Pular para conteúdo

Pular para sumário

Você ama extraordinariamente as advertências de Jeová?

Você ama extraordinariamente as advertências de Jeová?

 Você ama extraordinariamente as advertências de Jeová?

“Minha alma tem guardado as tuas advertências, e eu as amo extraordinariamente.” — SALMO 119:167.

1. Especialmente onde encontramos repetidas referências às advertências de Jeová?

JEOVÁ quer que seu povo seja feliz. Naturalmente, para termos verdadeira felicidade temos de andar na lei de Deus e obedecer às ordens dele. Para esse fim, ele nos dá lembretes ou advertências. Essas são repetidas vezes mencionadas nas Escrituras, especialmente no Salmo 119, que possivelmente foi composto pelo jovem príncipe Ezequias, de Judá. Esse belo cântico começa com as palavras: “Felizes os sem defeito no seu caminho, os que andam na lei de Jeová. Felizes os que observam as suas advertências; continuam a buscá-lo de todo o coração.” — Salmo 119:1, 2.

2. Que relação têm as advertências de Deus com a felicidade?

2 ‘Andamos na lei de Jeová’ por adquirir conhecimento exato da sua Palavra e por aplicá-lo na vida. No entanto, visto que somos imperfeitos, precisamos de advertências. A palavra hebraica traduzida “advertências” indica que Deus nos faz lembrar sua lei, suas ordens, seus regulamentos, seus mandamentos e seus estatutos. (Mateus 10:18-20) Só continuaremos felizes se persistirmos em observar essas advertências, porque elas nos ajudam a evitar armadilhas espirituais que resultam em calamidade e em tristeza.

Apegue-se às advertências de Jeová

3. Que confiança podemos ter à base do Salmo 119:60, 61?

3 As advertências de Deus eram prezadas para o salmista que cantou: “Apressei-me e não me demorei para guardar os teus mandamentos. Cercaram-me as próprias cordas dos iníquos. Não me esqueci da tua lei.” (Salmo 119:60, 61) As advertências de Jeová nos ajudam a suportar perseguição, porque confiamos que nosso Pai celestial seja capaz de cortar  as cordas de restrições com que os inimigos nos prendem. No tempo devido, ele nos livra desses obstáculos, para podermos realizar a pregação do Reino. — Marcos 13:10.

4. Como devemos reagir às advertências de Deus?

4 Às vezes, somos corrigidos pelos lembretes de Jeová. Que sempre apreciemos essas correções, assim como fazia o salmista. Ele disse em oração a Jeová: “É das tuas advertências que eu gosto . . . Tenho amado as tuas advertências.” (Salmo 119:24, 119) Temos mais advertências de Deus do que o salmista tinha. As centenas de citações das Escrituras Hebraicas que ocorrem nas Escrituras Gregas nos lembram não somente as instruções que Jeová deu ao seu povo sob a Lei, mas também os seus objetivos para com a congregação cristã. Quando Deus acha apropriado lembrar-nos de algo que tem que ver com as suas leis, somos gratos por tal orientação. E por nos ‘apegarmos às advertências de Jeová’, evitamos os engodos pecaminosos que desagradam ao nosso Criador e nos privam da felicidade. — Salmo 119:31.

5. Como podemos chegar a amar extraordinariamente as advertências de Jeová?

5 Quanto devemos amar as advertências de Jeová? “Minha alma tem guardado as tuas advertências, e eu as amo extraordinariamente”, cantou o salmista. (Salmo 119:167) Passaremos a amar extraordinariamente as advertências de Jeová se as encararmos e aceitarmos como admoestação de um Pai que realmente se importa conosco. (1 Pedro 5:6, 7) Precisamos das suas advertências, e nosso amor por elas aumentará ao passo que vemos como nos beneficiam.

Por que precisamos dos lembretes ou advertências de Deus

6. Qual é um motivo de precisarmos das advertências de Jeová, e o que nos ajudará a nos lembrarmos delas?

6 Um motivo pelo qual precisamos dos lembretes de Jeová é que somos esquecediços. Diz a The World Book Encyclopedia (Enciclopédia do Livro Mundial): “Em geral, as pessoas se esquecem cada vez mais com o passar do tempo. . . . Provavelmente já lhe aconteceu de não conseguir se lembrar de um nome ou de alguma outra informação que tinha na ponta da língua. . . . Esta perda temporária de memória, que ocorre freqüentemente, é chamada de falha de recuperação. Os cientistas comparam isso a se tentar encontrar um objeto perdido numa sala desorganizada. . . . Um bom modo de garantir que se vai lembrar de alguma informação é estudá-la por bastante tempo depois de você achar que já a conhece perfeitamente.” O estudo diligente e a repetição nos ajudarão a lembrar-nos das advertências de Deus e a acatá-las para o nosso bem.

