Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Testemunhas de Jeová

Português

Despertai!  |  Outubro de 2011

 Os Jovens Perguntam

Quem sou eu?

Quem sou eu?

Eduardo vê Bruno se aproximar. Ele fica apreensivo, imaginando o que vai acontecer. Bruno abre a mão e diz: “E aí, Edu, olha o que eu trouxe para você experimentar.” Eduardo vê exatamente o que imaginava: um cigarro de maconha. Ele não quer aceitar, mas também não quer fazer papel de bobo. Ele responde sem muita firmeza: “Bruno, hoje não. Fica para a próxima, tá?”

Gisele vê Bruno se aproximar. Ela está preparada, imaginando o que vai acontecer. Bruno abre a mão e diz: “E aí, Gi, olha o que eu trouxe para você experimentar.” Gisele vê exatamente o que imaginava: um cigarro de maconha. Ela responde com convicção: “Não, obrigada. Eu tenho planos para o meu futuro e vou precisar respirar para realizá-los. Aliás, Bruno, . . . achei que você fosse mais esperto!”

NAS situações acima, por que Gisele está mais preparada para resistir à pressão? É que ela tem algo que Eduardo não tem. Sabe o quê? Identidade. Não, não estamos falando do documento que tem sua foto e seu nome. Identidade é a certeza que você tem no íntimo de quem você é e que valores quer seguir na vida. Quando tem essa certeza, você está preparado para dizer não a tentações. Em outras palavras, você controla sua vida em vez de deixar que outros a controlem. Como é possível desenvolver essa confiança? Um bom começo é respondendo às seguintes perguntas.

1 QUAIS SÃO MEUS PONTOS FORTES?

Por que é importante: Conhecer suas habilidades e pontos fortes aumentará sua confiança.

Pare e pense: Todo mundo tem vários talentos. Por exemplo, algumas pessoas levam jeito para a arte ou música, e outras para os esportes. Raquel é boa em consertar carros. * “Quando eu tinha uns 15 anos”, conta ela, “percebi que queria ser mecânica”.

Exemplo bíblico: O apóstolo Paulo conhecia seus pontos fortes. Ele disse: “Mesmo que eu seja imperito na palavra, certamente não o sou no conhecimento.” (2 Coríntios 11:6) Paulo tinha um bom conhecimento das Escrituras, e isso o ajudava a se manter firme quando outros o desafiavam. Ele não deixava que a atitude negativa deles abalasse sua determinação. — 2 Coríntios 10:10; 11:5.

Avalie a si mesmo: Escreva abaixo um talento ou habilidade que você tem.

․․․․․

Agora, escreva uma qualidade que você tem.  (Por exemplo, você é carinhoso? generoso? confiável? pontual?)

․․․․․

“Eu procuro estar disponível quando as pessoas precisam de mim. Se estou ocupada e alguém quer falar comigo, paro o que estou fazendo e dou atenção.” — Brianne.

Se achar difícil encontrar uma qualidade, pense em alguma mudança no seu comportamento que mostra que você amadureceu. Escreva abaixo a mudança. — Veja alguns exemplos no quadro  “O Que Outros Jovens Dizem”.

․․․․․

2 QUAIS SÃO MEUS PONTOS FRACOS?

Por que é importante: Se você deixar que suas fraquezas controlem sua vida, elas podem comprometer sua identidade, assim como o elo mais frágil de uma corrente pode comprometer toda a força dela.

Pare e pense: Ninguém é perfeito. (Romanos 3:23) Todo mundo tem alguma característica que gostaria de mudar. “Por que deixo as coisas mais bobas me tirarem do sério?”, pergunta uma jovem chamada Sandra. “Até mesmo as coisas mais simples me afetam, e eu perco o controle na hora!”

Exemplo bíblico: Paulo conhecia seus pontos fracos. Ele escreveu: “Eu realmente me deleito na lei de Deus segundo o homem que sou no íntimo, mas observo em meus membros outra lei guerreando contra a lei da minha mente e levando-me cativo à lei do pecado.” — Romanos 7:22, 23.

