Pular para conteúdo

Pular para sumário

A fé pode mudar a sua vida

A fé pode mudar a sua vida

 A fé pode mudar a sua vida

“CERTAMENTE é possível ter princípios sem crer em Deus.” Esta foi a afirmação duma pessoa agnóstica. Ela disse que havia criado os filhos com elevados valores de moral e que estes, por sua vez, tinham criado os filhos deles com similares normas elevadas — tudo sem terem fé em Deus.

Significa isso que é desnecessário ter fé em Deus? É evidente que esta pessoa achava que sim. E é verdade que nem todos os que não crêem em Deus necessariamente são pessoas más. O apóstolo Paulo falou a respeito de “pessoas das nações” que não conhecem a Deus, mas que “fazem por natureza as coisas da lei”. (Romanos 2:14) Todos, inclusive os agnósticos — nasceram com uma consciência. Muitos procuram seguir os ditames da sua consciência, mesmo não crendo no Deus que lhes deu este senso inato do certo e do errado.

No entanto, a fé sólida em Deus — baseada na Bíblia — é uma força muito mais poderosa a favor do bem do que apenas a orientação da consciência. A fé baseada na Palavra de Deus, a Bíblia, informa a consciência, aguçando a sua capacidade de distinguir o certo do errado. (Hebreus 5:14) Além disso, a fé fortalece a pessoa para manter normas elevadas em face de enormes pressões. Por exemplo, durante o século 20, muitos países passaram a ficar sob o poder de regimes políticos corruptos, que obrigaram pessoas aparentemente decentes a cometer atrocidades horríveis. No entanto, as que tinham verdadeira fé em Deus se negaram a transigir nos seus princípios, até mesmo arriscando a sua vida. Além disso, a fé baseada na Bíblia pode mudar as pessoas. Pode resgatar vidas  que parecem perdidas e ajudar pessoas a evitar erros sérios. Considere alguns exemplos disso.

A fé pode mudar a vida da família

“Pela sua fé vocês conseguiram o impossível.” Assim disse um juiz inglês ao julgar o processo da guarda dos filhos de John e Tania. Quando as autoridades tomaram conhecimento do caso de John e Tania, eles não estavam casados e sua vida doméstica era horrível. John, que tinha problemas com drogas e com a jogatina, havia recorrido ao crime para financiar seus vícios. Negligenciava os filhos e a mãe deles. Então, qual foi o “milagre” que houve?

Certo dia, John ouviu seu jovem sobrinho falar sobre o Paraíso. Intrigado, interrogou os pais do menino. Os pais são Testemunhas de Jeová, e eles ajudaram John a aprender isso da Bíblia. Pouco a pouco, John e Tania desenvolveram uma fé baseada na Bíblia, que mudou a sua vida. Legalizaram sua união por se casarem e venceram seus vícios. As autoridades que inspecionaram sua casa encontraram algo que pouco antes havia parecido impossível — uma família feliz numa casa limpa, um lugar aceitável para criar filhos. O juiz tinha razão em atribuir este “milagre” à fé recém-encontrada por John e Tania.

A milhares de quilômetros da Inglaterra, uma jovem esposa, no Oriente Próximo, estava para fazer parte duma estatística muito lamentável. Ela planejava juntar-se aos milhões cujo casamento, cada ano, acaba em divórcio. Tinha um filho, mas o seu marido era muito mais idoso do que ela. Por isso, seus parentes instavam com ela para que se divorciasse, e ela até mesmo começara a fazer arranjos para isso. Todavia, ela estava estudando a Bíblia com uma Testemunha de Jeová. Quando a Testemunha soube da situação, explicou o que a Bíblia diz sobre o casamento — por exemplo, que o casamento é uma dádiva de Deus e não algo que deva ser descartado levianamente. (Mateus 19:4-6, 9) A senhora pensou: ‘É incomum que esta mulher, uma estranha, procure salvar nossa família, quando os achegados a mim querem que eu a desfaça.’ Sua recém-adquirida fé ajudou-a a preservar seu casamento.

Uma lamentável estatística relativa à vida familiar tem que ver com o aborto. Um relatório das Nações Unidas calcula que todo ano pelo menos 45 milhões de crianças ainda por nascer são abortadas deliberadamente. Cada um desses casos é uma tragédia. O conhecimento bíblico ajudou uma senhora nas Filipinas a evitar contribuir para esta estatística.

Esta senhora foi contatada por Testemunhas de Jeová, aceitou uma brochura de estudo bíblico com o título de O Que Deus Requer de Nós? * e começou a estudar a Bíblia. Meses depois, ela explicou o motivo disso. A senhora estava grávida quando as Testemunhas a visitaram pela primeira vez, mas ela e seu marido haviam decidido abortar o bebê. No entanto, o retrato dum bebê ainda por nascer, na página 24 da brochura, tocou o coração da senhora. A explicação bíblica acompanhante, de que a vida é sagrada porque ‘com Deus está a fonte da vida’, persuadiu-a a ter o bebê. (Salmo 36:9) Agora ela é a mãe de uma linda e saudável criança.

