Pular para conteúdo

Pular para sumário

Será que Deus favorece algumas nações mais do que outras?

Será que Deus favorece algumas nações mais do que outras?

 O Conceito da Bíblia

Será que Deus favorece algumas nações mais do que outras?

MUITAS pessoas acreditam que Deus favorece sua nação mais do que outras. Mas, se tivessem que provar isso, o que diriam? Alguns talvez apontem para realizações na História de seu país, como vitórias militares, ou para o crescimento econômico. Talvez até chamem atenção sobre os programas bem-sucedidos para acabar com a fome, proteger os menos favorecidos ou promover a justiça e a igualdade. Outros concluem que Deus favorece sua pátria por causa da beleza natural.

Esse tipo de nacionalismo existe em todos os países. Mas será que a Bíblia apóia o conceito de que Deus favorece uma nação mais do que outras?

Uma qualidade importante de Deus

A resposta é óbvia se entendermos uma qualidade importante do Deus Todo-Poderoso que a Bíblia descreve enfaticamente. Deus é imparcial. Por exemplo, Atos 10:34 diz claramente: “Deus não é parcial.” A Bíblia também diz que Jeová Deus “não trata a ninguém com parcialidade” e que “com Jeová, nosso Deus, não há injustiça, nem parcialidade”. (Deuteronômio 10:17; 2 Crônicas 19:7) Deus odeia a parcialidade; ele chega a compará-la com a injustiça.

Mas talvez você se pergunte: ‘Deus não favoreceu a antiga nação de Israel mais do que outras nações? Isso não foi evidência de parcialidade?’ Nos tempos bíblicos, Deus realmente escolheu a nação de Israel e protegeu os israelitas em alguns de seus conflitos com outras nações. A Bíblia diz ainda sobre Deus: “Conta a sua palavra a Jacó, seus regulamentos e suas decisões judiciais a Israel. Ele não fez assim com nenhuma outra nação.” (Salmo 147:19, 20) Mas será que os tratos de Deus com Israel indicam que ele é parcial? De forma alguma. Considere três motivos.

Primeiro, Deus escolheu Israel para beneficiar todas as nações. Ele fez um pacto com Abraão, antepassado daquela nação, quando disse: “Todas as nações da terra hão de abençoar a si mesmas por meio de teu descendente.” (Gênesis 22:17, 18) De fato, o propósito de Deus ao lidar com Israel era produzir um “descendente” que traria grandes bênçãos não só para pessoas de uma nação, mas para pessoas de “todas as nações da terra”.

Segundo, as bênçãos de Deus nunca se limitaram ao povo de Israel. Ele imparcialmente abriu o caminho para que pessoas de outras nações se juntassem a seu povo escolhido em adorá-lo. (2 Crônicas 6:32, 33) Muitos aceitaram esse convite e por isso foram abençoados. Rute, a moabita, é apenas um dos exemplos bem conhecidos. — Rute 1:3, 16.

Terceiro, a relação especial de Deus com o Israel terrestre foi temporária. Em 29 EC, Israel produziu o predito “descendente”, o Messias, Jesus Cristo. (Gálatas 3:16) Mas os conterrâneos de Jesus o rejeitaram como o Messias. Por isso ele lhes disse: “Eis que a vossa casa vos fica abandonada.” (Mateus 23:38) Depois disso, Deus deixou de lidar com nações individuais e de se envolver em seus conflitos. Pelo contrário, ele tornou disponíveis bênçãos para toda a humanidade, de modo imparcial. Veja alguns exemplos.

 Bênçãos de Deus para todos

O sacrifício resgatador de Jesus Cristo é a maior bênção de Deus para o homem. (Romanos 6:23) Ele proveu os meios para nos libertar do pecado e da morte, dando a cada um a oportunidade de ganhar vida eterna. Essa bênção é para pessoas “dentre toda tribo, e língua, e povo, e nação”. (Revelação [Apocalipse] 5:9) De fato, Deus deseja ‘que todo aquele que exercer fé’ em Jesus tenha “vida eterna”. — João 3:16.

As boas novas sobre o Reino de Deus trazem muitas bênçãos aos que as ouvem. (Revelação 14:6, 7) Dão esperança para o futuro e fornecem conselho sábio que pode conduzir a uma vida mais feliz agora. De modo imparcial, Jeová possibilita que ‘estas boas novas do reino sejam pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações’. (Mateus 24:14; 28:19, 20; Atos 16:10) Essas boas novas estão na Bíblia, um livro que pode ser encontrado — pelo menos em parte — em mais de 2.300 línguas. Como Pai amoroso, Jeová tornou disponíveis as “declarações de vida eterna” para praticamente todas as pessoas na Terra. — João 6:68; Josué 1:8.

Essas e outras bênçãos estão disponíveis a todos — pessoas de todas as nações, raças e grupos lingüísticos. Portanto, receber a aprovação e a bênção de Deus não depende do lugar onde nascemos ou de nossa origem étnica.

Quem Deus favorece?

O que, então, precisamos fazer para ter a aprovação de Deus? O apóstolo Pedro responde, ao dizer: “Em cada nação, o homem que o teme e que faz a justiça lhe é aceitável.” (Atos 10:34, 35) É óbvio que um interesse passivo em Deus não é o suficiente. Precisamos desenvolver amor sincero por ele, temendo desagradá-lo. Além disso, precisamos ‘fazer a justiça’, ou seja, nos empenhar ativamente pelo que é bom aos olhos de Deus.

Para ilustrar: em muitos países, o ensino público está à disposição de todos, mas apenas os que assistem às aulas e se esforçam serão beneficiados. De modo similar, o favor de Deus está disponível para todos, mas é necessário esforço da nossa parte. Isso inclui ler a Bíblia regularmente, exercer fé no sacrifício resgatador de Cristo e viver em harmonia com os princípios bíblicos. Se realmente ‘buscarmos a Jeová’, estaremos a caminho de uma condição aprovada por ele. — Salmo 105:3, 4; Provérbios 2:2-9.

[Foto na página 15]

Deus tornou disponíveis as “declarações de vida eterna” para pessoas de todas as nações