Pular para conteúdo

Pular para sumário

As feridas causadas pelas guerras

As feridas causadas pelas guerras

 As feridas causadas pelas guerras

“NUMA guerra não há vencedores”, observou um ex-soldado que lutou na Segunda Guerra Mundial. “Há apenas perdedores.” Muitos concordariam com ele. O custo duma guerra é horrível; tanto os vencedores como os perdedores pagam um preço terrível. Mesmo depois de cessar um conflito armado, milhões de pessoas continuam sofrendo com as terríveis feridas, causadas pela guerra.

Que feridas? Uma guerra pode dizimar toda uma população, deixando um enorme número de órfãos e de viúvas. Muitos sobreviventes ficam com terríveis seqüelas físicas, além de cicatrizes psicológicas. Milhões são deixados na miséria ou obrigados a se tornar refugiados. Podemos imaginar o ódio e o pesar guardados no coração dos que sobrevivem a tais conflitos?

Feridas supurantes

As feridas que uma guerra causa no coração das pessoas continuam supurando muito tempo depois do cessar-fogo, do silêncio dos canhões e do retorno dos soldados para casa. As gerações seguintes talvez nutram profunda amargura uma para com a outra. Assim, as feridas de uma guerra podem ser o motivo básico da próxima.

Por exemplo, o Tratado de Versalhes, assinado em 1919 para acabar formalmente com a Primeira Guerra Mundial, impunha à Alemanha condições que seus cidadãos achavam duras e vingativas. Segundo The Encyclopædia Britannica, os termos do tratado “causaram ressentimentos entre os alemães e ajudaram a estimular a busca de vingança”. Alguns anos mais tarde, “o ressentimento com o tratado de paz deu a Hitler um ponto de partida” e foi um dos fatores que levaram à Segunda Guerra Mundial.

A Segunda Guerra Mundial começou na Polônia e se estendeu aos Bálcãs. As feridas que os grupos étnicos infligiram uns aos outros nos anos 40 ajudaram a preparar o caminho para a guerra nos Bálcãs nos anos 90. “O ciclo vicioso de ódio e vingança torna a se repetir com mais freqüência, chegando até o nosso tempo”, comentou o jornal alemão Die Zeit.

Se a humanidade há de viver em paz, as feridas de guerra certamente têm de sarar. Como se consegue isso? O que se pode fazer para eliminar o ódio e o pesar? Quem pode sarar as feridas causadas pelas guerras?

 [Crédito da foto na página 2]

CAPA: Fatmir Boshnjaku

[Créditos das fotos na página 3]

Foto da U.S. Coast Guard; FOTO DA ONU 158297/J. Isaac