7. Por que precisamos hoje mais do que nunca das advertências de Deus?

7 Precisamos das advertências de Jeová hoje  mais do que nunca, porque a iniqüidade atingiu as maiores proporções na história humana. Se prestarmos atenção às advertências de Deus, obteremos a perspicácia necessária para evitar sermos engodados pelos modos iníquos do mundo. “Vim a ter mais perspicácia do que todos os meus mestres”, disse o salmista, “porque as tuas advertências são minha preocupação. Comporto-me com mais entendimento do que homens mais idosos, pois observei as tuas próprias ordens. Contive meus pés de toda vereda má, com o fim de guardar a tua palavra”. (Salmo 119:99-101) Por acatarmos as advertências de Deus, ficaremos fora de “toda vereda má” e evitaremos tornar-nos como os das massas da humanidade, que “estão mentalmente em escuridão e apartados da vida que pertence a Deus”. — Efésios 4:17-19.

8. Como podemos ficar melhor preparados para enfrentar com bom êxito as provas de fé?

8 As advertências ou lembretes de Deus também são necessários porque nos dão força para suportar as muitas provações que passamos neste “tempo do fim”. (Daniel 12:4) Sem esses lembretes nos tornaríamos ‘ouvintes esquecediços’. (Tiago 1:25) Mas o diligente estudo pessoal e congregacional das Escrituras, com a ajuda das publicações do “escravo fiel e discreto”, nos ajudará a enfrentar com bom êxito as provas de fé. (Mateus 24:45-47) Essas provisões espirituais nos habilitam a ver o que temos de fazer para agradar a Jeová, quando nos encontramos em situações provadoras.

O papel vital de nossas reuniões

9. Quem são as “dádivas em homens” e como ajudam os concrentes?

9 A necessidade que temos das advertências de Deus é satisfeita em parte nas reuniões cristãs, onde somos ensinados por irmãos designados. O apóstolo Paulo escreveu que, quando Jesus “ascendeu ao alto, levou consigo cativos; deu dádivas em homens”. Paulo acrescentou: “[Cristo] deu alguns como apóstolos, alguns como profetas, alguns como evangelizadores, alguns como pastores e instrutores, visando o reajustamento dos santos para a obra ministerial, para a edificação do corpo do Cristo.” (Efésios 4:8, 11, 12) Como podemos ser gratos de que essas “dádivas em homens” — os anciãos designados — chamem nossa atenção às advertências de Jeová, quando nos reunimos para adoração!

10. Qual é o ponto principal de Hebreus 10:24, 25?

10 A gratidão pelas provisões divinas nos induz a estarmos presentes nas cinco reuniões congregacionais cada semana. A necessidade de nos reunirmos regularmente foi enfatizada por Paulo. Ele escreveu: “Consideremo-nos uns aos outros para nos estimularmos ao amor e a obras excelentes, não deixando de nos ajuntar, como é costume de alguns, mas encorajando-nos uns aos outros, e tanto mais quanto vedes chegar o dia.” — Hebreus 10:24, 25.

11. Como nos beneficia cada uma das reuniões semanais?

11 Reconhece você o que as reuniões fazem por  nós? O estudo semanal de A Sentinela fortalece nossa fé, ajuda-nos a acatar as advertências de Jeová e nos dá força para lutar contra “o espírito do mundo”. (1 Coríntios 2:12; Atos 15:31) Na Reunião Pública, os oradores fornecem instrução da Palavra de Deus, inclusive as advertências de Jeová e as maravilhosas “declarações de vida eterna”, de Jesus. (João 6:68; 7:46; Mateus 5:1-7:29) Nossa habilidade de ensinar é aprimorada na Escola do Ministério Teocrático. A Reunião de Serviço é inestimável em nos ajudar a melhorar nossa apresentação das boas novas de casa em casa, nas revisitas, nos estudos bíblicos domiciliares e em outras facetas de nosso ministério. O grupo menor do Estudo de Livro de Congregação nos oferece uma oportunidade maior de fazer comentários que muitas vezes envolvem as advertências de Deus.

