Pular para conteúdo

Pular para sumário

A fé de uma criança

A fé de uma criança

 A fé de uma criança

DUSTIN, aos 11 anos de idade, começou a acompanhar o estudo bíblico que sua mãe tinha com uma Testemunha de Jeová. Apesar de sua pouca idade, ele se interessava por assuntos profundos e fazia muitas perguntas inteligentes. Não demorou muito e ele pediu seu próprio estudo bíblico com a ex-missionária que dirigia estudo para sua mãe. Ele começou também a falar aos seus colegas de escola sobre o que estava aprendendo.

Dustin passou a assistir às reuniões no Salão do Reino na localidade. Ele até dava comentários quando se pedia que a assistência participasse. Quando ele e seus irmãos mais novos visitaram seu pai, este insistiu que todos fossem juntos à igreja. Dustin explicou por que preferia ir ao Salão do Reino, e seu pai concordou, dizendo que o deixaria ir.

Certa noite, no fim de uma reunião, a mãe de Dustin não conseguia encontrá-lo. Sem contar a ela, ele tinha ido conversar com o superintendente da Escola do Ministério Teocrático e havia pedido para ser matriculado. Sua mãe concordou. Muito animado, ele não via a hora de fazer seu primeiro discurso. No entanto, na mesma época, Dustin começou a sentir fortes dores no quadril e foi levado a vários médicos. Finalmente, chegou o grande dia do seu discurso no Salão do Reino. Ele estava usando muletas na ocasião. Embora com certeza estivesse sentindo muita dor, ele andou até o palco sem as muletas.

Pouco tempo depois, o problema de Dustin foi diagnosticado: sarcoma de Ewing, um tipo raro de câncer nos ossos. Dustin passou a maior parte do ano seguinte num hospital infantil  em San Diego, Califórnia. Quimioterapia, radioterapia e finalmente a amputação da perna direita e do osso pélvico nunca diminuíram sua forte fé e seu amor por Jeová. Quando ele estava fraco demais para ler, sua mãe, que raramente saía do seu lado, lia em voz alta para ele.

Embora o quadro clínico de Dustin piorasse, ele nunca reclamava. Ele se mantinha ocupado, movimentando-se com sua cadeira de rodas e encorajando outros pacientes e os pais deles, incluindo um paciente Testemunha de Jeová. A equipe do hospital percebeu que Dustin e o outro jovem paciente Testemunha de Jeová eram diferentes dos demais; a fé que eles tinham os sustentava.

Dustin queria ser batizado. Assim, os anciãos consideraram com ele as perguntas usadas pelas Testemunhas de Jeová para os candidatos ao batismo. Dustin fez isso deitado num sofá, pois estava fraco demais para sentar-se. Em 16 de outubro de 2004, ele foi batizado numa assembléia de circuito aos 12 anos e meio de idade.

Pouco antes de o discurso do batismo começar, Dustin foi levado de cadeira de rodas até as primeiras fileiras do auditório e sentou-se junto com os outros candidatos ao batismo. Quando se pediu que os candidatos se levantassem, Dustin ficou em pé sobre sua única perna, apoiando-se nos braços da cadeira. Vestindo o melhor terno que tinha, ele respondeu às perguntas do batismo com voz alta e clara. Toda a família de Dustin estava na assistência, incluindo seu pai biológico e a esposa dele. Funcionários do hospital e pais de outras crianças hospitalizadas com câncer também estavam presentes.

No dia seguinte ao batismo, Dustin voltou para o hospital. O câncer já tinha se espalhado para todos os ossos do corpo. Ao passo que ficava mais fraco, ele percebia que estava morrendo e então perguntou para sua mãe se era isso mesmo que estava acontecendo. “Por que você está perguntando isso”, disse ela, “tem medo de morrer?”

“Não”, disse ele. “Apenas vou fechar os olhos, e quando abri-los na ressurreição será como se eu tivesse acabado de fechá-los um segundo atrás. E não vou estar mais sentindo dor.” Daí ele explicou: “Só estou preocupado com a minha família.”

Dustin morreu no mês seguinte. Médicos, enfermeiras, familiares dos funcionários do hospital, professores, vizinhos e a família de Dustin — tanto os que eram Testemunhas de Jeová como os que não eram — estiveram presentes no seu funeral. Dustin havia pedido que todos os que comparecessem no serviço fúnebre recebessem um bom testemunho sobre suas crenças. O instrutor da Escola do Ministério Teocrático, que havia lhe designado o único discurso de estudante que ele tinha conseguido fazer, proferiu um discurso excelente e fortalecedor da fé. A sala estava tão cheia que muitos tiveram de ficar em pé.

Dois textos favoritos de Dustin foram impressos e entregues para os presentes: Mateus 24:14 e 2 Timóteo 4:7. Sua forte fé e integridade encorajaram todos que o conheceram. Aguardamos ansiosamente recebê-lo de volta na ressurreição. — Narrada pela Testemunha de Jeová que dirigiu estudo com Dustin.

[Destaque na página 27]

“Tenho travado a luta excelente, tenho corrido até o fim da carreira, tenho observado a fé.” — 2 Timóteo 4:7

[Foto na página 26]

Acima: Dustin, quando ainda estava saudável

[Foto na página 26]

Abaixo: Dustin, com 12 anos e meio de idade, sendo batizado