Pular para conteúdo

Pular para sumário

‘Salve a si mesmo e aos que o escutam’

‘Salve a si mesmo e aos que o escutam’

 ‘Salve a si mesmo e aos que o escutam’

“Presta constante atenção a ti mesmo e ao teu ensino. . . . Por fazeres isso, salvarás tanto a ti mesmo como aos que te escutam.” — 1 TIMÓTEO 4:16.

1, 2. O que motiva os verdadeiros cristãos a continuar com sua obra de salvar vidas?

NUMA aldeia isolada, no norte da Tailândia, um casal de Testemunhas de Jeová procura usar sua recém-adquirida habilidade de falar a língua local com os membros duma tribo das colinas. Para transmitir as boas novas do Reino de Deus aos aldeões, o casal aprendeu recentemente a língua lahu.

2 “É difícil descrever a alegria e a satisfação que temos de trabalhar entre essas pessoas interessantes”, explica o marido. “Sentimo-nos realmente envolvidos no cumprimento de Revelação [Apocalipse] 14:6, 7, de declarar boas notícias ‘a toda nação, e tribo, e língua’. Sobram poucas regiões em que as boas novas ainda não penetraram, e esta certamente é uma delas. Temos quase mais estudos bíblicos do que podemos cuidar.” É evidente que este casal espera não só salvar a si mesmo, mas também aqueles que os escutam. Não esperamos todos nós, cristãos, fazer o mesmo?

“Presta constante atenção a ti mesmo”

3. Para salvar outros, o que temos de fazer primeiro?

3 O apóstolo Paulo aconselhou a Timóteo: “Presta constante atenção a ti mesmo”, e isto se aplica a todos os cristãos. (1 Timóteo 4:16) Deveras, para ajudarmos outros a obter a salvação precisamos primeiro prestar atenção a nós mesmos. Como podemos fazer isso? Em primeiro lugar, temos  de ficar alertas quanto ao tempo em que vivemos. Jesus forneceu um sinal composto para que seus seguidores soubessem quando tinha chegado a “terminação do sistema de coisas”. No entanto, Jesus disse também que não saberíamos com exatidão quando viria o fim. (Mateus 24:3, 36) Qual deve ser a nossa reação a isso?

4. (a) Que atitude devemos adotar para com o tempo que resta a este sistema? (b) Que atitude devemos evitar?

4 Cada um de nós poderia perguntar-se: ‘Aproveito o tempo que resta a este sistema para salvar a mim mesmo e aos que me escutam? Ou estou achando: “Visto que não sabemos exatamente quando vem o fim, não me vou preocupar com isso”?’ Esta última atitude é perigosa. É bem contrária à exortação de Jesus: “Mostrai-vos prontos, porque o Filho do homem vem numa hora em que não pensais.” (Mateus 24:44) Este certamente não é o tempo para perdermos o entusiasmo pelo serviço de Jeová ou para recorrermos ao mundo em busca de segurança ou satisfação. — Lucas 21:34-36.

5. Que exemplos deram as testemunhas pré-cristãs de Jeová?

5 Outro modo de podermos mostrar que prestamos atenção a nós mesmos é por perseverar fielmente como cristãos. No passado, os servos de Deus perseveraram, quer esperassem livramento imediato, quer não. Depois de citar exemplos  de testemunhas pré-cristãs, tais como Abel, Enoque, Noé, Abraão e Sara, Paulo mencionou: “Não [receberam] o cumprimento das promessas, mas viram-nas de longe e acolheram-nas, e declararam publicamente que eram estranhos e residentes temporários no país.” Não se entregaram a desejos de levar uma vida folgada, nem sucumbiram às pressões imorais que os cercaram, mas aguardaram ansiosamente “o cumprimento das promessas”. — Hebreus 11:13; 12:1.

6. Como afetou a maneira de os cristãos do primeiro século encararem a salvação o modo de vida que levavam?

6 Os cristãos do primeiro século também se consideravam “forasteiros” neste mundo. (1 Pedro 2:11) Mesmo depois de serem salvos da destruição de Jerusalém em 70 EC, os verdadeiros cristãos não pararam de pregar, nem voltaram ao modo de vida secular. Sabiam que aos que permaneciam fiéis estava reservada uma grandiosa salvação. Na realidade, tão tarde como em 98 EC, o apóstolo João escreveu: “O mundo está passando, e assim também o seu desejo, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” — 1 João 2:17, 28.

