação, como a de um pai que quer recompensar seus filhos obedientes. Como é consolador para nós saber que nosso Pai celestial se agrada da nossa fé e que é “o recompensador dos que seriamente o buscam”! (Hebreus 11:6) Tenhamos uma fé implícita em Jeová e ‘o sirvamos de pleno coração’. — 1 Crônicas 28:9.

18. Visto que Jeová nos observa e nota nossa fidelidade, que garantia nos dão as Escrituras?

18 Provérbios 15:3 diz: “Os olhos de Jeová estão em todo lugar, vigiando os maus e os bons.” Deveras, Deus vigia os maus e lida com eles segundo a sua conduta. No entanto, se nós estivermos entre os “bons”, poderemos ter certeza de que Jeová observa nossos atos de fidelidade. Como nos fortalece a fé saber que ‘nosso labor não é em vão em conexão com o Senhor’ e que Aquele que é invisível não ‘se esquecerá de nossa obra e do amor que mostramos ao seu nome’! — 1 Coríntios 15:58; Hebreus 6:10.

Pedimos que Jeová nos examine

19. Quais são alguns dos benefícios de se ter forte fé em Jeová?

19 Como servos fiéis de Jeová, somos preciosos para ele. (Mateus 10:29-31) Embora seja invisível, ele pode ser real para nós e podemos prezar nosso valioso relacionamento com ele. Tal atitude para com o nosso Pai celestial dá-nos muitos benefícios. Nossa forte fé ajuda-nos a ter um coração puro e uma boa consciência para com Jeová. A fé sem hipocrisia também impede que levemos uma vida dupla. (1 Timóteo 1:5, 18, 19) Nossa inabalável fé em Deus dá um bom exemplo e pode ter um efeito positivo sobre os em volta de nós. (1 Timóteo 4:12) Além disso, tal fé promove a conduta piedosa, alegrando o coração de Jeová. — Provérbios 27:11.

20, 21. (a) Por que desejamos que Jeová nos vigie? (b) Como podemos aplicar a nós o Salmo 139:23, 24?

 20 Se formos realmente sábios, teremos prazer em que Jeová nos vigie. Nós não queremos que ele apenas nos observe, mas também desejamos que faça um exame cabal de nossos pensamentos e de nossas ações. Nas nossas orações, faremos bem em pedir que Jeová nos examine cabalmente e discirna se temos quaisquer inclinações impróprias. Ele certamente pode ajudar-nos a lidar com os nossos problemas e a fazer os ajustes necessários. O salmista Davi cantou apropriadamente: “Esquadrinha-me, ó Deus, e conhece meu coração. Examina-me e conhece meus pensamentos inquietantes, e vê se há em mim qualquer caminho penoso, e guia-me no caminho do tempo indefinido.” — Salmo 139:23, 24.

21 Davi rogou que Jeová o esquadrinhasse para ver se havia nele qualquer “caminho penoso”. Assim como o salmista, não ansiamos que Deus esquadrinhe nosso coração e veja se temos motivações impróprias? Portanto, peçamos a Jeová com fé que nos examine. Mas, que dizer se estivermos aflitos devido a algum erro ou por haver em nós algo prejudicial? Então, continuemos a orar sinceramente ao nosso amoroso Deus, Jeová, e nos sujeitemos humildemente à orientação do seu espírito santo e ao conselho da sua Palavra. Podemos confiar em que ele venha em nosso auxílio e nos ajude a seguir um rumo que nos leve à vida eterna. — Salmo 40:11-13.

22. Qual deve ser a nossa determinação para com Aquele que é invisível?

22 Deveras, Jeová nos abençoará com vida eterna se satisfizermos os seus requisitos. Naturalmente, temos de reconhecer seu poder e sua autoridade, assim como fez o apóstolo Paulo ao escrever: “Ao Rei da eternidade, incorruptível, invisível, o único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.” (1 Timóteo 1:17) Demonstremos sempre tal reverência de coração a Jeová. E aconteça o que acontecer, que nunca vacilemos na nossa determinação de continuar firmes como que vendo Aquele que é invisível.

Como responderia?

• Como podem os humanos ver a Deus?

• Se Jeová for real para nós, como agiremos quando perseguidos?

• O que significa encararmos Jeová como nosso Grandioso Instrutor?

• Por que devemos desejar que Jeová nos examine?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 18]

Moisés, não intimidado por Faraó, agiu como se pudesse ver Jeová, o Deus invisível

[Foto na página 21]

Nunca nos comportemos como se Jeová não pudesse ver o que fazemos

[Foto na página 23]

Procuramos avidamente o conhecimento de Deus, porque o encaramos como nosso Grandioso Instrutor