Pular para conteúdo

Pular para sumário

Você pode manter-se moralmente puro

Você pode manter-se moralmente puro

 Você pode manter-se moralmente puro

“O amor de Deus significa o seguinte: que observemos os seus mandamentos.” — 1 JOÃO 5:3.

1. Que contraste de conduta se nota hoje nas pessoas?

HÁ MUITO tempo, o profeta Malaquias foi inspirado a predizer uma época em que a conduta do povo de Deus se destacaria em nítido contraste com a das pessoas que não servem a Deus. O profeta escreveu: “Vós haveis de ver novamente a diferença entre o justo e o iníquo, entre o que serve a Deus e o que não o serviu.” (Malaquias 3:18) Esta profecia se cumpre hoje. Cumprir os mandamentos de Deus, inclusive os que requerem que se mantenha a pureza moral, é o proceder sábio e correto na vida. No entanto, nem sempre é um proceder fácil de seguir. Jesus disse com bons motivos que os cristãos precisam esforçar-se vigorosamente para ganhar a salvação. — Lucas 13:23, 24.

2. Que pressões externas dificultam a alguns se manter moralmente castos?

2 Por que é difícil manter-se moralmente casto? Um motivo é que há pressões externas. A indústria do entretenimento retrata o sexo ilícito como atraente, agradável e um proceder adulto, praticamente desconsiderando as conseqüências negativas. (Efésios 4:17-19) A maioria das relações íntimas retratadas são entre os que não são casados. Muitas vezes, os filmes e os programas de televisão retratam as relações sexuais num contexto de relacionamento casual e sem compromisso. O que falta tipicamente são a cordialidade e o respeito mútuo. Muitos têm ficado expostos a tais mensagens desde a infância. Além disso, colegas exercem uma forte pressão para que a pessoa se amolde ao atual clima de moral  liberal, e os que não o fazem são às vezes zombados e até mesmo insultados. — 1 Pedro 4:4.

3. Quais são alguns dos motivos de muitos no mundo se envolverem em imoralidade?

3 A pressão interna também dificulta manter-se moralmente casto. Jeová criou os humanos com desejos sexuais, e estes desejos podem ser fortes. O desejo tem muito que ver com o que pensamos, e a imoralidade está relacionada com o modo de pensar que não se harmoniza com os pensamentos de Jeová. (Tiago 1:14, 15) Por exemplo, segundo uma pesquisa recente, publicada no periódico British Medical Journal, muitos dos que tiveram relações sexuais pela primeira vez apenas estavam curiosos para descobrir como era. Outros acreditavam que a maioria dos da sua idade eram sexualmente ativos, de modo que também queriam perder a virgindade. Ainda outros disseram que se deixaram levar por sentimentos ou que estavam “um pouco bêbados na ocasião”. Se queremos agradar a Deus, temos de pensar de modo diferente. Que modo de pensar nos ajudará a manter a pureza moral?

Desenvolva fortes convicções

4. O que temos de fazer para continuar moralmente castos?

4 Para continuarmos moralmente castos temos de reconhecer que vale a pena seguir este modo de vida. Isto está em harmonia com o que o apóstolo Paulo escreveu aos cristãos em Roma: “[Provai] a vós mesmos a boa, e aceitável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2) Reconhecer que vale a pena manter-se moralmente casto envolve mais do que apenas saber que a imoralidade é condenada na Palavra de Deus. Envolve compreender os motivos pelos quais a imoralidade é condenada e como somos beneficiados por rejeitá-la. Alguns destes motivos foram considerados no artigo precedente.

5. Primariamente, por que devem os cristãos querer permanecer moralmente castos?

5 Na realidade, porém, para nós, cristãos, os motivos mais fortes para evitar a imoralidade sexual derivam-se de nosso relacionamento com Deus. Aprendemos que ele sabe o que é melhor para nós. Nosso amor a ele nos ajudará a odiar o que é mau. (Salmo 97:10) Deus é o Dador de “toda boa dádiva e todo presente perfeito”. (Tiago 1:17) Ele nos ama. Por sermos obedientes a ele, mostramos que o amamos e que apreciamos tudo o que ele tem feito por nós. (1 João 5:3) Nunca queremos desapontar ou magoar a Jeová por violar suas ordens justas. (Salmo 78:41) Não queremos que as pessoas falem mal do Seu modo santo e justo de adoração por causa das nossas ações. (Tito 2:5; 2 Pedro 2:2) Por continuarmos moralmente castos, alegramos o Supremo. — Provérbios 27:11.