7. Como têm mostrado perseverança as Testemunhas de Jeová nos tempos modernos?

7 Nos tempos modernos, as Testemunhas de Jeová também têm perseverado na obra cristã, embora sofressem perseguição violenta. Será que a sua perseverança tem sido em vão? Certamente que não, porque Jesus nos assegurou: “Quem tiver perseverado até o fim é o que será salvo”, quer este seja o fim do velho sistema, quer o fim da vida atual da pessoa. Na ressurreição, Jeová se lembrará de todos os seus servos fiéis que morreram e os recompensará. — Mateus 24:13; Hebreus 6:10.

8. Como podemos mostrar que apreciamos a perseverança de cristãos no passado?

8 Além disso, sentimo-nos felizes de que cristãos fiéis do passado não se preocupavam apenas com a sua própria salvação. Certamente nós, os que aprendemos algo sobre o Reino de Deus por meio dos esforços deles, somos gratos de que perseveraram no cumprimento da comissão de Jesus: “Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações, . . . ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei.” (Mateus 28:19, 20) Enquanto ainda tivermos a oportunidade para isso, poderemos demonstrar gratidão por pregar a outros que ainda não ouviram as boas novas. No entanto, a pregação é apenas o primeiro passo para fazer discípulos.

‘Preste atenção ao seu ensino’

9. Como pode uma atitude positiva ajudar-nos a iniciar estudos bíblicos?

9 Nossa designação inclui não apenas a pregação, mas também o ensino. Jesus comissionou-nos a ensinar às pessoas a observar todas as coisas que ele ordenou. É verdade que em alguns territórios poucos parecem querer saber de Jeová. Mas, se tivermos um conceito negativo sobre o território, isso pode impedir nossos esforços de iniciar estudos bíblicos. Yvette, pioneira num território que alguns haviam classificado como infrutífero, notou que os que visitavam esta região, que não tinham tal atitude negativa, iniciavam estudos bíblicos domiciliares. Depois de Yvette adotar um conceito mais positivo, ela também encontrou pessoas que queriam estudar a Bíblia.

10. Qual é a nossa tarefa básica como instrutores bíblicos?

10 Alguns cristãos talvez hesitem em oferecer-se para estudar a Bíblia com pessoas interessadas por acharem que não conseguiriam dirigir o estudo. É verdade que temos graus diferentes de habilidades. Mas não precisamos ser muito habilidosos para ser bem-sucedidos como instrutores da Palavra de Deus. A mensagem pura da Bíblia é poderosa, e Jesus disse que os semelhantes a ovelhas conhecem a voz do verdadeiro Pastor quando a ouvem. Portanto, nós simplesmente temos a tarefa de transmitir a mensagem do Pastor Excelente, Jesus, com a maior clareza possível. — João 10:4, 14.

11. Como pode você ser mais eficaz em ajudar um estudante da Bíblia?

11 Como poderá você transmitir a mensagem de Jesus com mais eficácia? Para começar, familiarize-se com o que a Bíblia diz sobre o tópico a ser considerado. Você mesmo precisa entender o assunto antes de poder ensiná-lo a outros.  Também, procure manter um ambiente respeitoso, mas amigável, durante o estudo. Os que estudam, inclusive os muito jovens, aprendem melhor quando estão descontraídos e quando o instrutor lhes mostra respeito e bondade. — Provérbios 16:21.

12. Como pode certificar-se de que o estudante entende o que você lhe ensina?

12 Você, como instrutor, não quer apenas apresentar fatos que o estudante deve repetir mecanicamente. Ajude-o a entender o que ele está aprendendo. A formação do estudante, sua experiência na vida e sua familiaridade com a Bíblia influirão na compreensão do que você está dizendo. Portanto, poderá perguntar a si mesmo: ‘Será que ele compreende o significado dos textos citados na matéria do estudo?’ Pode incentivá-lo a se expressar por fazer perguntas que não podem ser respondidas com um simples sim ou não, mas que requerem uma explicação. (Lucas 9:18-20) Por outro lado, alguns estudantes hesitam em fazer perguntas ao instrutor. De modo que talvez prossigam sem entender plenamente o que se lhes ensina. Incentive o estudante a fazer perguntas e a dizer-lhe quando não entende plenamente algum ponto. — Marcos 4:10; 9:32, 33.

