Pular para conteúdo

Pular para sumário

“Como nos lembramos . . . do alho!”

“Como nos lembramos . . . do alho!”

 “Como nos lembramos . . . do alho!”

Do redator de Despertai! na República Dominicana

SE ESTIVESSE longe de casa e com fome, o que gostaria de comer? Talvez pensasse em frutas e vegetais típicos de seu país, ou numa receita especial que sua mãe preparava com carne ou peixe. Mas será que alho lhe daria água na boca?

Uns 3.500 anos atrás, durante a árdua jornada pelo deserto, os israelitas disseram: “Como nos lembramos dos peixes que costumávamos comer de graça no Egito, dos pepinos e das melancias, e dos alhos-porros, e das cebolas, e do alho!” (Números 11:4, 5) Sim, eles tinham saudades do alho. Segundo a tradição, os judeus gostavam tanto de alho que se autodenominavam ‘comedores de alho’.

Como os israelitas aprenderam a gostar de alho? A arqueologia indica que muito antes de Jacó e sua família chegarem ao Egito, os egípcios já cultivavam essa planta, e ela fez parte da dieta dos israelitas durante os 215 anos que moraram ali. O historiador grego Heródoto relata que autoridades egípcias compravam grande quantidade de cebola, rabanete e alho para alimentar os escravos que construíam as pirâmides. Essa dieta carregada de alho parecia aumentar a força e o vigor dos trabalhadores. Os egípcios deixaram muitos objetos de valor na tumba do Faraó Tutancâmon, incluindo alho. É claro que o alho era inútil para os mortos, mas mostrou ser muito útil para os vivos.

Remédio poderoso

Os médicos há muito têm usado alho em tratamentos. Séculos atrás, os médicos gregos Hipócrates e Dioscórides o recomendavam para problemas digestivos e cardíacos, lepra, câncer, ferimentos e infecções. No século 19, o químico francês Louis Pasteur estudou o alho e descobriu suas propriedades anti-sépticas. Na África, durante o século 20, o famoso médico missionário Albert Schweitzer usou alho para tratar disenteria amebiana e outras doenças. Quando médicos militares russos ficaram sem remédios durante a Segunda Guerra Mundial, usaram alho para tratar soldados feridos. Assim, ele ficou conhecido como a penicilina russa. Mais recentemente, os cientistas têm estudado os benefícios do alho para o sistema circulatório.

Assim, o alho é notável em sentido nutricional e medicinal, e seu aroma e sabor são realmente únicos. De onde se originou? Alguns botânicos acreditam que ele tenha se espalhado pelo mundo a partir da Ásia central. Vamos conhecer um lugar lindo no Ocidente, onde o alho é famoso.

Cultivo de alho em Constanza

O vale de Constanza, na República Dominicana, tem clima temperado, é cercado de montanhas e agraciado com solo rico e muita chuva. É a região ideal para o cultivo de alho.

Em setembro ou outubro, os agricultores de Constanza limpam e aram os campos, fazendo sulcos profundos separados por bancos de terra com cerca de 1 metro de largura. Em cada banco de terra eles fazem três ou quatro sulcos mais rasos, onde o alho será plantado. Enquanto isso, outros separam os dentes de alho. Após ficarem de molho na água por 30 minutos, os dentes são plantados nos sulcos mais rasos. O alho cresce durante o inverno ameno da região.

 A colheita se inicia em março ou abril. Os alhos maduros são arrancados e deixados no campo durante cinco ou seis dias. Então os trabalhadores os recolhem, cortam as raízes e a parte de cima. Já limpos, os bulbos, ou cabeças, são postos em recipientes abertos chamados cribas. O alho fica secando ao sol durante um dia e daí está pronto para ser vendido.

Pouco alho, muito hálito

Ao sentar-se para comer um saboroso cozido ou salada, seu nariz logo percebe se a comida contém alho. Por que, então, ele não cheira quando está intacto no bulbo? O alho contém substâncias químicas poderosas que ficam isoladas umas das outras enquanto não é picado, cortado ou amassado. Ao picar um dente de alho, certa enzima chamada alinase entra em contato com uma substância chamada aliina, desencadeando uma reação que produz alicina, responsável pelo cheiro e sabor característicos do alho.

Ao morder o alho, é como se houvesse uma explosão de alicina em sua boca. Quer aprecie essa sensação, quer não, logo você ficará impregnado desse cheiro. O que fazer para diminuir o hálito de alho? Pode-se tentar mascar folhas de salsa fresca ou alguns cravos-da-índia.

Mas tenha em mente que o hálito com cheiro de alho vem principalmente dos pulmões. Ao comer alho, o sistema digestivo o transfere para a corrente sanguínea, que o leva aos pulmões. À medida que respira, seu hálito terá um forte cheiro de alho. Assim, anti-séptico bucal e salsa não eliminam o hálito de alho. Há uma solução definitiva para esse problema? Na verdade, não. Mas se você convencer todos à sua volta a comer alho, talvez ninguém se incomode com o cheiro!

Em muitos países, é difícil imaginar comida sem alho. E mesmo onde o alho é usado com certa reserva, muitos apreciadores acreditam que os benefícios ultrapassam em muito quaisquer desvantagens.

[Foto na página 23]

Alho em processo de secagem

[Foto na página 23]

Vale de Constanza

[Foto na página 23]

Por que o alho só tem cheiro depois de ser amassado?