Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

Despertai!  |  Maio de 2011

Um Livro Confiável — Parte 7

A sétima potência mundial

Um Livro Confiável — Parte 7

Este é o último de uma série de sete artigos em números consecutivos de Despertai! que trata das sete potências mundiais da história bíblica. O objetivo é mostrar que a Bíblia é confiável e inspirada por Deus e contém uma mensagem de esperança — de que um dia o sofrimento causado pelo domínio cruel do homem acabará..

VIVEMOS numa época muito especial e marcante: período em que surgiria a sétima potência mundial da história bíblica. Essa potência é a única mencionada na Bíblia apenas de forma profética, visto que as seis potências anteriores constam no registro histórico da Bíblia. A respeito das sete potências, ou “reis”, a Bíblia predisse: “Há sete reis: cinco já caíram, um é, o outro ainda não chegou, mas, quando chegar, tem de permanecer por pouco tempo.” * — Revelação (Apocalipse) 17:10.

Há pouco mais de 1.900 anos, quando essas palavras foram escritas, cinco desses sete “reis”, ou impérios políticos, já ‘haviam caído’: Egito, Assíria, Babilônia, Medo-Pérsia e Grécia. A expressão “um é” se referia a Roma. Mas o domínio de Roma não duraria para sempre. Ainda surgiria outro império. Mas a profecia dizia: “[Ele] ainda não chegou.” A profecia bíblica se cumpriu e o sétimo ‘rei’ surgiu no cenário mundial. Qual é a identidade desse ‘rei’? Será que ele dominará para sempre? Se não, como sairá de cena? A Bíblia nos dá respostas claras a essas perguntas.

Profecias confiáveis

A sétima potência mundial começou a tomar forma quando a Inglaterra, na extremidade noroeste do Império Romano, ganhou destaque. Na década de 1760, essa ilha já havia se tornado o poderoso Império Britânico. A Grã-Bretanha continuou a aumentar em riqueza e poder. No século 19, já havia se tornado a nação mais rica e poderosa do mundo. “O Império Britânico”, comenta uma obra de referência, “foi o maior que o mundo tinha visto”. Tinha “uma população de 372 milhões de habitantes e cobria uma área de mais de 28 milhões de quilômetros quadrados”.

No entanto, a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) levou a Grã-Bretanha a entrar numa relação especial com os Estados Unidos, que haviam sido sua colônia. O resultado? O Império Britânico deu lugar à aliança anglo-americana, em muitos sentidos uma potência mundial dupla de língua inglesa que existe até hoje. — Veja o quadro  “Uma aliança especial”.

 A profecia em Revelação 17:10 complementa outra profecia, encontrada no livro de Daniel. Ele escreveu sobre uma “enorme estátua” vista pelo rei babilônio Nabucodonosor numa visão dada por Deus. (Daniel 2:28, 31-43) Daniel revelou ao rei que as partes da estátua representavam a sucessão de impérios políticos que começou com Babilônia, a potência mundial dominante naquela época. (O Egito e a Assíria já haviam surgido e saído de cena.) A História confirma a seguinte sucessão::

A cabeça de ouro representava o Império Babilônico.

O peito e os braços de prata retratavam a Medo-Pérsia.

O ventre e as coxas de cobre se referiam à Grécia antiga.

As pernas de ferro representavam o Império Romano.

Os pés, uma mistura de ferro e argila, simbolizam a falta de união em sentido político e social durante o período da potência mundial anglo-americana.

Segundo Revelação 17:10, a sétima potência mundial “tem de permanecer por pouco tempo”. Que duração tem esse “tempo”? Como essa potência desaparecerá do cenário mundial? E o que acontecerá depois disso? Daniel esclarece essas dúvidas.

Uma esperança confiável

Depois de descrever a estátua já mencionada, Daniel escreveu: “Cortou[-se de um monte] uma pedra, sem mãos, e ela golpeou a estátua nos seus pés de ferro e de argila modelada, e os esmiuçou.” (Daniel 2:34) Qual o significado dessa visão impressionante?

Daniel continuou: “Nos dias daqueles reis [os últimos] o Deus do céu estabelecerá um reino que jamais será arruinado. E o próprio reino não passará a qualquer outro povo. Esmiuçará e porá termo a todos estes reinos [terrestres], e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos.” * (Daniel 2:44, 45) Veja estes pontos importantes:

  1. O Reino vitorioso, representado por uma pedra grande, é ‘estabelecido’ pelo próprio Deus, não por “mãos” humanas. Assim, é apropriado que seja chamado de Reino de Deus..
  2. O Reino de Deus “esmiuçará”, ou esmagará, todos os governos humanos, incluindo a sétima potência mundial. Por quê? Eles se negarão a renunciar ao poder e enfrentarão a Deus em uma última grande guerra, num lugar simbólico chamado Har–Magedon, ou Armagedom. A Bíblia deixa claro que essa  guerra envolve os “reis de toda a terra habitada”. — Revelação 16:13, 14, 16.
  3. Ao contrário dos governos humanos, que são transitórios — incluindo a sétima potência mundial —, o Reino de Deus “jamais será arruinado”. Além disso, ele governará a Terra inteira. — Daniel 2:35, 44.