12, 13. Como os do povo de Deus em certo país asiático têm mostrado apreço pelas reuniões cristãs?

12 A presença regular nas reuniões congregacionais serve para nos lembrar os mandamentos de Deus e nos ajuda a nos manter espiritualmente fortes em face de guerra, de dificuldades econômicas e de outras provas de fé. A importância das reuniões foi sentida vividamente por uns 70 cristãos num país asiático, que tiveram de deixar seus lares e viver no meio da floresta. Decididos a continuar a se reunir regularmente, voltaram ao seu povoado assolado pela guerra, desmontaram o que restava do Salão do Reino e o reconstruíram na selva.

13 Os do povo de Jeová, depois de suportarem anos de guerra em outra parte do mesmo país, ainda estão servindo com zelo. Perguntou-se a um dos anciãos que serve em tal região: “O que tem sido de maior ajuda para manter os irmãos unidos?” Qual foi a resposta dele? “Em 19 anos, nunca deixamos de realizar uma reunião. Às vezes, por causa dos bombardeios ou de outras dificuldades, alguns irmãos não podiam chegar ao local da reunião, mas nós nunca cancelamos uma reunião.” Esses queridos irmãos e irmãs, certamente reconhecem a importância de ‘não deixar de se ajuntar’.

14. O que podemos aprender do costume que a idosa Ana tinha?

14 A viúva Ana, de 84 anos de idade, “nunca estava ausente do templo”. Em resultado disso, estava presente quando o menino Jesus foi levado ali pouco depois de nascer. (Lucas 2:36-38) Você faz questão de nunca faltar às reuniões? Procura fazer o máximo para estar presente em cada sessão de nossas assembléias e congressos?  As instruções espiritualmente benéficas recebidas nessas reuniões nos fornecem uma evidência clara de que nosso Pai celestial se importa com o seu povo. (Isaías 40:11) Essas ocasiões também promovem a alegria, e nossa presença demonstra que apreciamos as advertências de Jeová. — Neemias 8:5-8, 12.

Separados do mundo pelas advertências de Jeová

15, 16. Como o acatamento das advertências de Jeová afeta a nossa conduta?

15 Acatarmos as advertências de Deus nos ajuda a nos separar deste mundo iníquo. Por exemplo, acatarmos as advertências de Deus impede que nos envolvamos em imoralidade sexual. (Deuteronômio 5:18; Provérbios 6:29-35; Hebreus 13:4) A tentação de mentir, de ser desonesto ou de furtar, pode ser suprimida com bom êxito por acatarmos as advertências divinas. (Êxodo 20:15, 16; Levítico 19:11; Provérbios 30:7-9; Efésios 4:25, 28; Hebreus 13:18) Acatarmos as advertências de Jeová nos refreia também de nos vingar, de guardar ressentimentos ou de caluniar alguém. — Levítico 19:16, 18; Salmo 15:1, 3.

16 Por observarmos as advertências de Deus continuamos santificados, ou apartados, para o seu serviço. E como é importante estarmos separados deste mundo! Jesus, numa oração a Jeová na última noite da sua vida terrestre, rogou a favor dos seus seguidores: “Tenho-lhes dado a tua palavra, mas o mundo os tem odiado, porque não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo. Solicito-te, não que os tires do mundo, mas que vigies sobre eles, por causa do iníquo. Não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo. Santifica-os por meio da verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17:14-17) Continuemos a prezar a Palavra de Deus, que nos põe à parte para o Seu serviço sagrado.

17. O que poderia acontecer se desconsiderássemos as advertências de Deus, e por isso, o que devemos fazer?

17 Como servos de Jeová, queremos continuar a ser aceitáveis para o seu serviço. No entanto, se desconsiderássemos as advertências de Deus, poderíamos ser vencidos pelo espírito do mundo, promovido em grande parte por sua conversa, literatura, entretenimento e conduta. E certamente não queremos tornar-nos amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, ingratos, desleais, ferozes, teimosos, enfunados de orgulho, mais amantes de prazeres do que amantes de Deus — só para mencionar algumas das tendências manifestadas pelos que estão alienados de Deus. (2 Timóteo 3:1-5) Visto que vivemos bem avançados nos últimos dias deste iníquo sistema de coisas, continuemos a orar pedindo a ajuda divina, para que possamos continuar a acatar as advertências de Jeová e assim ‘estar vigilantes segundo a sua palavra’. — Salmo 119:9.

