Pular para conteúdo

Pular para sumário

O abuso do álcool — uma catástrofe social

O abuso do álcool — uma catástrofe social

 O abuso do álcool — uma catástrofe social

TOMAR bebidas alcoólicas tem dois lados: um bom e um ruim. A Bíblia diz que o uso moderado do álcool pode fazer o coração do homem alegrar-se. (Salmo 104:15) Mas avisa também que o mau uso pode ser prejudicial ou até mortífero, como a picada de uma cobra venenosa. (Provérbios 23:31, 32) Vamos avaliar mais de perto o alto custo do abuso do álcool.

“No sábado, um motorista bêbado atropelou uma mulher de 25 anos e seu filho de 2 anos. . . . A jovem, que estava grávida de seis meses, morreu no domingo. O filho dela sofreu lesões na cabeça e está em estado crítico”, noticiou o jornal Le Monde. Infelizmente, notícias assim são muito comuns. Talvez você conheça alguém que se envolveu em um acidente relacionado ao abuso do álcool. Todo ano, milhares de pessoas morrem ou ficam feridas em acidentes de trânsito causados por motoristas bêbados.

Número de mortos

Em todo o mundo, o alto custo do abuso do álcool em termos de vidas humanas é incalculável. Na França, o abuso do álcool é a terceira causa de morte depois do câncer e das doenças coronárias. Provoca a morte de 50 mil pessoas por ano, direta ou indiretamente. Isso “equivale à colisão de dois ou três grandes aviões a jato a cada semana”, segundo um relatório encomendado pelo Ministério da Saúde da França.

O número de mortes por causa do abuso de bebidas alcoólicas é alto principalmente entre os jovens. Segundo um relatório publicado em 2001 pela Organização Mundial da Saúde, o álcool é a principal causa de morte entre os homens europeus de 15 a 29 anos. Prevê-se que, em alguns países da Europa Oriental, em pouco tempo o abuso do álcool matará 1 em cada 3 homens jovens.

Violência e agressão sexual

O álcool contribui para atos de violência. Beber pode deixar a pessoa desinibida e levá-la a interpretar mal o comportamento de outras pessoas, tornando mais provável que ela reaja de forma violenta.

O álcool é um fator significativo na violência doméstica e na agressão sexual. Um estudo com presidiários, realizado na França, sugeriu que o álcool estava envolvido em dois terços dos estupros e das agressões sexuais. Na Polônia, as pesquisas mostram que 75% das esposas de alcoólatras têm sido vítimas de violência, observa a revista Polityka. Os autores de um estudo estimaram que “o uso do álcool está associado a um risco aproximadamente duas vezes maior de sofrer homicídio em todas as faixas etárias, e que [mesmo] pessoas que não bebem, mas vivem em lares onde há pessoas que bebem, correm maior risco de sofrer homicídio”. — Associação Médica Americana, Conselho sobre Assuntos Científicos.

 Custo social

O custo financeiro para a sociedade é assustador quando se calculam os gastos com saúde, seguros e perda da produtividade por causa de acidente, doença ou morte prematura. Diz-se que o abuso do álcool custa pelo menos um bilhão de dólares por ano para a população da Irlanda, de 4 milhões de pessoas. Uma fonte citada no jornal The Irish Times declarou que essa quantia equivale “ao preço de um hospital novo, um estádio de esportes e um avião a jato para cada ministro por ano”. Em 1998, o jornal Mainichi Daily News relatou que o impacto econômico do consumo excessivo de álcool no Japão era de “mais de 6 trilhões de ienes [55 bilhões de dólares] por ano”. Um relatório feito para o Congresso dos EUA declarou: “O custo estimado do abuso do álcool foi de 184,6 bilhões de dólares apenas em 1998, ou aproximadamente 638 dólares para cada homem, mulher e criança que morava nos Estados Unidos naquele ano.” E que dizer do custo psicológico, que envolve famílias desfeitas ou enlutadas, e estudos ou carreiras interrompidas?

Não é difícil perceber as conseqüências do mau uso do álcool para a sociedade. Seus hábitos de beber põem em risco a sua saúde e a de outros? Essa pergunta será considerada no próximo artigo.