A destruição dos inimigos de Deus será um cumprimento impressionante da profecia de Gênesis 3:15, mencionada no primeiro artigo desta série. Jesus Cristo, o “descendente” da mulher, esmagaria a serpente simbólica, Satanás, e seus descendentes. (Gálatas 3:16) O descendente de Satanás inclui todos os humanos que escolhem agir como o Diabo e promovem a ideia de que o homem deve governar a si próprio em vez de ser governado por Deus e Cristo. — Salmo 2:7-12.

Isso levanta uma pergunta muito importante: quando essa destruição ocorrerá? Ou seja, quando é que a “pedra” — o Reino de Deus — removerá todos os vestígios do governo humano? A Bíblia responde essa pergunta descrevendo um “sinal” que identificaria os últimos dias. — Mateus 24:3.

Reconheça “o sinal”

O sinal do fim inclui guerras mundiais, “grandes terremotos”, “pestilências” [epidemias] e uma grande “escassez de víveres” [falta de alimentos]. (Lucas 21:10, 11; Mateus 24:7, 8; Marcos 13:8) Outro aspecto que marcaria os “últimos dias” seria um sério colapso moral e espiritual na sociedade. (2 Timóteo 3:1-5) Já aconteceram “todas essas coisas”? (Mateus 24:8) Sim, tanto que muitas pessoas têm medo do futuro. O jornal The Globe and Mail disse: “Alguns dos nomes mais respeitados da sociedade e da área científica fazem previsões alarmantes, dizendo que a humanidade está chegando ao seu fim.”

No entanto, essas previsões estão erradas. A intervenção do Reino de Deus nos garante que a humanidade não será extinta. Quando Jesus Cristo descreveu o sinal do fim, ele disse: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) Será que essa profecia tem se cumprido?

Em mais de 230 países, as Testemunhas de Jeová estão proclamando o Reino de Deus. O título da principal revista publicada por elas é A Sentinela Anunciando o Reino de Jeová — sendo que Jeová é o nome de Deus. (Salmo 83:18) O programa de ensino bíblico das Testemunhas de Jeová tem ajudado inúmeras pessoas e famílias a deixar de lado hábitos prejudiciais e a substituí-los por uma conduta pura e pacífica que está de acordo com os padrões de Deus. (1 Coríntios 6:9-11) Em resultado disso, milhões de pessoas no mundo todo estão confiantes de que receberão a proteção de Deus quando o Reino dele intervier nos assuntos da humanidade.

 Essas pessoas presenciarão então o cumprimento da oração-modelo de Cristo, às vezes chamada de oração do Pai-Nosso, que diz, em parte: “Venha a nós o vosso Reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.” (Mateus 6:10, Centro Bíblico Católico) Já se perguntou como será a vida na Terra quando todas as pessoas amarem e obedecerem a Deus? Seguem trechos da Bíblia que podem ajudá-lo a entender por que a expressão “boas novas” é apropriada.

Quando a vontade de Deus for feita na Terra . . .

Sob o Reino de Deus, a Bíblia promete que a verdadeira paz prevalecerá

  • Haverá verdadeira paz, não apenas a ausência de guerra. “Jeová . . . faz cessar as guerras até a extremidade da terra. Destroça o arco e retalha a lança; as carroças ele queima no fogo.” (Salmo 46:8, 9) “Os próprios mansos possuirão a terra e deveras se deleitarão na abundância de paz.” — Salmo 37:11.
  • Haverá bastante alimento para todos. “Virá a haver bastante cereal na terra; no cume dos montes haverá superabundância.” — Salmo 72:16.
  • Todos terão saúde perfeita. “Nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” — Isaías 33:24.
  • Todos terão uma casa confortável. “Hão de construir casas e as ocuparão; e hão de plantar vinhedos e comer os seus frutos. Não construirão e outro terá morada; não plantarão e outro comerá.” — Isaías 65:21, 22.
  • Acabará todo o sofrimento. “A tenda de Deus está com a humanidade, . . . e [Deus] enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram.” — Revelação 21:3, 4.

Você gostaria de ver o cumprimento dessas promessas? Então, as Testemunhas de Jeová o incentivam a pesquisar a Bíblia mais a fundo. Por fazer isso, você descobrirá mais evidências de que o domínio cruel do homem está para acabar. Também descobrirá que a Bíblia merece toda a sua confiança e que ela é sem dúvida inspirada por Deus. — 2 Timóteo 3:16. *

^ parágrafo 4 Visto que os impérios mencionados na Bíblia eram em geral comandados por um rei, é comum as referências a eles usarem a palavra “reis” ou “reinos”, ou então as duas. — Daniel 8:20-22.

^ parágrafo 18 Para mais informações sobre o Reino celestial de Deus, veja os capítulos 8 e 9 do livro O Que a Bíblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemunhas de Jeová.

^ parágrafo 35 Para aprender mais sobre a Bíblia, contate as Testemunhas de Jeová de sua região, escreva para um dos endereços alistados na página 5 desta revista ou acesse o site www.watchtower.org.