13. Como poderá você ajudar o estudante a se tornar instrutor?

13 Um objetivo importante de se dirigir um estudo bíblico é ajudar o estudante a se tornar instrutor. (Gálatas 6:6) Para este fim, como recapitulação do seu estudo, você poderá pedir-lhe que lhe explique certo ponto em termos simples, como se ele fosse explicá-lo a alguém que o ouve pela primeira vez. Mais tarde, quando o estudante se torna habilitado para participar no ministério, você poderá convidá-lo a ir com você ao campo. Ele provavelmente se sentirá mais à vontade trabalhando com você, e a experiência o ajudará a aumentar em confiança, até estar pronto para se empenhar sozinho no ministério.

Ajude o estudante a se tornar amigo de Jeová

14. Qual é seu objetivo primário como instrutor, e o que lhe ajudará a ser bem-sucedido em alcançá-lo?

14 O objetivo primário de cada instrutor cristão é ajudar o estudante a conseguir a amizade de Jeová. Você conseguirá isso não só pelas suas palavras, mas também pelo seu exemplo. A instrução dada por meio de exemplo afeta fortemente o coração dos estudantes. Ações podem realmente falar mais alto do que palavras, especialmente quando se trata de incutir no estudante qualidades de moral e inspirar zelo. Quando ele vê que as palavras e as ações do seu instrutor resultam do bom relacionamento deste com Jeová, ele talvez se sinta mais motivado a cultivar também tal relacionamento.

15. (a) Por que é importante que o estudante desenvolva a motivação correta para servir a Jeová? (b) Como pode você ajudar o estudante a continuar a fazer progresso espiritual?

15 Você quer que o estudante sirva a Jeová não apenas porque ele não quer ser destruído no Armagedom, mas porque ele o ama. Por ajudá-lo a criar tal motivação pura, você estará construindo com materiais resistentes ao fogo que sobreviverão às provas da sua fé. (1 Coríntios 3:10-15) Uma motivação errada, tal como o desejo descomedido de imitar você ou a outro humano, não lhe dará nem a força para resistir a influências não-cristãs, nem a coragem de fazer o que é direito. Lembre-se de que você não será para sempre instrutor dele. Enquanto tem a oportunidade, pode incentivá-lo a se achegar cada vez mais a Jeová por ler cada dia a Palavra de Deus e por refletir nela. Assim ele continuará a absorver o “modelo de palavras salutares” da Bíblia e de publicações bíblicas muito depois de você ter terminado de estudar com ele. — 2 Timóteo 1:13.

16. Como pode ensinar ao estudante a orar de coração?

16 Pode também ajudar o estudante a se achegar mais a Jeová por ensinar-lhe a orar de coração. Como pode fazer isso? Talvez possa mostrar-lhe a oração-modelo de Jesus, bem como muitas outras orações feitas de todo o coração, registradas na Bíblia, tais como as que estão nos salmos. (Salmos 17, 86, 143; Mateus 6:9, 10) Além disso, quando seu estudante ouve você orar para iniciar e encerrar o estudo, ele perceberá os sentimentos que você tem para com Jeová. De modo  que suas orações devem sempre refletir sinceridade e franqueza, bem como equilíbrio espiritual e emocional.

Empenhe-se para salvar seus filhos

17. Como podem os pais ajudar os filhos a continuar no caminho da salvação?

17 Entre os que queremos salvar naturalmente estão os membros da nossa família. Um grande número de filhos de pais cristãos são sinceros e estão “sólidos na fé”. Outros, porém, talvez não tenham a verdade bem arraigada no coração. (1 Pedro 5:9; Efésios 3:17; Colossenses 2:7) Muitos destes jovens abandonam o modo de vida cristão na adolescência ou ao se tornarem adultos. Se você for pai ou mãe, o que poderá fazer para tornar tal resultado menos provável? Primeiro, pode empenhar-se em criar um ambiente familiar saudável. Uma boa vida familiar lança a base para o conceito sadio sobre a autoridade, o apreço pelos devidos valores e um relacionamento feliz com outros. (Hebreus 12:9) De modo que os vínculos achegados dentro da família podem ser a base para se desenvolver a amizade da criança com Jeová. (Salmo 22:10) Famílias fortes fazem as coisas em conjunto — mesmo que os pais tenham de sacrificar tempo que poderia ser usado para obter vantagens pessoais. Deste modo, você pode pelo exemplo ensinar aos filhos a tomar decisões acertadas na vida. Pais, o que seus filhos precisam mais de vocês não são vantagens materiais, mas vocês mesmos — seu tempo, sua energia e seu amor. Estão dando aos filhos essas coisas?