6. De que ajuda é deixar outros saber as nossas normas de moral?

6 Uma vez que resolvemos permanecer moralmente castos, uma proteção adicional é deixar  outros saber desta convicção. Deixe as pessoas saber que você é servo de Jeová Deus e que está decidido a manter as elevadas normas dele. Trata-se da sua vida, do seu corpo e da sua escolha. O que está em jogo? Seu precioso relacionamento com o Pai celestial. Portanto, torne claro que sua integridade moral não é negociável. Orgulhe-se de representar a Deus por manter os princípios dele. (Salmo 64:10) Nunca se envergonhe de falar a outros sobre as suas convicções de moral. Falar francamente pode fortalecê-lo, protegê-lo e encorajar outros a seguir seu exemplo. — 1 Timóteo 4:12.

7. Como podemos manter nossa decisão de continuar moralmente castos?

7 A seguir, depois de termos decidido manter uma elevada norma de moral e deixarmos outros saber nossa atitude, temos de tomar medidas para nos apegar a nossa decisão. Um modo de fazer isso é ser criterioso na escolha de amigos. “Quem anda com pessoas sábias tornar-se-á sábio”, diz a Bíblia. Associe-se com os que compartilham seus valores morais; eles o fortalecerão. Este texto diz também: “Mas irá mal com aquele que tem tratos com os estúpidos.” (Provérbios 13:20) Evite ao máximo possível os que podem enfraquecer sua decisão. — 1 Coríntios 15:33.

8. (a) Por que devemos nutrir a mente com coisas sadias? (b) O que devemos evitar?

8 Além disso, temos de nutrir a mente com coisas que são verdadeiras, sérias, justas, castas, amáveis, de que se fala bem, virtuosas e louváveis. (Filipenses 4:8) Fazemos isso por ser criteriosos quanto ao que vemos e lemos, e quanto à música que escutamos. Dizer que a literatura imoral não exerce uma influência corrompedora é o mesmo que dizer que a literatura sadia não influencia positivamente. Lembre-se de que humanos imperfeitos podem facilmente cair na imoralidade. De modo que livros, revistas, filmes e música que estimulam sentimentos sexuais criarão desejos errados e estes podem por fim levar ao pecado. Para mantermos a pureza moral temos de encher a mente com sabedoria divina. — Tiago 3:17.

Passos que levam à imoralidade

9-11. Conforme relatado por Salomão, que passos progressivos levaram certo moço à imoralidade?

9 Muitas vezes há passos identificáveis que levam à imoralidade. Cada passo dado torna cada vez mais difícil voltar atrás. Note como isso é descrito em Provérbios 7:6-23. Salomão observa “um moço falto de coração” ou falto de boa motivação. O moço está “passando pela rua perto da esquina dela [duma prostituta] e marchando no caminho da casa dela, no crepúsculo, à noitinha do dia”. Este é o seu primeiro erro. Nas horas do crepúsculo, seu “coração” o encaminhou, não apenas a qualquer rua, mas àquela onde ele sabe que costuma ter uma prostituta.

10 Lemos a seguir: “Eis que vinha ao seu encontro uma mulher em traje de prostituta e ardilosa de coração.” Agora ele a vê! Podia ter dado a volta e retornado à sua casa, mas isso é agora mais difícil do que antes, especialmente por ele ser moralmente fraco. Ela o segura e lhe dá um beijo. Tendo aceitado o beijo, escuta agora a persuasão sedutora dela: “Cabia-me oferecer sacrifícios de participação em comum”, diz ela. “Hoje paguei os meus votos.” Sacrifícios de participação em comum incluíam carne, farinha, azeite e vinho. (Levítico 19:5, 6; 22:21; Números 15:8-10) Por mencioná-los, ela talvez quisesse indicar que não lhe faltava espiritualidade e, ao mesmo tempo, deixá-lo saber que havia muitas coisas boas para comer e beber na casa dela. “Vem deveras”, implora ela, “bebamos fartamente do amor até à manhã; regalemo-nos deveras mutuamente com expressões de amor”.

11 O resultado não é difícil de predizer. “Seduziu-o com a maciez dos seus lábios.” Ele a segue à casa dela “igual ao touro que chega ao abate” e “como o pássaro se apressa para a armadilha”. As palavras concludentes de Salomão dão o que pensar: “Ele não sabia que envolvia a sua própria alma.” Sua alma, ou vida, estava envolvida, porque “Deus julgará os fornicadores e os adúlteros”. (Hebreus 13:4) Que forte lição tanto para homens como para mulheres! Devemos evitar até mesmo dar o passo inicial no caminho que leva ao desfavor de Deus.

