Pular para conteúdo

Pular para sumário

Conheça o esquilo-voador

Conheça o esquilo-voador

 Conheça o esquilo- voador

DO REDATOR DE DESPERTAI! NA FINLÂNDIA

PODEM-SE encontrar esquilos em quase todos os lugares do mundo. Poucos, porém, são como o extraordinário esquilo-voador siberiano. * Será que esse pequeno roedor pode mesmo voar? Que tipo de criatura é o esquilo-voador, e por que ele é raramente visto?

Como eles voam?

Embora todos os esquilos que vivem em árvores saltem de uma árvore para outra, nenhum deles consegue superar o esquilo-voador. Sabe-se que esses roedores chegam a saltar até 80 metros! Mas como eles fazem isso?

Os esquilos voadores têm membranas aerodinâmicas que deixariam qualquer engenheiro aeronáutico maravilhado. “A parte dianteira dessa membrana é sustentada por uma haste de cartilagem desde o punho”, diz o livro The World of the Animals (O Mundo dos Animais). “Embora a membrana pareça ter só duas camadas de pele, há uma fina camada de músculos que possibilita a esses esquilos mudar a curvatura da superfície planadora para ajustar suas habilidades aerodinâmicas.”

Quando está planando, o esquilo fica completamente esticado. Quando não está planando, às vezes parece que o esquilo está usando um casaco de peles, de cor cinza, várias vezes maior que ele!

Como o esquilo consegue voar sem se chocar com as coisas? Sua cauda funciona como um leme, guiando o vôo. Pouco antes de pousar numa árvore, o esquilo abre seu “pára-quedas” — isto é, fica numa posição vertical. É raro um esquilo calcular mal o pouso e cair no chão.

O que também ajuda essa “asa-delta” peluda é o seu peso leve. Um esquilo adulto comum pesa cerca de 150 gramas e mede aproximadamente 20 centímetros de comprimento, sem contar a cauda. As orelhas são pequenas e não têm tufos de pêlos, que poderiam impedir seu vôo.

Piloto noturno

O esquilo-voador tem olhos especiais, que lembram grandes pérolas negras. Ao contrário de outros esquilos, é um animal noturno. Por isso, precisa de uma visão aguçada para encontrar suas comidas favoritas — amentilhos (flores de árvores como a bétula e a aveleira), folhas de árvores decíduas e brotos de coníferas. Por haver menos comida no inverno, o esquilo-voador estoca, no outono, pequenos suprimentos de amentilhos em esconderijos nos galhos e em buracos de árvores.

Na primavera, alguns esquilos ficam tão entretidos em brincar que se esquecem de tirar a soneca da tarde. Além disso, nessa época do ano, eles têm outra coisa em mente — o acasalamento. Depois que a fêmea fica bastante impressionada com a exibição de vôo do macho, é hora de começar a pensar em uma toca, que será ou uma casinha de pássaro, se houver uma à disposição, ou um buraco de árvore. Em geral, o esquilo-voador tem muitas tocas.  Algumas são usadas como esconderijo para guardar alimentos, e outras, como apartamentos extras. Alguns deles fazem suas tocas até mesmo em celeiros. Ao contrário de outros esquilos, porém, o esquilo-voador se recusa a habitar na cidade!

No final da primavera ou no início do verão, a mamãe esquilo-voador dá à luz dois ou três filhotes. Ela fica muito ocupada alimentando-os, mesmo durante o dia. Ao nascer, esses filhotes são mais ou menos do tamanho da ponta de um dedo; no entanto, antes de terminar o outono, eles já terão “voado” para fora da toca!

Por que são raramente vistos?

Por que é raro ver esquilos-voadores? Uma razão é que essa pequena criatura noturna move-se silenciosamente em meio às copas das árvores e não desperta muita atenção. Além disso, o esquilo-voador prefere as florestas setentrionais mistas, que vão do mar Báltico, através da taiga russa, ao oceano Pacífico.

As vastas florestas da Sibéria parecem garantir a sobrevivência do esquilo-voador siberiano. Apesar disso, essa espécie — como muitas outras que fazem tocas em buracos de árvores — fica sem locais apropriados para fazer tocas por causa do desmatamento. Na Finlândia, região oeste de seu habitat, o esquilo-voador é protegido por um decreto da União Européia. Apenas avistar rapidamente um esquilo nas copas das árvores ou encontrar suas fezes pode fazer com que um projeto de construção seja adiado ou cancelado.

É claro que os esquilos-voadores não fazem idéia das possíveis conseqüências de suas fezes, e parece que nada perturba sua rotina. Ao cair a noite nas florestas setentrionais, milhares de focinhos aparecem nos buracos das árvores. Longos bigodes se mexem, finos galhos se movimentam, e o esquilo-voador está em ação mais uma vez!

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 3 Esta espécie de esquilo-voador é apenas uma das mais de 30 existentes. Muitos deles residem nas florestas do sudeste asiático, incluindo o esquilo-voador gigante, do tamanho de um gato. Os esquilos africanos de cauda escamosa geralmente não são alistados com outros esquilos-voadores, embora sejam muito parecidos com eles. Sua marca mais distintiva é a cauda, que tem pêlos somente na extremidade e em parte da base.

[Foto na página 23]

Amentilhos, uma das comidas favoritas do esquilo-voador

[Foto na página 24]

Filhote de esquilo-voador siberiano

[Crédito da foto na página 22]

Ilya Lyubechanskii/BCIUSA.COM

[Crédito da foto na página 23]

Esquilos: Benjam Pöntinen

[Crédito da foto na página 24]

Esquilos: Benjam Pöntinen