18. Que tipo de questões precisam os pais ajudar os filhos a resolver?

 18 Os pais cristãos nunca devem presumir que seus filhos também se tornarão automaticamente cristãos. Daniel, ancião e pai de cinco filhos, menciona: “Os pais têm de tomar tempo para dissipar as dúvidas que seus filhos inevitavelmente assimilam na escola e em outros lugares. Precisam com paciência ajudar os filhos a achar as respostas para questões tais como: ‘Vivemos mesmo no tempo do fim? Existe realmente só uma religião verdadeira? Por que é que alguns aparentemente agradáveis colegas de escola não são uma boa associação? Será que sempre é errado ter relações sexuais antes do casamento?’” Pais, vocês podem contar com Jeová para abençoar os seus esforços, pois ele também está interessado no bem-estar de seus filhos.

19. Por que é melhor que os próprios pais estudem com os filhos?

19 Alguns pais talvez não se sintam capacitados quando se trata de estudar com os próprios filhos. Mas, você não precisa pensar assim, porque ninguém está em melhores condições de instruir os filhos do que você mesmo. (Efésios 6:4) Estudar com os seus próprios filhos lhe permitirá saber de primeira mão o que eles têm no coração e na mente. São as expressões deles feitas de coração ou de modo superficial? Será que acreditam mesmo naquilo que aprendem? É Jeová real para eles? Só poderá descobrir as respostas a estas e a outras perguntas vitais se você mesmo estudar com seus filhos. — 2 Timóteo 1:5.

20. Como podem os pais tornar o estudo em família agradável e proveitoso?

20 Como poderá manter seu programa de estudo em família depois de o ter começado? José, ancião e pai de um filho e uma filha jovens, diz: “Assim como todos os estudos bíblicos, o estudo em família deve ser agradável, algo que todos aguardam. Para conseguir isso na nossa família, não podemos ser rígidos demais com o tempo. Nosso estudo pode durar uma hora, mas, se ocasionalmente tivermos apenas dez minutos, ainda assim devemos estudar. Uma coisa que faz com que o nosso estudo seja para os filhos um destaque da semana é encenar trechos de Meu Livro de Histórias Bíblicas. * A profundidade da impressão e a compreensão resultantes são muito mais importantes do que quantos parágrafos abrangemos.”

21. Quando podem os pais instruir os filhos?

21 Naturalmente, instruir os filhos não se limita a períodos formais de estudo. (Deuteronômio 6:5-7) A Testemunha de Jeová na Tailândia, mencionada no início, disse: “Lembro-me vividamente de como papai me levava junto à pregação, de bicicleta, até os cantos mais longínquos do território de nossa congregação. Foi definitivamente o belo exemplo de nossos pais e foi o ensino que nos deram em todas as circunstâncias que nos ajudou a decidir entrar no ministério de tempo integral. E as lições devem ter calado fundo. Eu ainda trabalho nos cantos longínquos do campo!”

22. Qual será o resultado de você ‘prestar atenção a si mesmo e ao seu ensino’?

22 Algum dia, dentro em breve, justamente na hora certa, Jesus virá para executar o julgamento de Deus neste sistema. Este grande acontecimento passará então para a História universal, mas os servos fiéis de Jeová continuarão a servi-lo, visando a salvação eterna. Espera você estar entre eles, junto com os seus filhos e estudantes da Bíblia? Então, lembre-se: “Presta constante atenção a ti mesmo e ao teu ensino. Permanece nestas coisas, pois, por fazeres isso, salvarás tanto a ti mesmo como aos que te escutam.” — 1 Timóteo 4:16.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 20 Publicado pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados.

Pode explicar?

• Qual deve ser a nossa atitude, visto que não sabemos o tempo exato do julgamento por Deus?

• Como podemos ‘prestar atenção ao nosso ensino’?

• Como você pode ajudar a um estudante a se tornar amigo de Jeová?

• Por que é importante que os pais tomem tempo para instruir os filhos?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 15]

O aprendizado é melhorado por um ambiente respeitoso, mas amigável

[Foto na página 18]

Encenar histórias bíblicas, tais como Salomão julgar as duas meretrizes, torna os estudos em família mais agradáveis