A fé ajuda os desprezados

Na Etiópia, dois homens mal vestidos vieram a uma reunião de adoração das Testemunhas de Jeová. Ao fim da reunião, uma Testemunha se dirigiu a eles de maneira amigável. Os homens pediram uma esmola. A Testemunha não lhes deu dinheiro, mas algo melhor. Incentivou-os a criar fé em Deus, que é “de muito mais valor do que o ouro”. (1 Pedro 1:7) Um deles reagiu bem a esse incentivo e começou a estudar a Bíblia. Isto lhe mudou a vida. Ao passo que sua fé aumentava, parou de fumar, de se embebedar, de praticar imoralidade e de usar qat (um estimulante viciador). Aprendeu a sustentar-se, em vez de mendigar, e leva agora uma vida limpa e produtiva.

Na Itália, um homem de 47 anos havia sido sentenciado a dez anos de prisão e estava detido num hospital psiquiátrico judicial. Uma Testemunha  de Jeová, autorizada a entrar em prisões para dar ajuda espiritual, estudou a Bíblia com ele. O homem progrediu rapidamente. A fé mudou a sua vida tanto que outros presos agora recorrem a ele em busca de conselho para lidar com os seus problemas. A sua fé baseada na Bíblia granjeou-lhe o respeito, a estima e a confiança das autoridades carcerárias.

Nos últimos anos, jornais têm noticiado guerras civis na África. Especialmente horríveis são as notícias sobre rapazes treinados como soldados. Esses garotos são drogados, brutalizados e obrigados a se empenhar em comportamento desumano contra seus parentes, a fim de garantir que a sua única lealdade seja para com a facção pela qual estão lutando. Será que a fé baseada na Bíblia é suficientemente forte para mudar a vida de tais jovens? Pelo menos em dois casos ela foi.

Na Libéria, Alex serviu como coroinha na Igreja Católica. Mas à idade de 13 anos, juntou-se a uma facção guerreira e tornou-se um notório soldado menor. Para ser valente na luta, recorreu à feitiçaria. Alex viu muitos dos seus companheiros serem mortos, mas ele sobreviveu. Em 1997 conheceu as Testemunhas de Jeová e descobriu que não o desprezavam. Antes, ajudaram-no a aprender o que a Bíblia diz sobre a violência. Alex deixou o exército. Ao passo que sua fé aumentava, seguiu o mandamento bíblico: “Desvie-se ele do que é mau e faça o que é bom; busque a paz e empenhe-se por ela.” — 1 Pedro 3:11.

No ínterim, um ex-soldado menor, chamado Samson, passou pela cidade em que Alex então morava. Ele havia sido coroinha, mas em 1993 tornou-se soldado e se envolveu no uso de drogas, no espiritismo e na imoralidade. Em 1997, ele foi desmobilizado. Samson dirigia-se a Monróvia para ingressar numa força de segurança especial, quando um amigo o persuadiu a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová e, em resultado disso, ele criou uma fé baseada na Bíblia. Isto lhe deu coragem para abandonar seus modos guerreiros. Tanto Alex como Samson levam agora uma vida pacífica e de boa moral. Será que outra coisa a não ser a fé baseada na Bíblia pode fazer mudanças em vidas tão afetadas pela brutalidade?

A espécie correta de fé

Estes são apenas alguns dos muitíssimos exemplos que se poderiam citar para ilustrar o poder da genuína fé baseada na Bíblia. Naturalmente, nem todos os que apenas afirmam crer em Deus vivem à altura das elevadas normas da Bíblia. Deveras, alguns ateus talvez levem uma vida melhor do que alguns professos cristãos. Isto se dá porque a fé baseada na Bíblia envolve mais do que apenas afirmar crer em Deus.

O apóstolo Paulo chamou a fé de “expectativa certa de coisas esperadas, a demonstração evidente de realidades, embora não observadas”. (Hebreus 11:1) Portanto, a fé inclui uma crença forte — baseada em evidência irrefutável — em coisas não vistas. Envolve especialmente não ter nenhuma dúvida de que Deus existe, de que ele está interessado em nós e que abençoará os que fazem a sua vontade. O apóstolo disse também: “Aquele que se aproxima de Deus tem de crer que ele existe e que se torna o recompensador dos que seriamente o buscam.” — Hebreus 11:6.

Foi esta espécie de fé que mudou a vida de John, de Tania e de outros mencionados neste artigo. Levou-os a recorrer com plena confiança à Palavra de Deus, a Bíblia, em busca de orientação para tomar decisões. Ajudou-os a fazer sacrifícios temporários para não seguir um rumo conveniente, mas errado. Embora o que se deu com cada um deles fosse diferente, todos começaram do mesmo modo. Uma Testemunha de Jeová estudou a Bíblia com essas pessoas, e estas passaram a ver a verdade do que ela diz: “A palavra de Deus é viva e exerce poder.” (Hebreus 4:12) O poder da Palavra de Deus ajudou a cada uma dessas pessoas a desenvolver uma forte fé, que mudou a sua vida para melhor.

As Testemunhas de Jeová estão ativas em mais de 230 países e ilhas do mar. Elas convidam você a estudar a Bíblia. Por quê? Porque estão convencidas de que a fé baseada na Bíblia pode igualmente melhorar muito a sua vida.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 10 Publicada pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados.

[Fotos na página 3]

A fé baseada na Bíblia muda vidas para melhor

 [Crédito da foto na página 2]

Frontispício da Biblia nieświeska de Szymon Budny, 1572