Avalie a si mesmo: Que ponto fraco você precisa aprender a controlar?

․․․․․

“Percebi que sempre que assisto a filmes românticos fico um pouco triste e sinto vontade de ter alguém para amar. Então, agora sei que preciso ter cuidado com esse tipo de entretenimento.” — Bridget.

3 QUAIS SÃO MEUS OBJETIVOS?

Por que é importante: Quando você tem objetivos, sua vida ganha rumo e propósito. Também é mais provável que você evite pessoas e situações que poderiam atrapalhar esses objetivos.

Pare e pense: Você entraria num táxi e diria ao motorista para ficar dando voltas no quarteirão até acabar o combustível? Isso seria tolice, além de sair caro! Os objetivos impedem que você fique “andando em círculos” na sua vida. Você tem aonde ir e um plano de como chegar lá.

Exemplo bíblico: Paulo escreveu: “Corro de modo nada incerto.” (1 Coríntios 9:26) Em vez de levar a vida sem planejamento, Paulo estabelecia metas e vivia de acordo com elas. — Filipenses 3:12-14.

 Avalie a si mesmo: Escreva abaixo três objetivos que gostaria de alcançar dentro de um ano.

  1. ․․․․․
  2. ․․․․․
  3. ․․․․․

Agora, dentre os objetivos acima, escolha o mais importante para você e escreva o que pode fazer agora para começar a alcançá-lo.

․․․․․

“Se não me ocupo, percebo que minha vida fica sem rumo. É melhor ter objetivos e me esforçar para alcançá-los.” — José.

4 QUAIS SÃO MINHAS CONVICÇÕES

Por que é importante: Sem convicções, você se torna uma “maria vai com as outras”. Vai ser como um camaleão: mudará suas cores para ficar igual aos seus colegas — um sinal claro de que você não tem identidade própria.

Pare e pense: A Bíblia incentiva os cristãos a ‘provar a si mesmos a boa, aceitável e perfeita vontade de Deus’. (Romanos 12:2) Por agir de acordo com suas convicções, você mantém sua identidade, não importa o que os outros façam.

Exemplo bíblico: Quando ainda era adolescente, o profeta Daniel “decidiu no coração” guardar as leis de Deus, embora estivesse longe de sua família e de outros adoradores de Deus. (Daniel 1:8) Por fazer isso, ele manteve sua identidade. Daniel viveu de acordo com suas convicções.

Avalie a si mesmo: Quais são suas convicções? Por exemplo:

  • Você acredita em Deus? Se acredita, por quê? Que evidências o convencem de que ele existe?
  • Você acha que os padrões morais de Deus são para o seu bem? Se acha que sim, por quê? Por exemplo, por que você tem certeza que obedecer às leis de Deus sobre o sexo dá mais felicidade do que seguir o estilo de vida liberal de seus colegas?

Não responda a essas perguntas com pressa. Tire tempo para analisar os motivos de suas crenças. Assim, você estará em melhores condições de defendê-las. — Provérbios 14:15; 1 Pedro 3:15.

“Na escola, os alunos percebem quando você está inseguro e se aproveitam disso. Por isso, eu não queria ter incertezas sobre minhas crenças. Então me esforcei para fortalecer minhas convicções religiosas. Em vez de dizer ‘Não posso fazer isso porque minha religião não permite’, eu preferia dizer ‘Eu não acho isso certo’. Essas eram minhas crenças.” — Danielle.

No fim das contas, o que você prefere ser: uma folha que cai de uma árvore e é levada para todos os lados por qualquer brisa ou uma árvore que resiste até mesmo a tempestades devastadoras? Se fortalecer sua identidade, será como essa árvore. E isso o ajudará a responder à pergunta: quem sou eu?

Se você tiver uma identidade bem definida, será como uma árvore com fortes raízes que resiste a tempestades devastadoras

^ parágrafo 8 Alguns nomes neste artigo foram mudados.