Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como posso defender minha fé na criação?

Como posso defender minha fé na criação?

 Os Jovens Perguntam . . .

Como posso defender minha fé na criação?

“Quando o assunto da evolução veio à tona na sala de aula, percebi que ia contra tudo o que eu havia aprendido. Essa matéria nos foi apresentada como um fato, e isso me intimidou.” — Ryan, 18.

“Quando eu tinha cerca de 12 anos, tive uma professora que era evolucionista convicta. Ela até usava um adesivo no carro com o símbolo de Darwin. Isso fez com que eu tivesse receio de falar sobre a minha fé na criação.” — Tyler, 19.

“Fiquei apavorada quando minha professora de estudos sociais disse que a próxima matéria a ser considerada seria a evolução. Eu sabia que teria de explicar na sala de aula qual era a minha posição a respeito desse assunto polêmico.” — Raquel, 14.

TALVEZ você, assim como Ryan, Tyler e Raquel, fique ansioso quando surge o assunto da evolução na sua classe. Você acredita que Deus “criou todas as coisas”. (Revelação [Apocalipse] 4:11) Em todo lugar, vê provas de planejamento inteligente. Mas os livros e seus professores dizem que evoluímos. Quem é você para discutir com os “especialistas” no assunto? E como seus colegas de classe reagirão se você começar a falar sobre . . . Deus?

Se perguntas como essas o preocupam, fique tranqüilo. Você não é o único que acredita na criação. A verdade é que até mesmo vários cientistas e professores não aceitam a teoria da evolução. Nos Estados Unidos, 4 de cada 5 alunos acreditam num Criador — apesar do que os livros dizem.

Ainda assim, é possível que você se pergunte: ‘O que vou dizer se eu tiver de defender a minha fé na criação?’ Esteja certo de que, mesmo se for tímido, você pode defender sua posição. No entanto, isso exige um pouco de preparação.

Teste suas crenças

Caso você esteja sendo educado por pais cristãos, talvez acredite na criação simplesmente porque isso é o que eles lhe ensinaram. Mas agora que está ficando adulto, você deseja adorar a Deus com sua “faculdade de raciocínio”, tendo  uma base sólida para suas crenças. (Romanos 12:1) Paulo incentivou os cristãos do primeiro século a se ‘certificarem de todas as coisas’. (1 Tessalonicenses 5:21) Como você pode fazer isso em relação à criação?

Primeiro, considere o que Paulo escreveu sobre Deus: “As suas qualidades invisíveis são claramente vistas desde a criação do mundo em diante, porque são percebidas por meio das coisas feitas.” (Romanos 1:20) Com essas palavras em mente, pare um pouco e pense no corpo humano, na Terra, no vasto Universo e nas profundezas do oceano. Analise o fascinante mundo dos insetos, das plantas, dos animais — qualquer campo que interesse a você. Daí, usando a sua “faculdade de raciocínio”, pergunte-se: ‘O que me convence de que existe um Criador?’

Para responder a essa pergunta, o jovem Sam, de 14 anos, dá o exemplo do corpo humano. Ele diz: “É tão detalhado e complexo, e todas as partes funcionam tão bem juntas, que simplesmente não pode ter evoluído!” Holly, de 16 anos, concorda com isso dizendo: “Desde que soube que tenho diabetes, aprendi muito sobre o funcionamento do corpo. É surpreendente, por exemplo, ver como o pâncreas — um pequeno órgão que fica atrás do estômago — realiza um enorme trabalho, mantendo o sangue e os outros órgãos em pleno funcionamento.”

Outros jovens encaram o assunto de outro ângulo. Jared, de 19 anos, diz: “Para mim, a maior prova está no fato de que temos necessidades espirituais, apreciamos a beleza e temos o desejo de aprender. Essas características não são necessárias para a sobrevivência, como a evolução quer nos fazer crer. A única explicação que faz sentido para mim é que fomos colocados aqui por alguém que deseja que usufruamos a vida.” Tyler, mencionado no início deste artigo, chegou a uma conclusão similar. “Quando analiso o papel desempenhado pelas plantas na sustentação da vida, e a complexidade surpreendente de sua constituição, fico convencido de que existe um Criador.”