18. Acatarmos as advertências de Deus fará que adotemos que medidas positivas?

 18 As advertências de Jeová fazem mais do que apenas alertar-nos ao que não devemos fazer. Acatarmos as suas advertências nos fará adotar uma ação positiva, induzindo-nos a confiar implicitamente em Jeová e a amá-lo de todo o coração, alma, mente e força. (Deuteronômio 6:5; Salmo 4:5; Provérbios 3:5, 6; Mateus 22:37; Marcos 12:30) As advertências de Deus também nos motivam a amar nosso próximo. (Levítico 19:18; Mateus 22:39) Mostramos especialmente que amamos a Deus e o próximo por fazer a vontade divina e transmitir a outros o vitalizador “conhecimento de Deus”. — Provérbios 2:1-5.

Acatar as advertências de Jeová significa vida!

19. Como podemos mostrar a outros que é prático e proveitoso acatar as advertências de Jeová?

19 Se acatarmos as advertências de Jeová e ajudarmos outros a fazer o mesmo, salvaremos tanto a nós mesmos como aos que nos escutam. (1 Timóteo 4:16) Como podemos mostrar a outros que acatar as advertências de Jeová realmente é prático e proveitoso? Por aplicarmos os princípios bíblicos na nossa própria vida. “Os corretamente dispostos para com a vida eterna” terão assim provas de que o proceder esboçado na Palavra de Deus realmente é o melhor a adotar. (Atos 13:48) Verão também que ‘Deus está realmente entre nós’ e se sentirão induzidos a adorar o Soberano Senhor Jeová. — 1 Coríntios 14:24, 25.

20, 21. O que as advertências de Deus e o seu espírito nos habilitarão a fazer?

20 Por continuarmos a estudar as Escrituras, por aplicarmos o que aprendemos e por aproveitarmos plenamente as provisões espirituais feitas por Jeová, passaremos a amar extraordinariamente as suas advertências. Se acatarmos essas advertências, elas nos ajudarão a nos “revestir da nova personalidade, que foi criada segundo a vontade de Deus, em verdadeira justiça e lealdade”. (Efésios 4:20-24) As advertências de Jeová e o seu espírito santo nos habilitarão a demonstrar amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, brandura, autodomínio — qualidades tão dessemelhantes das tendências do mundo que está no poder de Satanás! (Gálatas 5:22, 23; 1 João 5:19) Por isso podemos ser gratos quando somos lembrados dos requisitos de Jeová no nosso estudo pessoal da Bíblia, por anciãos designados e nas nossas reuniões, assembléias e congressos.

21 Por acatarmos as advertências de Jeová, podemos alegrar-nos mesmo quando sofremos pela causa da justiça. (Lucas 6:22, 23) Esperamos que Deus nos salve das situações mais ameaçadoras. Isso é especialmente importante agora que todas as nações estão sendo ajuntadas para “a guerra do grande dia de Deus, o Todo-poderoso”, no Har-Magedon. — Revelação 16:14-16.

22. Qual deve ser a nossa determinação quanto às advertências de Jeová?

22 Se havemos de receber a dádiva imerecida da vida eterna, temos de amar extraordinariamente as advertências de Jeová e acatá-las de todo o coração. Portanto, tenhamos o espírito do salmista que cantou: “A justiça das tuas advertências é por tempo indefinido. Faze-me entender, para que eu continue vivendo.” (Salmo 119:144) Demonstremos a determinação evidenciada nas palavras do salmista: “Eu te invoquei [Jeová]. Oh! salva-me. E eu vou guardar as tuas advertências.” (Salmo 119:146) Deveras, provemos por palavras e por ações que realmente amamos extraordinariamente as advertências de Jeová.

Como responderia?

• Como encarava o salmista as advertências de Jeová?

• Por que precisamos das advertências de Deus?

• Que papel desempenham nossas reuniões com respeito às advertências divinas?

• Como as advertências de Jeová nos separam deste mundo?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 15]

O salmista amava extraordinariamente as advertências de Jeová

[Fotos nas páginas 16, 17]

Seguindo o exemplo de Ana, você faz questão de não faltar às reuniões?

[Foto na página 18]

Acatarmos as advertências de Jeová nos separa como puros e aceitáveis para o seu serviço