12. (a) O que significa a expressão “falto de coração”? (b) Como podemos desenvolver força moral?

 12 Note que o moço do relato era “falto de coração”. Esta expressão nos diz que os pensamentos, os desejos, as afeições, as emoções e os objetivos dele na vida não estavam em harmonia com o que Deus aprova. Sua fraqueza moral o levou a conseqüências trágicas. Nos atuais “últimos dias” críticos, requer esforço para desenvolver força moral. (2 Timóteo 3:1) Deus faz provisões para nos ajudar. Ele providencia reuniões da congregação cristã para nos incentivar a seguir o caminho certo e nos pôr em contato com outros que têm o mesmo objetivo que nós. (Hebreus 10:24, 25) Há anciãos congregacionais que nos pastoreiam e nos ensinam os caminhos da justiça. (Efésios 4:11, 12) Temos a Palavra de Deus, a Bíblia, para nos orientar e guiar. (2 Timóteo 3:16) E em todas as ocasiões temos a oportunidade de orar pedindo que o espírito de Deus nos ajude. — Mateus 26:41.

Aprenda dos pecados de Davi

13, 14. Como se envolveu Davi num grave pecado?

13 Lamentavelmente, porém, mesmo notáveis servos de Deus se envolveram em imoralidade sexual. Um desses foi o Rei Davi, que por décadas havia servido fielmente a Jeová. Não há dúvida de que ele amava intensamente a Deus. No entanto, mergulhou num proceder de pecado. Assim como se deu com o moço descrito por Salomão, Davi deu passos que o levaram a pecar e que depois agravaram seu pecado.

14 Davi era então de meia-idade, possivelmente tendo pouco mais de 50 anos. Do terraço da sua casa, ele avistou a bela Bate-Seba tomando banho. Indagou sobre ela e ficou sabendo quem era. Ficou sabendo que o marido dela, Urias, estava participando do sítio a Rabá, uma cidade amonita. Davi mandou trazê-la ao seu palácio e teve relações com ela. Mais tarde, as coisas se complicaram — pois ela descobriu que estava grávida de Davi. Esperando que Urias passasse a noite com a esposa, Davi chamou-o de volta da guerra. Assim teria parecido que Urias era o pai do filho de Bate-Seba. Mas Urias não foi à sua casa. Desesperado para encobrir seu pecado, Davi mandou então Urias de volta a Rabá com uma carta ao chefe do exército, dizendo que Urias devia ser colocado numa posição onde seria morto. Urias perdeu assim a vida, e Davi casou-se com a viúva antes de se tornar do conhecimento público que ela estava grávida. — 2 Samuel 11:1-27.

15. (a) Como foi exposto o pecado de Davi? (b) Como reagiu Davi à hábil repreensão de Natã?

15 Parecia que a trama de Davi para encobrir seu pecado funcionara bem. Passaram-se meses. A criança, um menino, nasceu. Se Davi estava pensando neste incidente quando compôs o Salmo 32, então é evidente que sua consciência o atormentava. (Salmo 32:3-5) No entanto, o pecado não ficou escondido de Deus. A Bíblia diz: “A coisa que Davi tinha feito parecia má aos olhos de Jeová.” (2 Samuel 11:27) Jeová enviou o profeta Natã, que habilmente confrontou Davi com o que tinha feito. Davi logo confessou e implorou o perdão de Jeová. Seu genuíno arrependimento resultou numa reconciliação com Deus. (2 Samuel 12:1-13) Davi não se ressentiu da repreensão. Antes, mostrou ter a atitude descrita no Salmo 141:5: “Se o justo me surrasse, seria benevolência; e se me repreendesse, seria óleo sobre a cabeça, que minha cabeça não desejaria recusar.”

16. Que advertência e que conselho deu Salomão a respeito de transgressões?

16 Salomão, segundo filho de Davi e de Bate-Seba, talvez pensasse neste episódio tenebroso na vida de seu pai. Ele escreveu mais tarde: “Quem encobre as suas transgressões não será bem sucedido, mas, ter-se-á misericórdia com aquele que as confessa e abandona.” (Provérbios 28:13) Se cometermos um grave pecado, devemos acatar este conselho inspirado, que tanto é uma advertência como uma palavra de conselho. Devemos fazer confissão a Jeová e contatar os anciãos congregacionais em busca de ajuda. É uma responsabilidade importante dos anciãos ajudar a reajustar os que caíram numa transgressão. — Tiago 5:14, 15.

