Pular para conteúdo

Pular para sumário

Observando o Mundo

Observando o Mundo

 Observando o Mundo

O poder das risadas

“Os cientistas concluíram que apenas meio minuto de risadas é equivalente a 45 minutos de repouso absoluto”, relata o semanário polonês Przyjaciółka. “Uma gargalhada espontânea equivale a três minutos de exercício aeróbico, e dez sorrisos cordiais equivalem a dez minutos de remo.” Outros benefícios incluem um aumento de três vezes na quantidade de ar nos pulmões, melhora da circulação, da digestão, do metabolismo, do funcionamento cerebral e da eliminação de toxinas. Como ajuda para o bom humor, a revista sugere que sorria para si mesmo, seu cônjuge e seus filhos logo de manhã. “Aprenda a rir de si mesmo”, acrescenta. “Tente ver o lado bom das coisas, mesmo em situações difíceis.”

 Tardes mais claras, sono mais tranqüilo

Um estudo recente sobre o padrão do sono de 56 bebês saudáveis, publicado na revista Journal of Sleep Research, revelou que os “bebês que dormiam bem à noite ficaram expostos a muito mais luz no início da tarde”. No entanto, a exposição à luz pela manhã e no fim da tarde não influía na qualidade do sono. A pesquisadora e mãe, Dra. Yvonne Harrison, da Universidade John Moores de Liverpool, Grã-Bretanha, decidiu fazer esse estudo porque uma pesquisa anterior tinha mostrado que mais exposição à luz do dia melhora o sono dos idosos.

Disseminação da doença de Chagas

A doença de Chagas é causada por um parasita transmitido pelas fezes dum inseto que se alimenta de sangue, conhecido como barbeiro. A doença é endêmica em áreas rurais que vão do México até a Argentina. O jornal mexicano The Herald relata que entre 1,5 milhão e 2 milhões de mexicanos estão infectados com o parasita. Mas a doença de Chagas está se disseminando para outras partes do mundo. Um dos meios são as transfusões de sangue. O biólogo mexicano Bert Kohlmann explica: “Já recebemos relatórios da Austrália, Europa, Estados Unidos e Canadá de infecções por causa de transfusões de sangue. Imigrantes das Américas, geralmente com boa saúde, doam sangue, e ninguém nesses outros países pensa em fazer teste para a doença de Chagas.” A Organização Mundial da Saúde estima que, no Ocidente, de 16 milhões a 18 milhões de pessoas estão infectadas, e 100 milhões correm risco de contrair a doença. Atualmente, não há cura para a doença de Chagas, que geralmente é fatal.

Cobranças a toque de caixa

A fim de incentivar os cidadãos a pagar a dívida de 1,15 milhão de dólares em impostos sobre imóveis, os funcionários da prefeitura de Rajahmundry, Índia, ofereceram abrir mão de multas e juros, relata a agência de notícias Reuters. Como isso não deu certo, os funcionários contrataram pessoas para tocar tambor e formaram 20 bandas para tocar em frente à casa dos devedores. Eles “fazem um escândalo do lado de fora da casa dos devedores, até que estes saiam, daí, expõem suas dívidas e a necessidade de pagá-las o mais rápido possível”, disse um funcionário da prefeitura. “Eles não param até que a pessoa concorde em saldar as dívidas.” O método incomum deu certo. Depois de apenas uma semana, a cidade recuperou 18% dos impostos sobre imóveis que estavam atrasados.

A religião na Rússia

No passado, pensava-se que principalmente as mulheres, os idosos e os com segundo grau incompleto fossem religiosos na Rússia. No entanto, dados atuais mostram um aumento na afiliação religiosa entre jovens, homens e pessoas com educação superior, noticia o jornal russo Rossiyskaya Gazeta. Entre 1989 e 1991, apenas 30% da população se dizia ortodoxa. Mas depois de 1999, esse número subiu para mais de 50%. Sociólogos russos recentemente constataram que 30% dos russos acreditam em vida após a morte, 24%, em céu e inferno e 28%, em milagres religiosos. Quase um terço dos pesquisados concordou com a declaração: “Acredito que Deus existe e não tenho dúvidas sobre isso.” Ao mesmo tempo, “30% dos russos acreditam em astrologia e de 50% a 55% acreditam em sonhos proféticos e presságios”, diz a reportagem.

A Igreja grega experimenta o grego moderno

Preocupado com o fato de que muitos freqüentadores de igrejas na Grécia não estavam entendendo as passagens bíblicas lidas em grego antigo, o arcebispo da Grécia orientou as igrejas em Atenas a também usar o grego moderno. “O Novo Testamento é lido no coiné, ou língua comum, uma versão do grego original falado desde o fim do quarto século a.C. até o quinto século a.D.”, explicou o jornal Kathimerini. Mas o arcebispo estava “preocupado, pois principalmente os jovens não entendem essa forma do grego e não conseguem tirar proveito do culto”, disse a reportagem. Num programa piloto, que o jornal chamou de “um grande passo para uma Igreja fiel às tradições”, passagens bíblicas eram lidas primeiro em coiné e depois em grego moderno. Menos de um ano depois, porém, o jornal noticiou que a Igreja “estava abandonando” essa tentativa de “tornar as leituras do Novo Testamento mais compreensíveis”.

Sites para encontrar antigos amigos aumentam os divórcios

Sites que reúnem antigos amigos de escola estão “levando mais casamentos ao fim, à medida que maridos e esposas entediados reencontram antigas paixões”, diz o jornal britânico The Guardian Weekly. Comentando como essa prática afeta a taxa de divórcios na Grã-Bretanha, que foi a mais alta dos últimos sete anos em 2004, Christine Northam, porta-voz da Relate, associação de aconselhamento para casais, disse: “Muita gente tem uma doce lembrança do primeiro relacionamento que teve na escola ou na faculdade. Se estão infelizes com o parceiro, começam a pensar em como teria sido se tivessem ficado com a antiga paixão.” Agora é mais fácil do que nunca para os cônjuges infelizes “acessarem a internet em busca de romance em vez de resolver os problemas emocionais do casamento”, acrescenta o jornal.

Perigo nas escadas

‘Todo ano, acidentes com escadas produzem mais ferimentos não-fatais do que os acidentes com veículos’, diz a revista americana The Week. A reportagem continua: “Estima-se que 1.091 americanos morrem todo ano usando escadas, e outros 769.400 ficam feridos.” Por que as pessoas pisam em falso e acabam caindo? “Em geral, é porque elas calculam mal a distância e colocam o pé no lugar errado”, diz a revista.