Pular para conteúdo

Pular para sumário

Pequenas na estatura, mas grandes de coração

Pequenas na estatura, mas grandes de coração

 Pequenas na estatura, mas grandes de coração

O QUE acharia de falar com alguém estranho sobre o Reino de Deus, se você tivesse apenas 76 centímetros de altura? Laura pode dizer-lhe como é. Aos 33 anos de idade, ela tem apenas 76 centímetros de altura. Ela e sua irmã, María, de 24 anos de idade e 86 centímetros de altura, moram em Quito, no Equador. Deixe que lhe expliquem com que obstáculos se confrontam no seu ministério cristão.

“Para chegarmos ao território em que pregamos e às reuniões cristãs, andamos mais ou menos meio quilômetro para tomar um ônibus. De onde ele nos deixa, andamos mais meio quilômetro para tomar um segundo ônibus. Infelizmente, ao longo deste caminho há cinco cães ferozes. Para nós, os cães são muito temíveis, porque podem parecer ter o tamanho de cavalos. Para enxotá-los quando necessário, levamos conosco um pau, que escondemos em algum lugar antes de tomar o ônibus, para que o tenhamos disponível em caminho para casa.

“Tomar o ônibus significa subir um degrau muito alto. Costumamos ficar em cima dum montículo de terra na parada de ônibus, para subir nele com mais facilidade. Alguns motoristas param junto a esse montículo, mas outros não. Quando isso acontece, a mais alta ajuda a mais baixinha a subir. Tomar o segundo ônibus exige que cruzemos uma rodovia movimentada — o que requer verdadeiro esforço para as nossas pernas curtas. Por causa de nossa pequena estatura, a bolsa pesada de publicações constitui outro desafio. Para torná-la mais leve, usamos uma Bíblia de tamanho de bolso e também limitamos a quantidade de publicações que levamos.

“Desde a infância, ambas temos sido muito introvertidas. Nossos vizinhos sabem que falar com estranhos sempre nos intimidou. Por isso, ficam surpresos e impressionados quando nos vêem bater nas suas portas, e eles costumam dar-nos atenção. Mas lá onde não somos tão bem conhecidas, as pessoas muitas vezes só notam que somos anãs; de modo que nem sempre nos dão a séria atenção que a nossa mensagem merece. No entanto, sentirmos o amor de Jeová dá-nos o ânimo para continuar na obra de evangelização. Meditarmos em Provérbios 3:5, 6, também nos dá coragem.”

Como Laura e María demonstram, perseverar apesar de impedimentos físicos pode glorificar a Deus. O apóstolo Paulo orava pedindo que seu “espinho na carne”, possivelmente um padecimento físico, lhe fosse tirado. Mas Deus disse-lhe: “Basta-te a minha benignidade imerecida;  pois o meu poder está sendo aperfeiçoado na fraqueza.” Deveras, um impedimento físico não precisa ser removido para podermos servir a Deus. A plena confiança em Deus pode ajudar-nos a fazer o melhor na nossa situação. Por Paulo encarar seu “espinho na carne” assim, ele podia dizer: “Quando estou fraco, então é que sou poderoso.” (2 Coríntios 12:7, 9, 10) Alguns anos depois, Paulo escreveu: “Para todas as coisas tenho força em virtude daquele que me confere poder.” — Filipenses 4:13.

Nos tempos modernos, Deus realiza uma poderosa obra por meio de homens, mulheres e crianças, plenamente devotados a ele. Diversos deles têm algum tipo de impedimento físico. Embora todos eles esperem a cura divina sob o Reino de Deus, não esperam que Deus os alivie dos seus problemas antes de tentarem fazer algo no serviço dele.

Tem você alguma fraqueza física? Tome coragem! Devido à sua fé, você pode estar entre os que são como Paulo, Laura e María. A respeito deles pode-se dizer, assim como foi dito no caso de homens e mulheres de fé na antiguidade: “Dum estado fraco foram feitos poderosos.” — Hebreus 11:34.

[Foto na página 8]

María

Laura

[Foto na página 9]

María ajuda Laura a entrar num ônibus

[Fotos na página 9]

“Para nós, os cães são muito temíveis, porque podem parecer ter o tamanho de cavalos.”

Abaixo: Laura e María, e os que estudaram a Bíblia com elas