 Suporte as conseqüências do pecado

17. Embora Jeová perdoe pecados, de que ele não nos protege?

17 Jeová perdoou a Davi. Por quê? Porque Davi era homem íntegro, porque era misericordioso para com outros e porque seu arrependimento era genuíno. Não obstante, Davi não foi protegido contra as conseqüências desastrosas que se seguiram. (2 Samuel 12:9-14) O mesmo se dá hoje. Embora Jeová não cause o mal aos arrependidos, ele não os poupa das conseqüências naturais das suas ações erradas. (Gálatas 6:7) Entre os resultados da imoralidade sexual podem estar o divórcio, a gravidez indesejada, uma doença sexualmente transmissível, e a perda de confiança e respeito.

18. (a) Como disse Paulo que a congregação coríntia devia lidar com um caso grave de má conduta sexual? (b) Como mostra Jeová amor e misericórdia aos pecadores?

18 Se nós mesmos tivermos cometido erros graves, é natural que nos sintamos desanimados quando sofremos as conseqüências dos erros que cometemos. No entanto, não devemos permitir que nada nos refreie de nos arrepender e de ficar reconciliados com Deus. Durante o primeiro século, Paulo escreveu aos coríntios que eles deviam remover da congregação um homem que praticava fornicação incestuosa. (1 Coríntios 5:1, 13) Depois de o homem se ter genuinamente arrependido, Paulo instruiu a congregação: “Deveis perdoar-lhe bondosamente e deveis consolá-lo [e confirmar] o vosso amor por ele.” (2 Coríntios 2:5-8) Neste conselho inspirado notamos o amor e a misericórdia de Jeová para com os pecadores arrependidos. Os anjos no céu se alegram quando um pecador se arrepende. — Lucas 15:10.

19. Ficar devidamente entristecido pelo proceder errado pode trazer que benefícios?

19 Embora fiquemos entristecidos por um proceder errado, o pesar que sentimos pode ajudar-nos a ‘guardar-nos de não nos virarmos de novo para o que é prejudicial’. (Jó 36:21) Deveras, as amargas conseqüências do pecado deviam refrear-nos de repetir o erro. Além disso, Davi usou a lamentável experiência que ganhou da sua conduta pecaminosa para aconselhar outros. Ele disse: “Vou ensinar aos transgressores os teus caminhos, para que os próprios pecadores retornem diretamente a ti.” — Salmo 51:13.

A felicidade resulta de se servir a Jeová

20. Quais são os benefícios resultantes de se obedecer aos requisitos justos de Deus?

20 “Felizes são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!” disse Jesus. (Lucas 11:28) A obediência aos requisitos justos de Deus dá felicidade agora e no infindável futuro. Se tivermos permanecido moralmente puros, persistamos neste proceder por aproveitar todas as provisões que Jeová fez para nos ajudar. Se tivermos caído em imoralidade, tomemos ânimo por saber que Jeová está pronto a perdoar aos que realmente se arrependem, e estejamos decididos a nunca repetir o pecado. — Isaías 55:7.

21. A aplicação de que admoestação do apóstolo Pedro pode ajudar-nos a continuar moralmente puros?

 21 Dentro em breve, este mundo injusto desaparecerá, junto com todas as suas atitudes e práticas imorais. Por mantermos a castidade moral, seremos beneficiados agora e para sempre. O apóstolo Pedro escreveu: “Amados, visto que aguardais estas coisas, fazei o máximo para serdes finalmente achados por ele sem mancha nem mácula, e em paz.  . . . Tendo este conhecimento adiantado, guardai-vos para que não sejais desviados com eles pelo erro dos que desafiam a lei e não decaiais da vossa firmeza.” — 2 Pedro 3:14, 17.

Sabe explicar?

• Por que pode ser difícil continuar moralmente puro?

• Quais são alguns modos de mantermos nossa decisão de seguir elevadas normas de moral?

• Que lições podemos aprender dos pecados do moço mencionado por Salomão?

• O que nos ensina o exemplo de Davi a respeito do arrependimento?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 13]

Serve de proteção deixar outros saber sua posição na questão da moralidade

[Fotos nas páginas 16, 17]

Visto que Davi se arrependeu sinceramente, Jeová lhe perdoou