É mais fácil defender a criação se você a tiver analisado de maneira cabal e estiver plenamente convencido de que ela é a verdade. Portanto, assim como Sam, Holly, Jared e Tyler, tome tempo para considerar as maravilhas das obras de Deus. Então, “ouça” o que essas coisas estão “falando” para você. Sem dúvida, chegará à mesma conclusão do apóstolo Paulo — que não apenas a existência de Deus, mas também Suas qualidades podem ser prontamente “percebidas por meio das coisas feitas”. *

Saiba o que a Bíblia realmente ensina

Para defender a criação, além de analisar com atenção as coisas que Deus fez, você também precisa saber o que a Bíblia realmente ensina sobre esse assunto. Não é necessário  discutir detalhes que não são comentados diretamente na Bíblia. Veja alguns exemplos.

Meu livro de ciências diz que a Terra e o sistema solar existem há bilhões de anos. A Bíblia não fala a respeito da idade da Terra ou do sistema solar. O que ela diz é perfeitamente compatível com a idéia de que, antes do início do primeiro “dia” criativo, o Universo já existia havia bilhões de anos. — Gênesis 1:1, 2.

Meu professor diz que a Terra não pode ter sido criada em apenas seis dias. A Bíblia não declara que cada um dos seis “dias” criativos era um período de 24 horas literais. Para mais informações, veja as páginas 18-20 desta revista.

Consideramos em aula vários exemplos de como os animais e os humanos mudaram com o tempo. A Bíblia diz que Deus criou as criaturas viventes “segundo as suas espécies”. (Gênesis 1:20, 21) Ela não apóia a idéia de que a vida surgiu de matéria sem vida ou de que Deus deu início ao processo da evolução a partir de uma única célula. Ainda assim, cada “espécie” tem potencial para uma grande variedade. Portanto, a Bíblia dá margem para a ocorrência de mudanças dentro de cada “espécie”.

Confie em suas crenças

Não há motivo para você se sentir embaraçado ou envergonhado por acreditar na criação. Em vista de tantas provas, é completamente razoável — na verdade, científico — acreditar que somos resultado de um planejamento inteligente. No fim das contas, é a evolução — não a criação — que exige muita fé em milagres que ocorreram sem que ninguém os tenha realizado. De fato, após examinar os outros artigos desta revista, você sem dúvida ficará convencido de que as provas apóiam a criação. E uma vez que tiver analisado cabalmente o assunto usando sua faculdade de raciocínio, você se sentirá mais confiante em defender suas crenças na sala de aula.

Raquel, já mencionada, descobriu isso mesmo. “Demorou alguns dias para eu perceber que não devia guardar minhas crenças só para mim”, diz ela. “Dei o livro A Vida — Qual a Sua Origem? A Evolução ou a Criação? à minha professora, marcando algumas partes que eu queria trazer à sua atenção. Mais tarde, ela me disse que o livro a ajudou a ver o assunto da evolução com outros olhos e que, no futuro, levaria as informações dele em consideração ao ensinar essa matéria.”

Outros artigos da série “Os Jovens Perguntam . . .” estão disponíveis no site www.watchtower.org/ypt

PARA VOCÊ PENSAR

▪ Na escola, quais são algumas maneiras em que você pode expressar facilmente sua fé na criação?

▪ Como você pode mostrar sua gratidão por Aquele que criou todas as coisas? — Atos 17:26, 27.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 14 Muitos jovens tiram proveito de recapitular as informações contidas em publicações como A Vida — Qual a Sua Origem? A Evolução ou a Criação? e Existe um Criador Que Se Importa com Você?. Esses dois livros são publicados pelas Testemunhas de Jeová.

[Quadro na página 27]

“AS PROVAS SÃO ABUNDANTES”

“Que conselho você daria a um jovem que foi ensinado desde criança a ter fé num Criador, mas que agora está aprendendo sobre a evolução na escola?” Essa pergunta foi feita a uma microbióloga que é Testemunha de Jeová. Sua resposta? “Você devia encarar essa situação como uma oportunidade de provar a si mesmo que Deus existe — não apenas porque isso lhe foi ensinado pelos seus pais, mas porque você analisou as provas e chegou a essa conclusão. Às vezes, quando se pede aos professores que ‘provem’ que a evolução é verdade, eles percebem que não conseguem fazer isso, e acabam se dando conta de que aceitam essa teoria simplesmente porque isso lhes foi ensinado. Você pode cair na mesma armadilha com respeito à sua fé num Criador. Por isso, vale a pena provar a si mesmo que Deus realmente existe. As provas são abundantes. Não é difícil encontrá-las.”

[Quadro/Foto na página 28]

O QUE CONVENCE VOCÊ?

Aliste três coisas que convencem você de que existe um Criador:

1. ․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․

2. ․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․

3. ․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․․